1. Spirit Fanfics >
  2. I hate him, but I love him >
  3. Get Away

História I hate him, but I love him - Capítulo 26


Escrita por:


Capítulo 26 - Get Away


Fanfic / Fanfiction I hate him, but I love him - Capítulo 26 - Get Away

Desço as escadas sem fazer muito barulho por ser cedo da manhã, e fiquei pasma com a cena que vi. Minha mãe GRUDADA aos beijos com um homem. Provavelmente o tal Carlos. Parei ainda na escada para analisá-lo antes que eles percebam que eu estava ali boquiaberta. Ele era um homem bem alto, me lembrava Shawn por conta disso, muito elegante, vestia um paletó azul e uma gravata vermelha com sapatos pretos bem lustrados combinando. Senti um leve cheiro amadeirado no ar, que obviamente vinha do ser no qual minha mãe se agarrava na cozinha. E por sinal, o cabelo muito bem penteado. Deveria ter por volta de uns 30 e poucos anos. Ele imediatamente parou o que estava fazendo quando me viu, e chamou a atenção de minha mãe, apontando para mim ali, intacta. 

Oi filha! - disse, fingindo que não estava constrangida pelo ocorrido poucos segundos antes - quero te apresentar o Carlos. Carlos, essa é Katherine, minha filha. O indivíduo com um sorriso de orelha a orelha me estendeu a mão mostrando empolgação ao me conhecer finalmente, afinal fazia semanas que eles estavam namorando e ainda não havíamos sido apresentados 

- É um prazer Carlos - disse sorrindo em troca, apertando sua mão

- Igualmente Katherine - ele suava um pouco, talvez estivesse nervoso, o que é normal afinal. Nós três nos sentamos a mesa e conversamos sobre o que Carlos fazia pra ganhar a vida, como eles se conheceram, etc. Pense em uma conversa tediante (porém esclarecedora), agora multiplique por 10. Depois de um interminável monólogo, Carlos nos deu uma carona até a escola. Seu carro era muito aconchegante e chique, tenho que admitir

- Pode ir, Kate. Eu já sigo você 

- Tudo bem, mãe - pisquei pra ela como se quisesse dizer "seus safados, depois iremos conversar", e adentrei os corredores gelados da escola em busca de Justin ou a Secretaria. O que estivesse mais perto.

- encontrei Justin conversando com Sammy perto de um bebedouro. Assim que me viu, logo veio me abraçar e beijou minha testa, o que eu estranhei, mas por conta de estarmos no meu ambiente de trabalho, logo entendi que ele achou que eu gostaria de ser discreta, o máximo possível. Tinha ainda uns 15 minutos até às aulas começarem e meu trabalho também, então Justin me levou as pressas até o tal local secreto no qual tínhamos ótimas lembranças. Ficamos lá pelo pouco tempo que nos restava, abraçados encostados em uma pedra que servia como banco para ambos, dando beijinhos carinhosos um no outro. Chega um momento que me vem uma questão em mente e não pude deixar de perguntar

- Justin, o que nós somos? - ele tirou o braço que estava por cima de meus ombros e me olhou pensativo, como se não tivesse idéia do que responder. Ele hesita algumas vezes até que responde:

- Sinceramente, não sei. Gosto de você Kate, sua companhia me faz muito bem, mas não estou pronto para namorar. Espero que você entenda - entendia perfeitamente. Com tudo que estava passando na minha mente, principalmente em relação a minha possível irmã morta, a última coisa que eu pensava era em namoro

- Está tudo bem, é claro que eu entendo - agarrei suas bochechas - Eu não quero que se sinta pressionado em nada, ok? Nós estamos nos conhecendo, e é isso. Só tive curiosidade no que iria dizer. No que chamaria isso que estamos tendo - ele tira minhas mãos de meu rosto com delicadeza e as beija - Eu diria que estamos nos namocendo - ele ri. Arqueio uma sombrancelha - Que nome horrível Bieber, lamentável - digo fazendo que não com a cabeça. Ele cruza os braços - Então o que sugere Sra. Especialista em nomes de casais? - nomes de casais. Uau. - Bom, que tal, estamos tendo um rolance, um rolo mas com um toque de romance. - Não sei qual é pior - ele diz. Rimos muito juntos do nosso rolance, e que, assim ficou. Faltava uns 2 minutos até o sinal tocar, iniciando a aula quando Justin, do nada me fala:

- Mas falando sério Kate, você é especial pra mim, não quero te perder gatinha, não mesmo - eu sorrio sem mostrar os dentes e em seguida o abraço, sem ter que responder nada. Quando abro meus olhos vejo o pior dos meus pesadelos: Mendes, nos observando de longe, mas sabia que era ele, seu cabelo e altura não eram confundiveis com os de mais ninguém. Em resposta, beijei a nuca de Justin e ele me apertou ainda mais. Shawn, em seguida, desaparece entre as plantas que cercavam todo o local.

- não tenho mais disposição pra hoje, e a máquina de café continua estragada. O técnico só vem amanhã consertar. Passei o dia todo no telefone falando com investidores que poderiam fazer uma parceria importante para a escola, e como eu era a única que falava espanhol, a tarefa ficou comigo, já que Camila estava muito ocupada com Lauren, a ensinando tudo que precisava saber sobre ser secretaria, afazer que ela não gostou nem um pouco, afinal, não era paga para ser professora ali, mas não dava pra reclamar muito. Lauren está feliz, pelo menos aparenta estar muito animada e grata por mim ter conseguido aquele emprego de meio período para ela. Devo marcar um dia para visitar Lauren. Precisamos colocar a conversa em dia além do WhatsApp. Camila não falou comigo desde que cheguei, ela está estranha, mesmo que fizemos as pazes ela anda esquisita, cheia de segredos. E deu uma agora de sair a cada 3 horas para ir a algum lugar por 10 minutos, exatos 10 minutos e voltar (sim, eu contei). Fazia dois dias já. Como sou curiosa, decidi segui-la hoje, mais especificamente daqui a exatos um minuto. Dito e feito. Camila sai da secretaria. Digo a Lauren que esqueci uma papelada importante na sala lá de baixo e que ia buscar para ela não suspeitar. Sigo discretamente e silenciosamente Camila. Ela olha para trás antes de entrar no banheiro masculino e eu rapidamente me escondo e torço para que ela não suspeite de nada. Graças a Deus Camila apenas entra no banheiro em questão e eu respiro aliviada. Vou até o banheiro e vejo que ela fechou a porta (e provavelmente a trancou também). Tento ouvir e imaginar o que se passa ali dentro mas só Deus saberia o que essa menina estava fazendo. Quando eu preparo meu pé em direção ao caminho de volta à secretaria, ouço alguém, ou melhor, algo. Pra ser mais exata, um gemido. Não acreditava no que meus ouvidos estavam captando. Realmente Camila estava transando no banheiro com alguém em pleno local de trabalho??? Sério??? Tudo bem que eu também não sou nenhuma santa mas pelo menos mantenho tudo bem escondido. Tento ver alguma coisa pelo fechadura da porta mas a chave impedia qualquer perspectiva. Até que lembro que tenho que ir até a sala de baixo pegar os "papéis importantes" que deixei para trás. Abro a sala e pego quaisquer papéis em branco de simulação, só para não voltar de mãos vazias. 

- subo as escadas novamente e quando penso em checar o banheiro masculino, a porta é destrancada e aberta. Lá de dentro saem uma Camila totalmente despenteado e com uma alça de sua blusa caída.....e um Shawn botoando sua camisa. Camila estava com o batom todo borrado, tanto que Mendes mesmo avisa:

- É melhor limpar essa boca toda lambuzada Camila, senão Katherine vai perceber que você não é tão certinha quanto tenta passar o tempo todo - ele escora a mão na parede - E vê se pega logo a merda do seu notebook na minha casa antes que eu me arrependa e o venda - Mendes diz de saco cheio

- Cala boca Shawn, você a cada visita fica cada vez mais insuportável - choquei com aquela informação. Camila sai certamente brava pelo comentário e ele se delicia sozinho, gargalhando. Realmente, foi engraçado o batom vermelho de Camila por toda sua boca. Por um instante soltei uma risada abafada, pensando que seria tão baixo que Mendes não escutaria. Mas como a sorte não anda ao meu lado, o garoto escuta meu riso contido e rapidamente percebe minha presença no meu "enconderijo" entre a parede e a vidraça. Eu, ingênua, tento me esconder assim que ele me vê, fechando os olhos, mas já é tarde

- Além de mal educada, você é bisbilhoteira Katherine. Isso não é nada bom - ele diz pegando uma mecha de meu cabelo e passando entre seus dedos. Quando abro meus olhos, vejo que ele ainda se recupera de seus machucados de Justin no rosto. Seu olho não estava tão roxo quanto antes e, tenho que admitir, aquele curativo bem perto do canto de sua boca, o deixava muito sexy. Não sei o porquê.

- Por um acaso do destino os encontrei aqui Mendes. Por sinal, não devia estar na aula? A escola é para estudar, não foder os outros ou suas vidas - ele sorriu malicioso

- Sabe Kath, aposto que estava morrendo de ciúmes por eu estar com Camila, e não estar com você. Mas como eu já disse, não vou fazer nada, até que me peça. Aliás, vou ter que suspender minhas visitas noturnas no seu quarto até você pedir para eu voltar. Melhor, até que você me implore por meu toque - ele disse se afastando. Não o deixaria sair tão depressa. Tinha algumas perguntas a fazer antes

- Primeiro: HAHAHA. espere sentado Mendes. Espere sentado, pois isso não acontecerá, n-u-n-c-a. Nunca me verá implorando absolutamente nada para você... PRINCIPALMENTE seu toque repulsivo - ele ria como se estivesse num Stand-up Comedy - Segundo: por que você e Camila estão se encontrando? Pensei que se odiassem. E porque o computador da Camila estava na sua casa quando fui lá aquele dia e continua ali? E como você sai da aula toda hora sem que nenhum professor faça algo??? E outra, porque você estava espionando Justin e eu naquele lugar? - cruzei os braços esperando respostas concretas. Ele riu mais uma vez e colocou seus grandes braços contra a parede, um de cada lado, me prendendo - Eu não te devo satisfação do que eu faço ou o que deixo de fazer Katherine. Não somos amigos, não somos colegas, não somos nada além de conhecidos. Não estrague meu bom humor. Afinal, vou ter medo da autoridade de quem? Do Sr. Cotton? Haha, não me faça rir, ele é patético ao tentar dar ordens.

- Quando diz respeito a mim, sim, você me deve satisfação. Posso te denunciar por ser um stalker - ele molhou os lábios - Não seja tão dramática Katherine. Você me espiona muito mais vezes do que consegue contar e quer vir com uma de que o stalker sou eu? Fala sério. Nem você acredita nisso - ele finge que toca meu queixo, mas não o toca. Ele me encara com um olhar ameaçador e diz:

- Fique longe da Camila - E por fim, sai. Porque? Por que ele está protegendo a Camila de mim? Aquilo não entrava na minha cabeça. No intervalo, resolvi comer na minha sala. Não queria falar com ninguém. Nem mesmo Cam, mas ele insistia em puxar assunto.

- Qual foi Kate, por que não me conta o que aconteceu? Sou a porra do seu melhor amigo ou não??? - Cam me olhava severamente, enquanto eu brincava com os legumes em meu prato

- Se quer tanto saber. Tá, eu te conto. Mas não ria - ele jurou beijando seu mindinho - Ok...Camila e Shawn estão se encontrando as escondidas e ele está protegendo ela de mim. Mas não entendo o porquê - Cam se segura para não rir porque havia prometido

- Kate, Shawn e Camila sempre foram assim. Camila o manipula e ele adora uma mulher manipuladora. Adora jogar com alguém - disso eu bem sei.... - Por isso, não leve tão a sério o que o Mendes diz, Camila sempre dará um jeito de que Shawn fique solteiro para sempre. Sempre.  - havia chegado a hora de eu cair na gargalhada. -Acha mesmo que eu sou uma espécie de concorrente pelo Shawn? HHAHAHAHHA - ri muito - É patético só de pensar. Ainda mais brigar por um homem. Por aquele homem. Ridículo.

- Você que sabe Kate. Bom, tenho que ir. Conversamos por mensagem. Beijo na bunda - Cam beija minha testa e me deixa sozinha com meus pensamentos. Depois de alguns momentos reflexivos resolvo voltar ao trabalho. Quando chego à secretaria estranho que Camila não havia voltado ainda. Já Lauren com certeza já havia ido embora, afinal, ela só trabalhava meio período e tinha que ir mais cedo para chegar na faculdade a tempo. Abro a porta da minha sala e me deparo com Camila parada em frente a mim, mas de costas com um copo de plástico vazio em suas mãos. Não entendo nada até que olho para minha mesa onde estava o notebook. Estava completamente encharcada de algum líquido, provavelmente água. Corro em direção á mesa e abro a gaveta para pegar um pano e tentar secá-lo imediatamente - QUAL SEU PROBLEMA?? - tentei gritar o mais baixo que consegui. Camila estava sem expressão, mas quando gritei com ela, ela respondeu

- Me desculpa, foi sem querer. Eu ia trazer esse copo de suco a você mais acabei escorregando e molhando o computador. Me desculpe mesmo Katherine - ela me olhava com uma cara que representava tudo, menos arrependimento. 

- Está tudo bem, Camila. Eu limpo a bagunça. Você já pode se retirar - Camila me olha com um sorriso perverso e fecha a porta com cuidado. Suco??? Sério??? E ainda por cima vai ficar tudo fedendo a suco. Ótimo. Maravilha. Tentei ao máximo disfarçar o cheiro forte do suco de maçã e até que funcionou. Quando cheguei em casa, checo meu celular e há algumas mensagens do meu pai, de Justin, Cole e uma de Cam

Pai: você está bem filha? Como vai o trabalho? Tá namorando? Fez amizades? Está feliz aí? - o respondo contando o que eu acho que é necessário e acabamos nos falando mais um pouco por Skipe. Depois respondo Justin e Cam:

Justin: posso ir aí mais tarde? Uma meia noite, preciso de você. - respondo que sim, mas que não faça muito barulho

Naja: Kateeeeee. Vc fica comigo amanhã no treino de natação? Quero saber se fico tão bonito quanto os outros caras nadando de costas - Cam sendo Cam. Respondi que obvio, não perderia por nada ver aqueles homens lindos e músculos desfilando seus belos corpos. E por fim, respondo Cole, que me faz uma proposta estranha:

- Cole: se realmente quer ser minha amiga de novo, me encontre amanhã no intervalo na sua sala - achei o pedido estranho, mas aceitei. Sinto falta de conversar com Cole. Ultimamente ele anda tão estranho quanto Camila. Espero que ele não esteja mais sendo manipulado por ela como antes. Tomara. Perto da meia noite, alguém bateu a minha janela. Como esperado, era Justin. Ele parecia exausto. Não quis perguntar o que houve para não incomodá-lo. Ele apenas tirou a camisa e deitou na minha cama, deixando espaço suficiente para mim ao seu lado. Prendi meu cabelo num coque mal feito e massageei suas costas. Ele logo dormiu. Beijei seu ombro e nos cobri.















Notas Finais


Ainda vou postar mais um capítulo hoje


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...