História I Found a Girl - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias NOW UNITED
Personagens Any Gabrielly, Bailey May, Diarra Sylla, Heyoon Jeong, Hina Yoshihara, Joalin Loukamaa, Josh Beauchamp, Krystian Wang, Lamar Morris, Noah Urrea, Personagens Originais, Sabina Hidalgo, Shivani Paliwal, Sina Deinert, Sofya Plotnikova
Tags Any Gabrielly, Bailey May, Beauany, Diarra Sylla, Heyna, Heyoon Jeong, Hina Yoshihara, Joaley, Joalin Loukamaa, Josh Beauchamp, Krystian Wang, Lamar Morris, Noah Urrea, Noart, Nosh, Sabina Hidalgo, Shivani Paliwal, Sina Deinert, Sofley, Sofya Plotnikova, Urridalgo
Visualizações 16
Palavras 1.349
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, LGBT, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 13 - Twelfth chapter


Fanfic / Fanfiction I Found a Girl - Capítulo 13 - Twelfth chapter

                        Narrador


O horário da tarde começa, e novos jogadores são anunciados pelo técnico. Aqueles que antes jogavam na reserva ou nem ao menos tinham o direito de participar do time, as garotas, nesse ano poderiam tentar entrar para os titulares. Este ano foi decidido que garotas, assim como os garotos, poderiam jogar e com isso uma mudança no número de participantes oficias, de 5 para 7. Os testes para escolher os melhores só seriam na próxima semana, mas desde já os jogadores tinham que dar tudo de si para conquistar a confiança do técnico. Shivani, Joalin e Lana eram as únicas garotas presentes na quadra e ainda não sendo íntimas possuíam o mesmo pensamento, arrasar em todos os sentidos, fazer o possível e impossível para serem as melhores, visto que mesmo estando no século XXI o machismo era presente e elas não deixariam ser deixadas para trás. O treino passou rápido, Lamar, Bailey e Erick se destacaram entre os garotos e mesmo afirmando que não, já eram os favoritos.

[...]

O dia seguinte chegou depressa, a manhã tinha dado o seu primeiro sinal de luz a um tempo considerável , estava nublado com temperaturas amenas, todos da cidade se encontravam com roupas quentes. A maioria dos alunos está no corredor, pois quando chegaram na escola todos se depararam com o primeiro anúncio anual de um evento escolar “ O Acampamento United” que era um evento muito comum, onde os alunos vão com o colégio para o camping por sete dias, várias provas e desafios divertem ou atormentam vários alunos e por isso era algo tão especial para os veteranos da RHS.

[...]

Any e Erick estavam brigados como quase todo o tempo. Enquanto a loira Sina e morena com californiana Heyoon conversam e riem sem se importar com outra coisa. Diarra e Lamar como un bom casal de adolescentes estão se pegando e dessa vez no clássico armário de limpeza. A mexicana Sabina vasculhava seu armário, até que...

— Hidalgo... Me desculpa por ontem. — Ela é surpreendida pelo Noah, que se mantinha a uma distância consideravelmente segura. Sua voz era suave como o vento, era essa a idéia que gostaria de passar.

— Urrea, eu te desculpo — Sabina responde trancando seu armário e virando-se para responde o Noah com mais clareza. Imediatamente percebe o seu estado, ainda se encontra cabisbaixo mas tentando se manter forte, ela tenta arrancar um sorriso do americano. — Só não saí beijando outras garotas desse jeito por aí. — Com tal fala ela o faz sorrir e ele responde ainda com uma voz calma mas dessa vez com um toque de alegria.

— Pode deixa senhorita, Hidalgo.

E para a não tão surpresa um garoto de cabelos e olhos claros aparece, Josh. O seu ciúme é instantâneo vendo os até então melhor amigo e ficante conversando e rindo. Por instinto ele se aproxima por trás da Sabina e deposita um beijo na sua bochecha, a ação deixa reações distintas, Noah fica um tanto sem graça e Sabina surpresa mas retribui o selinho. No ato o moreno se afasta mas é repreendido pelo Beauchamp.

— Ei!! Espera, vamos conversar? — soa como pergunta mas é quase como uma intimação. O canadense se vira e abraça a Sabina sussurrando algo inaudível para ela e a garota em seguida sorri e sai deixando eles sozinhos.

— O que foi? — Noah pergunta se escorando no armário com seu olhar voltado para o Josh. Que por sua vez tem uma reação imediata, socar o rosto do amigo. — Mas que porra foi essa? — ele diz com a mão na zona atingindo, massageando para passar a dor.

— Você mereceu, primeiro beija ela e depois fica aí todo cheio de conversinhas. — Responde Josh com um tom relativamente alto. — Não sei o que deu na sua cabeça, mas você namora! — Ela afirma aumentando o tom e esquecendo totalmente de suas desconfianças. — Eu não te contei nada sobre a Sabina, tudo bem, não tinha como saber. Mas e a Sina? Colocar uma gaia nela vai mudar algo? — Nesse momento o americano solta um suspiro debochado, mas internamente estava triste pela menção do garoto. Era algo um tanto irônico para se dizer.

— Acho melhor você se atualizar um pouco dos fatos da minha vida, beauchamp. — Ele diz olhando para algo ou melhor alguém atrás do Josh e esse alguém tinha nome e sobrenome, Sabina Hidalgo.

— Não tinha nada demais na nossa conversa, Josh. — Diz Sabina sem ao menos esperar ser notado pelo loiro. Ela não tinha realmente ido embora, apenas se retirado por um tempo mas estava de volta. A surpresa nos olhos do canadense era algo visível, junto com a curiosidade. Ela se aproxima dos dois e fica no centro, para que posso ser vista por todos. — E mesmo que estivesse, violência não resolve nada.

A fala da tal deixa Josh pensativo e o faz lembrar de toda a sua teoria conspiratória a respeito do namoro de Noah Urrea. Ainda sim o deixa sem chão, o que aconteceu que ele não o contará? Era uma dúvida presente na sua cabeça e não iria sumir tão cedo, então sem mais moral apenas se retirou e foi para a sua sala. Sabina que demorou um pouco para processar o fato do Josh ter batido em seu amigo, ela observa o rosto do garoto percebendo uma área roxa por conta do impacto e o nariz do mesmo sangrando. Ela vai até seu armário, destrava o mesmo e em seguida trava novamente. Mas dessa vez com um lenço na mão, que entrega rapidamente para o Noah.

— Obrigado, Hidalgo. – Ele pega o lenço e pressiona contra seu nariz fazendo com que o sangue pare de escorrer, mas como consequência deixa o lenço todo sujo. O clima fica tenso e sem graça, então Sabina toma a decisão de falar.

— Até mais tarde, acho melhor já ir indo pra sala, já vai tocar. — Antes que ele possa responder ela se retira deixando o sozinho.

Exatos cinco minutos o sinal toca fazendo com que todos os que permaneceram fora se dirijam as salas. Na sala do primeiro ano os alunos assistem aula tranquilamente, sem muita conversa evidente. No segundo ano as coisas estavam mais agitada, o único assunto recorrente era o acampamento. O terceiro ano está sem professor, a agitação mútua da sala era perceptível por conta do barulho alto. Um briga estava acontecendo, Lana e Kate começam a brigar por causa de Charlie. motivo não foi revelado por elas, era algo confidencial entre os três. E para tentar impedir, Erick se aproxima das duas e retira a Kate de perto da lado, segurando ela para que não se solte. Enquanto Lana bufa e arruma seu cabelo debochando da cara da garota.

— Caralho, tá ficando maluca? – O garoto fala rispidamente para a menina que tanto faz força para se livrar dos braços do mesmo. Ela então o encara e diz de forma ardilosa.

— Quando um tal fuckboy parar de me segurar eu paro. — Ela usa um termo nativo americano, mas Erick já assistiu filmes e séries o suficiente para saber o significado. E com tão pouco tempo de aula, essa era a sua fama pelos corredores da RHS.

— E se eu não quiser? – Ele fala de forma instigante, uma pergunta mas ao mesmo tempo um desafio.

— Se não quiser, me deve uma noite.— É a frase de Kate, um sorriso extremamente malicioso surge em seus lábios e seu olhar se volta para o garoto, que a encara de forma intrigante.

— Kate!! — Charlie que até então estava calado expressa impressionado com a garota e sua atitude.

— Que?! Ele me deixou excitada. — a resposta é rasteira como uma cobra, a intenção era provocar um instinto no Erick.

— Quem sabe eu não realize seu desejo... — Do mesmo modo que foi lhe perguntado ele respondeu,e antes que possam falar algo o professor chega, começando a aula sobre assuntos da atualidade para que possam redigir uma redação.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...