1. Spirit Fanfics >
  2. I Hate Loving You >
  3. Capítulo 33

História I Hate Loving You - Capítulo 33


Escrita por:


Notas do Autor


Boa tarde meus pudizim, tudo bem?

Eu ia posta só amanhã, mas não aguentei esperar ksksksks

Espero que gostem
Até lá embaixo
Boa Leitura 🌼

Capítulo 33 - Capítulo 33


Pov's Violetta.

Acordei com uma vontade imensa de ir pro teatro e eu não estou entendendo o porquê disso.

Me levantei e rumei pro banheiro tomando um banho, coloquei um vestido florido e uma sapatilha, desci encontrando meu pai.

- Bom Dia - Digo beijando sua bochecha.

- Bom Dia, dormiu bem? - Assenti - Que horas você chegou ontem? - Perguntou enquanto eu colocava o café na minha xícara.

- Não sei, nem olhei no relógio e desculpa não te avisar.

- Tudo bem minha filha, eu quero que você se divirta, coisa que não faz a muito tempo - Respirei fundo.

- Ele voltou - Digo vendo sua reação, que foi um sorriso.

- E como você se sente com isso? - Perguntou e eu Suspirei.

- Confusa, não sei como agir, como pensar e é tão estranho olhar pra ele e lembrar de tudo que vivemos e não poder fazer nada sabe? Me sinto frustrada.

- Bem, sei que vai saber o que fazer e eu sempre te apoiarei - Sorri e ele se levantou - Vou indo minha filha, tenha um ótimo dia.

- Igualmente - Digo e ele beijou minha testa e saiu me deixando completamente sozinha.

Terminei de tomar meu café e levei a louça, resolvi ir no teatro e sai de casa indo pro ponto de ônibus.

Resolvi ir andando pra pensar um pouco na minha vida.

Cheguei no local e adentrei sentindo todas aquela energia me fazendo sorrir.

Me sentei no colchão e Suspirei fechando os olhos e deixando as lembranças tomarem conta dos meus pensamentos.

Lembranças On.

- Eu te odeio - Digo o fazendo rir - Por que você tem que ser tão perfeito?

- Ah, pergunta pros meus pais, eles que me fizeram assim - Chegou mais perto - quem sabe eles não te passam a receita e nós testamos? - Corei violentamente e ele gargalhou me fazendo bater em seu braço.

- Babaca - Digo emburrada e ele me olhou sorrindo.

- O seu babaca - sorri e o abracei.

- Obrigada, León - Digo em um sussurro e senti ele sorrir.

- Eu sempre vou estar aqui pra você - Disse me apertando mais no abraço me passando segurança.

- Eu sei que vai, porque eu também vou - Sussurrei novamente.

- Eu não sei ser romântico, então fingi que eu falei algo fofinho - Ri e ele se afastou.

Lembranças Off.

Sorri e senti alguém ao meu lado me fazendo abrir os olhos.

- Bom Dia, Castillo - Pulei de susto o fazendo rir.

- O que você tá fazendo aqui? - Pergunto o fazendo me olhar com uma sobrancelha arqueada.

- Não sei se você se lembra, mas foi eu que te mostrei esse lugar e eu tenho o direito de vim aqui - Suspirei.

- Desculpa - Digo me levantando e ele me olhou - Você tem razão, esse lugar é seu - Fui sai e ele segurou meu punho.

- Você é bem idiota as vezes né? - Perguntou me fazendo abaixar a cabeça - Em momento algum eu disse que esse lugar era meu, sempre disse que era o nosso cantinho, tanto que te dei uma chave - Disse óbvio.

Me puxou me fazendo sentar ao seu lado de novo e eu permaneci de cabeça baixa.

- Ah coisas que não mudam - Comentou e levantou meu rosto me fazendo o encarar - Teimosinha e chatinha, como sempre - Revirei os olhos e ele sorriu.

- Idiota e babaca, como sempre - Ele riu e piscou pra mim me fazendo corar.

- Uh, você ainda fica vermelha - Disse animado e eu escondi meu rosto com as mãos - Bom saber - Riu e eu neguei com a cabeça.

- Não tente me deixar envergonhada ou eu acabo com você - Ele riu.

- Isso é uma ameaça?

- Isso é um aviso - Digo tirando minhas mãos de meu rosto e o encarando, ele tinha uma feição divertida, sabia que ia vim merda.

- Eu amo brincar com o perigo, você sabe não é? - Encostou nossos narizes e eu senti minhas bochechas esquentarem.

Comecei a socar seu peito e ele riu os predendo.

- Ainda está agressiva? Eu amo isso em você - Novamente senti minhas bochechas esquentarem e tentei soltar meus braços pra o bater novamente, mas ele era mais forte do que eu - Há! Quero ver me bater agora - Disse convicto e eu sorri pisando no seu pé na maior força possível - Aí! Sua infantil - Disse me soltando e eu aproveitei e pulei em cima dele o fazendo cair no colchão comigo por cima enquanto o batia - Garota Maluca.

Me virou ficando por cima de mim predendo meus braços e sorriu vitorioso.

Lembranças On.

- Prometo ser o mais cuidadoso possível - Disse olhando em meus olhos e eu assenti - Eu te amo.

- Eu também te amo - Digo sorrindo e ele me Beijou na maior calma do mundo enquanto tirava minhas peças de roupas devagar.

Fiquei apenas de roupas íntimas diante de seus olhos e senti meu rosto esquentar, cobri meus rosto com as minhas mãos e escutei sua risada.

Lembranças Off.

- Me solta - Digo desesperada e ele pareceu perceber já que me soltou na hora, me levantei e ele ficou me olhando confuso.

- O que foi? - Perguntou e eu neguei.

- Eu preciso ir - Pego minha bolsa e saio correndo de lá o mais rápido possível sentindo as lágrimas descendo por meu rosto.

Parei um pouco pra recuperar o fôlego e quase infartei quando senti uma mão na minha cintura me virando pra si.

Olhei aqueles olhos verdes tão confusos e fiquei quieta.

Ele secou minhas lágrimas e sorriu pra mim.

- Eu acho que me aproximei rápido demais não é? - Solucei e ele me abraçou começando a afagar meus cabelos.

- Eu fiquei dois anos na esperança de te ver de novo e agora que você voltou, eu não sei o que fazer - Digo entre o abraço e ele me apertou mais me fazendo respirar fundo - Eu estava com saudades do seu abraço - Senti ele sorrir e fiz o mesmo.

- Só do abraço? - Perguntou divertido nos separando.

- Eu estava com saudades de você - Digo o encarando e ele colocou a mão na minha bochecha - Eu te odeio - Digo o fazendo rir.

- Almoça comigo? A gente pode tentar conversar como pessoas civilizadas - Disse sorrindo e eu respirei fundo - Vai Castillo, não seja chata.

- Eu tenho que ir trabalhar - Digo a primeira coisa que veio em minha mente e ele riu.

- Eu sei que hoje é o seu dia de folga, o Fede me falou - Bufei e ele sorriu - Você não tem desculpas - Cantarolou.

- Eu vou almoçar com meu pai - Ele arqueou uma sobrancelha e eu sorri tentando disfarçar.

- Você tá mentindo, eu te conheço - Revirei os olhos.

- Eu não quero almoçar contigo - Digo cruzando os braços e ele sorriu.

- Te pego às 13:00 - Disse me fazendo o encarar incrédula.

- Eu disse que - Ele colocou o dedo em frente aos meus lábios me fazendo calar a boca.

- Você não vai conseguir fugir de mim, achei que já tinha aprendido isso - Sussurrou e eu ri - Cadê seu carro?

- Eu vim de ônibus - Digo o fazendo sorrir.

- Eu te deixo em casa

- Não precisa, eu sei andar - Ele revirou os olhos.

- Para de ser tonta.

- Para de insistir, eu disse não - Digo sorrindo debochada e voltei a andar.

- O que custa você entrar no carro e eu te deixar em casa?

- Minha saúde mental - Ele gargalhou e eu sorri.

- Vamos Castillo, eu te deixo em casa, assim você tem mais tempo pra se arrumar - Parei o encarando e ele arqueou uma sobrancelha, revirei os olhos.

- Tá bom - Ele sorriu e seguimos pro seu carro que estava um pouco distante pro meu gosto.

O caminho inteiro eu fiquei quieta pensando em como eu iria escapar desse almoço.

- Pronto - Ele disse parando o carro e quando eu fui descer, ele segurou meu braço me fazendo o encarar - Não quero que fiquemos nesse clima constrangedor, durante esses dois anos eu pensei em você e em como queria te abraçar novamente e agora que eu tenho a oportunidade, você foge como se eu fosse um monstro, somos adultos agora e bem, eu queria ser pelo menos seu amigo, por favor? - Respirei fundo e Assenti, ele sorriu e beijou minha bochecha - Até daqui a pouco, Castillo.

Dei um meio sorriso e sai do carro, entrei em casa e vi pela janela ele indo embora.

Respirei fundo e Subi pro meu quarto, me joguei em minha cama e deixei algumas lágrimas descerem por meu rosto.

Isso é tão estranho, ele tá de volta e quer a minha amizade, enquanto eu o esperei por dois anos!

Lembranças On.

- Você pode ter até dúvidas, mas eu sei que a garota que eu quero que esteja ao meu lado todo dia quando eu acordar, é você - Colocou sua mão na minha bochecha e fez um carinho ali sorrindo.

- Você não pode me dizer essas coisa e depois ir embora - Digo fazendo ele perder o sorriso - Um dia, você se cansará de mim, um dia você verá que existe garotas melhores do que eu e que não são inseguras com sua aparência, um dia você olhara pra trás e dirá que isso o que vivemos foi só um romance adolescente - Senti meus olhos se encherem de lágrimas e ele sorriu.

Lembranças Off.

- Esse dia chegou - Suspirei e sequei meu rosto enquanto eu me preparava psicologicamente pro almoço com o garoto de olhos verdes.


Notas Finais


Espero que tenham gostado
Não deixem de Comentar
Um beijo
Adíoss ♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...