História I hate-love this boy. mclennon - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias The Beatles
Personagens George Harrison, John Lennon, Paul McCartney, Ringo Starr
Tags John Lennon, Mclennon, Paul Mccartney, Starrison
Visualizações 150
Palavras 2.029
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


eae gente voltei (*≧▽≦)
ta ae a resposta do paul, já que estão curiosos
e finalmente consegui uma ideia perfeita de fanfic nova, ta tão foda que dá vontade de começar agora, mas vou me controlar prometo

mas enfim aproveitem o cap

Capítulo 12 - Capítulo 12


Paul sentiu seu coração sair pela boca ao ouvir o ruivo lhe pedir em namoro. Começou a suar frio e seus olhos brilham como se tivesse visto um belo diamante, mas na verdade é só John olhando-o com semblante ansioso, até meio nervoso. As batidas cardíacas enfraqueceram, depois de segundos voltava igual a uma metralhadora. Ele não esperava um pedido desses. Por mais que Lennon seja alguém direto, percebeu que as peças encaixaram após a bela "declaração". Ou melhor, revelação.  

O mais novo não sabia se ficava feliz, surpreso, ou confuso. Tudo passou muito rápido, olhando-os assim nem parece que tinham briguinhas bobas e engraçadas. Mas imaginou como seu pai reagiria quanto a isso, quer dizer, como reagiria se descobrisse. Paul poderia contar logo e só ouvir Jim gritando nos seus ouvidos, mas coragem que lhe falta. Mas esse pedido deixou McCartney bem radiante, que o fez esquecer um pouco os problemas. Céus, é o melhor dia de sua vida. John lhe pedindo em namoro! Pensou por uns minutos e já obteve a resposta. 

Lennon estava cansado de esperar e até um pouco desanimado com a demora. Soltou as mãos do moreno e coçou a nuca. 

— Olha Paul, se não quiser... Tudo bem... Posso até entender, se estiver por fora de namoros. — desviava seus olhos todo o momento. McCartney tentava abrir a boca, mas o ruivo lhe atrapalhava. — Er, se preferir como estamos. Eu quis dizer.  

— Shh! John, fecha essa matraca e me deixe falar! — suspirou. — É lógico que aceito!  

Os olhos de John brilharam e foi logo esboçando um lindo sorriso nos lábios. Pegou nas mãozinhas geladas do moreno e começou a acariciar, para deixá-las bem quentinhas. O nervosismo contido também não ajudou muito, e fez piorar, dando um ar mais gelado.

— Está... Falando sério? — o mais novo começou a rir da reação do outro.  

— John, não vou brincar com a sua cara com um negócio desses. — se aproximou e depositou um beijinho no nariz do mesmo. Paul finalmente perdeu a vergonha. — É sério, eu aceito namorar você, Johnny.  

O ruivo sorriu e avançou no moreno, dando um abraço apertado e depositando alguns beijos na bochecha do mesmo. Acabaram caindo, John está em cima de Paul, olhando-o fixamente nos olhos. Assim que passaram alguns minutos, o mais velho aproximou seu rosto, então, selando os lábios nos do engomadinho.  

Afastaram-se e ajudaram um ao outro a se levantar, para voltarem. Foram andando pelo o caminho percorrido, dando alguns beijinhos por ali, enquanto Paul pensava profundamente no que iria fazer. Fazer com que seu pai não descubra nada, por enquanto. Provavelmente contará para Mike e seus amigos, a única coisa ruim é Stuart saber de tudo. Quando soube da aproximação entre si e Lennon, pode perceber nas perguntas altamente irritantes. Igual naquele dia, no corredor. Mas isso não lhe impede de andar de mãos dadas.  

Dessa vez chegaram bem rápido, pois correram bastante, por mais que o moreno tenha odiado a ideia. Jim com certeza já estava chegando, então foi por pura sorte de estarem já ali, na porta da casa dos McCartney. A friagem piorava, então era melhor entrar.  

— Acho que hoje é o melhor dia da minha vida. — disse John sorridente.  

— O meu também, Johnny. — Paul sorriu. — Tudo o que aconteceu entre a gente me fez esquecer os problemas. Até sobre meu pai. Mas... Por enquanto não irei contar, só para meu irmão.  

— É melhor. Sua cabeça vai ficar cheia demais, ainda mais com provas, trabalhos. Uma briga com seu pai não vai ser nada bom. — acariciou o rosto do mais novo. McCartney achava incrível o jeito que John se preocupava.  

— Também acho. Um dia eu tentarei conversar com ele.  

— Ei, amanhã é sábado, quer dar uma passada na minha casa? Eu queria tocar junto de novo, mas preciso treinar outros acordes. — coçou a nuca.  

— Oh, eu te ensino! — disse o moreno e Lennon deu um sorrisinho. — Tocaremos juntos e podemos aproveitar para treinar.  

— Tudo bem, então. — suspirou. — Bom, acho melhor deixá-lo entrar.

Depositou um selinho naqueles lábios carnudos, que para Lennon, dava uma grande vontade de morder enquanto beijasse.  

— Nos vemos amanhã? — perguntou o moreno.  

— Nos vemos amanhã! — John sorriu. — Até?  

— Até! — respondeu Paul, que abriu a porta e antes de entrar, deu um sorriso para John. O mesmo assim fez e o mais novo entrou. 

McCartney está mais feliz do que nunca, mas o cansaço fala mais alto. Irá tomar um belo banho para ir capotar na cama, amanhã vai na casa de John e treinar alguns acordes. Quem sabe, namorar também. E é o que mais quer fazer por lá, pensou sobre isso sorrindo igual bobo. E deseja muito o amanhã chegar logo de uma vez.  

.:*Segunda-feira*:..

Paul corria pelas ruas, sem se importar muito em chegar no colégio altamente cansado. Ele quer muito ver o ruivo. Sente-se necessitado para ficar naqueles braços meio fortes e sentir aqueles lábios lhe dando beijos calorosos. Céus, ele se sentia nas nuvens. Andou pensando como eles conseguiram dar certo no final de tudo, duas personalidades totalmente diferentes, mas lá no fundo, tão iguais. John toda hora dizia que o moreno fazia ele esquecer as coisas ruins acontecidas no passado, principalmente a morte de Julia. E McCartney fica feliz por isso.  

Finalmente chegou e correu nos corredores, subindo as escadas rapidamente, assim que terminou, encontrou sua sala. Andou e bateu logo na porta, esperando alguém abrir. Depois de alguns segundos, a professora preferida do moreno abre a porta, deixando o mesmo passar. Como sempre, todos olhando para o garoto, até ver Lennon sorrir vendo sua presença. McCartney devolveu o sorriso e se sentou na carteira, colocando seus materiais na mesa e esperando a mulher dar aula.  

Uma bolinha de papel caiu sobre sua mesa, e com certeza é George lhe mandando bilhetes. Abriu e começou a ler.  

"Chegou feliz hoje, o que aconteceu?" 

Deu uma risadinha e escreveu, dando o papel amassado para Harrison.  

— Hmm, "É que aconteceram algumas coisas". — sussurrou. — Vai me contar tudo. 

— Prometo, Senhor Harrison. — Paul sussurrou de volta.  

Voltou a atenção na professora e começou a copiar tudo do quadro.  

..:*Quebra de tempo*:..

Estão no intervalo Paul, John, George e Ringo conversando animados. O ruivo agarrava a cintura do moreno, trazendo para mais perto. Os dois amigos viram aquilo e decidiram perguntar.  

— Então Paul, conte para seus amigos, que coisas boas aconteceram? — perguntou George.  

— Johnny, eu conto ou você conta?  

— Você conta! — exclamou.  

— Ai meu Deus, tá grávido. — disse Ringo.

— Não!

— Então...? — esperava uma resposta de braços cruzados.

— Bom... — suspirou animado. — Eu e o John estamos namorando!  

Os dois garotos ficaram boquiabertos com olhos arregalados. Ringo fingiu desmaiar no colo de George, pondo aquela dramática cena da mão na cabeça, como nos filmes antigamente ou pecinhas de teatro. O casal começou a rir da cena engraçada vinda do baixinho.  

— Mentira?! — gritou.  

— É a verdade. — respondeu John. — Eu pedi ele em namoro na sexta-feira.  

— Caralho, quem diria o famoso Lennon sendo romântico, a cada dia eu me choco mais. — disse Harrison fazendo o ruivo dar risada.  

— Eu sei, eu sei. Ser romântico não é minha praia, mas, agradeçam ao amigo de vocês. — sorriu.  

— Puta que pariu, que lindo. — falou Ringo. — Mas olhem, deixem o Stuart saber disso, ele vai encher o saco de vocês.  

— Foda-se ele. — respondeu John. — Eu me resolvo com Stuart.  

— Isso, protege o namorado, John. — respondeu Harrison.  

Lennon lançou um olhar malicioso para o mais novo, aquilo significava para irem ao banheiro, namorar um pouco. Apertou aquela coxa farta, fazendo Paul corar um pouquinho. Aproximou seu rosto até o ouvido do moreno, sussurrou:  

— Vamos para o banheiro? Você sabe o que eu quero... 

Meu Deus, Paul ficou vermelho que nem um tomate. Apenas assentiu e os dois se levantaram, não questionaram para George e Ringo onde iriam, aliás, eles entenderiam que queriam um momento à sós. Andaram de mãos dadas até o banheiro, assim que entraram, John agarrou seu moreno na cintura e prensou-o contra a parede. Avançou naqueles lábios carnudos, beijando-os e mordendo o canto inferior. Pediu passagem e foi cedida, as línguas entrelaçavam uma na outra, principalmente a de Lennon, que explorava cada canto daquela boca. Deslizou sua mão até o traseiro do moreno, apertando-a em seguida, porra, ele ama a bunda de McCartney. Já já estará se tocando pensando nela.  

Pararam o beijo, John levou sua boca até aquele pescoço que gostaria de deixar uma marca, para todos verem. Mas decidiu não ser tão mal assim, apenas deu uma mordiscada ali, fazendo o moreninho gemer baixinho. Apertava a cintura, dando alguns "cheirinhos" ainda na região, o mais novo estava usando um perfume bem gostoso. Sentiu então, Paul tomar atitude e depositar beijos no pescoço do ruivo.  

— Hm... Isso é tão bom. — respondeu John.  

O moreno continuou com os beijos, até fazer a mesma coisa que o ruivo. Dar uma mordiscada ali mesmo. John estava amando aquilo, e mordia os lábios só de imaginar eles dois fazendo isso em casa, à sós. Sem ninguém para atrapalhá-los.  

— Wow, você me surpreende a cada dia, Macca. — deu uma risadinha.  

— Oh, é? — perguntou. — Hmm, bom saber.  

Para a infelicidade dos dois, o sinal bateu, Lennon encostou sua testa na de McCartney, sinalizando tristeza.  

— Ugh, vamos? — perguntou.  

— Vamos. — respondeu o moreno.  

Deram as mãos e subiram, até chegar na sala. John dava beijinhos na bochecha do moreno e decidiu fazer a mesma coisa daquele dia. Pegou seu garoto nos braços e foi subindo. Assim que chegou, o pôs no chão, andaram e chegaram na porta. Está aberta, aproveitaram e entraram. Se separaram e sentaram nos seus devidos lugares.  

.:*Quebra de tempo*:..

Finalmente a aula acabou, o ruivo está na espera do moreno arrumar suas coisas, mas percebeu que Stuart olhava John fumegando pelos os olhos. Será que ele já estava sabendo sobre o namoro? Lennon queria uma conversa franca com seu "amigo", mas sabe se lá como o mesmo vai reagir. Aposta que nem conversa irá adiantar.  

Paul arrumou suas coisas e sinalizou para o mais velho irem descer. Saíram da sala, conversando aleatoriamente e rindo também. John acariciava a mão do moreno meio preocupado, um medo constante de Stuart fazer algo com seu garoto. Ele sempre gosta de conseguir tudo o que quer, então provavelmente não irá desistir de fazer alguma coisa contra os dois. Lennon conhece seu amigo, e muito bem.  

Chegaram e se entreolharam, dando um selinho em seguida. John quis abraçar seu moreno e assim fez, Paul apoiou a cabeça no ombro do mesmo, mas ficou assustado ao ver a figura de Stuart se aproximando.  

— Fiquei sabendo. — disse.  

John se assustou quando ouviu a voz do Sutcliffe, e desfez o abraço.  

— Stuart. O que você quer? — perguntou o ruivo de braços cruzados.  

— Estão namorando. — ele não estava com uma cara nada boa. A raiva no seu rosto é visível. — Parabéns para o casalzinho.  

— Obrigado, Stuart. — disse John num tom debochado. — É só isso que veio falar? Eu e Paul precisamos ir.  

— É só isso. Não vou perder o meu tempo aqui. — o casal revirou os olhos e Stuart saiu.  

O moreno já estava assustado com o comportamento de Stuart. Para se sentir seguro, abraçou seu ruivo apertado, enquanto o mesmo acariciava as costas do garoto. John odiava ver Paul desse jeito, ainda mais quando o assunto é sobre seu “amigo”. Talvez ele nem considere mais Sutcliffe como amigo, do jeito que está começando a prejudicar as coisas entre si e seu McCartney.

— Fique calmo, Macca. Eu vou ter uma conversa com ele.  

O mais novo assentiu e ficou ali, ainda abraçado.  

É óbvio que Stuart já estava assustando Paul, o comportamento possessivo sobre o moreno é altamente perigoso, digamos. Desde que ele apareceu, Sutcliffe não parava de encher a paciência. Mandar mensagens também. John sempre esteve ciente da paixão do mesmo, mas nem se quer o rapaz chegava no engomadinho para conversar, e sempre vinha com as cantadas péssimas e tentações. Acha isso tão idiota. Mas sempre foi seu jeito. Agora que está sabendo do namoro, as coisas, com certeza, irão piorar. E ter que encontrar o rapaz todos os dias é complicado, sabe se lá em qual situação vão entrar.  

E não há dúvidas de que essa semana será complicada.  


Notas Finais


porra stuart não fode
então eh isto gente (=´∇`=)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...