1. Spirit Fanfics >
  2. I Hate U - FACK >
  3. Forty-Two- Afogar os sentimentos no Pacífico é uma boa opção

História I Hate U - FACK - Capítulo 42


Escrita por:


Capítulo 42 - Forty-Two- Afogar os sentimentos no Pacífico é uma boa opção


Com os sentidos completamente fora de órbita, Jack sentiu o seu corpo teimoso desobedecer os seus próprios instintos, as suas mãos estavam trêmulas indicando nitidamente o seu nervosismo, seu coração batia tão forte e pela primeira vez em anos no relacionamento, sentiu vontade de abraçar Asher com força e pedir ajuda.

Asher Angel era a rota que Jack havia encontrado no meio do mapa para poder fugir de seus próprios demônios. Não amava os seus traços nem muito menos as suas curvas, não gostava tanto assim da forma que os seus olhos brilhavam, nem ao menos achava o seu sorriso atrativo e odiava a forma com que ele gostava de fazer sexo casual.

Se sentia sujo por querer ter Finn em sua cama. Todas as vezes que uma foto do rapaz saía nas capas de jornais ou revistas, analisava a forma com que havia amadurecido e ficado mais bonito. Era como um estimulante para o seu cérebro analisar o corpo suado do moreno nas fotos.

Os seus olhos analisavam toda a extensão do aeroporto e a visão panorâmica da paisagem visível na vidraçaria. O sol singelo de inverno acariciava o seu rosto apático, enquanto o clima ameno e úmido deixava evidente a chegada do inverno.

Os seus sentimentos turbulentos estavam tão expostos, sua mão úmida carregava a alça da mala, a outra estava completamente trêmula e por mais que tentasse se conter era inútil. Asher passou a viagem inteira a perguntar se tudo estava ocorrendo bem, já que milhares de vezes reparou o namorado preso em uma de suas crises de ansiedade.

O coração de Jack batia tão forte à medida que acelerava os seus passos para a saída do aeroporto que a sua visão aparentava mais turva do que o normal e o suor frio escorria por suas têmporas, tendo as gotículas sendo aparadas pela armação do óculos de grau que usava.

-Tem certeza que você está bem? Me desculpe, eu errei em não ter te consultado antes de estarmos aqui.

Asher pronunciou-se pela primeira vez, quebrando o silêncio constrangedor. Abriu a porta do carro gentilmente mas apenas recebeu um sorriso em resposta.

-Não se preocupe Asher, eu estou bem. Apenas dirija!

Jack deu de ombros com os olhos fixos ao horizonte amplo, ele sentia que estava em apuros. Queria imediatamente encontrar-se com Finn, mas não podia. Mesmo depois de tanto tempo os seus sentimentos pareciam tão vivos como chamas uma fogueira intensa, era míseravelmente incontrolável

-Eu sinto que não estou pronto para voltar... É só isso. -Suspirou.

Encostou sua cabeça no vidro do carro apertando os dedos em seus joelhos e ao mesmo tempo prendia o seu lábio entre os dentes, na tentativa de aliviar a tensão e o nervosismo interior.

-Sabe que pode conversar comigo sobre qualquer coisa Jack. Qualquer coisa que quiser falar, eu irei te ouvir, saiba que eu serei um bom ouvinte.

Um sorriso apareceu nos lábios de Grazer, porém logo se desfez. Sabia que tinha alguém confiável para contar seus segredos e medos, mas não se sentia bem em contar a verdade para Asher, talvez era porquê não o amava.

Em um suspiro longo, passou a observar a paisagem impagável e ignorar seus pensamentos. Os coqueiros esverdeados e longos enfeitavam a quilométrica orla, deixando seus olhos fixos às ondas grandes, também admirando o sol tímido que refletia nas curvas da água.

-Aqui é bem bonito. -Asher observou de soslaio a forma com que o seu namorado ficava bonito admirava a paisagem.

-Aqui é perfeito. -Completou.

A vontade que tinha era de espairecer e afogar todos os seus sentimentos negativos no mar, para que na onda seguinte a tranquilidade viesse o invadir. Mas sabia que Asher não o entenderia se pedisse para parar o carro repentinamente, apenas para observar o mar.

Em poucas horas, o rapaz parou o carro em frente à uma grande casa, bastante exagerada para apenas duas pessoas. A casa grande de cor azul clara, não encantava os olhos de Jack já que azul não era sua cor favorita. Com um suspiro longo observou ao redor e o local que era conhecido, sabia que estava na área mais nobre e que a praia era um tanto perto... Menos mal...

As malas ocupavam as suas mãos e o seu corpo inteiro estava dolorido por conta da viagem mal dormida. Asher colocou-se sobre a sacada e abriu a porta dando a visão da casa enorme de sala ampla e já mobiliada.

-É maior do que a nossa antiga casa. -Deixou as malas no chão observando a mobília ao seu redor.

-Eu gostei da casa, é melhor do que eu imaginei.

Asher envolveu seus braços ao redor da cintura de Jack, apertando-o levemente contra o seu peitoral. Encostou o queixo no ombro do moreno distribuindo selares em seu pescoço e sorriu assim que sentiu a pele quente dele se arrepiar com seus toques.

-Eu te amo, não se esqueça disso, ok?

-Eu também Asher.

Jack sabia que todos os dias mentia para si mesmo. Era como dar um tiro no próprio peito, talvez mentir estava lhe fazendo tão mal quanto o amor não correspondido.

Sentiu as mãos de Asher percorrer a sua cintura, acariciando o local com destreza e o seu corpo dava espasmos com os olhos fechados idealizando que ali fosse na verdade Finn Wolfhard. Era tão errado e se sentia tão mal por isso.

Em um movimento súbito, virou o seu corpo tomando os lábios de Angel, o beijando luxuosamente passando as mãos por todo o peitoral coberto apenas por uma camisa de botões e aos poucos os desabotoando lentamente, deixando o peitoral pouco definido a mostra.

-Não acho que deveríamos continuar. Eu preciso ir ao mercado comprar algumas coisas...

Asher impulsionou as suas mãos no abdômen de Jack o afastando. Tirado de seus próprios pensamentos, a sua ficha caiu sendo evidenciado de que estava beijando Asher Angel, o âncora de um tele jornal e não Finn Wolfhard. Aquilo de certa forma o entristeceu, pois sentia que aos poucos estava enlouquecendo por querer alguém que não sentia algo recíproco.

-Sim, eu acho que vou passar na casa do Noah... Eu não estou me sentindo muito bem.

Forçou um sorriso sentando-se no sofá cor creme. Por um breve momento suas pernas bambearam e assim que Asher pegou os seus pertences para ir ao mercado, aproximou sua mão na mesa de centro pegando o telefone em mãos, discando o número da casa de Noah e Jaeden.

-Alô? -Ouviu a voz de Jaeden soar no outro lado da linha e um suspiro saiu de seus pulmões. Foi um alívio, assim que Jaeden atendeu e Asher saiu de casa.

-Jaeden?! Sou eu Jack. Eu já cheguei em Los Angeles... Aliás, não estou aqui há tanto tempo. -Riu anasalado.

-Finalmente você voltou. Como foi a viagem? -A alegria do loiro o contagiava, até esquecia do verdadeiro problema.

-Péssima, não parei de pensar em Finn por um segundo.

-Parece que ele mexe mesmo com a sua cabeça. -Riu.

-Você não tem ideia...

-Vem aqui em casa, vamos conversar. Noah está no trabalho, mas nós podemos tomar um café da manhã... Enfim... Você que sabe.

-É claro que eu aceito.

Não deixou que Jaeden terminasse a sua fala. Imediatamente pegou a sua carteira, ouvindo a risada anasalada do outro.

- Ok, ok, mas antes passe por favor em uma loja de conveniência no caminho da minha casa e compre cookies de creme. Eu estarei fazendo o café.

Lieberher passou o endereço e Jack o anotou pedindo para que repetisse pelo menos umas três vezes já que não queria errar o caminho. Ele conhecia as ruas mas era com certeza melhor se prevenir. Em poucos minutos caminhando, percebeu que realmente os seus instintos estavam certos em dizer que não era tão longe, pois já podia perceber a pequena loja de conveniência no final da rua.

O cheiro de café com leite e croissants atravessava a esquina que chegava a deixar o seu estômago agitado.

-Bom dia. -Anunciou assim que abriu a porta ouvindo o som irritante do sino soar.

Céus... O cheiro do café da manhã parecia torturante. Não era a toa que a loja estava cheia em uma hora que deveria estar vazia. Pegou a caixa de alumínio com cookies e se dirigiu até o balcão do caixa.

-Hoje o clima está tão bom. Confesso que gosto do inverno. - Uma voz familiar banhada de tédio invadiu seus ouvidos.

Rapidamente o seu olhar que estava nas caixas de biscoitos em outra estante, focou-se na mulher do caixa.

Millie Bobby Brown... Reconheceria de longe o batom vermelho sangue e os strass na roupa por debaixo do avental.

-Millay? -Franziu o cenho sorrindo largo para a mulher que arregalou os olhos.

-Oh meu Deus, eu não acredito que você voltou. -Gritou sem conter a própria felicidade. -Ai meu Deus, me desculpa por não ter te visitado, é que eu passei a morar sozinha e desde que você foi embora eu comecei a trabalhar de manhã e estudar a tarde... Foi tão difícil pra mim... Eu vivo cansada, meu Deus me desculpa!

Falou tão rápido que se um beat ecoasse no fundo, poderia fazer um rap tão bom quanto o de '50 Cent. Ela declarava com pesar mas Jack estava feliz demais para pensar nos tempos em que passou triste sem a sua amiga... Millie teve seus motivos maiores e mais importantes.

-Ei, não precisa se desculpar, mas de antemão aceito suas desculpas. -Sorriu lançando uma piscadela para a morena.

Millie sentia vontade de abraçar Jack, porém sabia que não era bom fazer isso em meio ao seu expediente.

-Fico feliz que tenha voltado pra valer. Muitas coisas aconteceram nesses oito anos... Você não tem ideia. Precisamos marcar um dia de sair, só eu e você como nos velhos tempos. -Deu alguns pulinhos arrancando-lhe gargalhadas.

-Sim nós precisamos sair juntos. Como nos velhos tempos...

Logo o seu sorriso se desfez assim que seu olhar pousou em um dos jornais do dia que estava pendurado em uma das hastes.

"Lakers estão em primeiro lugar no ranking da NBA."

Embaixo da manchete, a foto grande de Finn estava estampada quase que tomando conta da metade da folha enquanto fazia uma cesta. Os cachos negros caíam sobre seus olhos e o suor brilhava em sua pele quente e macia.

-Ele é um idiota... -Murmurou a mulher encostando o cotovelo na bancada.

-Você ainda é amiga dele? -Desviou o olhar antes que as lágrimas caíssem.

-Sou sim. Ele sempre vai em minha casa... Antes ele morava em Altadena, mas agora mora em Beverly Hills então está me visitando com mais frequência. -Deu de ombros. -Mas não é pelo motivo de ser amiga dele que tenho de concordar com todas as escolhas dele. Acho horrível o que ele fez com você, para uma pessoa que dizia sentir "amor verdadeiro" foi o cúmulo.

-E-ele fala de mim?

Com a voz falha, xingou-se mentalmente por ter gaguejado.

-Desde que foi para o Michigan o seu nome não saiu mais da boca dele. Ele te esqueceu completamente, me sinto mal por ele estar com Karlie, mas ela até que é uma pessoa legal.

"Ele te esqueceu completamente", ecoou pela sua cabeça, talvez devesse fazer a mesma coisa por mais que fosse difícil. Seus olhos marejaram e sua mão apertou a sacola entre os dedos tentando se conter.

-Mas o importante é que eu superei tudo isso. -Forçou um sorriso.

-Ainda bem... Se não eu nem iria te chamar para o jantar que vai acontecer na minha casa. -Brincou com um sorriso.

Jack engoliu o seco e fez a sua mais falsa expressão contente. Um jantar entre amigos não faria mal algum...

-O Finn vai estar lá com Karlie, Noah vai com Jaeden e agora você pode ir. -Sorriu.

-É claro que eu vou. -Mordeu o lábio inferior. -Hm Mills, eu preciso ir Jaeden está me esperando com os cookies.

Despediu-se da amiga e bateu a porta da loja de conveniência soltando todo o ar preso dentro de si.

"É apenas um jantar"

Repetiu para si mesmo como um mantra, acreditando que não haveria nenhum mal em encontrar Finn. Aliás tinha que superá-lo.





Notas Finais


Jack todo trouxa apaixonado

Q q será q vai rolar no jantar?
#QueremosFack fkskdjsksk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...