História I Hate U, I Love U - Capítulo 36


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), TWICE
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Nayeon, Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Sana, Tzuyu
Tags Bangtan Boys (BTS), Diganaoasdrogas, Diganaoaviolencia, Jungkook, Kookie, Romance, Shoujo
Visualizações 14
Palavras 4.042
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


*Fotenha do Taetae pro 6*
Zentiiii
Comentem por favor!! Senão fica difícil de saber se estão gostando sabe... Sou muito carente de críticas kkk

Boa leitura 😘😘😘

Capítulo 36 - Persuasiva


Fanfic / Fanfiction I Hate U, I Love U - Capítulo 36 - Persuasiva

- Joy, vamos?  -  Tae falou abrindo a porta de seu Volkswagen preto para sairmos do carro e irmos para um restaurante de comida Italiana. 


- Pode estacionar o carro, eu vou entrar e já ir pedindo os pratos tá bom?! 


- Ok, mas eu pago!  -  ele falou e eu ri entrando no local. Me sentei numa mesa para dois mais distante da saída, que era uma das únicas livres.


Depois de uns minutos ele entrou e foi pedir algo para o garçom e logo veio se sentar.


- Oque pediu?


- Champanhe


- Tae! Ainda somos menores de idade!


- Mas o garçom não sabe disso, e um pouco de álcool não mata ninguém  -  ele falou tomando um gole do refrigerante que já havia pedido antes.


- O Jungkook nunca faria isso  -  sussurrei mas ele escutou e ficou chateado  -  Desculpa Tae, mas eu não gosto de tomar nada com álcool, tenho péssimas experiências com álcool 


- Tudo bem, mas eu quero te fazer se esquecer do Jungkook entendeu?! Só tenta não pensar nele por enquanto ao menos.


- É algo inevitável, mas vou tentar ao menos não falar dele, agora vamos comer


Logo nossos pratos chegaram, pedi um filé a parmegiana para dois e também dois Petit Gateu de sobremesa. Foi muito bom, mas quando fomos pagar a conta houve uma pequena discussão até ele deixar que eu pagasse tudo.


- Preciso falar uma coisa... Na verdade fazer um certo pedido  -  ele falou com a voz meio mole por conta da bebida  -  E é por isso que eu pedi o Champanhe, porque não conseguiria te falar isso sem estar alcoolizado antes.


- Tae, é melhor irmos embora, você está bêbado! 


- NÃO! Primeiro eu vou falar oque tenho para falar, Shiiiu


- Nunca mais te deixo beber viu Oppa


- Oppa? Engraçado, é estranho ser chamado de Oppa, parece que está me iludindo... Mas enfim... Quer ir ao Baile de Formatura comigo?


- Oque?


- Eu já queria pedir antes, mas você estava namorando com o Jungkook, então não tinha como... Mas agora você está livre, então por favor aceite meu pedido!


- Eu nem sei se quero mesmo ir nesse tal baile


- AAAH MAS VOCÊ VAI! PRECISA SE DIVERTIR PARA ESQUECER ESSE TAL JEON IDIOTA BOBÃO TONTO BABACA QUE PERDEU A MULHER MAIS LINDA DO MUNDO JUNGKOOK. É ISSO


- Shiiiu para de gritar  -  ri de sua carinha caída de tão bêbado que ele estava  -  Mas respondendo sua pergunta, eu vou sim com você, não tenho mais nada pra fazer mesmo...


- Sério?!... EBAAAAA!!! EU VOU NO BAILE COM A MULHER DA MINHA VIDAAAAA  -  ele levantou e passou a gritar me fazendo passar a maior vergonha.


- Taehyung, vamos embora agora mesmo!  -  falei me levantando e puxando seu braço até a saída. Quando fomos pegar seu carro ele ia entrar no lado do motorista eu o empurrei.


- Eu preciso dirigir, quer ir para casa como?


- Nós vamos de carro, mas quem vai dirigir sou eu


- E com que carteira de motorista?  -  retirei a mesma do bolso.


- Com esta aqui, agora vai para o outro lado! E não grita!


Durante o caminho ele ficava cantarolando músicas aleatórias sorrindo o tempo inteiro.


- Sabia que eu te amo?! Desde o dia que te vi ajudando o Namjoon me apaixonei de cara, você é muito boazinha, e eu só pedi para me dar aulas de reforço para ficar mais tempo com você do que o seu namorado. Até ele ter uma crise de ciúmes e terminar para eu ficar com você!! Meu plano é perfeito  -  fiquei extremamente chocada com oque ele falou e até imagino todas as baboseiras que falei para o Kook quando estava bêbada...


- TAEHYUNG!!! Isso tudo foi de propósito?!


- Claro, eu sei exatamente como calcular o valor da hipotenusa, com certeza sei toda a história da separação da Coréia, sei muito bem como fazer uma redação e definitivamente sei todos os países do mundo... Eu não sou burro. Mas me fiz de burro para me aproximar de você meu amor.


- Taehyung, eu nunca mais vou te ajudar em nada!


- Não por favor, não me deixe, sou apenas um bobo apaixonado


- Chega, cala a boca, vou te levar pra casa e cuidar de você, amanhã conversamos.



...



- Quem bateu na minha cabeça?  -  ouvi a voz sonolenta do Tae se levantando da cama enquanto eu tomava um chá sentada na ponta da cama assistindo TV.


- Bom dia... É, por acaso se lembra de algo que disse ontem?


- Como assim? Oque aconteceu ontem?... E porque eu não estou na minha cama e porque você está aqui? OQUE EU FIZ?  -  perguntou desesperado e eu ri aliviada, provavelmente aquela declaração foi só um surto sei lá.


- Você bebeu muito para me pedir para ir ao baile, oque não faz sentido, mas é a história  -  falei então finalmente ele se levantou e foi ao banheiro lavar o rosto.


- Ah, não me lembro, enfim, estou com fome. Oque tem para o café?


- Café? Já são duas da tarde, você acordou muito tarde mocinho  -  falei e ele arregalou os olhos e veio até mim fazendo birra e resmungando.


- Mas eu tenho fomeeee! Dongsaeng!  -  fazia um biquinho extremamente fofo então vencida por sua fofura me levantei e toquei em seu narizinho sorrindo.


- Você venceu. Vamos descer e eu preparo algo para você Taetae. Mas vamos fazer um combinado: Chega de álcool! Certo?  -  falei apontando meu dedo em seu rosto então ele riu fofo e quase caiu em mim para me abraçar.


- Joy-ssi... Você é a melhor amiga do mundo sabia?!  -  falou até eu empurrá-lo e descemos juntos para a cozinha. Mia hojee está de folga então tenho a casa só pra mim.


Na cozinha, eu estava cozinhando enquanto ele ajeitava a mesa para almoçarmos. Estava muito calado por sinal algo bem estranho e longe de seu feitio.


Durante o almoço ele também mal me olhava, é estranho almoçar num silêncio, normalmente os almoços com a Mia são bem animados.


- Eu estava pensando numa coisa. Você mora sozinha e dirige com 16 anos?  -  ele falou de repente me fazendo soltar uma risada alta pelo susto.


- Na verdade não moro sozinha, minha Omma mora comigo e a carteira eu consegui mais cedo porque comprei ela, as vezes o dinheiro é usado de formas erradas, mas fazer oque né...


- Calma calma, a sua Omma está viva?


- Não não, é a Mia, ela é tipo minha babá, cuida de mim desde antes de nascer e virou uma grande amiga e também é minha cozinheira. Omma é uma forma carinhosa de chamá-lo.


- Então realmente você é órfã. Não tem nenhum parente m avós, tios, primos?


- Devo ter da parte da minha Omma mas não os conheço, eles são todos americanos.


Depois dessa breve comversa, o silêncio se instalou novamente. Mas logo terminamos de comer e fomos para o meu quarto. Peguei meus materiais escolares e fiz algumas lições além de corrigir as dele.


- Eu vou voltar para casa, combinei de levar minha irmãzinha no cinema hoje a noite e se eu não levá-la minha Omma me mata


Ri e assim o levei até a saída. E finalmente me dei conta de que o Jungkook nem apareceu nesta casa.


Ele deve estar com sua noiva perambulando por Seoul ou até dormindo com ela, aiishh não quero nem pensar nisso.




Eu detesto montar provas!


Definitivamente foi minha pior escolha ter aceitado ajudar o Tae... Não aguento mais, já é quase meia noite e eu ainda nem terminei de corrigir suas lições.


- KIM JOYCE! ABRE AQUI!  -  escuto gritos do lado de fora, resolvo olhar a já ela e lá está ele, Jungkook estava parado em frente a minha porta enquanto a piriguete da Grace estava no carro dele mexendo no celular.


Desci correndo e abri a porta, ele nem me olhou, apenas entrou como um furacão e foi em direção ao seu quarto quase correndo.


- Oque você vai fazer?


- Vou voltar para casa, não é isso que você quer? Distância?! Bom...vou pegar apenas o principal, amanhã volto para pegar o resto.


Ele apenas pegou uma mochila, a colocou nas costas assim indo em direção a porta.


- Calma, você não vai mesmo tentar me impedir? Eu estou indo e não pretendo voltar okay?!  -  ele falou me olhando estranho, como se aguardasse que eu fosse até ele mas apenas dei dois passos e parei.


- E de que adianta? Vai lá, seja feliz com sua noiva. Adeus  -  falei voltando para trás correndo e logo depois escutei o barulho alto da porta batendo, assim paralisada caíno chão.


"PORQUE EU CONTINUO MENTINDO SOBRE MEUS SENTIMENTOS SE EU O AMO TANTO PORRA??!!!?!"


Não pude dormir o resto da noite, literalmente apenas fiquei olhando para o teto sem parar, e se possível queria ficar para sempre apenas assim.


Quando fechava meus olhos apenas sentia o corpo quente do Jungkook ao meu lado me abraçando e me transformando numa bonequinha de pano em suas enormes e acaloradas mãos.


Eu preciso esquecer isso, por mais difícil, a semana de provas está aí e agora estou no comitê do baile. Tenho outras coisa para focar agora!




...



<<06:08am>>


Uma ligação me assustou quando tinha finalmente adormecido a poucos minutos.


Ligação ON


- Alô?!

- JOY VEM PRA ESCOLA AGORA!!

- Porque? São seis da manhã Jimin!

- Você não quer ajudar a organizar o Baile? Então, vai ter uma reunião entre a diretora e os organizadores daqui meia hora

- Nem sei mais se quero mesmo ajudar, mas se insiste, eu vou, só vou me arrumar rapidinho, me espera na porta da escola por favor?!

- Porta da escola? Eu tô na porta da tua casa, vem aqui logo está frio. Tchau


Ligação OFF



Ele desligou rapidamente e eu ri por ele estar na porta da minha casa sem nem me avisar antes.


Vesti uma calça jeans preta com rasgos no joelho, uma camiseta com o desenho do Hamtaro (respeita a criança que habita dentro de mim) e uma jaqueta jeans por cima e logo corri para atender a porta.


Assim que abri a porta, vi o Jimin com os braços cruzados e tremendo de frio quase.


- Finalmente, pensei que ficaria aqui para sempre... Oque tem para o café?  -  falou entrando e indo em direção ao sofá


- Você é muito folgado Senhor Park  -  falei e ele apenas se virou e rio da minha reclamação. 


- ABRE A PORTA!!!  -  ouvi uma voz bem familiar enquanto fechava a porta, logo a abri e vi o Yoongi correndo com sua bicicleta em mãos, ele passou pela porta que nem vi de tão rápido.


- Oque você está fazendo aqui?


- Eu também vou na reunião, e o Jimin me chamou pra cá... Tem como a Mia fazer um chocolate quente para nós?  -  ele falou indo dar um abraço no Jimin.


- Ela ainda está dormindo, mas se quiserem eu faço  -  falei e ele correram para a cozinha  -  SÓ AVISO QUE PRIMEIRO VOU TERMINAR DE ME ARRUMAR  -  gritei pois eles já estavam longe e escutei suas reclamações de longe mas logo subi para meu quarto.


Arrumei minha mala pois da reunião já iria diretamente para a aula e se tiver um tempo livre mais tarde pretendo dar uma passada na empresa. Desde que fiz aquela confusão de cancelar a tal reunião para definir o novo diretor eles já devem ter definido algo. 


E eu tenho bons argumentos para tomar aquela empresa de volta. E também despedir muitas pessoas daquele lugar, sigilosamente fiz algumas investigações enquanto o Jungkook estava internado.


E consegui muitas provas de que aquela empresa é mais corrupta do que imaginava. Meu Após era apenas uma pequena peça de todo o plano de falir a fábrica.


Assim que tomamos o chocolate quente fomos no meu carro para a escola quase que correndo. Na escola haviam algumas pessoas dos 3° A, C e D que ajudariam também.


Foi uma reunião cansativa, tivemos que anotar todas as regras e avisos da chata da diretora e a sua irmã vice-diretora, que para mim nem deveria ser considerado nepotismo, mas a hierarquia escolar não me deixa opinar em nada.


E assim que terminou tudo fui para a sala, e quem encontro lá? No fundo vejo Jungkook mexendo no celular sorrindo feito bobo e na frente o Tae respondendo uma de minhas últimas lições.


Me sinto envergonhada quando ao mesmo tempo os dois passaram a me observar. Tae sorria para mim e apontava para uma mesa que ele já havia preparado ao seu lado para mim, enquanto Jungkook fechou seu sorriso e tentou disfarçar que estava me olhando também.


Logo me sentei ao lado do Tae e ele me entregou as lições que tinha feito e avisou que estava terminando a última, agora só preciso corrigir elas, entregar aos professores e terminar de fazer a prova dele para que amanhã ele faça e finalmente tudo isso acabe, pois do jeito que é apressado, não aceitou a semana de folga.


Após terminar de corrigir todas as lições, as levei para cada professor e voltei a tempo, pois até agora ainda não deu o sinal para o início das aulas. Tae chega mais cedo na escola para fazer as lições e o Jungkook sempre gostou de chegar cedo, menos quando eu me atrasava... Mas isso não vem ao caso.


A aula no geral foi tranquila, principalmente por eu ter que sair da sala inúmeras vezes para organizar algumas coisas do baile e também fazer as lições que os professores passavam como revisão para a prova.


- Eii, você vai mesmo ter tempo para curtir o baile? Porque pelo que vejo você só pensa em organizar ele  -  o Tae me perguntou enquanto caminha anos até a saída da escola, mas antes que eu o respondesse escuto a voz do Jimin me chamando para nós reunirmos pela vigésima sexta vez hoje.


- Até amanhã Tae  -  falei ao sair correndo até o grupo onde estavam todos os colaboradores.


- Nós temos que cancelar o uso da quadra de basquete e começar a organizar ela seguindo a planta baixa que a professora de geografia fez para ajeitamos exatamente do jeito que a Bruxa Mor pediu  -  o Jimin falou ao grupo, e como bons debochados que somos, Bruxa Mor é o apelido carinhoso dado a diretora por nós.


- Eu dei uma olhada e não demora muito, se todos organizarmos hoje teremos o resto da semana livre pra estudar... Então vamos nos separar por salas, Ryujim pode fazer um esquema para nós  -  uma aluna falou se referindo a outra que já havia organizado uma lista de afazeres para cada um.


- Claro, Turma A interditará a quadra e cuidará de retirar os artigos esportivos de lá deixando tudo livre, Turma B organizará todas as mesas e cadeiras que usaremos tanto para a mesa de alimentos quanto para o local onde os formandos sentarão e farão um orçamento com  DJ's para mostrar a diretora uma tabela com os preços mais acessíveis e Turma C cuidará de todo o resto, ou seja, a decoração, alimentos e afins. E quando cada turma terminar seus afazeres podem auxiliar as outras ok?! Então ao trabalho!


Ao final das ordens passamos a nós separarmos. Eu, Suga e Jimin montamos uma tabela para preencher com as pesquisas sobre os DJ's.


- Gente, o Hoseok e a Nay estão na porta da escola, eles vão nos ajudar   -  o Jimin falou e eu fiquei feliz, pois teria uma ajudinha a mais.


Logo o Jimin voltou com eles dois. A Nay acabou que ficou de me ajudar com o DJ enquanto os meninos contavam certinho e pegavam cadeiras e mesas de salas vazias.


Ficamos pelo menos duas horas nisso, os meninos pegaram todas as coisas e deixaram em um canto da quadra enquanto o pessoal da Turma A deixava tudo limpo para organizarmos, e enquanto eu fazia ligações a Nay organizava a tabela com preços e telefone de acesso. 


Em pouco tempo havíamos praticamente terminado nossa parte. Mas foi uma pena que tivemos que escapar um pouco da bagunça das crianças do período da tarde que insistiam em atrapalhar nosso trabalho. Fala sério, será que só o ensino médio que rala nessa escola? Pois aparentemente o ensino fundamental só sabe bagunçar e correr o tempo inteiro.


Levamos a tabela até a diretora que disse que avaliaria os preços e amanhã nos daria uma resposta e o dinheiro para pagar o DJ escolhido.


E assim finalmente estamos livres para ir embora para casa. Quero dizer, eles vão para casa, porém eu tenho assuntos empresariais a serem tratados.


Assim que deixei meus amigos em casa fui quase que correndo e nem prestando atenção direito nos semáforos para a fábrica. Quando cheguei lá, coloquei uma jaqueta preta e fiz um coque no cabelo que me deu uma perspectiva mais séria, mesmo que ainda estivesse com o uniforme. Isso pode ser útil.


Entrei lentamente com cautela para que não notassem muito minha presença.


- Bom dia  -  falei para a recepcionista que já conhecia de outras vezes que vim aqui   -  Tenho uma reunião com o Senhor Kang, pode avisar que é a Senhora Kim, ele vai saber quem é.


Ela logo pegou o telefone e ligou para ele.


- Ele está a sua espera Senhorita Kim.


Ao receber um crachá pude entrar de fato na empresa que não mudou nada, apenas grande parte dos funcionários diminuíram, realmente muita gente desapareceu, antigamente era visto pelo menos seis pessoas andando em cada corredor, agora se vê uma ou outra alma viva perambulando por aí. Fui em direção ao elevador com mais umas três pessoas e subi até o último andar.


Dei passos largos e velozes pelo corredor no qual me lembro muito bem até chegar em uma porta onde havia o nome do Sr. Kang escrito na porta.


Entrei e lá havia uma moça bem jovem, diria que estaria na escola pelo seu rosto de criança ainda. Ela ajeitou seu casaco e sorriu me cumprimentando.


- A Senhorita seria... é...Kim Joyce?  -  perguntou ao olhar seu computador procurando meu nome então assenti e ela apontou para que eu me sentasse numa poltrona.


- Este lugar parece estar mais vazio que dá última vez que vim aqui...  -  comentei e ela assentiu frustrada.


- É, houve uma onda de demissões mês retrasado, e também soube que o lucro da empresa diminuiu muito esses últimos meses, soube da morte do antigo dono? Foi bem sério pelo visto acho até qu...


- Ela sabe muito bem de tudo que aconteceu, até porque ela é a filha do mesmo  -  Senhor Kang surgiu de repente cortando e assustando a secretária que corou e voltou a mexer no computador com a maior cara de culpa  -  Você deveria fofocar menos e trabalhar mais não acha Senhorita Lee Eun-bin? 


- Não seja tão duro com sua secretária, apenas estava sendo educada   -  falei me levantando e o encarando com certa seriedade apesar de defender a pobre coitada.


- O-obrigada senhorita  -  me agradeceu ainda de cabeça baixa 


- CALE A BOCA E VOLTE AO TRABALHO! mais tarde resolvemos isso secretária  -  ele falou passando uma mecha de seu cabelo para trás da orelha e seu rosto corou mais ainda.


- Podemos entrar?  -  falei após pigarrear para chamar sua atenção então ele deu um passo para o lado para que eu entrasse em sua sala.


Ao entrar vi o quão grande era aquele lugar, havia um frigobar, um banheiro, um sofá, e oque mais me chamou atenção, seu paletó jogado no chão e o sofá de couro todo amassado.


- Agora podemos conversar com mais calma...  -  falou entrando e fechando a porta, me dirigi a uma cadeira em frente a sua mesa assim como ele fez o mesmo.


- Você deveria ter vergonha... Isso é quase que pedofilia  -  soltei o assustando


- Como assim?  -  perguntou confuso.


- Transar com sua secretária. Acha isso certo? Pelo que vi ela deve ter no máximo vinte anos, e você apesar de manter a forma, já tem quase cinquenta anos, deveria se envergonhar  -  falei e ele arregalava cada vez mais seus olhos.


- Como ousa falar isso de mim garotinha?  -  ele falou bravo e eu soltei uma pequena e contida risada debochando.


- É só averiguar os fatos. Você foi grosso e depois acariciou a ela que visivelmente tem medo de você apesar de aparentar gostar muito de subir de emprego apenas por satisfazer um velho; seu paletó está jogado no chão; o sofá está todo amassado; fora o fato de a calcinha dela estar jogada em baixo da sua cadeira, erros muito bobos e comprometedores... Posso ser apenas uma "garotinha" mas sou muito mais esperta do que supõe Senhor Kang Hee-chu  -  falei sorrindo ironicamente oque estava com certeza incomodando a ele.


- OQUE VOCÊ QUER AQUI GAROTA? É POR ACASO UM FANTASMA DO SENHOR KIM VINDO ME ENCHER O SACO?  -  gritou já sem paciência e eu voltei a rir me levantando.


- Eu apenas quero o que é meu por direito: essa empresa!  -  falei e ele riu alto.


- Você acha mesmo que tem direito a algo daqui? Isso aqui não pertence a mais ninguém da família Kim. Sabe o quanto seu Appa fodeu com essa empresa? Você tem é que ficar longe daqui garota.


- Tolo! Eu tenho de tudo para ter essa empresa para mim, e se quiser podemos abrir um acordo bem amigável pelo menos para você.


- Como assim?  -  peguei uma série de documentos, fotos e outras coisas que incriminam a ele e toda a área mais poderosa e corrupta dessa empresa.


- Eu tenho muitos motivos para por todos vocês na cadeia, agora até posso acabar com o seu casamento, pois com certeza sua esposa acreditaria em mim né, me lbro bem dela gostar muito de mim desde criança... 


- TÁ! Tá bom. Nós podemos ter um acordo...  -  falou a contra gosto e eu recolhi todos os papéis que ele ainda examinava.


- Ótimo... Te dou duas escolhas: me deixar ocupar o cargo do meu Appa e permanecer com todos os cargos e inclusive seu casamento assim como estão. Ou você pode me expulsar e eu exponho tudo que você tem a ver com o caso do meu Após, todas as vezes que deu dicas, documentos secretos e auxiliou a acumular todo o dinheiro e ainda ser traído por ele que só te usou, enfim, posso expor todos esses fatos comprometedores. E além disso, sei de coisas que podem te machucar muito se acabar fazendo algo que não queira.


- A PRIMEIRA OPÇÃO, PRONTO! SATISFEITA? Vamos fazer uma reunião e depois que terminar sua escola poderá ocupar o cargo do Sr. Kim enquanto faz faculdade... Feliz?


- Não sabe o quanto... É, a propósito... Porque tantas pessoas foram demitidas?


- Envolvimento com seu querido paizinho... Todos foram investigados. E também devem muito dinheiro para a empresa.


- A cada segundo me surpreendo mais com o quão más são as pessoas... E esse caso aqui na sua sala é uma grande ironia..


- Porque? Oque você sabe que tenta esconder?


- Sabe o emprego que sua filha arranjou?! Se eu fosse você desconfiaria bastante do chefe dela... 


- Como você consegue saber disso tudo? Oque você quer com isso?


- Quero que saiba que eu sou mais perigosa do que aparento. É apenas um aviso, não vou dar mole para vocês. Estarei dando uma chance de mostrarem que podem ser menos corruptos, mas qualquer deslize eu acabo com cada um de vocês assim!  -  estalei os dedos demonstrando "pouco tempo". Ele tentou disfarçar seu susto com minha bravura e cedeu as minhas chantagens.


- Você realmente é filha do seu pai... Persuasiva e insistente igualmente! 


- É... Ele só tem um diferencial... Foi chegado pelo dinheiro e por isso perdeu tudo, desde a esposa até sua própria vida  -  falei saindo rapidamente da sala, fiz uma pequena reverência a secretária e saí quase desfilando da empresa, cruzei com algumas pessoas conhecidas mas não dei nenhuma importância. Apenas segui como se fosse intocável até a saída.



- Esse lugar ainda vai me ver muito! Me aguarde.


Notas Finais


Uiiii, toda poderosa né kkk
Mas e esse casal problemático ae? Quando será que rola um beijinho de desculpas
E até outras coisinhas a mais...
*MYSTERY*

Obrigada por lerem 😘😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...