História I Hate You, I Love You (Chansoo & Sebaek) - 2º Temporada - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lay, Personagens Originais, Sehun, Suho, Xiumin
Tags Chansoo, Laychen, Sebaek, Yaoi
Visualizações 257
Palavras 1.094
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpe por não postar sábado.

Está ficando cada vez mais difícil para mim postar nos dias certos ;-;

Boa leitura 💜

Capítulo 13 - Sorry? (KyungSoo)


Fanfic / Fanfiction I Hate You, I Love You (Chansoo & Sebaek) - 2º Temporada - Capítulo 13 - Sorry? (KyungSoo)

Segunda-feira. Ainda faltava uma hora para a aula começar, porém eu já estava lá, sentado em minha carteira, incrivelmente tenso, à espera do Chan. Desejava com todas as minhas forças ter a oportunidade de conversar com ele. Quer dizer, uma conversa direita, e não um monólogo.

Estava, pela milésima vez, ensaiando todas as frases que eu deveria dizer para ele, quando a porta se abriu. Olhei nervoso para mesma. Mas era apenas o JongIn. Eu havia esquecido completamente que ele chega cedo todos os dias. Droga, ele vai estragar tudo...

— Kyung, que surpresa você estar aqui tão cedo. — após alguns minutos de silêncio, JongIn pronunciou-se, abrindo um enorme sorrindo e sentando-se na carteira ao meu lado. — Algum motivo especial?

— Hã... não... hum... nenhum motivo. — eu disse, evitando contato visual.

Sentia meu rosto queimar e minhas mãos estavam tremendo um pouco. Eu ficava bastante nervoso perto do JongIn. Quer dizer, eu fico bastante nervoso perto de qualquer um que eu não tenha intimidade.

JongIn suspirou e arrastou a carteira para bem próximo de mim. Não conseguia olhá-lo nos olhos, mas percebi que ele estava encarando-me profundamente. Ele pegou uma de minhas mãos, e começou a fazer carinho nela.

— Sabe, eu devo lhe pedir desculpas, acho que ainda não pedi... — ele disse, agora, pegando a minha outra mão e a apertando. — Eu sei que eu disse que faria de tudo para tê-lo, porém não queria que fosse desse jeito, sabe... acho que eu fui... muito direto ao ponto. — JongIn deu uma risada envergonhada e começou a corar, passando a mão repetidamente por detrás da nuca. — Eu não sou assim, não sou mesmo. Mas você, Kyung... me faz ter sentimentos que eu não consigo explicar, entende?

Apenas assenti levemente. Não queria ter aquela conversa com ele naquele momento. Tudo o que eu mais queria era o Chan. O meu Chan. Queria poder conversar com ele, acertar tudo e assim, ficaríamos juntos novamente. Eu havia passado por tanta coisa com o Chanyeol... não poderia acabar assim!

— Está tudo bem, JongIn. Suas desculpas estão aceitas. — dei um sorriso amarelo.

— Obrigado, Kyung. Você é realmente incrível.

Incrível... Chanyeol sempre dizia-me que eu era isso.

                       [...]

Chanyeol não acabou comparecendo à aula de hoje. Yixing não olhou na minha cara uma vez sequer. JongIn ficava cercando-me o tempo todo, o que devo admitir, é meio chato...

Fui embora desanimadamente quando vejo Sehun e Baekhyun conversando animadamente um com o outro. Baek estava até sorrindo, dá para acreditar? O que será que está rolando entre os dois?

— Quer estudar hoje? — ouço a voz de JongIn atrás de mim. Pulei de susto.

— Ah, não sei... eu pretendia passar na casa do Chanyeol agora, sabe... para conversar. — tentei desfarçar a tristeza que a minha voz emanava, porém acho que não deu muito certo.

— Deixe-me lhe acompanhar. Depois de tudo o que eu fiz, acho que eu é quem deva falar com ele.

Talvez não fosse uma má ideia. Assenti, um pouco receoso. Chanyeol irá gostar de nos ver?

                      [...]

— Oh, oi Kyung! Não imaginava que você... viesse. — a mãe de Chanyeol atendeu a porta, olhando-me de cima à baixo, forçando um sorriso.

Encolhi-me todo. Pelo visto, Chanyeol deve ter contado à ela. Foi quando ela olhou para o JongIn, o sorriso - falso, diga-se de passagem - foi sumindo rapidamente de seus lábios.

— Ah, deve ser ele. — ela disse baixo, porém num volume que deu para a gente ouvir.

— Er... eu poderia falar com o Chan? Ele está? — eu perguntei, com insegurança na voz.

— Não, ele não está. Saiu com um amigo, mas se você quiser esperar... não acho que ele vá demorar, ele saiu há um bom tempo.

Saiu com um amigo? Senti algo estranho naquele momento. Não sei explicar bem o que senti... mas não era um sentimento bom.

— Ele já está saindo com amigos... — disse, após tomar certa distância da casa de Chanyeol.

— Não consigo acreditar. Se ele estava magooado, por que saíria assim? A não ser que, o término não tenha significado nada para ele. Que babaca! — JongIn disse, bufando.

Juro que ouvi o trincar do meu - já partido - coração. Suspirei, triste. Não era possível que tudo que tenhamos vivido tenha sido mentira. Chanyeol me ama, eu sei disso. Eu... acho. Decepcionado, comecei a chorar ali mesmo. Será que eu merecia isso? Era meu castigo por sempre machucar as pessoas?

— Ah, Kyung, não fica assim... — JongIn passou seus braços pelo meu ombro, apertando-me em um abraço acolhedor. — Eu vou pagar um sorvete para você ficar melhor, está bem? Mas tem prometer me dar um sorriso.

Sem questionar, apenas deixei JongIn me guiar.

                      [...]

— Ali está a sorveteria, viu como é perto? — JongIn disse, como se eu fosse uma criança.

Ao longo do pequeno percurso feito até a sorveteria, JongIn disse-me frases motivadoras, e de um em um minuto, dava-me abraços reconfortantes. Ele estava sendo um ótimo amigo.

— Chegamos! — JongIn disse, porém antes do mesmo abrir a porta, duas pessoas saíram lá de dentro.

— Cara, foi irado. Precisamos sair mais vezes! — disse o mais alto (aliás, bem alto), que estava na direita.

Assustei-me ao perceber que o garoto que estava ao lado dele era Chanyeol.

— Chan!?

— Kyung?! — Chanyeol disse confuso, e ao ver JongIn, fechou a cara.

— E-eu fui até sua casa, mas você não estava lá. — eu disse, sorrindo por tê-lo encontrado.

— É, eu saí. — ele disse, seco.

— Sim, sua mãe me contou... que você saiu com esse seu amigo.

— É, este é o Kris. Kris Wu. Meu amigo chinês. Ele é universitário.

Caramba... alto, bonito e ainda por cima, universitário. E olha para mim... não é à toa que já está saindo com ele...

— Sim, eu estudo robótica. — o tal de Kris falou, empolgando-se.

— Aliás... o que vocês estão fazendo aqui? — Chanyeol perguntou, sem fazer contato visual.

— Eu quis trazê-lo aqui. Por que? Algum problema? — JongIn perguntou, arqueando uma sobrancelha.

— Oras, problema nenhum. Devo ir, não quero atrapalhar o casal. — Chanyeol disse, indo embora, porém ele parou e disse bem alto : — Não se preocupem, dessa vez, não vou interrompê-los da onde pararam.

Por que Chanyeol estava agindo desta forma?

Eu queria ir atrás dele, porém JongIn segurou-me.

— Vem, não vamos perder tempo com esse babaca. — JongIn disse, puxando-me para dentro da sorveteria.

M-mas eu... o que se faz quando se ama aquele babaca?


Notas Finais


Desculpe erros ;u;


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...