1. Spirit Fanfics >
  2. I hate my self - Seongjoong >
  3. 3 capítulo

História I hate my self - Seongjoong - Capítulo 3


Escrita por: starlxsh

Notas do Autor


espero que gostem anjinhos 🤍

Capítulo 3 - 3 capítulo


Acordo logo de madrugada, sentindo uma leve tontura, talvez eu tenha realmente bebido demais. Só não entendia a onde que eu estava, até que minhas lembranças retornaram novamente e me lembrei que Seonghwa havia me deixado ficar em sua casa por alguns dias. Ele realmente me salvou de ficar nas ruas.

Me sentei vagarosamente na cama e senti minha boca seca. Sem pensar duas vezes, me levanto da cama e vejo que eu ainda estava com as mesmas roupas da noite passada. Com certeza eu não havia tomado banho, quando cheguei aqui já tinha dormido e Seonghwa não seria nem louco de me dar um banho.

Vou até a cozinha, mesmo não sabendo direito o caminho, foi fácil de achar. A casa não era muito grande, era um apartamento normal, confortável e muito bem arrumado. Devo admitir que Seonghwa é muito cuidadoso com suas coisas. Tudo era tão limpinho e não havia nada desarrumado na casa, bem diferente do meu apartamento que era só a bagunça!

Pego um copo qualquer na bandeja, logo após abrindo a geladeira e tirando uma pequena garrafa de água da mesma. Ela estava bem gelada e eu nunca fui muito de beber água assim. Minha mãe sempre dizia que fazia mal e que eu deveria temperar-la, e até hoje eu faço isso para não poder passar mal.

– você tem medo de passar mal com água gelada, mais não tem medo de passar mal com as bebidas, certo? – me viro apressadamente para trás, vendo a figura que tem me ajudado a não dormir nas ruas. Ele estava sério, mais não de um modo assustador.

– como sabe disso? – coloco o copo na pia. – digo, como sabe que eu tenho medo de passar mal com água gelada? Eu nunca te contei isso, até porque nos conhecemos a tão pouco tempo e não temos intimidades.

– não sei, eu só vi você destemperando a água gelada e pensei que talvez você pudesse ter medo de passar mal com água gelada.. – vejo o mesmo se sentar em uma cadeira ali perto, olhando para o lado. Ele parecia estar apreciando o lado de fora da casa. – já está amanhecendo. Você dormiu bem?

Fico um pouco confuso com sua pergunta. Desde quando pessoas se importam comigo? E ainda mais com meu sono? Park Seonghwa com certeza era um cara bem diferente de todos que eu já havia conhecido.

– dormi sim. – digo olhando para o mesmo lugar que ele – oque tanto olha lá fora?

– você acredita em vida após a morte? – novamente fico confuso com sua pergunta, mais logo me sento ao seu lado e arrumo um pouco as mexas do meu cabelo que estavam um pouco bagunçadas.

– não sei, eu realmente não sei. Mais porque a pergunta? Você acredita? – pergunto ansiosamente para ouvir sua resposta.

– eu também não sei. Só queria que talvez isso fosse verdade. Eu tenho medo de perder as pessoas que eu amo.. E a vida após a morte é um assunto interessante. – vejo seu pequeno sorriso em seus lábios. É estranho, mais ele me fez sorrir também.

– entendo. – olho para baixo. – porque você acha que a vida após a morte é um assunto interessante?

– alguns cientistas já confirmaram que há vida após a morte.

– sério? Que legal. – digo sorridente

– mais não por muito tempo. – vejo seu pequeno sorriso desaparecer de seu lábios, e automaticamente, o meu saiu também.

Eu não queria ver-lo assim, então tentei mudar de assunto.

– você acredita que dinossauros ainda possam existir? Sabe, eu acredito. – sorrio.

Permaneço com minha cabeça abaixada, logo ouço o barulho de Seonghwa se levantando da cadeira e indo para perto da pia, lavando suas mãos de costas para mim. Ele não parecia estar muito bem. Será que eu falei algo de errado?

– falei algo de errado? – pergunto com um pouco de receio.

– oh, não, claro que não! Você não fez nada de errado. Eu só estava me lembrando de uma coisa..

– posso saber oque era? Claro, só se você quiser me contar. – me arrumo mais na cadeira e sorrio.

Seonghwa novamente se senta na cadeira, mais agora de frente para mim. Ele estava sério, mais ao mesmo tempo parecia estar triste.

– quando eu ainda era criança, estava um forte temporal do lado de fora do carro. Meus pais e eu estávamos de volta para nossa casa. Seria o meu primeiro aniversário que eu passaria com eles – o mesmo sorri um pouco triste e abaixa sua cabeça – mais nesse mesmo dia eles acabaram tendo um acidente de carro. Eu ainda tinha apenas dez anos. Naquele dia a polícia disse que fui um atropelamento incidentalmente, mais não Hongjoong, eu me lembro muito bem. Um cara de roupas pretas, ele saiu de dentro do carro dele, ele parecia estar conversando com alguém e dizendo que tudo já estava feito, que nós já éramos... E realmente ele estava dizendo a verdade. Eu não sou nada sem meus pais, Eles eram tudo para mim, mesmo eles quase não me visitando frequentemente. Eu morava com meus avós e eles vinham uma vez no ano me visitar, se é que vinham uma vez no ano ainda..

Ouço ele com bastante atenção, mais após Seonghwa terminar, fico sem palavras. Eu nunca fui muito bom em confortar o coração das outras pessoas, e realmente nunca vou ser.

– eu... Tenho certeza que você ficou muito triste, eu sinto muito, Seonghwa.. – abaixo minha cabeça. Eu não sabia o que falar.

– sabe Hongjoong, não foi o fim do mundo, mais algo morreu aqui dentro de mim. – Seonghwa volta novamente a olhar para a janela de vidro – talvez seja a vontade de ainda viver..

– não fala isso.. Você não pode dizer isso. Como que você aconselha tanto uma pessoa sendo que você também não quer viver? Se você também se cansou da vida, porque quer tanto me aconselhar a pensar que ainda há algo bom em minha vida?

– você já tentou se matar? – poxa! Porque ele nunca responde minhas perguntas primeiro?

– já.. – digo baixo.

– não faça isso... Pessoas mortas não podem fazer nada para aquelas que ficaram no mundo.

– como assim?

– se eu fosse mais forte meus pais não teriam morrido

– você tem noção do que está falando? Seonghwa você tinha apenas dez anos! Não poderia fazer nada para que...

– você não entende Hongjoong, eu me sinto culpado! Você pode até falar que não teria como eu ajudar-los mais eu sempre irei me sentir culpado! Mais sabe porque eles morreram? Porque eu tive que nascer Hongjoong, então portanto, o culpado sou eu!

– mais porque eles morreram por sua causa? Só por você ter nascido?

– eu não era filho do pai que eu amava.. – ouço o mesmo e fico confuso – eu fui fruto de um abuso, e eu sei muito bem que meu pai biológico ficava ameaçando minha mãe e ele a matou por minha causa! Ele disse que não queria que eu tivesse vindo ao mundo!

– então não foi sua culpa e sim do seu pai biológico! Para de ficar se diminuindo por favor! Você...

– mais Hongjoong me escuta..

– quem tem que me escutar aqui é você! Esse cara, quando teve a brilhante ideia de querer matar a sua mãe e seu pai, também teve o intuito de matar você também! Então por tanto a culpa não é sua, ele que fui um burro de não ter se prevenido! Eu tenho certeza que os momentos que sua mãe passou com você e seu pai aditivo foram os melhores, então pare de se diminuir toda hora Park Seonghwa! Entendido? – digo, mais logo percebo oque eu havia acabado de falar com ele – desculpa..

– Hongjoong... Eu não estou me diminuindo, só acho que é minha culpa. – ouço o Park. Ele parecia estar quase chorando. Eu não queria ter falado aquilo tudo para ele, talvez tenha realmente doído.

– me desculpa Seong... Não foi por querer é só que...

– tudo bem Hongjoong – vejo um pequeno sorriso se formar em seus lábios, oque me deixou mais aliviado

– Seonghwa, você quer um abraço? – eu estava realmente com medo de perguntar isso a ele, mais logo sorrio quando ouço o mesmo assentir.

Me levanto da cadeira, indo em direção ao mesmo de braços abertos, mais logo tomo um susto quando Seonghwa, do nada, me abraça apertado e um pouco atrapalhado. Acho que ele já estava precisando de um abraço a muito tempo, igual a mim.

– eu estava precisando disso. – sorrio ao ouvir Seonghwa, e não perdendo as chanches de apertar-lo mais em meus braços.

– eu também. – dou uma pequena risada – você parece estar com sono Seong... Precisa dormir..

– uhum, eu ainda estou com um pouco de sono. – disse, logo após se soltando do meu abraço – você também está?

– estou. – digo sorrindo – vamos dormir então.

– okay. – sorrio gengival e logo fomos para a cama de cada um, ele se deitou na sua e eu na minha – durma bem, Hongjoong..

– desejo o mesmo, Seonghwa – dou um sorriso bobo, sorte que estávamos no escuro e ele não conseguia me ver direito.

Não sei ao certo porque dei aquele sorriso bobo. Mais tenho por mim que fora por causa dele, de Park Seonghwa.


Notas Finais


amo vocês :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...