História I Hate You, Demon - Capítulo 6


Escrita por:

Visualizações 89
Palavras 3.377
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo-Ai
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Suicídio, Transsexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


OIE CHUCHUS
Eu deveria ter postado esse capitulo ontem, só que a eguá aqui sem querer apagou o capitulo e teve que escrever tudo de novo, acontece com qualquer um rsrs

Bem, sobre o capitulo:
Eu acho que esse é um capitulo bem importante pra historia, pois acaba falando sobre algo importante sobre 3 personagens, acho que um deles vai ser o mais difícil de notar por agora, mas se acalmem que assim como fiz com o Ash, nos próximos capítulos estará tudo "explicado"

Ah, nesse capitulo também aparece uma personagem que foi muito pedida por vocês, ela aparece de um jeito meio "WTF", mas garanto que fará sentido depois

Capítulo 6 - Remember


~Yellow~

Já estava em casa, a primeira coisa que fiz foi tomar um banho bem longo, hoje foi um dia bem movimentado no meu trabalho e precisava relaxar um pouquinho. Também precisava falar para Sapphire quem eu vi hoje no Starbucks, como hoje era terça ela chegaria mais tarde do Asian Club

Mas fui surpreendida quando a porta foi aberta por ela. Sapphire parecia cansada e pelo tanto de suor no seu rosto eu diria que correu uma maratona, ela foi andando com passos lentos em direção ao sofá, assim que se sentou pegou sua guitarra e jogou de qualquer jeito no chão. Ela definitivamente não estava bem

- Sapph, o que houve? – falei me aproximando mais dela –  você nunca jogaria sua guitarra no chão se estivesse bem, me diga, o que aconteceu? 

Ela estava com a cabeça abaixada que não consegui ver seu rosto, mas de fato estava muito abalada

- meu pai quer que eu volte a morar com ele - disse sem mostrar reação, parecia uma estatua que mexia a boca com dificuldade. Quando ela falou isso, eu fiz uma careta confusa  – ele achou que trabalhar no Starbucks era uma ótima ideia, mas precisava pensar em algo mais promissor, então propôs que eu fosse voltar a morar com ele pra aprender algumas coisas “uteis” – fez aspas com os dedos enquanto explicava o acontecimento

- e o que você respondeu? – perguntei. Não sabia direito o que falar, era uma situação delicada para ela

- eu disse que iria pensar, preciso responder ele até quinta – disse com os olhos marejados

Me aproximei dela , estiquei meus braços e a abracei, ela rapidamente retribuiu como se estivesse necessitada de carinho, aproveitei para fazer um cafuné em sua cabeça e sussurrar um “vai ficar tudo bem”

- eu não quero voltar pra casa, eu não quero viver uma vida falsa fazendo coisas por obrigação, eu não quero mais encontrar aquele...aquele desgraçado – ela dizia entre soluços, pude sentir uma de suas lagrimas caindo na minha blusa, uma que logo viraram varias

- Sapph, lá não é sua casa, casa é o lugar que você mora e te faz sentir confortável, aqui é sua casa  - me afastei um pouco dela, coloquei minhas mãos nos seus ombros e a olhava bem nos olhos – você não vai voltar pra lá, e eu vou te ajudar, pode ter certeza que se depender de mim você nunca mais irá ver o Ruby novamente

Seu choro, que havia cessado, acabou voltando após minha fala, mas diferente do anterior, as lagrimas de seu rosto não eram de dor, mas sim de agradecimento, como sei disso? Simples, ela avançou com tudo pra cima de mim e quase me derrubou do sofá, só para me abraçar

- Caralho, Sapphire, tu ta muito gorda – falei arrancando uma risada dela. Bingo

Ela se afastou de mim, mas não deixou de me olhar, deu um sorriso e abriu a boca para falar algo, mas foi cortada pelo som de notificação do seu celular. Ficou encarando a tela por alguns segundos, deveria estar lendo a mensagem, então ergueu o rosto em minha direção

- você quer sair comigo e uns amigos meus no sábado? Acho que vou chamar o Dia e a May também

- Claro – abaixou o olhar e começou a digitar, quando finalizou guardou seu celular no bolso – quais dos seus amigos vão?

- O Red, o Gold, a Crystal, o Ash e talvez você, o Diamond e a May

Quando ela citou o nome “Ash”, eu instantaneamente me lembrei da cena que presenciei hoje pela manhã. Ele estava com um garoto que aparentava ser um pouco mais velho, o qual não parecia estar muito bem, não pude deixar de reparar na sacola roxa que o garoto estava, o que será que estava lá dentro?

- Sapph, o Ash fez aniversario esse mês ou coisa do tipo?

- Não, por quê?  - respondeu com as sobrancelhas franzidas

- Por nada, só curiosidade

Estranho, porque alguém daria uma sacola pra outra pessoa se não havia um presente de aniversario dentro? Seria um presente para comemorar outra ocasião? Bem, Ash parecia meio nervoso com aquele cara, seu eu me lembro bem em uma parte da conversa algum dos dois disse “ tudo por algumas ervas” ou algo do tipo

Espera...isso significa que o Ash fazia tráfico de drogas? Ou talvez até usasse drogas? Não, deve ser algum tipo de piada interna e eu estou me preocupando a toa com a vida alheia. Foi então que me lembrei de um acontecimento de alguns anos atrás

Já era quase minha vez de ser atendida, segundo o horário faltava 10 minutos para o Doutor Cilan me chamar, estava lendo um livro chamado ‘Viagem Solitária’ o qual o Doutor me recomendou

O consultório tinha dois andares, em baixo ficava a sala de espera e em cima a sala dos Doutores, no meu andar havia algumas revistinhas para ler enquanto esperava ser atendido, um bebedouro pra caso sentíssemos sede e um banheiro unissex pra caso precise fazer nossas necessidades

Estava concentrada no livro até ver um pequeno garotinho descer as escadas junto a uma mulher e a um outro Doutor, que se não me engano se chamava Corn Cress, ou era Cress Corn?

- Senhorita Ketchun, eu recomendo que leia um livro chamado “Aprendendo a viver com o transtorno bipolar”, te fará entender melhor sobre esse assunto – disse o Doutor de cabelos azulados para a mulher que estava ao lado do garoto

-  Certo, mas...sabe doutor, essa coisa...tem cura?  - a Mulher, que deveria ser mãe do garoto, perguntou com certo nervosismo na voz

- Vou fazer uma comparação bem tosca, transtorno bipolar é tipo diabete, não tem cura, mas tem como controlar – Cress repontou ajeitando seu óculos – mas é claro que é bem diferente da diabete

- entendo... – a moça disse com o olhar cabisbaixo, o qual não estava muito diferente do que possivelmente era seu filho

- Bom, Ash Ketchun, até quinta que vem – Corn fez um leve carinho na cabeça do garoto, assim que os dois saíram da sala ele já chamou seu próximo paciente -  Platinum Bertiliz – uma garota de cabelos pretos se levantou o seguiu até seu consultório do andar de cima

Hum...Aprendendo a viver com transtorno bipolar, acho que vou ler esse livro também, quanto mais eu souber mais útil será, nunca se sabe se no futuro eu encontre alguém com isso, não é mesmo?

- Yellow – Ouvi o Cilan me chamar – já pode subir – assenti com a cabeça

Dei o meu livro para meu tio Wilton, que estava dormindo, então só coloquei no seu colo. Subi os degraus e entrei na sala, me acomodei na cadeira me preparando mentalmente para o que iria dizer para ele

- vamos retomar o assunto da seção passada, como se sente em relação ao seu corpo?

Transtorno Bipolar... será que ele realmente tinha isso? E se tinha, será que já conseguiu arranjar um tratamento? É impressionante como eu só fui me lembrar disso agora, ah, mas porque eu me importo? Eu nem o conheço direito! Eu sei que ele é amigo da minha colega de quarto, mas não deveria estar teorizando sobre a vida dele desse jeito

Yellow, você já passou um dia muito estressante no trabalho, agora vá para o seu quarto e relaxe. Nada que assistir algo não resolva

- Low? Low. YELLOW! – Sapph gritou literalmente na minha orelha, arrancando minha atenção

- porra, também não precisava gritar no meu ouvido – coloquei a mão no local atingido, tentando abafar outros sons até que fique menos dolorido

- Claro que precisava, estou te chamando faz horas e você nem se tocou – cruzou os braços, ficou me encarando enquanto batia o pé no chão – me ajuda a achar o Torchic

Fiquei a encarando por alguns segundos, absorvendo o que ela acabava de falar. Puta que pariu, esse bico tá com fogo no cú, só pode, já deve ser o terceiro dia que ele some do nada, eu avisei que se deixar o coitado preso uma hora ou outra ele ia se rebelar 

- Torchic – ergui meu pulso - seja lá onde você esteja, fuja! Fuja do cativeiro da Sapphire! – fiquei encarando o teto durante minha fala, até ser acertada na cara por um travesseiro que foi jogado pela minha amiga

- Cala boca e me ajuda a achar ele

Ficamos procurando por todo apartamento durante horas. Ok, não exatamente horas, mas foi muito tempo, e advinha onde aquele pinto vermelho estava? Em cima da porta do meu quarto, repito, EM CIMA DA PORTA DO MEU QUARTO! Me pergunto como aquela ave conseguiu chegar lá em cima

Sapphire estava segurando seu bichinho com as duas mãos enquanto distribuía vários beijos no mesmo, ainda deu uma bronca nele por ter saído da gaiola. Se ela tiver um filho e o tratar do mesmo jeito que trata o Torchic eu tenho certeza que seria uma ótima mãe, agora se o filho dela for igual ao pinto vermelho a historia é diferente

Estava pronta pra ir pro meu quarto, como amanhã eu não irei trabalhar eu vou aproveitar pra maratonar minha animação norte-americana favorita, RWBY! A serie já está na quinta temporada, faz tanto tempo que assisti isso que não me recordo de varias coisas, nada que re-assistir tudo desde o começo não resolva e...

Toc toc toc

Fui até a entrada e soltei um longo suspiro, quem seria a essa hora? Segurei na maçaneta, a entornei em 180 graus e a puxei para minha direção. Quando vi a figura que estava lá fora meu queixo quase caiu no chão

Era um rapaz de cabelos pretos, com duas mechas coloridas nele, estranhamente ele tinha olhos vermelhos, e algo que deve ser ressaltado é que havia uma cicatriz do lado direito de sua testa , mas como ele estava virado pra mim a cicatriz estava no lado esquerdo . Ao seu lado havia um garota desconhecida que tinha longos cabelos loiros, olhos bem azuis e utilizava um chapéu rosa na sua cabeça

Eu não realmente não sabia quem era a garota, mas tinha um pequeno palpite sobre o rapaz, Sapphire nunca me mostrou uma foto do garoto, mas me deu uma descrição básica sobre seu físico, e ele se encaixava perfeitamente

A garota fitava o chão e ficava cutucando um dedo no outro, parecia formular algo para dizer

- Desculpe incomodar a essa hora, mas... 

- Você mora sozinha? – o garoto a cortou de um jeito totalmente rude, muito diferente da forma que a garota falava

- E é da sua conta? – revidei com o mesmo tom nada sutil

Minhas palavras não pareceram afetar o rapaz, diferente da garota, ela parecia reformular a frase e tentar dizer algo de um jeito melhor e mais educado

- D-desculpe, moça, eu me chamo Serena e meu amigo se chama R...

E novamente foi cortada pelo rapaz de olhos vermelho, que antes estava com uma expressão séria, agora estava com um sorriso cínico

- Parece que começamos com o pé esquerdo, me chamo Ruby, e você? –  Sabia que era ele. Ruby estendeu a mão sem retirar aquele sorriso falso do rosto, se ele pensa que vou aperta-la ele está muito enganado

Yellow, faça isso pela sua melhor amiga! Descubra o que ele quer e depois chute-o pra fora!

- me chamo Yellow – estendi minha mão para cumprimenta-lo, quando ele largou fiz a minha pergunta – o que você quer aqui?

- Nós só queríamos saber se você mora com uma Sapphire Birch, moça – disse Serena, finalmente conseguindo falar uma frase completa sem ser interrompida

- por quê? – perguntei, se eles acham que vou responder sim ou não sem saber o porquê disso, eles estão muito enganados, mais enganados do que eu quando disse que não ia apertar a mão do garoto

-Ela é uma velha amiga minha, sabe? um passarinho me contou que ela morava aqui e cá estou conferir, então...ela mora aqui?– Ruby explicou dando outro sorriso obviamente falso

- Não, ela não mora, boa noite – respondi fechando a porta rudemente

Era só o que me faltava! O maior medo da Sapphire é voltar pra casa e ter que conviver com seu pai e ver todos os dias esse estúpido, agora os dois estão na cidade? Certo que ontem o Sr.Birch explicou que só estava nessas “bandas” por negócios e que logo voltaria pra casa, com o que o Ruby faz aqui? Não lembro do pai da minha colega de quarto ter mencionado  ele

- Olá, Sapphire – ele disse, mostrando sua voz grossa, as vezes penso se ele está irritado ou é a voz dele mesmo – não sabia que sua amiga também trabalhava aqui, como é mesmo o nome dela?

- Y-Yellow,me chamo Yellow, senhor – disse, não pude negar certo nervosismo por minha parte, e ao olhar para minha amiga ela não estava muito diferente, muito provavelmente esteja pior do que eu

- não precisa ficar tão nervosa, eu não mordo – ele disse e riu de sua própria fala, acabei rindo junto na tentativa de não causar uma má impressão a ele

Senhor Birch foi até uma mesa perto da entrada, com a mão fez um pedido para que o seguíssemos, quando chegamos ele estava lendo uma revista sobre restaurantes e lanchonetes, jogou a revista na mesa, a pagina na qual estava aberta era um artigo sobre o Outback e Starbucks

Ele estava bem sorridente e não parava de olhar para Sapphire. Cruzou as pernas e apoiou seu queixo no seu punho, pela primeira vez desde que sentará ali ele olhou para mim

- Yellow, minha querida, eu quero um bagel americano e um cappuccino de chocolate, por favor – pediu acariciando sua barba mal raspada  

 fiquei um pouco brava, já que nós não somos garçonetes de restaurante pra ficar indo de mesa em mesa anotando os pedidos, porem ignorei isso. Sapphire e eu estávamos prestes a ir pro balcão quando seu pai a chamou

- Sapphire, o que está fazendo?

- Indo trabalhar, oras –  sua filha respondeu como se aquilo fosse obvio

- mas eu fiz o pedido para a Yellow, quero que você fique aqui para conversarmos um pouco – deu leves tapas na cadeira a sua frente, indicando onde gostaria que a garota sentasse

Ela olhou para mim, como se pedisse permissão pra fazer isso, se ela fosse uma funcionaria isso seria um problema, mas como ela não é não vejo problema. Entretanto, como estamos fingindo aqui eu terei que utilizar minhas habilidades de atriz para disfarçar

- Senhor Birch, nós estamos em horário de serviço, é algo muito importante? Pois se o gerente não vê-la trabalhando pode causar alguns problemas – disse coçando atrás da nuca enquanto esperava uma resposta

- Bem, um pouco, porem eu não quero atrapalhar o trabalho da minha filha, afinal é a primeira vez que a vejo interessada em um trabalho de verdade – riu, pude ver a Sapph o copo de plástico que tinha em mãos quando ouviu isso, nem sei de onde ela tirou isso – sabe, estou por essas bandas por causa de negócios, mais tarde te ligarei para conversarmos

Após disse isso ele simplesmente saiu do estabelecimento, fiquei um pouco confusa, e o lanche? Ele não queria? Talvez aquilo fosse só uma desculpa para falar com a Sapphire

Toc toc toc                

Ah não? Ele denovo? Ruby não se tocou que eu não vou deixa-lo entrar?!?

- deixa que eu atendo – disse Sapphire saindo do seu quarto, seus cabelos estavam bem bagunçados, ela deve ter ido dormir depois de achar o torchic

Sua mão estava quase encostando na maçaneta, mas essa ação foi interrompida pro um tapa meu

- Ai! Porque fez is...- não deixei ela terminar de reclamar e já coloquei minha mão na sua boca, para abafar qualquer som vindo dela

- Sapphire, você faz ideia de quem está la fora? – Sussurrei, mesmo estando dentro de casa e eles fora, qualquer som alto poderia ser escutado daquele lado – Tem uma tal de Serena lá fora, mas ela não está sozinha, o Ruby está com ela

Pude ver sua boca formar um perfeito “O” e seus olhos ficarem bem arregalados, ela estava em completo estado de choque e ficou assim por alguns segundos, onde só parou pra sandar de volta para seu quarto 

- Ei, está indo aonde? – perguntei a seguindo, já estávamos em uma distancia razoável da porta, então não precisávamos mais sussurrar

- Pro meu quarto

- E o que falo com eles?

- com a garota eu não sei, mas manda o Ruby ir se foder e nunca mais voltar aqui

- Sapphire, eu estou falando serio

- Eu também – ela se virou pra mim, novamente naquela mesma noite pude ver seu olhos marejados, mas dessa vez estavam irritados  – você já sabe disso, mas vou te dizer novamente. Meus problemas com meus pais começaram quando eu conheci esse demônio! Alem de arruinar minha vida lá ele ainda quer foder o que sobrou dela aqui? – perguntou indignada, pude ver a quão irritada ela estava – só...só ignore, que uma hora ele vai embora – disse abaixando seu tom de voz e entrando em seu quarto

Ignorar... queria tanto saber como fazer isso com certas coisas

‘’ ‘’ ‘’ ‘’ ‘’ ‘’ ‘’ ‘’ ‘’

Decidi tentar seguir o conselho da Sapph e fui para meu quarto, naquela altura do campeonato eu nem consegui prestar atenção no meu programa, já estava no sexto episodio da segunda temporada e não consegui absorver nada. Então deixei a maratona pra outro dia

Acabei dormindo nesse tempo, ultimamente estou tendo sempre o mesmo sonho. Eram 5 pessoas em um cenário escuro, ficavam encarando outras 2 pessoas que estavam a sua frente, discutiam algo em uma língua na qual eu não entendia e uma oitava figura aparece

Era engraçado que cada figura daquele grupo de cinco pessoas tinha alguma coisa destacada ou única. A primeira figura tinha uma fumaça o rodeando, a segunda tinha algumas notas musicais a cercando, a terceira tinha um cabelo bem cumprido, quase encostava-se ao chão, a quarta tinha umas manchas roxas nas sua costas e a quinta parecia ser uma criança com o corpo tremulo

Já aquelas outras 3 figuras tinham algo em comum, ambas tinham chifres na cabeça e um rabo vermelho, mas a do meio era o que tinha o maior chifre. Eu sonhei com uma festa halloween e eles estão fantasiados de demônios? Ou seriam cornos e o do meio foi o que pior foi traído? 

Dramama ramama ramama hey

Dramama ramama ramama hey

Dramama ramama ramama hey

Despertei de meus pensamentos quando meu despertador começou a tocar, eu nem trabalho hoje, devo ter esquecido de arrumar. Bom, já estou acordada mesmo, acho que vou tomar o meu café da manhã

Não me lembro de ter trancado a porta do meu quarto, deve ser por isso que consegui abri-la sem travar nenhuma vez, como sempre fazia quando estava trancada

Já estava quase chegando no local desejado quando vejo uma folha de papel debaixo da porta de entrada. Era uma carta? Meu deus, quem usa carta hoje em dia além do governo pra cobrar imposto?

Era uma folha dobrada, estava escrito bem grande “Para filho do Sr.Birch”, bom, sou a melhor amiga dela, o que me permite ler o conteúdo dessa carta

Querida Sapphire

Olá, quanto tempo, não? Já devem se fazer alguns anos, por ai. Eu sei que sou a pessoa que você mais quer distancia no momento, embora eu não saiba muito o porque disso. Como pode sair de casa sem avisar seu melhor amigo? Eu sei que possivelmente sua amiga irá ler essa carta, não me leve a mal, mas ela tem cara de intrometida e provavelmente irá me chamar de sínico ou algo do tipo, porem isso não vem ao caso agora. Sapphire, eu preciso falar com você urgentemente, me encontre no nosso esconderijo secreto amanhã ( deixei essa carta assim que sai, então se você acordou e está lendo agora, seria hoje)

Assinado: Ruby

Eu realmente não sei como reagir a essa carta, não sei se fico com raiva dele fingir não saber de nada de ruim que fez na vida da Sapph, se mando ele se foder mentalmente por me chamar de intrometida, ou se choro por ele ter escrito cínico com S


Notas Finais


Não sei se vocês se lembram, mas eu disse que um personagem importante pra historia vai ter pelo menos um capitulo narrado por ele, isso significa que nossa querida Yellow será de fato importante

Eu to escrevendo o relacionamento da Sapph com a Low de um jeito muito Tsundere. Daqui a pouco vou escrever um shounen-ai das duas kkakaka
E sobre o Ruby e a Serena? Porque acham que a Serena estava com o Ruby na casa da Yellow e Sapphire? Teorizem kkkkk

Eu sei que ninguém se importa, mas re-esrevi o capitulo ouvindo essa música:
Monsta X - Dramarama : https://www.youtube.com/watch?v=r1afdZk0qcI


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...