História I found You - Imagine Kim Taehyung - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Lendas Urbanas
Personagens Personagens Originais
Tags Bts, Jeon Jungkook, Jung Hoseok, Kim Namjoon, Kim Seokjin, Kim Taehyung, Min Yoongi, Park Jimin, Personagens Originais
Visualizações 125
Palavras 1.422
Terminada Não
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Notas do Autor


Boa leitura ❤

Capítulo 15 - 15


Fanfic / Fanfiction I found You - Imagine Kim Taehyung - Capítulo 15 - 15

O gelo correu pela espinha dela. 

— Não é de vocês. 

— Tampouco é de vocês. — Ele olhou em seus olhos. — Mas isso não impede que os Observadores nos aprisionem. 

— Quem? — S/N estranhou. 

— Humanos que são imunes ao nosso encanto, como você. Eles policiam os Elfos e nos prendem quando somos encontrados em seu mundo. 

— Você esteve na nossa escola. Não foi preso. 

— Foi por sorte. Se tivesse sido capturado por um Observador, teriam me enviado para os campos de ferro.

— O que é isso? — perguntou, embora soubesse, pelo olhar dele, que não eram parques de férias.

— Prisões lá no norte — ele explicou secamente. — Milhares de quilômetros longe de qualquer lugar. As cercas no entorno têm dez metros de altura e são feitas de ferro. Todos os Elfos lá dentro são fracos e não conseguem pensar direito.

Lobos uivaram de novo na floresta, porém, dessa vez, mais perto. Ele prestou atenção por um instante, então rapidamente pegou a lanterna da árvore e indicou que ela o seguisse. Estava conduzindo-a de volta à névoa. Ela pôde ver o brilho branco através das árvores.

 — Não — ela parou. — Não vou voltar até estar com Min hee. 

— Sim, você vai. 

Ele fez um pequeno sinal para Faolan e logo a loba estava em posição de ataque, com os dentes à mostra. A expressão de seus olhos âmbar mostrava que estava gostando. S/N começou a andar rapidamente. A loba a seguiu rosnando suavemente, com o focinho quase tocando em sua panturrilha.

— Minha mãe e meu pai estão num desses campos de ferro — disse Taehyung quando S/N o alcançou. — Eles cometeram o erro de ir ao seu mundo e serem capturados. — Ele deu um tapinha em Faolan, que olhou complacentemente* para S/N.

— Você vive sozinho? — Ela perguntou, continuando a segui-lo, mas mantendo distância da loba. 

— Há mais de nós.

 Ela sabia. Um garoto vestido de branco, com cabelos também brancos, flanava atrás deles, mantendo-se tão distante que S/N apenas conseguia ver um formato fantasmagórico. Os Elfos estavam se assegurando de que ela deixaria a terra deles.

— Mas não há adultos. Todos foram mandados para os campos — continuou Taehyung. — Temos um palácio bem no fundo da floresta. É legal, já que nossas mães nos ensinaram a sobreviver, a cuidar de nós mesmos. 

Ela segurou o braço dele para pará-lo. 

— E o que isso tem a ver com a minha irmã? — perguntou. 

Ele afastou a mão dela. 

— A maldição, S/N. Não lembra a história que ela contou a todos uma hora atrás?

Então ele a estava observando! Ela se arrepiou. Ele estava na escuridão e ela não sabia, mas não o deixaria perceber que ficara incomodada.

 — Era um conto de fada — disse. — Não é real. 

Os olhos dele brilharam.

— É sim. Aconteceu há muito tempo... o Elfo-Rei perdeu sua filha. Os Elfos têm memória.

— Você pegou a minha irmã por causa de uma maldição idiota sobre uma batalha de custódia de um bebê? Isso é loucura.

— Não era apenas o bebê. A maldição se mantém por causa de todo o resto que perdemos para os humanos. Então, a cada cem anos pegamos uma garota humana.

 A respiração dela parou na garganta. 

— Estão pegando Min hee para sempre?

 Ele não parecia mais um garoto da escola. Parecia perigoso. 

— Sim. Mas desta vez será diferente. Desta vez podemos devolvê-la. 

Aquilo era sério. Ela não conseguia parar de tremer agora.

A névoa estava densa ao redor deles, esfregando tentáculos gelatinosos em seus rostos e salpicando-os com gotas de gelo. Ela podia sentir seus cabelos alisados encaracolando-se novamente. Taehyung estava bem à sua frente, mas era como se houvesse uma cortina de seda entre eles. Ele parecia um fantasma.

— O nome do meu irmão é Jin. — Taehyung mostrou seu punho com a pequena tatuagem da cabeça de um lobo. A névoa escorreu de sua pele. — Todos o chamam de Fen. Ele é um defensor da nossa causa, o único que restou. Esse é o seu plano. 

— Ele raptou Min hee. Não tem o direito — ela disse. 

— Ele não tinha escolha, precisava fazer isso. 

— Mesmo? — Sua expressão se tornou sarcástica. — Ele tem alguma compulsão por sequestrar pessoas?

— Não — a voz dele era fria. Não havia nenhum sinal de humor. — Quando nossos pais foram capturados, ele jurou que os libertaria. Vive para vingá-los. 

— Isso não é culpa de Min hee. Vou levá-la de volta. Avise a ele. 

Taehyung balançou a cabeça.

 — Ele a está levando para o palácio. 

Eles se olharam. 

— Jin está errado — ela disse. — É um plano idiota.

 — Você não sabe de nada. Confie em mim, ele é incrível. É nossa única esperança. 

Ele esticou a mão e pegou a dela entrelaçando seus dedos. 

— Venha. — Puxou-a pelas pedras brancas. — Você precisa ir. 

Ela começou a pular de uma pedra para a outra. 

— Então, por que você me alertou? 

Aquilo o fez parar. 

— Um instante de loucura. Porque, quando estava olhando você na escola, parecia tão.. — Ele tirou os cabelos úmido dos olhos dela, pousou a mão em sua bochecha, olhou fundo em seus olhos e pareceu menos selvagem, e mais com o Taehyung que ela achava que conhecia. — Faço essas coisas de vez em quando. Boas e más. É melhor não confiar em mim.

Ele virou-se e continuou a puxá-la de uma pedra para outra. A névoa começou a ficar menos densa e se tornar mais como tiras de papel molhado soprando ao redor dela. Estava perto de seu mundo novamente. Podia sentir o cheiro de escapamentos e a fumaça da fogueira.

Quando a névoa ficou bem mais rala e o som das vozes gritando os alcançou, ele parou e se virou para ela.

Taehyung pegou um envelope amassado de seu bolso e olhou para ele por um momento. S/N viu uma escrita estranha e angular na frente.

— Você pode me poupar o trabalho de enviar isso. Eles terão que levar a sério se você o entregar. 

— Levar a sério o quê? — ela perguntou. 

Ele esticou a mão com o envelope, mas ela não o pegou. 

— Os Observadores têm de agora até o pôr do sol para abrir os campos de ferro. E então libertar os Elfos. — Fez uma pausa. — Ou sua irmã será nossa para sempre.

 S/N deu um passo para trás, seu pé quase afundando no solo lamacento. 

— Não — disse com segurança. — Ela será resgatada. Não importa quanto tempo leve, minha mãe fará isso. Vocês não ficarão com Min hee. 

De um lugar bem longe, o sino da igreja tocou. 

— O tempo está correndo, S/N — ele disse. — Está quase amanhecendo. Você tem até o pôr do sol de hoje. Se Min hee voltar pela névoa depois disso, então cem anos recairão sobre ela assim que colocar o pé em seu mundo. Ela ficará velha e seca antes mesmo de viver.

Uma série de imagens passou pelos olhos horrorizados de S/N. Min hee de cabelos brancos, curvada, atacada pela artrite. Sua vida acabada. Não seria mais a abelha-rainha de sua turma. Não mais a garota-alfa. Sem mais festas no bosque. Ela iria enlouquecer! Provavelmente se desmancharia em pó ante tal indignação. 

— Como eu posso entregar a carta aos Observadores? — ela perguntou. — Não conheço nenhum.

— Sim, você conhece. É parente de um. Foi por isso que escolhemos Min hee. 

— Quem? 

Ele colocou o envelope nas mãos de S/N. Ela olhou para ele, e lá estava, a única palavra escrita no quadrado estranho: Jung.

O coração de S/N ficou petrificado apenas de ver o nome dele. Mas fazia sentido. Seu pai era um especialista em perturbar pessoas, então por que ela estaria surpresa por ele perturbar uma espécie inteira?

— Assegure-se de que apenas esse Jung, e ninguém mais, receba a mensagem. Não estamos blefando, S/N. Vou voltar ao bosque a cada hora: cada vez que o relógio da igreja bater. Diga a eles que venham com provas de que abriram os campos.

Seus olhos se encontraram. Ele parecia frio e despreocupado, sua mão agora estava na cabeça de Faolan.

— Mas alerte-os, S/N: nem um minuto após o pôr do sol... ou Min hee será nossa. 

Eles se encaravam profundamente, Taehyung se aproximou e deixou um selar demorado em seus lábios.

— Não me decepcione se quiser sua irmã de volta.

 Então ele e a loba se foram.



Notas Finais


*desejoso de agradar, de demonstrar cortesia, de servir.
Espero que tenham gostado ❤
Desculpem os erros
Contunua?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...