História I fell in love with my secretary;; Namjoon (RM) - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bangtan Boys (BTS), Kim Namjoon, Namjoon, Secretária, Submissa
Visualizações 14
Palavras 1.430
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 6 - Por outro lado


(Namjoon)

A noite estava ficando cada vez mais linda, o céu completamente azul com pouquíssimas estrelas, poucas aos olhos humanos já que o céu é coberto pela poluição que causamos, e eu apenas conseguia ver os pontinhos brancos no céu pelo enorme vidro que dava quase toda a luz que eu precisava naquela sala.

Eu preferia mil vezes as estrelas do que a lua, diferente de muitas pessoas, só por ela ser grande ou outras pessoas já terem ido para lá, mas as estrelas... as estrelas tem sua própria luz, como as pessoas, já a lua... ela precisava da luz do sol para poder brilhar e ser vista, também como muitas pessoas nesse mundo.

Mas infelizmente eu não veria os pontinhos por muito tempo, já que estava prestes a dormi ali mesmo na minha mesa, minha cabeça latejava, não só pelo sono, mas pelo trabalho que meu cérebro fazia todos os dias, já que tenho que pensar como resolver a maioria das coisas dessa empresa.

Solto a caneta que falhava por culpa que a tinta acabava, solto os papéis que precisam da minha assinatura e os coloco junto com os outro, mas antes separo os poucos que precisam ser assinados. Me encosto na cadeira giratória, e forço os pés no chão para que a cadeira vire para o vidro que me permite ver o céu e um pouco da cidade.

Então atrapalhando o momento de descanso que eu acabei de decidir tirar, o som de batidas na porta ecooa pela sala que só se escuta o som do ar-condicionado, solto um suspiro e volto a minha mesa que ficava ao centro da sala, pego a caneta e balanço para que volte a funcionar.

- Entre - Jimin entra na sala, tinha as mãos dentro do bolso, o terno amassado sobre o ombro direito e a camisa social aberta no colarinho, andava relaxado até minha mesa, apoiou as mãos e deu um sorriso que sabia que eu odiava - o que faz aqui Park Jimin? 

Ele molha os lábios enquanto joga o cabelo preto para o lado, o sorriso não sai de seu rosto e ele brinca com o lápis que antes estava bem arrumado no porta-caneta sobre a mesa de madeira

- Não seja tão sério! Não tem mais ninguém, pode parar de fingir não ser meu amigo - ele puxa a cadeira ao seu lado e senta enquanto descansa o queixo sobre a mão apoiada na mesa

- Eu não finjo nada, sou seu amigo... mas sei ser profissional e separar meu pessoal do trabalho - reviro os olhos e quando vou escrever ele toma a caneta de minha mão- Me devolve Jimin, tenho que terminar isso, vou ver a Sumni hoje...

- Sumni? Ainda está com ela? Achei que era só um momento, sexo casual, um caso - a cada fala seu sorriso ia aumentando, ele brincava com a caneta entre seus dedos, alternava seu olhar entre mim e o objeto 

- Ela é legal - me inclino pegando a caneta de volta - eu gosto de ficar com ela... - dou de ombros, ele ri enquanto nega com a cabeça, olha para baixo e depois para mim 

- Namjoon... olha por você! Você é o Ceo de una das maiores empresas da Coréia! Você é rico, pode ter quantas garotas quiser, mas você quer uma! E que ainda por cima é magrela? 

Fecho os olhos por um momento, realmente odiava esse lado de Jimin, ele vivia em um mundo onde os ricos são os melhores e os pobres que se virem, um mundo onde apenas por ele ser bonito e ter dinheiro pode controlar tudo e todos que ele quiser, e pode ter todas as garotas do mundo para si, é... Jimin era bem machista, não posso justificar seu comportamento, mas os pais que pioraram tudo.

Levanto tentando ter calma com o mais novo, pego o terno preto que estava na cadeira e o visto, pego meu celular que estava desligado sobre a mesa. Coloco dentro do bolso da calça, ao passar por Jimin bato em seu ombro 

- Não chame mais ela de magrela... você não tem esse direito, Sumni é linda do jeito que ela é... - saio daquela sala deixando a porta aberta, sei que ele vai fechar então nem me importo.

(...)

Estaciono o carro perto do prédio, torço para Sumni não estar na faculdade já que não pude falar com ela e nem mandar mensagem, estive muito ocupado hoje e isso me atrapalhou um pouco, ao sair do carro pego o a embalagem que guarda o lanche de fast-food e travo a porta.

O cara da portaria já me conhece então me deixa entrar, apenas anota novamente meu nome antes que eu possa adentrar o elevador, aperto o botão do 7 andar e espero.

Sumni sempre amou fast-foods, trouxe dois de seus hambúrgueres favoritos, apesar de ser magra, comia muito, o que me surpreendeu no nosso 3 encontro, já que ela não comeu quase nada no primeiro oh segundo. Sorrio ao lembrar da garota que está me deixando mais feliz esses dias

Eu não amava e nem gostava de Sumni, eu quero gostar dela, mas eu não consigo, gosto apenas de sua companhia, de sua aparência, de estar perto dela e do sexo que fazemos. Mas não consigo sentir nada por ela, mas ela... ela sempre diz que gosta de mim, que quer casar e ter filho... eu espero conseguir ama-la algum dia.

(...)

Sumni não estava em casa, já toquei a campainha, chamei seu nome, a liguei, mas o celular caia na caixa postal e quando liguei para o telefone de sua casa ela também não atendia, não entendi por que o porteiro não me disse e uma raiva pequena aparece, mas nada demais.

Me viro e olho fixamente para a porta a minha frente, Tracy... Tracy e Jin moravam em frente a ela, dou de ombros, quando ia apertar a campainha a imagem deles dois tendo um momento de casal me vem à mente. Balanço a cabeça e arrumo o óculos em meu rosto, aperto a campainha.

(...)

Tracy estava em casa sozinha, comemos os lanches, rimos e assistiamos, conversar com Tracy é fácil pois apesar da pouca idade ela tem uma mente aberta, consegue respeitar a opinião dos outros e sabe escutar as pessoas, ela é tão... tão diferente de muitas garotas.

Nesse momento deixei Tracy vendo o 5 episódio de um dos meus animes prediletos, ao saber disso ela se surpreendeu e depois deu uma risada gostosa de se ouvir, acabo de lavar as mãos e saio do banheiro fechando a porta, abro mais um botão da camisa que vestia.

Quando volto até a sala Tracy dormia no chão com uma almofada pequena embaixo da cabeça, deixo um sorriso escapar ao ver a garota tão vulnerável, por que não parecia ser do feito dela.

Olho ao redor e volto para o corredor, abro a porta que ficava perto banheiro e vejo o quarto da mais nova, havia um cobertor em cima de sua cama, pego e levo para a sala, a cubro e sento novamente a seu lado.

Não conseguia mais dar a devida atenção que meu anime merecia, minha não tremia com a súbita e enorme vontade de mexer nos fios castanhos e brilhoso de Tracy

- Ela tá dormindo! - bagunço meus cabelos de novo, mordo o lábio inferior e levo a mão até seu cabelo, ela se remexeu mais continuei a fazer cafuné nos macios focos castanhos.

(...)

Já era manhã, a janela deixava que os raios solares entrassem na casa, meus olhos ardiam tentando se acostumar com a claridade, Tracy estava agarrada em meu braço, sorrio vendo um biquinho em seu rosto, ela se mexe de novo.

Levanto, arrumo minha roupa amassada, ainda não processei o que estava acontecendo, mas sei que dormi na casa de Tracy, a olho uma última vez, mordo o lábio e me abaixo, tiro uma mexa de seu cabelo que estava perto de seu olho e coloco para trás, sem que eu perceba meu olhar vai em direção a boca carnuda e rosada de Tracy, era como um feitiço que parecia me puxar para a tentação de beija-la, mas tanto eu quanto ela namoravamos, deixo um selar em sua testa, pego meu terno na cozinha e então saio do apartamento.

Sumni provavelmente dormiu no dormitório da faculdade junto com alguma amiga. Saio do prédio e vou direto ao meu carro, entro e solto um suspiro, e é aí que me dou conta. 

Tracy faz eu me sentir de um jeito que Sumni nunca conseguiu


Notas Finais


Só dando um spoiler, Namjoon não vai ficar com a Tracy agora ksksks


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...