1. Spirit Fanfics >
  2. I feel in love for one Inccubus: IMAGINE SOOBIN - TXT >
  3. Thirty-five

História I feel in love for one Inccubus: IMAGINE SOOBIN - TXT - Capítulo 35


Escrita por:


Notas do Autor


Capítulo bem fru fru porque eu estou triste e sofrendo de amor.

Desculpa a hora, eu realmente tava triste e descontei um pouco da minha tristeza fazendo esse capítulo.

Alguém sabe como se desapaixonar?

Capítulo 35 - Thirty-five


Narração

Após o episódio de Jungkook e Hoseok, todos foram embora. Dessa vez, optaram todos por irem voando.

Sh: Mas, espera um pouco...-todos pararam pra olhar Sohee, que parecia confusa.— Hoseok, Namjoon e eu não podemos voar.

Nj: E quem te disse que eu não sei voar?-Sohee arqueou a sombrancelha.— Eu sou o maior mago da história dos seres místicos, você acha mesmo que eu saberia todo o tipo de magia, mas não saberia voar?

Sh: Tudo bem, eu já entendi, espertalhão.-riu fraco, balançando a cabeça.

Jh: Bom, eu não sei voar ainda, mas eu posso planar. Minhas asas são pequenas, mas são fortes.-Hoseok sorriu, fazendo covinhas fofas se formarem no canto dos seus lábios.— Se alguém me ajudar, posso me manter no ar até lá, só não vou conseguir voar sozinho.

Jk: Eu posso te segurar, Hoseok.-o anjinho olhou pra Jungkook e sorriu fofo novamente, assentindo.

Sh: Aish, todo mundo sabe voar menos eu.-fez bico.

No final das contas, Soobin levou Sohee nos braços, como sempre.

Teria sido uma viajem longa, se seres celestes e o Namjoon não voassem rápido. O campo onde Namjoon usava pra treinarem era próximo a Busan, que tinha muitas florestas por perto.

Em poucos minutos, todos estavam pousando na varanda da casa.

Quando chegaram, todos correram pro banho e até chegou a rolar uma pequena briga pra quem usaria o banheiro.

Taehyung e Hoseok estavam entalados na porta, um empurrando o outro pelo ombro. Ninguém cedia, e Hoseok era mais forte do que Taehyung pensava.

V: Qual é, eu preciso tomar banho!

Jh: Mas eu também quero!

V: Eu tô todo sujo de terra, Hoseok! Sai e deixa eu ir, eu preciso mais de banho do que você!

Jh: Você nem mora aqui!

V: Eu sou visita e irmão de consideração do Jeon. Sai Hoseok, você tá me atrapalhando!

Jh: E eu sou hóspede! Você pode tomar banho na sua casa!-Hoseok se jogou no chão, caindo dentro do banheiro. Com um sorriso vitorioso, tentou fechar a porta com o pé, mas Taehyung foi rápido em segurar suas panturrilhas.

Um grito fino e alto foi ecoado pela casa, fazendo todos os outros moradores contorcerem os rostos em uma careta de tão agudo que foi.

Taehyung estava puxando Hoseok pelos pés.

Jh: Me solta, seu louco! Socorro socorro!-Hoseok tentava, desesperadamente, agarrar em algo, mas tudo que ele fazia era bagunçar os tapetes.

Taehyung ria de forma maldosa enquanto jogava a cabeça pra trás—parecia até aquelas risadinhas de bruxa—e puxava Hoseok até o fim do corredor e quando chegou, soltou Hoseok. Sem perder tempo, correu pro banheiro e se trancou lá.

Hoseok suspirou e se sentou no chão.

Jh: Fui derrotado.



No quarto de Soobin e Sohee, ambos estavam de banho tomado, deitados na cama, vendo um dorama qualquer que passava na tv. Era antigo, parecia até legal, mas nenhum dos dois conseguia prestar atenção.

Soobin estava distraído tentando fazer trancinhas nos cabelos de Sohee, e Sohee estava de olhos fechados, achando bom sentir seus cabelos sendo tocados.

Sb: Omo, seu cabelo é muito liso e escorrido, é ruim fazer tranças.-riu, desistindo de continuar, já que elas desmanchavam.

Sh: Por que? Estava tão bom...-fez bico, se virando pro namorado.— Vamos brincar?

Sb: Brincar?-Soobin riu de forma maliciosa, ficando empolgado.

Sh: Não desse jeito, babo.-riu fraco, se sentando. Soobin fez bico, queria "brincar".— Digo de algum jogo, o que acha?

Sb: Eu acho ótimo, tenho até uma ideia.-os dois se sentaram na cama, ficando frente a frente.— A gente joga Jokenpô. Se eu ganhar, você transa comigo e se você ganhar eu transo com você.

Sohee deu um tapa na testa de Soobin, que tampou o local com as duas mãos e fez bico.

Sh: Seu safado! Você não tá cansado do treino pra pensar em sexo?

Sb: É só a gente fazer de ladinho.-riu, ainda alisando a testa.

Sohee balançou a cabeça e rolou os olhos, rindo fraco. A alguns dias atrás, ela seria tão sedenta quanto ele, mas é como se seu fogo estivesse se apagado depois da aparição do Criador.

Sh: Eu estou cansada, Jagi.

Sb: Não está, e eu posso provar.-sorriu.

Soobin se inclinou na direção de Sohee, beijando seu pescoço. Sohee respirou fundo e fechou os olhos, empurrando Soobin pelos ombros delicadamente, o afastando. Soobin olhou o rosto da namorada, notando sua expressão cabisbaixa.

Sh: Eu queria muito mesmo poder estar no clima mas... Depois de ontem de madrugada, eu não consigo.-Sohee respirou fundo, olhando pra baixo.— Eu estou com medo.

Sb: Do que você sente medo, bae? Pode conversar comigo.-Soobin sorriu e puxou Sohee pro seu colo, deitando a cabeça da namorada em seu peito.

Soobin beijou o topo da cabeça de Sohee e se sentiu um pouco culpado em não notar que ela estava preocupada, mas pensando bem agora, isso explicava seu silêncio.

Sohee se agarrou a blusa branca que Soobin vestia e sentiu seu cheiro, deixando as lágrimas que segurou durante o dia caírem e molharem seu rosto.

O silêncio tomou conta daquele quarto e, aos poucos, Sohee adormeceu enquanto chorava.

Soobin percebeu a respiração da namorada ficar mais leve e lenta. Chamou seu nome baixinho, mas não obteve resposta. Ela tinha mesmo dormido.

A deitou devagar na cama e ajeitou bem seu corpo pra que não ficasse dolorido. Cobriu a namorada e levantou da cama devagar, saindo do quarto.

A casa estava silenciosa. Era de noite e todos deviam estar nos quartos dormindo ou fazendo qualquer outra coisa.

Soobin colocou as mãos nos bolsos e caminhou até a cozinha, onde ele sabia que tinha algo que precisava agora: cigarros.

Não era de fumar, o fazia apenas quando estava preocupado ou ansioso, e bom, agora ele estava as duas coisas.

Encima da geladeira era onde seu pai deixava a caixa de cigarros que sempre comprava pra não sair sempre pra comprar a mesma coisa.

Rasgou o papel da caixa e pegou um maço. Sorriu enquanto tirava o plástico. Pegou um cigarro e levou as lábios, acendendo com o isqueiro. Enquanto soltava a fumaça pelos lábios, foi pra janela da cozinha, olhar pra rua.

As luzes das janelas dos prédios vizinhos, carros e motos passando pela rua. Soobin fumava calmamente, soltando a fumaça devagar pelos lábios.

Apoiou os cotovelos na varanda e se inclinou, olhando pro céu. Um suspiro pesado saiu por seus lábios ao imaginar que, se falhassem, seria pra lá que Sohee iria.

Sb: Eu não quero perder meu amor...-falou baixinho e deu o último trago no cigarro, jogando o filtro amarelado na rua.

Voltou a olhar o céu, que estava cheio de estrelas e sorriu. Se ele tivesse chegado antes... Poderia evitar essas situações, mas como iria prever isso? A vida foi tão maldosa que nem mesmo Namjoon previu.



Flashback

Cena inédita

Soobin e Sohee estavam sozinhos em casa. Yeonjun e Namjoon foram fazer compras, já Jungkook, deve ter saído pra beber ou comer alguma coisa.

O casal estava rindo e se divertindo na cozinha enquanto faziam cookies. A comida acabou virando diversão e os dois estavam sujos de farinha e açúcar mascavo, mas não era ruim. Esses pequenos momentos divertidos eram os melhores.

Sohee fez um cookie com formato de homem palitinho, mas fez ele com o corpo super longo, dizendo ser o Soobin, que era alto. Sohee também fez ela, bem pequena e com cabelo, que eram duas tirinhas em cada lado da mini mulher palitinho cookie.

Soobin moldou cookies com formato de coração com flechas e colocou gotas de chocolate encima da massa.

Sh: Bae, olha.-Soobin olhou pra forma de cookies de Sohee, vendo que ela fez os dois bonequinhos ficarem com as mãos coladas.— Vamos juntinhos no forno.

Os dois se olharam sorrindo bobos e colocaram os cookies na forma. Tinham cookies com formatos normais, de círculos, mas a forma especial era a com corações e os dois.

Colocaram no forno e se sentaram no chão. Sohee tinha farinha e açúcar no cabelo e Sohee tinha farinha no rosto. Os dois se olharam e riram, se encostando um no outro.

Sh: Sabe, eu me sinto tão feliz com você do meu lado.-Sohee falou baixinho e Soobin ficou atento ao que ela dizia.

Sb: Eu também me sinto feliz do seu lado...-falou baixinho, apenas pra ela ouvir.

Sh: Eu tinha tanto medo de viver diferente... Depois que minha vida revirou, eu achei que fosse meu destino ficar sozinha naquele apartamento, trabalhando e tendo como única companhia, o Yoongi.-Sohee riu sem humor e olhou as próprias mãos.

Talvez fosse o momento certo pra se abrir. Talvez não, era o momento. Por alguma razão, sentia que devia dizer isso agora.

Sh: Mas aí, você chegou. Você se tornou especial pra mim assim que eu te vi a primeira vez.-ela podia sentir seus olhos lacrimejando, mas era de felicidade.— Você melhorou tanto minha vida, que eu fiquei em dúvida se você era mesmo um demônio ou meu anjo salvador.-Sohee levantou a cabeça, olhando o rosto de Soobin.

Soobin a encarava com amor e felicidade. Sohee não era de dizer esse tipo de coisa sempre. Nenhum dos dois eram. Os sorrisos que um lançavam pro outro, a preocupação, os beijos, toda e qualquer ação transmitia a mesma coisa que palavras como essas transmitiriam.

Amor.

Sb: E qual foi a sua conclusão?-Soobin sorriu e tocou o rosto de Sohee, que fechou os olhos por alguns segundos pra apreciar melhor o toque.

Sh: Que você não é nenhum dos dois. Porque sendo um demônio, anjo, humano, até se você fosse mesmo apenas um delírio da minha cabeça, eu te amaria de qualquer forma, e é isso que importa pra mim.-Sohee tocou a mão de Soobin que estava em seu rosto, beijando seu dorso.— Eu te amo muito, Binnie. Por favor, nunca nunca vá embora.-uma lágrima acabou escapando dos olhos se Sohee, mas Soobin logo a limpou.

Sb: Eu não vou, bae. Eu nunca vou embora, nunca.-Soobin segurou o rosto de Sohee com as duas mãos.— Porque você é tudo pra mim. Meu Sol, minha deusa, minha, só minha.

Soobin beijou a testa de Sohee, depois uma bochecha, depois a outra, a pontinha do seu nariz e enfim, seus lábios.

As mãos sujas de farinha do Soobin desceram pra cintura de Sohee e a puxou pro seu colo, fazendo seus corpos se unirem quase tanto como seus lábios estavam unidos.

Os corpos dos dois arrepiavam, um choque gostoso atravessava seus corpos, os lábios se moviam devagar, sem pressa alguma de acabar com esse momento.

Quando se separaram, sorriram um pro outro. A visão dos lábios avermelhados e úmidos pelo ósculo, os olhos se abrindo lentamente, junto de um sorriso era melhor e mais incrível do que ver a explosão do Big Bang ao vivo.

O peito dos dois explodiam tanto de amor quanto mil sóis juntos, a conexão nesses momentos era tão indescritível quanto qualquer galáxia que a NASA poderia descobrir.

Nada se comparava a isso. A essa sensação, a esse privilégio fornecido por qualquer divindade existente.

Amar e ser amado. Tão incondicionalmente, sem querer nada em troca. Nada além desse sorriso.



(...)



Sh: Binnie?-Soobin foi tirado dos seus devaneios quando ouviu a voz de Sohee atrás de si.— Não te vi na cama quando acordei. Ficou chateado comigo?

Soobin se virou rápido pra Sohee, sem falar nada. Apenas a abraçou forte, segurando em suas costas como se ela pudesse derreter a qualquer momento e sumir dos seus braços.

Sb: Eu te amo.-se curvou, escondendo o rosto no pescoço alheio. Sohee sorriu e retribuiu o abraço.

Sh: Eu também te amo. Mas... Aconteceu alguma coisa enquanto eu cochilei?-Sohee perguntou baixinho, com o rosto escondido no peito de Soobin.

Soobin balançou a cabeça levemente em negação e ficaram ali, abraçados na varanda. O medo de perderem um ao outro era grande, mas não era maior do que o conforto desse abraço.

As estrelas aplaudiriam se pudessem. Era tão raro ver amor de verdade assim, que era possível amolecer até o coração mais duro e frio de alguém. Mesmo que por alguns instantes.

Esse amor tão forte e real que faziam os anciões brilhantes não desistirem dos humanos. Porque eles lutam, roubam, se matam, mas no fim, tudo que eles desejam é encontrar essa sensação em algo ou alguém.

Amor.

Sh: Tá frio aqui fora, vamos entrar?-falou baixinho, ainda contra o peito de Soobin.

Sb: Mas aqui tá tão bom... Não quero te soltar.-a voz de Soobin foi abaixando ao longo da frase, até sair como um sussurro.

Sh: A gente pode continuar abraçados na cama, na nossa cama.-beijou o ombro de Soobin e sorriu.

O medo passou.








Notas Finais


Por que ninguém se apaixona por mim? :c

Dêem favoritinho, comentem o que estão achando, compartilhe com as amiguinhas e interajam comigo na aba ATIVIDADES.

Obrigado por ler, desculpe os erros e a hora (◍•ᴗ•◍)✧*。


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...