1. Spirit Fanfics >
  2. I Hate U - FACK >
  3. Six - I Liked

História I Hate U - FACK - Capítulo 6


Escrita por:


Capítulo 6 - Six - I Liked


-A pergunta correta é, oque você faz aqui. Em momento algum eu te dei permissão pra me seguir ou bisbilhotar o que eu faço da vida, quem você acha que é? Me persegue na escola e ainda tenta frustar a minha vida fora dela? Cara, você não cansa? -Noah abaixou a cabeça um tanto envergonhado, engoliu o seco e se sentiu mal por ter sido pego com outro homem, ainda mais esse homem ser um do seus melhores amigos.

Na voz de Jack tinha o pesar de raiva mas também demonstrava piedade, ele pedia por paz e misericórdia, naquele momento não queria brigar com Finn, apenas pedia que o deixasse em paz, misericórdia era o que ele pedia. Sentiu os seus dedos ficarem trêmulos mais uma vez naquele dia e sentiu vontade de desabar, talvez o medo naquele momento havia o pego de surpresa, tinha medo de Finn contar a todos que na verdade o tão invejado pelos homens e desejado pelas mulheres era gay.

Jack não entendia o motivo de Finn o perseguir desde o primeiro dia que se entre olharam, mas em sentimento recíproco Jack revidava suas provocações por mera defesa, aliás por mais que fos9se um perfeito playboy tirano e totalmente mimado, não era de brigas, não sentia prazer e por incrível que parecesse ele não sentia o prazer em brigar.

Os olhos de Wolfhard queimavam como fogo e nem ele mesmo sabia identificar o que estava sentindo naquele momento, era um misto de raiva e cobiça, ele se sentia ambicioso para estar no lugar de Noah e seu sub consciente o xingava, não queria aceitar dentro do si que desejava Jack Dylan Grazer com todas as suas forças e estava sentindo uma pontada de ciúmes por ver o seu inimigo pronto a beijar outra boca.

Ainda observando ambos, Noah não sabia como agir, já havia visto inúmeras vezes brigas dos dois, e já tinha reparado milhares delas. Mas naquele momento tudo era diferente, as coisas eram mais delicadas, o assunto era diferente e queria tentar entender o porquê de Finn ter o seguido até ali, talvez eles tivessem um envolvimento e o amigo não teria contado?

-Jack, eu preciso ir. -Sussurrou Noah com os olhos fixos no chão sem ter coragem o suficiente para encarar os dois, e sem esperar uma resposta firme ele deu as costas saindo rapidamente do local, deixando a sós somente Finn e Jack.

-Por que mentiu Jack? -Os olhos de Finn pareciam estar mais calmos, mas assim como a brisa que tocava em seus corpos, seu olhar parecia gelado e totalmente vago.

Com o olhar sem conseguir focar em pontos fixos, diante daquela situação ele também se sentia nervoso, sentia vontade de ter os toques do castanho em si mas sentia a enorme vontade de ficar sozinho. Parecia que de longe o seu quarto o chamava como uma linda voz doce feminina cantando de longe, só pedia pela sua cama, suas pernas estavam bambas e se não fosse pela parede de tijolos do local, provavelmente ele estaria no chão.

-Finn, eu não devo satisfação a você, eu já lhe disse isso antes. -Com o olhar misericordioso pedindo por algo que Finn não identificou Jack passou por ele deixando com que seus ombros se chocassem, mas bruscamente Finn virou-se de costas e segurou fortemente o pulso do menor agora à sua frente, observou a pouca luz à sua volta e viu que a única fonte que os iluminavam era a luz do luar. A lua cheia dançava no céu azul escuro da noite deixando o olhar de ambos mais profundos e enigmáticos que nem mesmo se os próprios olhassem seus reflexos no espelho conseguiriam se entender.

Os lábios rosados de Jack estavam entre abertos e as sobrancelhas juntas tentando desvendar toda aquela situação complexa, era tudo tão complicado para tentar entender em apenas alguns minutos ou míseros segundos.

A mão trêmula e levemente úmida pelo nervosismo segurava tão firme o punho do menino que ele sentia uma pontada de dor, mas nada que não pudesse aguentar. Em um movimento contínuo ele alavancou seu braço com força para se soltar do toque repentino do moreno mas não conseguiu.

-Eu não quero brigar... -Finn não deixou seus olhares se cruzarem, de forma totalmente descarada encarava a porta dos fundos do clube de boliche, não queria se aprofundar nos olhos castanhos do menor.

-E muito menos eu, só queria paz. Que você parasse de implicar comigo. -De alguma forma, Jack parecia vulnerável, aquelas palavras estavam sendo sinceras e ele também conseguia arrancar sinceridade de Finn.

-Só me fala, o porquê você mentiu? Por que me falou que não tinha interesse em homens e a pouco tempo atrás ia beijar o Schnapp?

Franziu as sobrancelhas e sua testa se enrugou, afroxou um pouco seus dedos no pulso do menino e viu o mesmo morder o canto de suas bochechas em um gesto nervoso. Engoliu o seco e sentiu uma onda de ciúmes percorrer seu corpo, talvez um pouco de tristeza também o invadia.

Não sabia o motivo disso tudo já que nem mesmo as meninas com que ficava mexia tanto com seu psique desse jeito e em questão de pouco tempo Grazer já bagunçada todo o seu corpo da cabeça aos pés até aos neurônios e nervos. Por mais que ainda visse o ódio emanar através dos olhos de Jack, ainda conseguia enxergar o quanto ele é atraente.

-Eu não devo explicações a você. -Respondeu Jack simplista mas assim que Finn viu que o menino entre abriu a boca para começar outra frase, ele tomou os lábios do garoto para si.

Sua mão esquerda que antes segurava fortemente o punho direito do menor agora suas ambas mãos seguravam de maneira delicada o maxilar de Jack.

Os olhos do menor estavam arregalados, ele sentiu uma onda de calor percorrer por todo o seu corpo, um arrepio diferente passou pela sua espinha como se tivesse levado um choque fortíssimo, assim como imaginou os lábios de Wolfhard eram totalmente macios, gostosos e se assemelhando com pedaços aveludados de ceda.

Delicadamente os dedos finos de Jack pousaram com muito receio sobre a nuca de Finn segurando levemente alguns fios de cabelo presentes ali no local, ouvindo um gemido em aprovação do maior ele se sentiu feliz por isso e sabia que estava fazendo a coisa certa. Sua outra mão foi para a cintura de Finn e o segurou com certa força como se não quisesse que ele fugisse e sentia coisas estranhas invadirem seu corpo, era como se dentro de si estrelas estivessem nascendo e um big bang estivesse dando origem de quem ele realmente é... A verdade é que ambos estavam adorando aqueles toques, aqueles beijos e aquelas carícias.

Ainda bastante tímido Jack deixou que Finn aproximasse o corpo do seu, seus peitorais se chocaram e a língua quente de Jack adentrou a boca de Finn explorando deliciosamente cada canto da boca do menino como se fosse um marinheiro desbravando o oceano em alto mar, ele queria mais, queria ter mais de Finn em seus braços e aquilo estava bom demais pra acabar por ali tão rápido.

Finn pendeu sua cabeça para o lado agora escorregando suas mãos para a nuca do menino aprofundando o beijo, suas línguas se tocavam de uma maneira diferente e ambos sentiam sensações novas percorrendo em seus corpos, algo totalmente diferente que não tinha como explicar, os lábios de Jack eram totalmente hábeis, maleáveis e parecia se encaixar perfeitamente com o do moreno a sua frente.

O beijo que antes era lento aos poucos foi se transformando em algo mais rápido, suas línguas se cruzavam perfeitamente e eles gostavam da sensação que estava sendo tudo aquilo.

Lentamente Finn foi guiando o corpo menor de Jack até a parede deixando-o completamente rendido, sem parar o beijo escorregou suas mãos grandes até a cintura fina do garoto apertando vagarosamente dedilhando suavemente o local, pressionou o seu quadril pra frente e deixou com que sua ereção grande e já totalmente visível tocasse a coxa direita do menino.

Em um arfar entre o beijo sentiu que ele havia gostado, mas em um movimento brusco Jack espalmou suas mãos firmes no peitoral do moreno e o empurrou minimamente separando os seus lábios mas ainda grudados por um fio de saliva.

Por um momento Finn o observou e pode perceber os seus olhos luxuriosos, agora passavam um ar totalmente diferente do que dos outros encontros raivosos que tinham tido. Os olhos estavam brilhantes emanando vontade de ter os lábios do moreno novamente, ambos os corpos queimavam como brasas de fogo.

Mais uma vez Finn abaixou sua cabeça até ficar na altura dos lábios de Jack mas foi impedido pelo mesmo que o empurrou mais forte agora.

-Não. -O menor disse alto e autoritário deixando os olhos de Finn arregalados, automaticamente ele engoliu o seco e sentiu medo. Será que ele beijava mal?

-Você não gostou Jack? -Um sorriso sugestivo surgiu no canto dos lábios de Finn e seu oeito subia e descia euforicamente, um misto de sensações pairava por todo o seu corpo e não sabia identificá-las.

-Eu não deveria... -Antes que Jack terminasse a frase ele se desvencilhou dos toques de Finn e voltou para o clube pela porta dos fundos.

E ele ficou ali, parado, estático tentando entender tudo que havia feito ali nos fundos do clube. Se perguntava oque Jack queria dizer com "eu não deveria", ele não deveria ter gostado ou ele não deveria ter o beijado?

Se a resposta fosse a segunda opção ele não se assustaria já que sempre foi uma péssima pessoa para Grazer.

Respirou fundo e olhou para os céus observando novamente a lua que os iluminavam a pouco tempo, sorriu e por um momento se sentiu feliz por ter beijado os lábios que estava desejando, mas com certeza aquela não iria ser a última vez. Dentro do seu peito algo ainda dizia para continuar odiando Grazer mas outra parte só conseguia pensar em quanto os lábios do menino eram bons, lábios macios com um gosto indescritível, a forma com que a língua do menino se encaixava com a sua era inexplicável e ele havia gostado.

Havia gostado tanto que sentia ódio de si por ter amado a sensação de ter o corpo pequeno de Jack ali consigo, a forma com que ele se encaixava perfeitamente no corpo do moreno, o fascinava. O corpo que ele tanto cobiçava, agora à poucos segundos atrás estava ali colado ao dele, como se fossem um só.

Jack por sua vez sentia o seu coração acelerado, a sua cabeça parecia voar no universo, agora no universo de Finn Wolfhard. A sensação das mãos firmes o segurando na cintura, ultrapassou todas as suas expectativas, agora ele sabia que beijar um homem é extremamente gostoso e era mais gostoso ainda quando esse homem é Finn Skata Wolfhard.

Sentou-se em um dos bancos enquanto Chosen, Jaeden e Noah jogavam uma partida de boliche, os ignorou completamente e abaixou a cabeça passando a mão bruscamente pelos seus cabelos... Ele não deveria ter gostado tanto de ter beijado aquele idiota.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...