História I don't love you - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Itachi Uchiha, Kushina Uzumaki, Minato "Yondaime" Namikaze, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Deidara, Familia Uzumaki, Hinata, Kushina, Minato, Naruto, Pais Do Naruto, Sakura, Sasuke, Sasunaru, Yaoi
Visualizações 714
Palavras 2.205
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


⚠ ATENÇÃO! A FANFIC NÃO TEM INTENÇÕES ALGUMA EM FAZER ABOLOGIA AS DROGAS! ⚠    

Capítulo 2 - 02


Fanfic / Fanfiction I don't love you - Capítulo 2 - 02

        Naruto sentia que estava perto de um colapso nervoso desde de que se instalou na casa de seus pais. A ideia inicial era ficar uma semana para cuidar de sua mãe até que ela estivesse melhor, pois seu pai havia sido convocado a um congresso em outro estado, e com toda certeza não seria a melhor ideia deixar Deidara a par da dona Kushina.

Já era quarta-feira, praticamente na metade da semana e o Uzumaki estava preste a botar  Deidara para fora daquela casa. Não que o irmão fosse de todo o mal, mas pensem em alguém três vezes mais irritante do que ele?

Deidara havia ligado o som em seu quarto no volume máximo e aquela música já havia tocado mais de quatro vezes, e o loiro já estava prestes a ir pessoalmente fazer seu irmão desligar o som nem que fosse por bem ou por mal. Não que ele não gostasse da música ou da banda, não tinha nada contra eles, era só que aquela música era a preferida de um certo Sasuke Uchiha, podia até relembrar de uma certa noite que o pegou cantando baixinho essa música enquanto fumava.

“Playing the hand

Yeah

You don't know my mind

You don't know my kind

Dark necessities are part of my design

Tell the world that I'm

Falling from the sky

Dark necessities are part of my design

Do you want this love of mine?

Darkness helps us all to shine

Do you want it, do you want it now?

Do you want it all the time?

But darkness helps us all to shine

Do you want it, do you want it now?”

Seu irmão com certeza queria o torturar, só podia. Se ao menos sua mãe não estivesse praticamente apagada pelo efeito dos remédios fortes que havia tomado ela poderia o fazer ao menos diminuir o volume, ninguém nessa família era doido o suficiente para desobedecer dona Kushina quando ela está sóbria.

“You don't know my mind

You don't know my kind

Dark necessities are part of my design

Tell the world that I'm

Falling from the sky

Dark necessities are part of my design

Do you want this love of mine?

Darkness helps us all to shine

Do you want it, do you want it now?

Do you want it all the time?

But darkness helps us all to shine

Do you want it, do you want it now?

Pick you up like a paperback with the

Track record of a maniac, so I

Move it in and we unpack

It's the same as yesterday

Any way we roll

Everything must go away

Oh, what do you say?

Yeah

You don't know my mind

You don't know my kind

Dark necessities are part of my design

Tell the world that I'm

Falling from the sky and

Dark necessities are part of my design”

De repente — e para a felicidade de Naruto — a música parou, e enfim se fez silêncio. Naruto tirou o travesseiro de cima de sua cabeça e o ajeitou ao seu lado, estava preparado para dormir quando ouviu passos no corredor que logo pararam em frente a sua porta, a mesma foi aberta e a luz acessa revelando um Deidara totalmente produzido e perfumado encostado no batente da porta.

— O que quer? — Perguntou totalmente já sem paciência.

— Nada de mais, só vim lhe notificar que você irá comigo a uma festinha.

O loiro mais velho nem esperou algum protesto ser dito pelo irmão caçula e foi em direção ao guarda-roupas começando a vasculhar algo bom que ele pudesse usar.

— Sério isso, Naruto? Você vai passar uma semana em outra casa e não traz nada que possa ser usado em uma festa? — A expressão de indignação do irmão faria Naruto rir, claro, se ele não estivesse praticamente morrendo de sono e cansaço pelo dia extremamente puxado.

— O que você esperava? Eu vim preparado para passar uma semana para cuidar da minha mãe. — Deu ênfase nas três últimas palavras. — E não para farrear.

— Bem, já que você não tem nada bom o suficiente para ir a festa…..— Deidara fechou as portas do guarda-roupa com um ar de desaprovação. — O jeito será vestir algo meu! Anda, vem, vamos escolher algo que fique bem em você.

— Deidara, eu não vou usar nenhuma roupa sua e muito menos ir a alguma festinha de seus amigos drogados. — Dito isso Naruto cobriu seu rosto com o edredom, ele não estava nem um pouco a fim de ir parar em alguma boca de fumo e depois acabar sendo preso sem ao menos ter na vida ingerido algum tipo de droga.

— Não seja exagerado, não a nada demais nas festas que meus amigos dão, você que é certinho demais, isso sim.

— Tanto faz, eu não vou! — A voz saiu abafada por causa do edredom, mas o loiro sabia que o irmão havia entendido.

— Ahahahah, você vai sim!

— Porque faz tanta questão que eu vá, Deidara?

— Porque eu odeio chegar sozinho nas festas, parece que toda a atenção vem parar em mim!

— Ah, veja só, é perfeito, não? — Retirou o edredom do rosto para poder olhar para o irmão que estava sentado na ponta da cama. — Você adora chamar a atenção, então porque não continuar assim?

— Pensei que ao menos você tivesse consideração por mim, Naruto. Mas pelo visto você me vê como o nosso pai, um garoto loiro burro que não consegue largar o vício das drogas.

E mais uma vez Deidara começava com a chantagem emocional para conseguir algo de si, e por mais que tentasse negar, acabava cedendo ao irmão.

Pelo que parece teria uma longa noite pela frente.

                                •••

  

   Maldito fosse Deidara e sua chantagem emocional, pensou.

Já fazia bastante tempo que havia chegado a tal festinha — que na verdade era mesmo um encontro de viciados, já deveria de ter suspeitado desde de o começo — e se encontrava totalmente perdido naquela casa, não conhecia ninguém que estava naquela festa. Se ao menos conseguisse puxar pela memória onde ficava a saída poderia ir embora no carro do irmão e deixa-lo para trás como punição por ter o arrastado para essa festa.

Quem sabe pudesse até sem querer acabar arranhando o carro dele, sabe assim, sem querer mesmo, nada haver com uma vingança planejada por seu irmão ter o drogado na manhã.

"Vamos Naruto, você tem que relaxar"

"Vai ficar bem mais animado depois que experimentar esses comprimidos aqui"

"Não seja chato, você quer se divertir, não?"

Foram esses os argumentos usados por seu irmão e ele se perguntava como podia ter se deixado levar tão facilmente. Tudo bem que ele era um adulto de 20 anos e sabia muito bem o que fazia, não era uma criança inocente, bem longe disso.

Pelo menos havia um lado bom, sentia-se relaxado, como se todo o estresse houvesse ido embora, e mentiria se não dissesse que havia tido algumas alucinações, mais nada muito exagerado.

Havia desistido de achar a saída nesse seu estado atual, era melhor esperar a casa esvaziar e depois perguntar a alguém que estivesse em condições melhores que as suas. Estava dando meia volta no meio do corredor quando sentiu sua bexiga se apertar, e por sorte os banheiros da casa tinha uma plaquinha de identificação o que facilitou muito para que encontrasse um banheiro.

Sabe quando você liga o chuveiro esperando tomar uma ducha quentinha mas quando entra debaixo do dito cujo a água está extremamente fria? Ai de repente você lembra que esqueceu de colocar na água quente? Foi exatamente assim que Naruto se sentiu ao abrir a porta do banheiro sem bater primeiro, como se houvesse levado um banho de água fria.

Primeiro veio o sentimento de surpresa, afinal o loiro nunca esperava encontrar Sasuke em uma festa como aquela e muito menos no banheiro da festa. Depois veio a vergonha, e por último o ciúmes — quando se gosta é quase impossível controlar tal sentimento, você simplesmente sente — ao ver que o moreno estava se agarrando com uma mulher.

Ficaram os três se encarando em silêncio, Naruto olhando para Sasuke e a menina olhando de um para o outro.

— Ei loiro, você é bem gato, se quiser pode se juntar a nós. — O tom malicioso na voz dela mesmo sem querer fez Naruto pensar nos três e no que rolaria se ele topasse, o que nunca aconteceria, óbvio.

— Sakura, o que está pensando? — A voz rouca do moreno fez todos os pelos de seu corpo se arrepiarem e ele se amaldiçoou por isso.

Estava preparado para sair de fininho e deixar com que os dois voltassem ao que estávamos fazendo, mesmo que quisesse que fosse ele ali com o Uchiha, muito mesmo, não podia mudar como as coisas eram. Ele tinha era que esquecer, era ele o apaixonado da história afinal.

Seu plano de sair sem ser percebido teria dado certo se não fosse por alguém que chegou por trás de si e o abraçou pelos ombros, não precisou de muito para saber que se tratava de seu irmão, afinal a enorme cabeleira era reconhecível à distância.

— E ai Naruto, não sabia que curtia essas coisas a três. — Foi só Deidara abrir a boca que a atenção de Sasuke voltou para ele.

— Eu não curto, só tava procurando o banheiro mesmo e acabei encontrando esse casal aqui. — Sorriu sem graça, não queria que o irmão soubesse que ele conhecia Sasuke, pois se soubesse seria questão de tempo até ele sacar tudo, e não queria levar um sermão justo de seu irmão por estar envolvido nesse tipo de "relação".

— Então não conhece nenhum dois dois?

Deidara perguntou e Naruto apenas negou com a cabeça sem olhar para o homem à sua frente, podia sentir o olhar do Uchiha sobre si, e para seu alívio ele não contestou nada.

— Então vamos sair daqui e deixar o casal com sua privacidade e procurar um banheiro para você, se bem que eu não me lembro bem se á um banheiro nesse andar…

— Aqui nesse andar tem mais um banheiro, eu te levo lá.

A sugestão de Sasuke quase fez um certo Naruto Uzumaki sair correndo, o que ele menos precisava era ficar a sós com o Uchiha nesse seu estado atual.

O irmão mais velho olhou desconfiado para o caçula, a mulher que estava com Sasuke reclamou, mas quem disse que isso o impediu de  puxar o Uzumaki pela mão?

Como era de seu fetiche ele apenas fez, sem se importar com as consequências.

— Não precisa de tudo isso, Sasuke. Eu posso achar o banheiro sozinho, sabe.

— Eu faço questão, Naruto.

Naruto não disse mais nada depois disso e o moreno parecia não fazer questão também. Era perceptível que Sasuke estava incomodado com algo e tinha a ver com ele, pois ele não o olhava diretamente e segurava sua mão com força desnecessária.  Teria perguntado o porque de todo aquele comportamento estranho mais no mesmo momento em que iria abrir a boca para perguntar chegaram no banheiro.

No momento em que entrou no banheiro e fez o que tinha de fazer quis acreditar que quando saísse o moreno não estaria o esperando, mais sabia que ele estaria, para seu terror.

— Obrigado por ter me mostrado o banheiro. — Abriu a porta e estava pronto para sair na direção oposta a que o outro estava quando o seguraram pelo ombro.

— O que foi, Naruto? Você parece o diabo correndo da cruz. — Aquelas palavras foram sussurradas ao pé do ouvido do loiro, que logo sentiu o outro homem apoiar seu queixo em seu ombro.

— Não é nada Sasuke, é só que eu estou cansado e quero ir para casa, só isso.

— Por que não me procurou?

— Oi? — Naruto realmente não entendia aonde o outro queria chegar.

— Você sabe, normalmente você não fica tanto tempo sem ir me ver. — O loiro foi pego de surpresa ao sentir mãos se prendendo a sua cintura, ele não estava acostumado a contatos carinhosos como esse vindo do Uchiha.

— O que está querendo insinuar com isso?

— Não é óbvio, você não consegue ficar longe de mim por muito tempo.

— Você se acha demais, só pode!

Naruto se desprendeu do aperto do moreno, sentia-se furioso por tal pretensão do mesmo. O que ele havia tido era verdade, sabia, mais ainda assim não gostava de ter que engolir essa verdade dita de forma tão mesquinha. Sentia-se alterado ao extremo, com certeza alguns dos efeitos da droga de mais cedo.

— Não faça essa cara, você sabe que é verdade. — A essa altura Naruto já havia notado os olhos vermelhos de Sasuke, ele estava tão alterado quanto si.  — Já faz meses que estamos nesse drama, e sabe por que? Porque você não consegue superar o fato de que eu nunca vou te amar como você me ama, caralh.o!

— Você é mesmo um imbecil, teme.

— Hum, você não está tão longe disso, dobe.

Foram questões de segundos, movido pela mágoa e impulsos, Naruto deu um murro no rosto do Uchiha. E quando deu por si, havia acontecido, ainda não haviam inventado uma máquina no tempo que ele pudesse usar.

O loiro não ficou muito tempo ali para ver a reação do outro, ele não queria correr o risco de ver em primeira mão como era Sasuke Uchiha furioso.

Não esperou seu irmão sair da festa, pegou o primeiro táxi que conseguiu. Deidara teria que dar um jeito para vir embora depois, pois a chave do carro estava consigo e ele com certeza sairia sem dinheiro algum da festa.


Notas Finais


(N/A: a música citada no capítulo é Dark Necessities do Red Hot Cili Peppers, eu acho que ela tem muito a ver com o Sasuke e o Naruto:)

Grata a todos que leram💖

Bjs❤)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...