História I Didn't Want To, But l Love You (Mitw, Cellps) - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Alan Ferreira (EDGE), Cauê "BaixaMemoria" Bueno, Felipe "Febatista" Batista, Felipe Castanhari, Felipe Z. "Felps", João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Lucas "Luba" Feuerschütte, Lucas "T3ddy" Olioti, Marco Tulio "AuthenticGames", Pedro Afonso "RezendeEvil" Posso, Rafael "CellBit" Lange, TazerCraft
Personagens Cauê Bueno, Felipe "Febatista" Batista, Felps, João Victor Negromonte Queiroz "Jvnq", Lucas "LubaTV", Lucas Olioti, Marco Tulio "AuthenticGames", Mike, Pac, Personagens Originais, Rafael "CellBit" Lange
Tags Baixathentic, Cellps, Gravidez Masculina (mpreg), Humanos, Jvtista, L3ddy, Misticismo, Mitw, Sobrenatural, Vampirismo, Vampiros
Visualizações 197
Palavras 1.339
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, LGBT, Misticismo, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Nem sei como falar com vocês aqui... Ainda estou morrendo de vergonha pelo capítulo anterior, mas tudo bem! Vida que segue, né?😅

Esse capítulo, só o comecinho é de Cellps, mas eu tentei ao máximo focar em qualquer outra coisa, ok?😁😅

Espero que gostem 😊

Boa leitura 📖

Capítulo 17 - Nem a conheço, mas já odeio essa garota!


P.O.V Cellbit

Acordei, sentindo algo rodeando a minha cintura, e me virei, com cuidado, pra ver o que era, dando de cara com o meu namorado de olhos abertos, me encarando.

— Bom dia! - Digo bocejando.

— Bom dia! - Ele sorri e me dá um selinho.

Ficamos algum tempo ali, nos encarando e sorrindo um para o outro.

Uns cinco minutos depois, decidi que eu precisava levantar e ir tomar um banho, já que resíduos da noite anterior ainda estavam em meu corpo.

Quando tentei levantar, senti um forte dor no quadril, minhas pernas fraquejaram e eu caí no chão.

— Cell? Tá tudo bem? - Ele perguntou, vindo até mim e me pegando no colo, dando uma risadinha no final. - Parece que eu peguei pesado ontem contigo, né bb?

Dei-lhe um peteleco na testa.

— Não seja idiota! - Falei emburrado.

— Hahaha... Tá bom, tá bom amor! Tá sentindo alguma dor? - Perguntou-me preocupado.

— Ah, se você ignorar o fato de eu não estar sentindo as minhas pernas, meu quadril estar doente para um caralho e meu pescoço está latejando, não, não sinto nenhuma dor! - Falei irônico.

— Oh, meu bebezinho tá machucado! Vem, vou te dar um banho e você vai ficar deitado, enquanto eu busco comida pra você, tá bom? - Perguntou, me dando um selinho, e caminhando comigo, ainda no colo, até o banheiro.

Ele me deu um banho e tomou um banho junto. (E como ele é safado como é, rolou uns beijos mais quentes, e umas mãos bobas, mas nada mais que isso).

Depois que ele me ajudou a secar-me e vestir-me, ele me carregou de volta para o quarto, me colocando na cama e me cobrindo.

— Eu já volto com seu café da manhã, só um momento! - Ele diz saindo.

Fiquei pensando em como ele está sendo atencioso comigo... Isso é tão fofo da parte dele!

Cheguei a uma conclusão...

Eu amo esse idiota!

P.O.V Pac

Estávamos todos (exceto o Felps e o Cellbit) no refeitório, comendo e conversando.

Estávamos meio preocupados com ambos os ausentes, já que o único sinal de vida que eles deram foi ontem a noite, que o Cellbit mandou uma mensagem para o Batata, que foi algo parecido com:

Batata, avisa todo mundo que estamos bem! Não se preocupem! Estou no internato com o Felps. Até amanhã, tchau!”

E nós ficamos super preocupados, apesar de o Mike ficar falando pra mim que eles, provavelmente, estavam muito bem!

Estávamos conversando, quando eu vi, de longe, um garoto moreno, de cabelos escuros e encaracolados, e eu corri até ele, sem dar explicações para os outros.

Pulei em cima do Felps e já fui o enchendo de perguntas.

— Cadê ele? O que você fez com ele? Espero que ele esteja bem, se não... - Comecei mas fui interrompido.

Ele me tirou de cima dele, e ergueu os braços em rendição.

— Calma Pac, calma! O Cellbit está bem! Ele está no quarto. Não estava se sentindo muito bem, então o deixei lá e vim buscar comida pra ele. - Falou calmamente, enquanto pegava uma bandeja e foi a enchendo de coisas como frutas, pães, um suco, dois pedaços de bolo e mais algumas coisas que não fiz questão de prestar atenção.

Ele pegou a bandeja e saiu andando em direção ao quarto, e eu fui o seguindo.

— Mas espera... Você disse que essas coisas são para o Cellbit, mas... E você? Não come? - Perguntei, meio desconfiado.

Vi que ele ficou meio nervoso.

— E-eu não estou c-com fome, mas obrigado pela preocupação. - Falou e continuou andando.

Dei de ombros e continuei o seguindo.

Chegamos na porta do quarto, ele abriu a porta e entrou primeiro. Eu fui entrando logo em seguida.

— Oi de novo Felpopin... - Ele parou de falar, assim que me viu ali também. - Pac? O que faz aqui?

— Ah, eu vim ver se estava tudo bem contigo. Tu não apareceste no refeitório hoje e ontem só mandou aquela mensagem pro Batata, fiquei preocupado! - Falei. - Tá tudo bem?

— Ah! Sim, sim, está tudo ótimo! Eu estou apenas com... Uma... Forte dor no tornozelo. Isso! Dor no tornozelo. - Falou, sorrindo falsamente. Pra mim, aquilo era apenas uma desculpa esfarrapada.

Foi então que reparei uma pequena marca em seu pescoço, ou melhor, duas pequenas marcas... Parece até que alguém mordeu ele ali, com dentes bem pontudos.

— Certo! E essas... Marquinhas no seu pescoço? O que é isso? - Perguntei, curioso.

Ele geleu, e ficou mais branco que papel.

— Eu... É... Tropecei e bati o pescoço na quina do criado-mudo. - Disse, suando frio.

— Como isso, criatura de Deus? - Perguntei, incrédulo.

— Chega de perguntas! O Cellbit precisa descansar. Até mais tarde Pac. - Disse Felps, me acompanhando até a porta, esperou eu sair e a fechou.

Eu hein! Povo doido!

Voltei para o refeitório, e sentei ao lado do Mike, e ficamos conversando.

Contei para todos o que tinha acabado de acontecer no quarto, e Mike, Jv, T3ddy e Authentic trocaram olhares nervosos entre eles, o que eu estranhei.

Estávamos conversando, até chegar uma puta, digo, uma garota, que sentou no colo do Mike, passando os braços por seu pescoço, e se aproximando mais do que deveria dele.

Nem a conheço, mas já odeio essa garota!

— Oi Mikezinho! - Disse dando um selinho demorado nele, que a empurrou de leve.

— Ketty? O que faz aqui? - Perguntou, claramente confuso (N/A: Sim gente, eu coloquei a Ketty, porque eu acho a Barb fofa demais pra colocá-la como vilã! *Pra quem não sabe, a Barb é a atual do Mike*).

— Sentiu saudades, bb? - Ela perguntou, tentando fazer uma voz sexy, falhando miseravelmente.

— Nem um pouco! - Disse Mike, a tirando de seu colo e a afastando. - A gente terminou faz tempo Ketty! Você me traiu com o idiota do Rezende, se você não se lembra... Cansou do seu “brinquedinho”? Então vai procurar outro, porque eu não vou ser seu brinquedo de novo! - Falou firme.

Ela o olhou, indignada. Como se não aceitasse a rejeição (o que provavelmente acontecia no momento).

— Mike, é isso que você pensa de mim? - Perguntou, com os olhos marejados. - Eu mudei! Eu te amo! Me dá uma nova chance, por favor? 

Não sei o que deu em mim, mas o meu sangue ferveu naquele momento, e eu senti vontade de estrangular aquela garota no momento.

Me levantei.

— OLHA AQUI GAROTA, VOCÊ NÃO OUVIU O QUE ELE FALOU? ALÉM DE PUTA É SURDA? SE TOCA, VOCÊ TRAIU ELE, E ELE NÃO VAI TE DAR UMA NOVA CHANCE! VAI PROCURAR OUTRO PRA FAZER TODO ESSE DRAMINHA, VAI, ANTES QUE EU ME ESQUEÇA QUE EU NÃO SOU AÇOUGUEIRO E AMACIE ESSA SUA CARA DE VACA COM A MINHA MÃO. E ACREDITE, EU NÃO VOU DAR A MÍNIMA SE VOCÊ É MULHER OU NÃO? ENTENDIDO? - Eu praticamente berrei ali.

O refeitório inteiro ficou me encarando e a tal da “Ketty” ficou perplexa, mas logo retomou a postura.

— Eu não sei o seu nome, não sei da onde você veio, nem o que quer com o meu Mikezinho, mas saiba de uma coisa... Isso não vai ficar assim! Você não sabe com quem está se metendo. E quando você menos esperar, já vai estar em um cova! - Seus olhos ficaram amarelados e depois voltaram ao normal. - Até breve.

Ela saiu andando.

— Uau! Grande coragem a tua de enfrentar ela. São poucos que conseguem. Você foi muito corajoso! - Elogiou T3ddy.

— O que deu em você, Tarik? - Perguntou Cauê, baixinho pra mim, já que estava do meu outro lado.

— Sinceramente... Eu não sei... - Respondi-lhe, dando de ombros.

— Mas eu sei... - Interveio Luba. - Claramente foi uma crise excessiva de ciúmes possessivo.

Fiquei corado.

— Ciúmes? Eu? Por que eu teria ciúmes do Mike? Não, não, não! Nunca! Ele é só meu amigo. - Falei, sorrindo nervoso.

— Amigo... Sei... Conheço bem esse tipo de “amizade”. - Febatista se pronunciou pela primeira vez na conversa.

— Ah, quer saber? Vocês são loucos. Eu vou pro quarto. Com licença. - Levantei-me e fui saindo, indo em direção ao quarto, sem esperar ninguém se pronunciar.

Ciúmes? Eu? Eu nunca senti ciúmes de ninguém...

Será que...

Será que eu gosto dele?


Continua ou não?


Notas Finais


E aí?
Gostaram?
Amaram?
Odiaram?

Deixem nos comentários para eu saber a opinião de vocês 💖...

Bjsss 😘❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...