História I Hate (Love) The Stars ;; jjk - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Bts, Drama, Hetero, Jeon Jungkook, Jeongguk, Jungkook, Romance
Visualizações 11
Palavras 2.464
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Por incrível que pareça, esse capítulo não tem nenhuma tragédia ou algo do tipo, na verdade, parece que as coisas estão finalmente começando a dar certo para Jiyoo.
Aqui vocês vão conhecer um pouco mais da personalidade dela, e notar o quanto ela é forte.
BOA LEITURA

Capítulo 5 - Capítulo Quatro


Fecho meus olhos, respirando com dificuldade, à medida que sinto seus dedos apertarem ainda mais meu pulso.

"Me responda!" Ele me balança com violência. "Por que está aqui com ele? Eu te procurei por toda parte!"

Abro a boca para responder, porém, outra voz é ouvida, fazendo-me parar.

"Não trate ela assim!" Ouço a voz de Jeongguk se aproximando.

"Ela é minha namorada, não sua! Eu que decido como tratar ela ou não!" Ele exclama. Está cada vez mais irritado. Isso, realmente, não terminará em um coisa boa.

Abro os olhos lentamente, encarando a cena.

EunWon solta meu pulso e me empurra, fazendo-me tropeçar em meus próprios pés e cair, um pouco longe dos dois.

"Não importa se ela é sua namorada! O mínimo que você tem que fazer é tratá-la com respeito!" Jeongguk agarra a gola da blusa de EunWon ao final de sua frase, o puxando para mais perto. "E não é isso que está fazendo!"

Vejo EunWon puxar seu próprio braço para trás, com a mão fechada. Antes que eu possa fazer qualquer coisa, um soco é desferido no rosto de Jeongguk.

Me levanto o mais rápido que posso e corro na direção de EunWon. Agarro-lhe o braço, o impedindo de agredir Jeongguk novamente.

"EunWon, por favor..." Sussurro, fechando meus olhos. "Só vamos embora; sem se meter em confusões."

Ele bufa, soltando seu braço de meu aperto e, em seguida, agarrando o meu pulso novamente.

Ele praticamente me arrasta para longe do parquinho, e eu não consigo não olhar para trás, podendo ver Jeongguk com a mão em seu maxilar, me encarando enquanto me afasto.

Ergo minha mão, em uma tentativa de acenar, porém, desisto antes de o fazer.

Acho que ele nunca mais falará comigo...

⊱───────⊰✯⊱───────⊰

Como esperado, não consegui dormir a noite por conta de EunWon fazendo a questão de me lembrar o quanto eu sou inútil e que pedi por todos os socos que levei.

Todo o meu corpo dói, inclusive minha cabeça; nem mesmo fechei os olhos por um mísero segundo essa noite, mas, mesmo assim, terei que ir trabalhar. Mas em que trabalho? Eu fui demitida...

Não quero falar sobre a demissão para EunWon agora, ele enlouqueceria e teria o risco de me matar. Eu não quero morrer, mesmo que às vezes eu ache que essa é a minha única opção.

Irei com EunWon até o consultório e, após ele ir embora, sairei em busca de um novo emprego. Poderia tentar fugir novamente, mas daria tudo errado. Se eu quero fugir, preciso bolar um plano, e isso leva tempo.

Encaro EunWon, que coloca uma jaqueta de couro por cima de sua blusa branca.

Coloco uma mão na parede, a utilizando de apoio para me ajudar a levantar.

Vejo ele me encarar pelo canto do olho e suspiro, me colocando de pé e estufando o peito.

"Espero que tenha aprendido" Ele diz, desviando o olhar para o espelho rachado ao lado do guarda roupa.

O ignoro, vendo-o pelo reflexo. Ele me encara, também pelo reflexo, e revira os olhos.

"Não vai trocar de roupa?" Me pergunta.

Nego com a cabeça, sem desviar meu olhar dele; é a primeira vez que crio coragem de fazer tal ato.

"Não tenho mais nenhuma roupa decente para colocar" Digo e ele, rapidamente, se vira em minha direção.

"Como não? Gastei todo meu dinheiro em roupas para você!" Ele parece indignado, mas tenho certeza que parte é apenas atuação.

"Isso foi a dois anos atrás. E você jogou grande parte das minhas roupas fora em um momento de raiva, não lembra?" Por mais que eu queria encarar o chão, continuo com o contato visual. Ele solta uma risada.

"Bom... Você mereceu..." Ele coloca as mãos nos bolsos e levanta sua cabeça, esbanjando um falso ar de superioridade. "Agora você terá que trabalhar o bastante para ter dinheiro para comprar roupas para você, pois essas já estão fedorentas"

Suspiro e me dou por vencida, encarando o chão. Sua mão agarra meu braço e me puxa para fora de casa, alegando que estamos atrasados para o meu trabalho.

Hoje o dia está mais frio que o anterior, mas não está com tanto vento.

Suspiro, a medida que acelero meu passo para não acabar caindo enquanto EunWon me puxa, com certa pressa.

Se eu tivesse contado para Jeongguk sobre EunWon logo no início tudo seria diferente. O que teria acontecido?

Suspiro e, quando dou por mim, já estamos entrando no meu antigo local de trabalho.

Sinceramente, espero que nada dê errado.

Entro no elevador, acompanhada de EunWon e encaro a porta.

Respiro fundo, sentindo meu coração bater cada vez mais depressa em meu peito.

Minha barriga se embrulha, parecendo que vou vomitar tudo o que jantei com os meninos ontem.

Se algo der errado, eu não quero nem imaginar o que acontecerá comigo.

Limpo o suor de minhas mãos na minha calça, encarando as portas do elevador se abrindo.

EunWon segura minha mão e me puxa para fora, com menos violência que puxava anteriormente.

Olho para os lados, em desespero. Não tem ninguém aqui; ainda bem...

"Bom trabalho" Ele diz, afagando meu cabelo e voltando para dentro do elevador.

Suspiro quando as portas se fecham, passando as mãos em meus cabelos.

Dará tudo certo, seja positiva; não pense em coisas ruins.

Fecho meus olhos, andando de um lado para o outro daquela sala de espera; esperando alguns minutos para descer, para ter total certeza que EunWon já foi embora.

Olho para o relógio preso na parede daquela sala, acima do sofá; alguns minutos já se passaram. Suspiro e aperto o botão do elevador.

Após alguns segundos as portas se abrem revelando uma mulher, que olha para mim com um olhar curioso, antes de sair do elevador. Eu entro no mesmo e rapidamente aperto no botão do térreo.

Levanto meu olhar para o visor que diz em qual andar estou, sentindo minhas mãos começarem a suar como nunca antes. Eu estou tremendo, e não é de frio; meu corpo está completo por adrenalina e eu sinto como se fosse explodir a qualquer momento.

Eu preciso de um plano; eu não posso simplesmente sair correndo para qualquer lugar sem nenhum lugar para ir e esperar que encontre Jeongguk ou alguma outra pessoa para me salvar desse caos que é a minha vida, pois sei, que de qualquer forma, isso não vai adiantar nada, EunWon sempre consegue me encontrar.

Eu posso arranjar um outro emprego; todos os dias, para ir trabalhar, eu farei a mesma coisa que estou fazendo. Posso juntar dinheiro aos poucos, até eu ter uma boa quantia para conseguir algum lugar para ficar, pelo menos temporariamente. Então eu poderei, finalmente, me livrar de tudo isso.

É um plano com falhas e bem longe de ser perfeito; ele pode dar muito errado, mas eu, pelo menos, tenho um plano. Dessa vez eu não vou me sentar e deixar com que EunWon me bata e me xingue o quanto quiser após minha ideia anterior ter dado errado; não depois do que passei esse dia que fiquei na companhia de Jeongguk: ele fez eu me sentir livre. Ele fez eu me sentir feliz. Ele fez eu sentir que ainda havia esperança para dias melhores na minha vida. Eu não mereço esse tratamento que venho recebendo de EunWon durante esses longos dois anos. Eu mereço ser livre. Eu tenho o direito de ser livre. E vou lutar por esse direito até o fim de minha vida.

Fecho meus olhos e respiro fundo assim que as portas novamente se abrem. Saio do elevador e vou, com passos rápidos, até o lado de fora do prédio. Olho para os lados, confirmando se EunWon não se encontra em nenhum lugar; ele não está aqui.

Respiro fundo mais uma vez. Eu nem mesmo sei onde começarei a minha busca para um novo emprego. Eu não tenho nenhuma graduação em alguma faculdade, isso é, no mínimo, um problema para se achar um bom emprego. Não que eu estivesse na situação de poder escolher um emprego, afinal, eu preciso dele; não quero nem imaginar o que aconteceria se EunWon descobrisse que fui demitida.

Uma voz masculina, próxima de mim, me chama, fazendo-me acordar de meus devaneios. Me viro para trás rapidamente, com a mão em meu peito, fechando o punho em minha blusa, devido ao susto.

“Você me assustou…” Digo enquanto solto uma risada soprada, encarando o moreno em minha frente, que sorri, enquanto segura a mão da sua tão adorável sobrinha. “O que faz aqui?”

“Estou levando MinHee para a creche” Jeongguk me responde, se aproximando de mim. A garotinha me olha curiosa, mas sem dizer nem uma única palavra. “E você? Não devia estar trabalhando?”

Suspiro e encaro o chão. Havia me esquecido completamente que não o disse sobre minha demissão.

“Eu fui demitida” Ri fraco e coço a nuca.

“Oh!” Ele exclama. “Me desculpe! E-Eu não sabia!”

“Tudo bem.” Levanto minha cabeça novamente, o dando um sorriso. “Estou em busca de um outro emprego agora” Ele pode me ajudar! “Você sabe de algum lugar que está precisando de secretária ou algo assim?” O pergunto.

Jeongguk inclina sua cabeça levemente para o lado, mordendo seu piercing com uma expressão pensativa no rosto. Como ele consegue ser tão bonito?

MinHee puxa a mão de seu tio, que rapidamente se vira para ela. A pequena faz um sinal com a mão, o chamando para mais perto, e ele se abaixa, ficando da altura da garotinha. Ela sussurra algo em seu ouvido, então ele assente com a cabeça e se levanta, sorrindo em minha direção. A menina volta a olhar para mim, com um sorriso fofo no rosto. Agora tudo ficou claro para mim: a beleza é de família.

“MinHee disse que ouviu sua professora falar, uns dias atrás, que elas estavam em busca de uma secretária” Ele diz, e um sorriso de formou em meu rosto imediatamente. “Então, acho que se você gostar de crianças, você pode tentar!”

“Eu amo crianças!” Exclamo e Jeongguk abre um sorriso.

“Isso é ótimo! Venha! Eu te levo até lá!” Apenas assinto com a cabeça, acompanhando o homem e a pequena garotinha até a escolinha.

Até agora, as coisas estão dando certo! Isso faz com que a pequena esperança em meu peito cresça um pouco mais.

“Qual seu nome?” Uma voz infantil pergunta, e eu rapidamente viro minha cabeça em direção a voz. Jeongguk faz o mesmo que eu; ele parece surpreso. Pelo que pude perceber, MinHee não é alguém que conversa muito, e saber que ela está tentando puxar um assunto comigo, faz eu me sentir honrada.

“Kim Jiyoo” Respondo, sorrindo para ela.

“O meu é Jeon MinHee!” Ela diz, animada, me devolvendo o sorriso.

“Eu sei” Solto um riso pelo nariz, enquanto ela continua a me encarar.

“Você é a namorada do Tio Guk?” Ela me pergunta e eu sinto meu rosto esquentar, enquanto arregalo os olhos e desvio o olhar.

“Não!” Eu e Jeongguk exclamamos ao mesmo tempo.

“Nós nem nos conhecemos direito, Hee” O moreno explica e eu assinto com a cabeça, ainda a olhar para a frente.

A garota bufa e eu a olho; ela soltou a mão de Jeongguk e cruzou os braços em frente ao seu peito, com uma expressão emburrada.

“Vocês fariam um casal bonito!” Ela murmura e eu me deixo rir. Ela é muito inteligente para uma criança que nem mesmo está no ensino fundamental.

“Olha! Chegamos!” Levo meu olhar para Jeongguk, assim que ele exclama, mudando de assunto, e posso ter certeza que suas bochechas estavam mais claras anteriormente. “Vai logo, pestinha!” Ele diz para a garotinha. “Você está quase atrasada!”

Ela se vira na direção do mais velho e aponta para a própria bochecha. Jeongguk solta uma risada soprada e se abaixa, deixando um beijo na bochecha da pequena; em seguida, ela faz o mesmo na bochecha de Jeongguk e corre para dentro da escolinha, deixando eu e Jeongguk sozinhos.

O moreno sorri enquanto se levanta e volta sua atenção para mim.

“Eu tenho que ir agora. Afinal, as tatuagens não serão feitas sozinhas!” Ele diz, completamente animado e eu rio, assentindo. “Tchau”

Apenas aceno para ele, enquanto o mesmo se afasta.

Suspiro e me viro para conseguir encarar a frente da escolinha. Se tudo der certo, aqui será meu novo emprego. Respiro fundo, antes de entrar no local.

Assim que entro no local posso ver uma mesa alta, que, ao que tudo indica, será o lugar que ficarei se me aceitarem nesse emprego. Perto da mesa a uma porta, e, levando meu olhar para minha frente, há um grande espaço aberto, espaço esse que seria do tamanho de duas portas, uma ao lado da outra, me dando total visão do parquinho da escolinha, onde algumas crianças brincam e, alguns adultos, cuidam delas.

Me viro para mulher apoiada na mesa da secretária, que estava, até o momento, tão focada em olhar suas unhas que nem mesmo notara minha presença.

Limpo minha garganta, tentando chamá-la a atenção, mas não recebo nenhum resultado. Suspiro.

“Com licença” Digo alto, ao me aproximar, fazendo-a me olhar, finalmente.

“Sim?” Me pergunta, arrumando sua postura.

“Eu fiquei sabendo que estão a procura de funcionários” Murmuro, sem muito saber o que dizer.

“Veio fazer a entrevista?” Assinto com a cabeça. “Me acompanhe” Respiro fundo, estufando o peito, para então fazer o que a mulher disse.

⊱───────⊰✯⊱───────⊰

Saí do lugar com um sorriso no rosto. Acho que eles estavam muito desesperados para encontrar uma secretária, pois quando terminaram de fazer as perguntas, já disseram que eu poderia começar no dia seguinte. Isso me deixou extremamente feliz.

Quando saí da escolinha estava perto do meio dia e meu estômago já estava roncando loucamente por estar a muito tempo sem receber comida - não que eu não estivesse acostumada com isso. Eu poderia muito bem tentar fugir novamente, mas eu não tinha lugar nenhum para ir; pensei na possibilidade de tentar encontrar Jeongguk novamente, mas eu não faço a mínima ideia de onde é seu estúdio, e também, não quero o meter nessa história; essa batalha é minha e apenas minha, então terei que vencê-la sozinha; não quero acabar colocando Jeongguk em uma enrascada por minha causa, ele é alguém tão bom e puro, não merece nada de mal.

Ao invés de fugir, optei por apenas dar algumas voltas por Seul e observar a cidade que estava morando a tanto tempo, sem conhecer nem mesmo uma rua.

Tentei ao máximo decorar os nomes das ruas, para não me perder quando fosse e voltar e, de certa forma, funcionou. Eu estava na frente do antigo prédio que trabalhava antes de EunWon ir me buscar; ele não suspeitou de nada.

Sinto que as coisas estão começando a dar certo na minha vida, e isso faz minha esperança aumentar ainda mais.


Notas Finais


Nesse capítulo vocês descobriram um pouco da personalidade da nossa querida Jiyoo, e no próximo vocês descobrirão um pouco mais sobre a vida dela antes do EunWon e sobre o tal irmão dela que já foi tão citado.

Entre esse capítulo e o próximo acontecerá uma pequena passagem de tempo na fanfic para ela não ficar muito longa, chata e repetitiva, mas não se preocupe que tentei explicar isso no próximo capítulo da melhor forma possível.

Ah! Eu quero chamar a atenção de vocês para algo: não sei se vocês notaram, mas Jiyoo está toda hora pensando no que EunWon faz para ela, e em planos para fugir do EunWon, MENOS quando ela está com o Jeongguk rs

Espero que tenham gostado!!

LOVE YOURSELF LOVE MYSELF PEACE

070818


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...