História I Dont Even Know Your Name - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Shawn Mendes
Personagens Personagens Originais, Shawn Mendes
Tags Casal, Mendes, Romance, Shawn, Shawn Mendes
Visualizações 20
Palavras 1.325
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 2 - I


Honolulu, Havaí, Estados Unidos, 31 de dezembro de 2013

Lúcia, sentada de costas para o salão de festas, observava o pôr-do-sol em cima de um muro de pedras. Seu pé batia no ritmo de "We will rock you".

Quando sentiu um ronco no estômago, pulou do muro, mas sem antes ajeitar a tiara de flores rosa que usava, como lembrete de que estava no Havaí.

A primeira vista, Lúcia negava a vontade de sua família para ir nessa exótica cidade havaiana. Porém, com muitas perturbações de sua família, cedeu. Porém, estipulou quando iriam: no Ano Novo.

A garota apreciava aqueles filmes onde mostravam os finais de ano em lugares extraordinários e sempre quis passar para um novo ano assim. E, quando a chance vem, não podemos escapar, não é?

Como ainda era o pôr do sol, o local estava praticamente vazio. Apenas algumas pessoas e a família Martini.

A Sra Martini, ou Sra Francesca, era alegre e extrovertida, às vezes ignorante a algumas coisa, diferente do marido, o Sr Marco, que era introvertido e pouco falava, mas era perito em varias áreas de conhecimento. 

O casal tinha duas filhas, e cada uma se parecia com um dos pais. Bianca Martini era idêntica a mãe. Tanto na personalidade quanto na aparência. Afável e na maioria das vezes meiga, consegue derreter qualquer um com um simples sorriso, porém, a inteligência não é um de seus melhores atributos. Já Lúcia era tímida, mas culta. Sabia de tudo e mais um pouco, mas não sabia controlar seus sentimentos muitas vezes. Falava coisas sem pensar duas vezes. Uma ótima pessoa para conversa sobre diversos assuntos, principalmente sobre livros. Seus olhos cintilam apenas de ouvir alguém falar Harry Potter.

Andando com sandálias de pedrinhas brilhante se um longo vestido branco, Lúcia foi beliscar na mesa de salgados no meio do salão de festas do hotel que estava.

A morena de olhos verdes, uma perfeita mistura na aparência de seus pais, agora cantarolava a música que tocava, que coincidentemente era a sua favorita. 
— I'm pretty sure we almost broke up last night;
I threw my phone across the room at you;
I was expecting some dramatic turn away;
But you stayed...

***

Carregando um pratinho e um copo com algum drink especialmente feito para ela, Lúcia atravessou a pista de dança ouvindo agora "Bad". Porém, ao contrário de tudo que esperava, esbarrou em alguém, derramando todo o líquido em cima da pessoa.
— Oh my lord, sorry, I'm so sorry (Oh meu deus, desculpa, eu sinto muito).— Disse pegando um guardanapo na mesa mas próxima e limpando a camisa branca - agora que vira quem era - do homem.
— Don't worry. You don't need to apologize (Não se preocupe. Você não precisa se desculpar).— Disse ele levianamente.— It's just a shirt (É só uma camiseta).
— Well, I least could buy a new t-shirt for you, wright (Bem, pelo menos eu poderia-lhe comprar uma camiseta nova, certo)?
— You don't need to do this (você não precisa fazer isso)...
— It's my fault (a culpa é minha).— Ela falou agora levantando o rosto e observando os olhos perspicazes do outro jovem. Era da mesma idade que a morena. Tinha cabelos castanhos como os seus belos olhos e um sorriso deslumbrante de dar tontura.— We can go to the hotel store. I'm almost sure that it's open (Nós podemos ir à loja do hotel. Tenho quase certeza que está aberta.)
— Well, if you insist (bem, se você insiste)...

***

(N/A: a partir de agora, as falas em inglês serão em Itálico)

***

Ambos caminharam acompanhados por um silêncio agradável. Lúcia as vezes se via apreciando o rosto do desconhecido, como o outro garoto.
— Onde será que isso fica?— Murmurou ela, colocando a mão no queixo e olhando para o nada, porém continuou andando.
— Você fala português?
— Sim!— Respondeu ela.— Sou brasileira.
— Legal! Meu pai é português.
— Eu...

Mas, antes de terminar a fala, viu uma mulher ajeitando uma camiseta em um manequim. Assim, pegou a mão do garoto e o puxou para a mulher.
— Licença, à loja está aberta?
— Sim, mas fechamos em 5 minutos.
Assim, depois que ouviu a moça falar, foi logo escolher uma blusa.
— É o seu namorado?— Perguntou a atendente.
— Não, não, eu só derrubei suco na camiseta dele.
— Ah, mas nem o achou bonito?
— Bem.— Lúcia ia responder, porém, para sua felicidade, foi interrompida pelo garoto.
— Vou provar, ok?
— Tudo bem.

Quando ele entrou no vestiário, Lúcia recebeu uma mensagem da mãe.

Lucia, onde você está? Nos estamos te procurando! O jantar já vai ser servido...

Mas mãe, ainda são 6:30...

São 8:42, Lúcia.

Aí meus deuses! 
Eu vou te encontrar em 10 minutos, ok?

Tudo bem, mas não se atrase, seu pai está quase surtando.

Assim, a garota se apressou para pagar a camiseta, levando um susto com o preço.
— 45 dólares e com taxa 46,5.
— Ok...— Assim, Lúcia vasculhou sua bolsa procurando o cartão, e, quando achou, passou pela máquina e agradeceu a atendente, partindo logo para o salão de festas do hotel.

Quase no mesmo instante, o garoto, saiu do vestiário para mostrar a sua nova camiseta. 

Era branca, porém, no centro, estava estampado "Havaí" em vários tons de azul misturados, para dar sensação de que fosse ondas.

— Hey, gostou da minha...

Porém, nem ao menos terminou a frase. A garota havia sumido.

***

— Está aí a sumida!— Disse Bianca quando a irmã chegou para alertar a mãe.
— Filha, não suma novamente.— Repreendeu a mãe.
— Tudo bem, tudo bem.— Respondeu Lúcia.— Poderia jantar agora?
— Vai lá... aliás, pegue alguma bebida para mim.
— Com ou sem álcool?
— Com.

Assim, ao som de "We are never ever getting back together", foi se servir. Cantarolava ao mesmo tempo que colocava em seu prato aquele sashimi havaiano. Então foi pegar a sua bebida e a de sua mãe. Voltou para a mesa, entregou a bebida e pôs-se a comer.

Lá, a sua mãe e sua irmã comentavam de tudo: desde a melhor comida até o que todos vestiam, se está na moda ou não. Seu pai, como sempre, só assentia.

Quando todos já terminado a sobremesa, era quase 11:45. Os garçons começaram a distribuir champanhe para todos.

Assim, a família Martini saiu, indo para a praia. Lúcia, porém, sentiu vontade de ir ao banheiro. Avisou onde iria e correu para o banheiro.

E, quando voltava, esbarrou novamente em alguém.
— Me desculpe, sério, eu não sei o que...

Mas, ao invés do que achava, a pessoa que havia esbarrado apenas riu.
— Pelo menos você não derrubou nenhuma bebida na camiseta que você me comprou.
— Então foi você que esbarrei? Coincidência, não? — Lúcia começou a rir junto.
— É, parece que sim. O que faz aqui, sozinha?
— Eu...

Mas, antes de terminar, todos começaram a fazer a contagem regressiva.

Lúcia, sem saber o que fazer, olhou para os olhos castanhos e belos do garoto. Eles pareciam preciosas castanhas. O cabelo castanho também, porém escuro, como chocolates. Já a boca... a boca demonstrava um belo sorriso, tão radiante que parecia brilhar mais que os fogos que iluminariam o céu daqui a pouco. A boca tinha tão belos lábios que Lúcia amaria ter-lá só para beijar quando quiser. "O que você está pensando, Lúcia Martini?" Se auto repreendeu a garota "Ele é só um estranho..."

Mas, quando o primeiro fogo de artifício estourou. Ela mais nada conseguiu pensar, só sentiu uma força invisível a forçando chegar perto do garoto e...

Beija-lo.

As mãos de Lúcia estavam colocadas atrás do pescoço do garoto, o puxando para frente, e com os olhos fechados. Já o garoto estava petrificado, porém logo relaxou e colocou a mão na cintura da garota. Mas, ao fazer isso, Lúcia se separou e se afastou. 

Ela olhou para baixo constrangida e depois levantou o rosto e deu um breve sorriso.
— Bem... ahñ... acho melhor eu ir.
— Espere...

Mas se nada adiantou. A garota novamente se foi.

A garota que Shawn Mendes se apaixonara novamente se foi.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...