1. Spirit Fanfics >
  2. I Hate Loving You >
  3. Capítulo 39

História I Hate Loving You - Capítulo 39


Escrita por:


Notas do Autor


Oi meu amores, tudo bem?

Desculpem a minha pessoa, semana passada minha escola estava cobrando demais e eu estou muito preocupada com o Coronavirus e por isso minha cabeça não conseguia pensar em escrever alguma coisa.

Enfim
Espero que gostem
Até lá embaixo
Boa Leitura 🌼

Capítulo 39 - Capítulo 39


Pov's Violetta.

- Oi amor da Minha Vida - Olhei assustada pra porta do meu quarto e ele riu - Você está tão linda hoje.

Me encarei e percebi que estava toda descabelada e com meu pijama ainda, ataquei meu travesseiro nele que gargalhou.

- Nossa, é assim que você trata as vistas? - Sorri e ele se sentou ao meu lado na cama - Como você está?

- Bem - Digo simples e ele continuou me olhando.

- Eu também tô bem - Ironizou e eu ri.

- Desculpa, como você está? - Ele sorriu travesso e eu fiquei em alerta

- Estou super mal Castillo, preciso de carinho - Levantei uma sobrancelha e ri - Estou falando sério, olha como eu estou com febre - Apontou pra sua testa e eu meio desconfiada coloquei minha mão nela.

Ele se aproveitou e puxou meu braço me fazendo ir para seu colo.

- Ah! - Solto um grito de susto o fazendo rir.

- Você é tão ingênua - Disse fazendo um carinho na minha bochecha com o polegar e eu fiz um biquinho cruzando os braços, ele me aninhou em seu colo e eu encostei minha cabeça em seu peito fechando os olhos - Ah Fala sério, você vai dormir? - Ri - Não, escuta - Abri meus olhos o encarando - Eu vim aqui pra fazer outra coisa.

- Que coisa? - Pergunto baixo vendo um sorriso se formar em seus lábios - León...

Ele me beijou e eu retribui na mesma hora.

- Vamos assitir um filme? - Disse depois de uns minutos nos beijando e eu o encarei confusa - Você pensou merda, não foi? - Escondi meu rosto em seu peito e ele riu - Que isso Violetta, pensei que você era inocente.

- Para de ser idiota - Minha voz sai abafada.

- Enfim, filme?

- Não! Se a gente assistir filme eu vou dormir - Digo rindo.

- Pelo amor de Deus, hoje é domingo dia de - O Interrompi.

- Dormir e Dormir - Ele riu.

- Dia de sair - Se levantou comigo no colo e eu o encarei.

- O que você tá fazendo?

Ele nada respondeu, apenas me colocou no chão assim que chegamos ao banheiro.

- Toma um banho e se arruma, estarei de esperando lá embaixo - Piscou.

- Ei, eu não quero sair! - Protestei.

- Não te perguntei nada - Me empurrou pra dentro do banheiro - Anda logo! - Fechou a porta e eu Bufei.

- Idiota!

- Eu escutei! - Gritou e eu ri.

                                        {...}

- Uau - Ele disse assim que eu terminei de descer as escadas - Quer me matar do coração? - Ri.

- Vejo que vocês se resolveram - Meu pai sai da cozinha com um sorriso enorme nos lábios.

- É - Digo sem graça fazendo León rir.

- Vão almoçar aqui? - Encarei León que assentiu - Então, daqui há dez minutos eu chamo vocês.

- Pensei que a gente ia sair - Digo assim que meu pai voltou pra cozinha.

- Mas a gente vai, depois do almoço - O Encarei indignada - O que foi?

- Eu poderia ter ficado mais tempo na minha cama! - Começo a espanca-lo

- Ei, Ei, Ei, sem agressão física - Segurou meus braços - E você tá muito preguiçosa pro meu gosto.

- O que tem de errado a pessoa querer dormir um dia inteiro?

- Ela tem problema? Melhor irmos pro médico ao invés do

- Vem comer - Meu pai gritou o interrompendo.

- Ir aonde? - Pergunto vendo ele sorrir.

- A lugar nenhum, vamos comer que eu tô com fome - bagunçou meus cabelos e seguiu pra cozinha.

- Ei! - Reclamei escutando sua risada.

                                     {...}

Depois do almoço nos despedimos do meu pai e León o garantiu que eu voltaria em segurança, entramos em seu carro e ele deu partida, encostei minha cabeça na janela e respirei fundo.

- Com sono? - Assenti - Tu não dorme não?

- Eu até quero dormir, mas o trabalho e a faculdade não deixam - Dei uma risada forçada.

- Hum - Ele fez o retorno e eu o encarei.

- O que você vai fazer?

- Logo você verá - Me olhou sorrindo e eu levantei uma sobrancelha.

Ele parou no estacionamento de um mercado e me encarou.

- Espere aqui, eu não vou demorar - Beijou minha testa e saiu do carro, Suspirei o observando entrar no estabelecimento.

O que esse menino tá aprontando?

Minutos depois ele voltou com algumas sacolas as colocando no banco de trás e logo entrou no carro, o encarei e ele sorriu.

Saiu do estacionamento e se concentrou na rua me ignorando totalmente, liguei o rádio e comecei a cantas as músicas que tocavam baixinho enquanto ele balançava a cabeça no ritmo da música.

- Chegamos - Sai do carro e olhei em minha volta sorrindo.

- Por que não disse que a gente ia vim aqui? Eu não me arrumaria tanto - O encaro e ele sorriu.

- Porque a gente não ia vim pra cá, mas eu mudei meus planos - Abriu a porta de trás tirando as sacolas de lá.

Entramos no teatro, ele abriu as cortinas e eu me sentei no colchão suspirando pesadamente.

Ele se sentou ao meu lado e me abraçou fazendo minhas cabeça encostar em seu ombro.

- Espera - Se levantou e pegou as sacolas voltando a se sentar ao meu lado - Não conta peo seu pai - Espalhou as coisas no colchão me fazendo rir - Segredo nosso em?

- Tá bom - Ele riu e beijou minha testa.

Ele tinha comprado tanto doce que eu ia acabar saindo com diabetes daqui.

- Se seu pai souber que eu estou fazendo isso, ele me mata - Abriu uma barra de chocolate dividindo entre nós.

Depois que eu me recuperei do transtorno alimentar, meu pai ficou meio inseguro de me deixar comer doce, na visão dele eu posso voltar a me alimentar mal e me sentir gorda novamente.

- Posso te fazer uma pergunta? - Assenti - Você as vezes se sente insuficiente? ou melhor - respirou fundo - Quando eu fui embora, você se sentiu daquele jeito novamente?

Fique quieta e ele Suspirou me abraçando.

- Desculpa - Digo entre o abraço e ele pegou meu rosto com suas mãos me obrigando a olhar em seus olhos.

- Você não precisa se desculpar, tá tudo bem - Beijou meus lábios - Eu te amo - Sorri e o abracei fortemente.

- Você é tão importante pra mim, eu não quero te perder de novo - Sussurro.

Ele colocou uma mecha atrás da minha orelha e beijou minha bochecha.

- Você não vai me perder, nunca me perdeu - Riu - Eu sempre estive com você, Castillo.

Sorrimos um por outro e ele me deitou no colchão ficando por cima de mim.

- Você é a garota dos meus sonhos - Sorri - O amor da minha vida - Ri e ele sorriu - Posso te pedir uma coisa? - Assenti - Nunca mais, nunca mesmo, pense que você é insuficiente - Beijou minha testa - Você é mais que suficiente, e eu nunca mais vou te deixar sozinha, o Tomás que lute - Gargalhei e ele fechou a cara.

- Sabe, ele me beijou aquele dia porque te viu escondido - Digo vendo ele abrir a boca surpreso - A gente sabia que você estava vendo tudo e ele fez isso pra você morrer de ciúmes - Sinto meu rosto esquentar - Não fica bravo.

- Imagina, eu não vou ficar bravo - Sorriu e eu levantei uma sobrancelha - Eu mato aquele filho da puta! - Ri - Não ri não, eu só não te mato também porquê não consigo viver sem você - Encostou nossas testas - Você prefere azul ou verde? - Gargalhei e ele sorriu.

- Eu não sei, tô em dúvida - Digo divertida e ele fechou a cara novamente.

- Tá em dúvida é? - Assenti querendo rir, ele se afastou e se sentou no colchão distante de mim.

- Hey, eu estava brincando - Cutuquei suas costas com meu pé, mas ele não disse nada - León - O chamei e ele nem sequer me olhou, engatinhei até ele e novamente o Cutuquei - León, eu estava brincando - Gritei de susto quando ele se virou de repente e deitou por cima de mim - Você tá me sufocando - Digo rindo.

- Tá me chamando de gordo? - Pergunta levantando sua cabeça.

- Não, mas você é maior do que eu - Digo com dificuldade e ele apoiou o corpo em um dos braços.

- Melhor? - Assenti - E então, azul ou verde? - Ri.

- Verde, verde e verde - Ele sorriu como uma criança que tinha acabado de ganhar um doce e me beijou.

- Sábia escolha Castillo - Beijou minha testa - Se eu pudesse, ficaria assim com você para a eternidade.

- Eu também - Digo sentindo ele fazer um cafuné em meus cabelos, fechei meus olhos - Se você continuar, eu vou acabar dormindo.

- Pode dormir - Sussurrou se deitando ao meu lado e me puxando pro seu peito.

- León.

- Hum?

- A gente voltou?! - Escuto ele ri.

- Você ainda tem dúvidas? - Sorri e senti meu sono chegar.


Notas Finais


Espero que tenham gostado
Peço que se cuidem, não quero ninguém doente aqui viu? Lavem bem as mãos, passem álcool em gel, tomem cuidado.

Não deixem de comentar
Um beijo
Adíoss ♥️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...