História I Don't Wanna Live Forever ( Jimin e Hoseok ) - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Lisa, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Shortfic, Songfic, Triângulo Amoroso
Visualizações 148
Palavras 3.062
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, docinhos! 💙

Obrigada pelos novos favoritos, os comentários e deixarei o link do Trailer maravilhoso que a @xxcams fez nas notas finais!

Boa leitura! ↩ ps: leiam as notas finais.

Capítulo 9 - Eu não vou te decepcionar.


Fanfic / Fanfiction I Don't Wanna Live Forever ( Jimin e Hoseok ) - Capítulo 9 - Eu não vou te decepcionar.

            09 - Eu não vou te decepcionar.

A manhã seguinte chega rapidamente e penso que não dormir mais do que duas horas de sono, pois ainda me sinto cansada e reluto em levantar da cama. Jimin não está ao meu lado e me entristeço ao perceber isso, pois adoro acordar em seus braços e desde que voltei ainda não tive essa oportunidade. 

Me sentindo mais desanimada do que triste eu ponho meus pés para fora da cama e sigo diretamente até o banheiro que há em nosso quarto. Eu me banho sem pressa alguma e sigo o mesmo ritmo ao me vestir. Quando chego a sala os meninos já estão vestidos e prontos para ir a escola e consigo ver Jimin tomando apenas um café enquanto marca alguns palavras do livro didático.

Eu me aproximo dele que está de costas para mim encostado de frente para o balcão e abraço sua cintura, eu deposito um beijo em suas costas largas coberta pela camisa social azul clara e sinto quando meu homem estremece ao sentir meu abraço. Jimin suspira pesado e se mexe, soltando-se de mim.

 

- Amor... - Eu chamo em forma de lamento, mas meu moreno acena em negativo com a cabeça, pegando o livro e jogando o resto de café na pia, assim como a xícara. - Você comeu alguma coisa ao menos?

- Não estou com fome. - Ele dita sério e me deixa na cozinha, saindo dela apressadamente. Quando chego a sala, Jimin já está guiando os meninos para a saída. Sei que os três podem se atrasar, mas compreendo que o motivo maior dele estar tão apressado não é medo de se atrasar, e prefiro pôr um ponto final nisso antes que piore.

- Jimin. - Eu chamo, segurando-o pelo antebraço quando ele faz menção a abrir a porta do carro e entrar. 

- Mais tarde a gente conversa, por favor. - Ele pedi, e eu nego sentindo meus olhos marejarem sem a minha permissão. Jimin percebi isso, e se inclina para pertinho de mim, ele cola seus lábios aos meus em um beijo carinhoso e se afasta minimamente, acariciando meu rosto com sua mão gordinha. - Eu te amo, jagiya.

- Eu também te amo, bebê. - Eu digo, lhe roubando um selinho, Jimin sorri minimamente e entendendo o esforço que faz isso mesmo estando magoado comigo, eu o retribuo e em seguida ele entra no carro.  Arrumando os meninos nas cadeirinhas. - Até mais tarde, querido. Bom trabalho.

 

Jimin me manda um beijinho voador acompanhado de uma feição serena e eu mando beijinhos para os meus meninos, sendo retribuída e logo o carro de Jimin some na estrada a frente.

Sem mais eu volto para dentro de casa e sem muito o que fazer por conta das férias do trabalho, eu decido dá uma geral por minha residência e isso me toma a tarde inteira e quando me apercebo já são cinco da tarde e estou exausta. 

Namjoon me notifica por meio de uma mensagem, me deixando ciente de que já chegou a Busan no momento em que desceu do trem, e eu peço para que ele descanse de sua viagem exaustiva e que podemos conversar quando ele se sentir disposto, após isso eu procuro uma playlist relaxante em meu celular e entro dentro do meu banheiro, ouvindo-a após deixar meu celular na pia do banheiro. 

Eu preparo um banho bem perfumado, com meus sais preferidos na água quentinha da minha banheira, e decido tirar o suor do meu corpo com uma chuveirada, por isso quando me encontro totalmente nua eu trato de me banhar. Nesse momento I Don't Disappoint do Jay Park começa a tocar pelo banheiro.

Os pingos de água chegam aos meus fios e eu encosto minha testa na parede gelada curtindo a música e a água, deixando os pingos correrem livres pelas minhas costas, eu ouço som de passos abafados por conta do box fechado e vejo Jimin pelo vidro borrado, um arrepio e um frio se forma na minha barriga quando o vejo abrir o box e olhar fixamente cada parte do meu corpo, passando a se despir sem tirar os olhos dos meus. Ele está me provocando.

A cena tira meu fôlego. E assim que ele se encontra apenas com a box preta no corpo, esta que aperta suas pernas grossas, eu desvio meus olhos dele, pressionando meu rosto contra a parede gelada. Eu não sabia se era minha TPM vindo e me deixando mais vulnerável, ou se era de fato o clima que a voz de Jay deixou no ambiente, mas eu não precisaria de muito para admitir meu destempero. Jimin me tinha sem precisar implorar por isso, era sempre assim.

Ele ainda estava chateado comigo pelo segredo que pairava no ar entre nós dois, seu maxilar travado e a ausência de um sorriso era a prova concreta disso, e eu sabia que deixá-lo perto de mim, ao passo que eu estava demasiadamente vulnerável, não era uma boa ideia. Pois meu amor era baixo quando se tratava de me provocar, e ele não perderia uma oportunidade de me fazer implorar por ele. Ficando tão perto de mim sem ter a menor intenção de me tocar.

Jimin entra dentro do box em silêncio, seu olhar ainda queimando meu corpo nu e com um suspiro eu me afasto um pouco do centro do chuveiro para deixar que Jimin se banhe, mas sou pega de surpresa quando ele me mantém por perto, pondo suas mãos em meu quadril e chocando contra o dele com firmeza. Estou de costas, e sinto perfeitamente seu membro colado ao meu corpo. 

Eu reviro meus olhos e suspiro pesado quando sinto-o levar uma das mãos até o meu abdômen lentamente, descendo a outra para o interior das minhas cochas.

Jay Park canta " Baby, Baby, Baby, eu estive pesando em você, eu mal posso esperar para te foder " e meu marido respira contra a minha pele ao me sentir titubear ao ver o quanto sua outra mão desceu em direção a minha intimidade. 

 

- Amor... - Eu chamo baixinho e meu homem suspira pesado contra o meu ouvido, descendo os lábios contra o meu pescoço, chupando-o lentamente enquanto empurra seu quadril contra o meu lentamente, fingindo me estocar. - N-Não é uma boa ideia fazermos isso agora, é? - Eu digo em um fio de voz, a respiração entre cortada dele batendo contra o meu ombro. 

- Eu acho que é a melhor maneira de resolvermos isso, jagiya. - Ele dita rouco, puxando meu couro cabelo para trás, fazendo meu pescoço pousar em seu ombro, ele lambe minha pele molhada e chupa o local, beijando-o logo em seguida e em repetidas vezes. - Eu não vou te decepcionar. - Ele repete a música por fim e enfia seus dígitos dentro de mim, socando-os lentos e repetidas vezes ao passo que meus arfares se se tornavam audíveis.

- Jiminie.. - Gemi e Jimin me silencia com seus lábios se chocando contra os meus quando me vira para frente, apertando seu corpo contra o meu enquanto a água ainda caia em cima de ambos os corpos. 

 

E isso é necessário para o fim dos meus protestos, eu esqueço dos meus princípios e me entrego a ele, mesmo estando ciente de nem tudo se resolve com sexo e que quando acabamos as nossas pendências ainda existiram, eu não consigo evitar de me entregar a ele, e no final de tudo, eu sei que acabo querendo mais do que ele mesmo. 

Acabamos ofegante e embalados em um abraço dentro da banheira perfumada, comigo achando da respiração baixinha do Park em meu ouvido uma das melodias mais lindas ouvidas por mim. Eu o chamo em sussurro e ele repete meu nome no mesmo tom, deixando um beijo casto em meu ombro.

 

- Aconteceu alguma coisa na escola com você ou com os meninos? - Eu pergunto preocupada. - Parecia tão tenso antes. 

- Não aconteceu nada. - Ele diz e parece pensar um pouco antes de continuar. - Estamos bem e sobre o que você está me escondendo...

- Jiminie... - Eu murmuro baixinho sentindo-me triste e imunda, o Park que me abraça por trás beija meu ombro mais uma vez e solta um murmúrio baixinho.

- Eu vou te esperar contar, bebê. - Ele dita baixinho e afunda os lábios no meu pescoço, beijando o mesmo diversas vezes. - Parece ser algo difícil para você e eu te entendo... - Ele suspira e faz carinho no dorso da mão que segura. - Sempre fomos pacientes em esperar o tempo do outro e isso não vai ser diferente agora, eu só preciso saber uma coisa para esperar paciente pelo o que quer que seja.

- O que é? - Pergunto baixinho, parte de mim totalmente temendo aquela pergunta. 

- Eu ainda sou o único que ama, huh? - Ele pergunta baixinho, e vejo, ao encará-lo atrás de mim que ele tem seus olhinhos fechados e essa fragilidade me pega de surpresa e sou incapaz de refrear minha mão que encontra seu rostinho e o aninha adequadamente nela quando estou minimamente de frente a ele. Jimin aperta seus olhinhos e quase ronrona demostrando gostar, - ao menos foi o que aquele murmúrio pareceu.

- Não têm mais ninguém, Jiminie. - Eu sorrio serena, e ele abre seus olhinhos, me encarando fixamente. Eu afasto os fios negros e molhados do seu rosto e selo seus lábios demoradamente. - É só você, eu amo você. 

- É tudo que eu queria ouvir. - Ele revela e sorrir cheio de manhã, fazendo seus olhinhos se transformarem em dois risquinhos.

 

Depois de mais alguns beijos e carícias, Jimin me convida para sair da banheira, estamos lá à muito tempo e sei que precisamos levantar para checar se estar tudo bem com os meninos.

Nós nos secamos e seguidos para dentro do quarto, procurando rapidamente alguma roupa para vestir, Jimin me observa fixamente enquanto visto minha langeri e eu sorrio fingindo não notar e levando tempo demais nisso. Jimin ri ao perceber o motivo por trás da minha lentidão.

Ainda sorrindo eu me sento na cama após vestir uma camiseta branca do Park e um shortinho meu, eu desembrenho meus fios por alguns segundos, logo ligando o secador na tomada.

 

- Deixa que eu faço, amor. - Jimin diz baixinho e se senta atrás de mim, apoiando os joelhos na cama, eu entrego o secador a ele e suspiro satisfeita ao sentir o carinho que ele faz em meu coro cabeludo enquanto seca meus fios. 

- Obrigada, bebê. - Eu digo baixinho quando ele termina de secar meus fios e me viro para trás, selando os lábios cheios do moreno. - Quer que eu seque os seus também, huh?

- Por favor. - Ele dita e sorri singelo, se sentando na cama. Eu desço da mesma e fico em pé vendo-o abaixar o rosto para facilitar meu trabalho. Eu remexo nos fios finos, lisos e negros do Park próximo ao aparelho e logo termino de seca-los, ganhando um longo selinho em troca.

- Eu banho os meninos e você faz o jantar, fechado? - Eu oferece e o moreno sorrir, me mostrando seus dentinhos. 

- Vou fazer alguma massa italiana. - Ele avisa e sela meus lábios mais uma vez, deixando-me sozinha no quarto quando sai do mesmo sem pressa.  Eu arrumo meu cabelo e deixo quarto, encontrando meus meninos em frente a televisão. 

- Boa noite, mamãe. - Eles dizem quando os cumprimento e eu sorrio, deixando um beijinho na bochecha de cada um.

- Vamos tomar banho, huh? Para ficarem cheirosinhos. - Eu digo e ambos fazem um biquinho negando. 

- Está passando desenho agora, mamãe. - Taehyung diz com uma voz manhosa e Jungkookie concorda com o irmão e assenti com uma expressão dengosa no rosto bem semelhante a do mais velho.

- Depois a mamãe coloca para vocês assistirem pela netflix. - Eu digo serena e os vejo assenti menos relutantes. - Vamos agora, huh?

- Vamos, mamãe. - Jungkookie diz e estende os bracinhos para mim, eu solto um gargalhada, e o pego no colo dando minha mão para Taehyung. 

 

Nós deixamos as mochilas na sala e seguirmos para o meu quarto, e os banhei ali mesmo na banheira do meu quarto. Não iria bagunçar o banheiro deles sabendo que depois eu teria de arrumar se podia usar o meu e levar apenas um no final de tudo. 

(...)

Após mais ou menos uns quarenta minutos, eu termino de banhá-los e os seco, vestindo-os com as roupinhas que separei, Taehyung foi o primeiro a correr para fora do quarto, me pedindo para colocar logo o episódio de One Piece que eles estavam assistindo na televisão aberta, ao passo que Jungkook ainda meio fraquinho pelo que houve ontem me estendeu os bracinhos de novo, pedindo colo.

Guardo meu celular no bolso e me inclino para pertinho do meu caçula, cheirando seus fios negros e deixo um beijinho no topo da sua cabeça, aninhando meu menino nos braços, ele encostou a cabeça em meu ombro e me abraçou pelo pescoço. 

 

- Está tudo bem, meu amor? - Pergunto preocupada enquanto seguimos pela sala. O pequeno assenti deixando um beijinho em minha bochecha acompanhado de um sorriso. Não havia nada em que se preocupar, acredito eu. As vezes Jungkook só era manhoso demais. Eu sorrio e retribuo o gesto. Nós enfim chegamos na sala, e eu me inclino novamente, colocando-o sentado no sofá da sala com cuidado ao lado de Taehyung.

- Bota logo mamãe, por favor. - Taehyung diz manhoso e eu retiro meu celular de dentro do bolso do short e desbloqueio a tela, abrindo a netflix e deixando preparado no capitulo de One Piece que eles tinham me falado, eu me aproximo da televisão e a ligo, pegando o controle e colocando no canal do Chromecast. Quando o canal abre eu clico em meu celular e transmito o desenho na televisão. 

- Obrigada, mamãe. - Taehyung agradece e eu mando beijinho para os dois, saindo de frente da televisão e indo diretamente para cozinha onde sei que Jimin se encontra.

 

Assim que sigo pelo corredor eu escuto os acorde do violão misturados ao melancólico piano e sorrio ao reconhecer uma música de Jay Park que Jimin deixava tocar em seu celular sob a bancada, e me derreti por completo ao ouvi-lo cantar junto a Jay, Stay With Me, enquanto temperava o molho distraído sem me perceber chegar a cozinha. 

Eu sorrio encostada na parede da entrada da cozinha e escutei sua voz melodiosa reverbera uma música que dizia tanto sobre nós.

" Se eu disser que é fácil, vai ser uma mentira. E do mesmo jeito que brigamos, ficamos cada vez mais próximos. "

Pensar nessa atitude compreensiva dele, me relembra das atitudes de Jung em nossas últimas discussões. Sentia-me vacilar ao lembrar de tal coisa e meu coração se tornava pequenino de medo que ele tentasse me afetar usando isso contra mim.

Lembrando disso, a decisão de Jimin sobre me esperar contar, me dá tanto espaço poderia parecer idiotice, mas funcionava para nós. Sempre funcionou.

Jimin ainda permanecia cantando baixinho, mexendo os legumes no fogo alto, e em passos lentos eu me aproximei dele e circulei meus braços em sua cintura, beijando a sua omoplata descoberta graças ao fato do meu Park não usar camisa alguma para cobrir a nudez das suas costas largas, ele estremeceu dentro do meu abraço e isso deixou meu coração quentinho ao ouvir a próxima frase da música. Jimin tinha entendido, pois ele também acabou rindo baixinho. 

" Nunca quero deixá-la ir, não, não. Meu corpo estremece quando abraço você. O tempo para. Meu amor, mesmo quando passar cem anos, me prometa. Por favor me ame do mesmo jeito. "

 

- Você me assustou, jagiya. - Jimin dita, fazendo carinho com a mão vazia em uma das minhas mãos, entrelaçando-as. Eu deixo um riso escapar graças seu tom de voz manhoso e Jiminie volta a mexer o molho. Céus, como eu amo esse homem. 

- Vai demorar muito, huh? - Pergunto baixinho, fazendo carinho em sua cintura enquanto ele massageava o dorso da minha outra mão com a sua.

- Não, não. Só falta pôr o molho quando ele ficar pronto. - Ele avisa e sorri ladino para mim quando eu deixo uma série de selinhos em seu pescoço. - Jagi... - Jimin ralha baixinho e eu mordo meus lábios, tentando não rir. - Para de me desconcentrar.

- Ah mas eu não estou fazendo nada. - Me faço de sonsa e o Park rir, e é uma risada tão pura e gostosinha de ouvir que eu me esqueço da provocação e o abraço apertado. 

- Coloca a mesa para mim, bebê. - Jimin pedi em tom de voz carinhoso e eu concordo, me soltando dele. 

 

Eu arrumo os pratos, copos e separo a travessa, jogando o macarrão já preparado na mesma, observando Jimin pegar o molho e deixá-lo em um suporte na mesa. 

Eu me afasto da cozinha e vou chamar os meninos, chegando até lá, na cozinha, eles correm para espiar a comida e batem palminhas ao sentir o cheirinho do tempero do pai. Eu não os culpava, até eu preferia a comida dele.

Eu sorrio observando a cena e os ajuda a se acomodar na mesa, preparado os pratos de cada um. Jimin tinha feito um macarrão italiano maravilhoso, era um sonho compartilhado entre nós de ir até lá um dia e aprender da culinária foi algo que supria nossas ambições. 

Park tinha preparado o Panne alla vodca, o fator principal nesse prato era o molho picante, que consistia em creme de leite, vodca, pimenta calabresa e tomate, e fica perfeito quando se joga um pouco de parmesão ralado, e foi o que fizemos e em poucos segundos, nós devoramos a comida.

 Jungkook ficou um pouco tristonho pôr não poder comer o mesmo que nós, mas Jimin fez uma versão do molho que não usava o creme de leite e meu menino se lambuzou com o molho, pedindo até para repetir.

Após lavar a louça, Jungkookie veio todo manhoso junto a Tae, pedir por atenção e terminamos a noite assistindo desenhos infantis em meio a cobertas, docinhos e abraços. Essa, sem dúvida alguma, foi a melhor noite desde que voltei a Busan. 


Notas Finais


Olá!

• Eu não vou demorar tanto para contar esse mistério, afinal, ele não é o foco da fanfic, mas também não farei isso tão rápido assim, vou me esforçar para seguir o conograma que fiz da história e focar a cada capítulo, e bom, eu estava escutando minha playlist do Jay Park kk e o capítulo era para ser eles apenas de dengo em familia enquanto eu os deixava mais ciente de como o relacionamento deles é, mas eu gostei de como ficou, então não me arrependi das cenas, e espero que tenham gostado, pois próximo capítulo Jung volta a aparecer.

• Hummm...mais alguma coisa? Dia 11 ( sábado ) é meu niver¡ 😢 então me dêem presentinhos kkk comentando o que acharam do capítulo de hoje, pois isso por si só já me deixaria menos para baixo e é o que me motiva a continuar.

Não estou pendindo nada demais, é uma troca né? Eu posto o capítulo e vocês me alegram com comentários. É mútuo, mas ver pelas visualizações que a maioria não deixa seu parecer sobre o capítulo, me desanima. Eu fico muito tristes pq se vocês estão lendo, é por gostam, então o que custar comentar? Eu respondo todos com muito carinho. Então, por favor...

Sabia que é por isso que a maioria das pessoas apagam as fanfics? Pq quem se diz gostar não dá valor. Eu não quero ter que fazer isso, mas a cada dia a vontade vai aumentando.

É isto, e até o próximo!

Trailer de IDWLF: https://youtu.be/-nXO5ncEjY0


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...