1. Spirit Fanfics >
  2. I Hate Loving You >
  3. Capítulo 34

História I Hate Loving You - Capítulo 34


Escrita por:


Notas do Autor


¡Hey Personas!
¿Que Tal?

Passando rapidinho pra postar.
Vida de estudante não é fácil, né não?

Enfim,
Espero que gostem
Até lá embaixo
Boa Leitura 🌼

Capítulo 34 - Capítulo 34


Pov's Violetta.

O que usar em um almoço com o seu ex namorado?

Eu tô pensando nisso há mais ou menos meia hora e já são 11:30, vou consultar os universitários.

Abri o aplicativo do Google e digitei as seguintes palavras "Que roupa usar pra sair com o ex namorado?"  e os resultados não me agradaram muito.

Okay, esquece a pesquisa.

Mensagem On.

                 *The Powerpuff Girls*

                                   - Garotas, me ajudem!

Loira: O que foi?

                    - O que eu uso pra um almoço com meu ex namorado?

Cami: Uma roupa já está de bom tamanho, a não ser que vocês queiram fazer outra coisa ;)
Fran: Vai sair com o León?
  
                  - Ele me chamou pra almoçar e não aceitou um não como resposta.

Naty: Uh, como se você fosse negar!
Loira: Há!
  
                  - Escutem, depois vocês me zoam, eu realmente não sei que roupa eu coloco.

Loira: Coloca aqueles vestidos infantis que você tem.

                    - Eles não são infantis!

Cami: Vai normal poxa, é um almoço.
Fran: Short, Blusa, Sapatilha, Cabelo solto e pronto.
Naty: Ele já vai estar babando por você.
  
                       - Esse não é o meu objetivo.

Loira: Aham, nós sabemos.
Fran: Se não fosse, você não pediria nossa ajuda.

                         - Obrigada Garotas.

Loira: Mudou de assunto né safada?
Loira: Boa sorte e beija ele logo.

Mensagem Off.

Balancei a cabeça negativamente rindo e rumei pro banheiro, tomei um banho demorado e lavei meu cabelo os secando logo em seguida.

Segui o conselho da Fran e coloquei um short branco, uma blusa solta estampada e uma sapatilha deixando meus cabelos soltos.

Passei um gloss em meus lábios, coloquei meu perfume e Respirei fundo olhando meu reflexo.

- Coragem, porque a noção você perdeu faz tempo - Digo pro meu reflexo e sai pegando minha bolsa.

Desci as escadas e parei em frente ao sofá vendo que ainda eram 12:30.

Okay, talvez eu tenha me arrumado muito cedo.

- Vai sair? - Meu pai apareceu sorrindo.

- Vou encontrar o León - Digo suspirando.

- O que foi?

- Eu não sei porque aceitei sair com ele, acho que vou desmarcar e fingir que estou com alguma dor - Digo já pegando meu celular e ele o segurou.

- Não, você vai enfrentar o seu problema - Disse sério - Não te criei pra ficar fugindo deles minha filha e sim enfrenta-los, você é forte basta acreditar nisso - Sorri e o abracei.

- Eu nem tenho mais o número dele pai - Digo o fazendo rir.

- Você apagou na hora da raiva e agora se arrependeu né? - Assenti novamente.

- Pai, como foi sua relação com a mamãe?

- Como assim? - Ele perguntou nos separando.

- Vocês chegaram a ficar separados? Como soube que era ela que você queria pro resto da sua vida? - Ele Suspirou e me olhou sorrindo.

- Senta aqui minha filha - Se sentou no sofá e bateu ao seu lado, me sentei e ele pegou minhas mãos - Nossa relação foi linda, muito intensa e eu nunca mais senti algo por ninguém além dela, Você sente no coração quando quer aquela pessoa, você se imagina com ela, você sonha com ela, você sorri quando pensa nela, eu era assim com sua mãe e quando eu tive certeza de que era isso que eu queria, eu a pedi em casamento e foi a melhor coisa que eu fiz - Sorriu e eu fiz o mesmo.

- Vocês chegaram a terminar antes de se casar?

- Lógico, várias vezes - Riu - Mas eu costumo pensar que isso só ajudou pra fortalecer nosso relacionamento - Sorri e ele me abraçou - Siga sempre o seu coração, ele nunca erra - Sussurrou e eu assenti.

A campainha tocou e eu respirei fundo já tendo uma noção de quem poderia ser.

Meu pai levantou e foi atender antes que eu pudesse dizer algo.

- León! - Ele disse sorridente e o abraçando - Como vai rapaz?

- Vou bem e o senhor? - A voz grossa fez meu corpo se arrepiar e eu me levantei.

- Melhor agora, quanto tempo não? - Eles riram e eu apareci ao lado do meu pai, León me encarou e sorriu fazendo eu sentir borboletas no meu estômago.

- Oi Castillo - Sorri em resposta e eu senti meu pai beliscar minhas costas me fazendo o encarar surpresa.

- Bem, bom almoço pra vocês - Ele disse beijando o topo da minha cabeça - Cuida dela em León!? - Disse antes de o abraçar.

- Pode deixar - Ele disse me encarando e eu revirei os olhos - Vamos? - Assenti e fechei a porta atrás de mim.

- Pra onde vamos? - Perguntei assim que entramos no carro e ele me olhou divertido.

- Almoçar - Revirei os olhos o fazendo rir.

- Idiota - Resmunguei e ele beijou minha bochecha me pegando de surpresa.

Ele deu partida e eu fiquei quieta até chegamos, fiquei encarando o lugar e ele riu.

- Pode descer já - O olhei entediada e desci, ele fez o mesmo e nós entramos no estabelecimento.

Nos sentamos em uma mesa mais afastada, um de frente pro outro, o garçom chegou e nos entregou o cardápio saindo logo em seguida.

- Dois pratos de lasanha e uma jarra de suco de laranja? - Perguntou assim que olhou o cardápio e me encarou com uma sobrancelha arqueada.

- Pode ser - Digo e ele Assentiu chamando o garçom novamente.

Fez o pedido e eu encarei a vista lá fora, o clima estava bem fresco, nem muito calor, nem muito frio, as pessoas passavam pela calçada, algumas sorridentes, outras estressadas, algumas de mãos dadas e trocando carícias, outras sozinhas porém com o celular em seu ouvido, sorri diante da imagem de um casal que passeavam de mãos dadas, cada um com um sorriso lindo no rosto, olhar pra eles me fez lembrar de como era minha relação com o León, antes de terminamos.

- Continua distraída - Ele disse me tirando de meus devaneios, o encarei e ele tinha um sorriso perfeito no rosto - Eu senti sua falta - Disse pagando minha mão em cima da mesa e eu as encarei.

Respirei fundo e tirei minha mão de baixo da sua o olhando novamente.

- Aqui está o pedido de vocês - O garçom colocou nossos pratos na mesa e nós sorrimos pro mesmo - Já trago a bebida - Assentimos e ele se retirou nos deixando a sós novamente, comecei a comer e ele fez o mesmo.

- Sabe? Quando eu te chamei pra almoçar, foi pra nós conversamos e não ficar um olhando pra cara do outro que nem dois idiotas - Ele disse me fazendo o encarar.

- Aqui está o suco - O Garçom voltou e eu percebi León bufar frustrado - Precisam de mais algumas coisa?

- Não, obrigado - Ele disse seco e eu olhei pro garçom.

- Desculpa, ele está em um dia terrível hoje - León me olhou incrédulo e o garçom sorriu pra mim se retirando.

- Eu tô em um dia ruim? - Perguntou debochado e eu o encarei respirando fundo.

- O que você falar comigo? - Pergunto sem rodeios.

- Bem, queria conversar - Disse colocando o suco em nossos copos - Não existe um assunto, nós somos - O cortei.

- Somos o que? - Perguntei o fazendo me olhar assustado - Somos Ex namorados.

- Ex namorados não podem virar amigos?

- Você já viu alguém virar amiga do ex namorado?

- Já!

- Quem? - Perguntei com uma sobrancelha arqueada.

- Não importa agora! - Rebateu e eu revirei os olhos - Para de agir feito criança.

- Eu não estou agindo como uma criança, estou sendo realista - Digo o olhando fixamente - Eu te disse que no futuro você ia se dar conta que o que tínhamos era apenas um romance adolescente, o Batalhão apenas ajudou você - Ele me encarou chocado e eu voltei meu olhar pro prato.

- Ficou maluca? nunca se passou pela minha cabeça que o que tínhamos era apenas romance adolescente.

- Então o que tínhamos? - Ele respirou fundo.

- Na boa? Eu não quero discutir com você, quero uma tarde legal ao seu lado, matar a saudade que eu sentia de você - Disse sincero pegando minha mão novamente - Por favor, não estrague esse momento.

- Licença, vocês já querem pedir a sobremesa? - O garçom voltou e vi León o encarar irado.

- Cara, na boa? Quando precisar, a gente te chama - Disse curto e grosso, o garçom me olhou e eu sorri pedido desculpas pro mesmo.

- Licença - Se retirou e eu encarei León novamente.

- O garçom não tem culpa se você está de mau humor - Digo o fazendo revirar os olhos.

- Ele sempre aparece na hora errada - Bufou e eu acabei rindo o que o fez me olhar sorrindo - Posso ou não passar uma tarde agradável com você? - Respirei fundo e abaixei a cabeça.

Eu também sentia falta, mas não podia me render assim, sei que eu vou acabar me machucando com essa aproximação, mas foram dois anos pensando em um momento de sorriso e risadas com ele.

- Eu não me responsabilizo por um chute bem naquele lugar - Digo o fazendo rir.

- Isso não é agradável, Castillo - Ele disse sorrindo.

- Pra mim é, ver você se contorcendo - Digo me lembrando do dia que fiz isso com ele - É engraçado.

- Engraçado? - Perguntou chocado e eu assenti - Você é sadomasoquista e eu não sabia? - Ri e ele me acompanhou - Eu amo sua risada sabia?

- León - O repreendi e ele colocou as mãos pra cima em forma de redenção.

- Calma, eu só te elogiei - Riu e eu sorri - Enfim, quer a sobremesa? - Neguei e ele assentiu chamando o garçom - A conta por favor.

- Já trago - Disse saindo e logo trazendo a conta.

Peguei minha bolsa pra tirar o dinheiro, mas a mão do León me parou me fazendo o encarar.

- Nem pense nisso - Disse sério

- Mas eu - Ele fez sinal pra mim calar a boca e eu Bufei.

- Muito obrigado - O garçom disse se retirando.

- Isso não foi justo - Digo saindo do restaurante e ele riu.

- Foi sim, eu te chamei pra almoçar, portanto eu pago - Disse divertido e eu revirei os olhos - O que quer fazer agora? - Ele perguntou se encostando na porta do carro e eu parei em sua frente.

- Não sei - Digo dando de ombros.

- Não sei - Me imitou com uma voz fina e eu o olhei - Chata! - Disse sorrindo e me puxou pra um abraço caloroso me fazendo sorrir.

Encostei minha cabeça em seu peito e respirei fundo sentido seu perfume forte e viciante, ele beijou o topo da minha cabeça e nós continuamos assim, apenas escutando a respiração um do outro e as vezes as pessoas passando e conversando entre si.

- Eles estão nos olhando com caras estranhas - Digo baixo e senti ele rir.

- Até parece que nunca viram pessoas se abraçando - Comentou e eu sorri.

- É mas, estamos assim a cinco minutos - Ele nos separou e olhou em meus olhos.

- Hum, não ligo pro que eles pensam - Sorri e ele fez o mesmo - Estou matando a saudades da minha teimosinha - Senti meu rosto esquentar e ele riu - Vamos?

- Pra onde? - Pergunto curiosa.

- Eu não sei, só vamos - Disse rindo e eu o acompanhei.

Entramos no carro e ele deu partida sorrindo.

Minutos depois paramos em frente ao parque de diversões que sempre vínhamos com o pessoal.

- Lembra daqui? - Ele perguntou enquanto andávamos pelo parque.

- Como eu posso esquecer? - Digo recordando de tudo que já vivemos aqui.

- Que tal um algodão doce? - Disse animado me puxando pra barraca.

Pegamos um algodão doce pra cada e fomos  fomos comendo e andando sem rumo.

- Esse lugar é tão alegre - Disse pegando um pouco do meu algodão doce e eu o encarei incrédula.

- Ei! - Ele riu e eu fiz um biquinho.

- O meu acabou - Disse mostrando o palito.

- Problema seu - Digo virando de costas pro mesmo que tentou pegar novamente um pouco do algodão doce.

- Ah é assim? - Disse rindo e eu assenti ainda de costas pro mesmo.

Ele me abraçou por trás e eu soltei um gritinho de susto o que o fez rir, ele mordeu o algodão doce e se afastou.

- Ei, devolve - Digo emburrada.

- Quer mesmo que eu devolva? - Perguntou com uma sobrancelha arqueada.

- Quero! - Digo o fazendo sorrir e se aproximar e só aí eu entendi o sentido da sua frase - Nem pense nisso - Ele parou e me encarou chocado - Tarde dos amigos, lembra?

Sai andando deixando o mesmo surpreso pra trás.

- Se você tá achando que vai ser fácil assim, tá muito enganado - Digo pra mim mesma com um sorriso ladino.


Notas Finais


Espero que tenham gostado
Não deixem de Comentar
Um beijo
Adíoss ♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...