1. Spirit Fanfics >
  2. I hate my self - Seongjoong >
  3. 4 capítulo

História I hate my self - Seongjoong - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


espero que gostem anjinhos 🤍

Capítulo 4 - 4 capítulo


Logo que acordo sinto uma pequena dor de cabeça, ela não era tão forte, mais o suficiente para mim continuar na cama, afinal, eu também ainda estava com muito sono para levantar a uma hora dessas. Mais notei que Seonghwa levantava cedo, pois o mesmo já não estava mais em sua cama.

– Hongjoong. – ouço seu chamado e olho para o Park, que a propósito, estava bem arrumado. – eu vou para o trabalho agora. – disse calmamente.

– mais, você vai me deixar sozinho? Sem ninguém pra conversar? – pergunto me sentando na cama. – eu vou ficar muito solitário aqui.

– você pode ligar a televisão e se distrair com ela. – diz simples. – se sentir fome pode comer alguma coisa. – o Park deu um sorriso doce. – eu já estou indo.

– espera! – lhe chamo a atenção. – tenha um bom trabalho. – sorrio gengival.

– obrigado Hongjoong. – Seonghwa disse, e logo após saiu pela porta, indo para seu trabalho.

Bem, oque eu poderia fazer agora? Uma hora dessas não estaria passando nada de bom na televisão. Então apenas terei que arrumar minha cama e sei lá, ficar esperando Seonghwa? Mais talvez ele fosse ficar trabalhando o dia inteiro, então isso significa que irei ficar aqui sozinho até dar a noite.

Arrumo minha cama e logo após caminho direto para o banheiro, começando a escovar meus dentes. Como Seonghwa havia separado uma escova nova para mim, facilitaria mais. Ele não precisaria comprar uma nova e eu não precisaria ficar sem escovar meus dentes.

Guardo minha escova e logo saio do banheiro, indo para a cozinha e ouvindo a campanhia ser tocada.

– quem deve ser á uma hora dessas? – me perguntei mentalmente, mais logo que ouvi a campanhia ser tocada novamente, me direcionei até a porta rapidamente, a abrindo e vendo um garoto de cabelos loiros com uma caixa em mãos. – quem é você?

– eu que deveria estar perguntando isso. – o garoto ao lado de fora disse confuso. – mais bem, me chamo Kang Yeosang. Sou namorado do Seonghwa, e você? – meu coração se apertou quando ouvi aquela frase proferir da boca do garoto a minha frente. Eu nem ao menos sabia que Seonghwa tinha um namorado, e mesmo nem conhecendo ele direito, eu senti alguma coisa diferente quando ouvi que o garoto era namorado do Park. Sei lá, foi tipo... Dor..?

– eu... Sou um amigo dele. Me chamo Kim Hongjoong. – forço um sorriso. – eu não sabia que ele tinha namorado.

– é, mais ele tem. – a fala do garoto parecia um pouco grosseira. – ele está no trabalho? Se estiver, entregue isso à ele. – pego a caixa de suas mãos um pouco atrapalhado pois o mesmo quase jogou ela pra cima de mim. – diga a ele que eu mandei dizer que eu amo ele.

– tá bom. – digo e logo após o garoto um pouco mais alto que eu, foi embora apressado olhando as horas em seu relógio.

Entro dentro de casa e olho para caixa em minha mãos. Oque poderia ser? Porque eu tenho que ser tão curioso, acabaria abrindo aquela caixa por pura curiosidade, e foi isso oque aconteceu. Na caixa havia uma pequena e decorada carta. Resolvi abrir-la. Oque foi? Eu disse que eu era curioso.

...

[ᴛᴇ ᴄᴏɴʜᴇᴄᴇʀ ғᴏɪ ᴄᴏᴍᴏ ᴇsᴄᴜᴛᴀʀ ᴜᴍᴀ ᴄᴀɴᴄ̧ᴀ̃ᴏ ᴘᴇʟᴀ ᴘʀɪᴍᴇɪʀᴀ ᴠᴇᴢ ᴇ sᴀʙᴇʀ ǫᴜᴇ sᴇʀɪᴀ ᴀ ᴍɪɴʜᴀ ғᴀᴠᴏʀɪᴛᴀ ᴘʀᴀ sᴇᴍᴘʀᴇ! ]

[⸙ ᴘᴀʀᴋ sᴇᴏɴɢʜᴡᴀ, ᴇᴜ ᴛᴇ ᴀᴍᴏ, ᴍᴇᴜ ᴅᴏᴄᴇ ɢᴀʀᴏᴛᴏ ⸙]

...

O garoto, chamado Kang Yeosang, até que era cuidadoso com suas palavras, parecia realmente ser bem carinhoso com Seonghwa. Mais de alguma forma, aquilo mexia comigo, eu não sei porque, era uma coisa estranha que eu preferia não pensar mais naquilo.

Coloco tudo em seu lugar, arrumo a caixinha novamente e guardo em algum lugar que possa ser seguro, ou seja, no quarto de Seonghwa. Abro a porta do mesmo e percebo que ali era bem bonito. Eu nunca havia entrado no quarto do Park, até porque cheguei ainda ontem. Mais pude ver que ele era bem arrumado, eu nem ao menos sabia que ali tinha mais algum quarto, pois sua casa era pequena.

Coloco a caixinha em cima de sua cama, assim, quando o Park chegasse, já iria dar-se de cara com o presente que seu namorado mandou entregar-lo. Eu tinha que sair dali, mais eu não queria, e quando meus olhos avistaram um pequeno retrato de Yeosang e Seonghwa, eu fui obrigado a olhar-lo mais de perto.

Os dois pareciam estar felizes, como um verdadeiro casal fica. Mais aquilo não me deixou feliz, na verdade, mais ou menos. Era bom ver que os dois estavam felizes, mais por outro lado, aquilo mexeu ainda mais comigo. Oque está acontecendo com você, Kim Hongjoong? Desde quando voce fica tão pensativo assim? Por causa de apenas uma foto? Ou... Por causa de um garoto?

Coloquei o retrato na mesma estante que o mesmo estava agora a pouco, apenas demorei um pouco mais pois estava limpando ele porque havia algumas poucas poeiras no retrato. Mais ainda sim ele continuava lindo. Dei uma última olhada no quarto arrumado do Park e vi um pequeno caderno rosinha em sua mesinha. Eu não sei porque eu tenho que ser tão curioso dessa forma.

Peguei o caderno rosa em minhas mãos e respirei fundo antes de abrir-lo, pensando seriamente se deveria ou não. Mais já era tarde de mais, eu já havia folheado algumas páginas em branco e pude ver que na sexta página, havia uma frase escrita:

1 - porque vocês tiveram que ir embora? Eu gostava de vocês dois ao meu lado, mamãe e papai.

Meu coração se apertou quando li aquela frase. Eu sabia que seus pais haviam morrido e com certeza Seonghwa havia escrito aquilo a poucos anos. Sua letra era bem legível e parecia com a de agora mesmo. Porque eu sempre tenho que ser tão curioso assim? Talvez eu não estivesse tão sentimental agora.

2 - eu estou trabalhando agora, mamãe e papai. Numa loja de conveniências. Eu sei que não é um trabalho de dar muito orgulho, mais eu consegui, depois de muito tempo, eu finalmente consegui!

Ah, porque você está chorando, Kim Hongjoong? Você nunca fora assim antes! Você está realmente estranho. Eu lia aquilo como se o dono daquelas frases fossem eu, como eu cheguei a esse ponto? Eu não conseguia parar de pensar em como o Park sofreu, em como ele derramou várias lágrimas e sôou duro para conseguir esse trabalho, isso é realmente doloroso.

3 - mamãe e papai, eu tenho um novo amigo agora. Ele se chama Kim Hongjoong. Bem, eu não sei se ele realmente me considera como um, mais eu sim. Eu gostei dele e ele realmente parece ser uma boa pessoa.

Fico estático com as palavras que li. O Park realmente me considerava como um amigo? Espera... Eu nunca tive um amigo verdadeiro, na verdade, acho que nem amigos falsos eu já tive. Eu sempre fui tão na minha e saber que agora eu tinha um novo amigo era uma coisa... Boa! Era uma coisa estranha misturada com uma coisa boa! Eu nunca pensei que pudesse ter um amigo.

4 - mais mamãe e papai, eu queria que vocês estivessem aqui, sentindo a mesma euforia que eu. É impossível viver 100% sem vocês.

Porque o Park tinha que ser tão fofo assim? Ele me deixava triste e ao mesmo tempo bobo. Suas palavras eram como se alguma criança inocente houvesse achado um diário caído pela rua e ter o pegado, contando sua vida infeliz através de suas palavras, já que as lágrimas não eram o suficiente. Desde quando eu me tornei tão sentimental assim?

Folheei mais algumas páginas e não encontrei nada, acho que Seonghwa também se sentia infeliz em contar sua história através de um diário, eu não podia imaginar como minha vida seria se tivesse acontecido a mesma coisa comigo. Contudo, meu pai morreu também quando eu tinha apenas cinco anos de idade. Ele era amigo de um cara chamado Park Jaehyun, que incrivelmente, me lembro um pouco do rosto do mesmo.

Meu pai se chamava Kim Dak-ho, mais ele foi assassinado por alguns caras bêbados, ou até mesmo disseram que ele cometeu suicídio. Mais eu tenho certeza que não. Meu pai não seria capaz de fazer cortes tão profundos em seu abdômen e, ele vivia tão bem, sempre sorrindo e brincando comigo, não tinha razões para ele querer se matar.

Eu sinto muita falta do meu pai, ele era a minha maior motivação a viver, e desde que ele morreu, minha vida virou de cabeça para a baixo. Mesmo eu sendo apenas uma criança, eu já me sentia infeliz por causa disso. Poxa, ele era meu pai, minha única família! Minha mãe morreu no parto e desde então, eu me sinto culpado. E meu pai sempre estava lá para dizer o contrário, que a culpa não era minha e que eu deveria pensar no quanto ela me ama, que agora ela está bem, em um lugar bom.

Mais ele morreu, e hoje eu me encontro dessa forma! Um alcoólatra idiota tentando ao menos conseguir algum emprego digno na vida, mais eu nunca consigo oque eu quero, e provavelmente nunca irei conseguir. Eu sou um verdadeiro idiota a procura de tentar ser feliz.

Com um suspiro pesado, coloquei o diário de Seonghwa na mesma mesinha e saí do quarto do Park, indo até a sala e tomando um copo de água, minha boca estava seca pois fiquei muito tempo no quarto de Seonghwa.

O resto daquela manhã eu fiquei pensando em tudo que havia acontecido comigo, e em como eu sou tão azarado. Mais eu nem ao menos tento mudar, entende? Eu... Apenas perdi a vontade de viver.

E parece que o Park está tentando me fazer mudar de idéia, e realmente, eu sinto que estou caindo direitinho nela! 


Notas Finais


amo vocês :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...