História I Dont Wanna Live Forever - Capítulo 45


Escrita por:

Postado
Categorias Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Magnus Bane
Tags Clace, Malec, Sizzy
Visualizações 126
Palavras 1.256
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Transsexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 45 - Capítulo 44


Fanfic / Fanfiction I Dont Wanna Live Forever - Capítulo 45 - Capítulo 44

 

Capítulo 44

Ouvindo conversa alheia.

 

Passaram-se duas semanas...

Jace havia tocado a sua vida depois da morte de Imogen, ele havia recebido toda a herança da mulher, fazendo a sua vida girar trezentos e sessenta graus.

Quando os seus pais morreram, Jace só recebeu o dinheiro que estava no banco e a sua poupança para a faculdade, pelo simples fato de que os seus pais não possuíam bens em seus respectivos nomes.

Jace e Clary estavam na casa de Mark e Kieran tomando alguma coisa, pois eles encontrariam, Luke e Maryse, Magnus e Alec mais tarde.

Enquanto Kieran, Mark e Clary conversavam, Jace viu Liam encolhida no seu canto, com os seus cabelos loiros maiores e roupas mais femininas diferente da última vez que ele a viu, encarando uma folha de papel.

-Fale com ela. –Incentiva Clary, alisando o braço de Jace.

Jace aproxima-se de Liam e a menina continua concentrada no desenho, como se tudo se resumisse a aquilo.

-O que foi? Está se desenhando? –Pergunta, encarando um desenho de uma menina.

-Estou desenhando como eu gostaria de ser... Eu estou escondida aqui... Essa não sou eu, sabe? –Pergunta, encarando Jace, fazendo-o suspirar.

-Sei, conheço alguém muito parecido com você. –Responde, sentando-se ao lado da menina e deixando a sua taça de vinho de lado.

-Quem? –Pergunta, tendendo a cabeça para o lado.

-Alec... Ele nasceu Alexandra, mas sempre soube que era Alec. –Responde e ela concorda.

-Eu conheço o Alec... Meu pai Mark me levou para conhecê-lo... Ele me indicou a médica dele... Ela é tão boazinha, gostei mais dela do que a minha. –Revela, arrancando uma risada de Jace.

-Alec sabe das coisas. –Diz, piscando em direção à menina, que sorri.

 

***

 

Magnus observa os casais andado de um lado para o outro, enquanto esperava por Alexander, que teve uma reunião de emergência, Jace, Clary, Kieran, Mark, Izzy e Simon e Maryse e Luke.

Ele pega a sua taça de matinê e toma um bom gole, suspirando logo em seguida.

Magnus aproxima-se, observando Alec conversando com Liam... Ele era tão adorável!

-Eu sempre soube que o corpo não era meu, sentia-me desconfortável, como se não tivesse pele, como se nada fosse real... Tinha horror de me olhar e quando fazia, parecia que o mundo iria acabar. –Revela, suspirando, sendo observando atentamente por Liam. –Mas muita gente me ajudou... A minha mãe, a minha irmã, Magnus... Ter apoio das pessoas que ama sempre é a melhor opção, óbvio sempre com a ajuda de um especialista, mas a minha maior ajuda foi Magnus... Ele me ajudou em todas as minhas transformações, apoiando-me, aceitando-me e me mostrando que eu era mais do que eu via no espelho. –Diz, analisando-o.

-O senhor me entende. –Sussurra, envergonhada.

-Já estive do lado daí. –Brinca, piscando em direção a Liam, que cora. –Eu tive alta da minha terapia, mas eu ainda faço algumas seções quando consigo espaço na minha agenda... Terapia nunca é demais. –Garante e ela concorda.

-A minha médica é tão malvada. –Sussurra, em segredo.

-Vou lhe indicar outra. –Garante, abraçando-a.

-Magnus, querido. –Chama Maryse, tirando Magnus do seu transe.

-Maryse. –Cumprimenta, levantando-se e a abraçando. –Luke. –Diz, acenando para o homem, que acena de volta.

-Olá. –Cumprimenta Clary, aproximando-se deles e abraçando Magnus.

-Olá, docinho. –Cumprimenta, balançando-a de um lado para o outro, cumprimentando Jace, Kieran e Mark logo em seguida.

-Cadê Alec? –Pergunta, procurando-o.

-Teve uma reunião de emergência no trabalho e ainda teve que passar na endocrinologista dele para pegar uma nova receita de hormônio. –Responde, mal-humorado. –Ele ultimamente esta tendo muitas reuniões emergenciais. –Resmunga, irritado.

-Você não acha que ele está? –Pergunta, alarmada.

-Não! –Resmunga, revirando os olhos. –Meu Alec tendo um caso? Não! Ele só voltou a se desorganizar, passou tanto tempo desmarcando compromissos por causa da irmã, que agora virou uma bola de neve louca em cima dele. –Resmunga, alisando o rosto. –Como Liam está? –Pergunta, encarando-os.

-Bem... Animada com a nova terapeuta e tudo mais. –Responde Kieran, sorrindo. –Desde que ela conversou com Alec, ela está sentindo-se aceita. –Revela, enquanto Mark chama o garçom.

-Ele tem esse efeito mesmo. –Diz Maryse, pondo-se ao lado de Magnus, que encara a porta e em vez de encontrar Alec, vê, Julie adentrando o lugar ao lado de uma moça, de pele marrom, cabelos longos, lisos e negros, assim como os seus olhos e um caloroso sorriso.

Magnus a reconheceu como Beatriz Mendoza, melhor amiga de Julie.

Elas se sentaram no bar e no segundo seguinte Alec aparece, de terno e gravata, chamando a atenção e todos ao redor.

-Quer um babador? –Pergunta Clary, rindo.

-Não, querida... Não preciso de um. –Responde, revirando os olhos.

-Boa noite. –Cumprimenta Alec, acenando para todos e dando um selinho em Magnus. –Oi. –Sussurra, contra a boca dele.

-Oi. –Cumprimenta, observando-o abrir um enorme sorriso. –Está muito animado para alguém que estava preso em uma reunião. –Acusa, divertido.

-Quando eu saltei do carro, eu vi Julie e uma amiga conversando. –Diz, despreocupado.

-Ouvindo conversa alheia, Alexander? Que feio. –Recrimina, rindo.

-Ouvi mesmo... Segundo Julie, ela nos acha lindos, gostosos e perfeitos um para o outro e quando a amiga disse que ela não deveria desejar um homem casado, ela disse que estava tentando se policiar, mas a gostosura é generalizada. –Comenta, deixando Magnus chocado.

-E você está feliz com isso? –Pergunta, confuso.

-Não, estou feliz porque eu a coloquei no lugar dela... Porque ela me viu e nós tivemos uma conversinha... E pode ter certeza que ela não vai fazer novamente. –Responde, suspirando.

-E como foi isso? –Pergunta, surpreso.

 

***

 

Simon ri das tentativas de piada de Louis, enquanto Cecily revira os olhos, tomando o seu sorvete com Blue.

-Louis, você não tem uma veia de comediante. –Revela, negando com a cabeça.

Izzy estava controlando a sua pressão, Simon não conseguia entender todos aqueles altos e baixos... Na gravidez ela não podia se emocionar que a pressão subia, agora a pressão caia.

Simon não sabia o que era pior.

-Eu tento. –Diz, sem jeito.

-Como está o seu pai? –Pergunta, analisando-o.

-Melhor... Ele e Raphael estão se acertando, assumiram o namoro platônico deles. –Responde, dando de ombros e Simon lança um olhar em direção a Cecily que diminui o passo entrelaçando o seu braço no de Blue.

Louis estava cabisbaixo e Simon fica apreensivo.

-E como está com isso? –Pergunta, preocupado.

-Bem, meu pai gosta do Raphael e ele é legal. –Responde, concordando com a cabeça.

-Mas não é a sua mãe. –Revela e Louis ri.

-Não, mas não quer dizer que ele não possa entrar na família. –Diz, despreocupado. –Ele também está mais acessível, quer dizer, todas as vezes que ele fica sem beber, ele volta a ser meu pai... Sabe? –Pergunta e Simon concorda.

Assim que eles entram no apartamento, encontram Izzy alisando o braço de Rafael, que estava com uma expressão neutra.

-Como foi com ela? –Pergunta Blue, analisando-o com atenção.

Max e Rafael eram muito próximos, talvez tão próximos quanto Izzy e Alec.

-Terminei com ela... Não valia apena ficar com alguém que gosta de mim e eu não consegui retribuir. –Responde Rafael, levantando-se.

-Ainda bem que nós trouxemos mais sorvete. –Comenta Cecily, levantando o saco com o sorvete.

-Séria bom. –Confessa Rafael, sorrindo.

-Quer que eu ligue para os seus pais? Eles vêm. –Garante Simon, observando Blue se sentar ao lado de Rafael e o abraçar.

-Não precisa... Eu já tinha falado com os nossos pais sobre isso... Eles me aconselharam a terminar. –Revela, suspirando. –Mas é sempre complicado. –Comenta, encarando Izzy, que concorda.

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...