1. Spirit Fanfics >
  2. I HATE YOU — Yoonkook >
  3. 022

História I HATE YOU — Yoonkook - Capítulo 22


Escrita por: MMistress e Vagabundix

Capítulo 22 - 022


08:50

- O calmante não lhe fará mal. - Seokjin comentou observando Taehyung se inclinar e colocar o copo com água pela metade na mesinha de centro. 

- Tudo bem. - O Kim assentiu fungando, logo se recostando no sofá se sentindo mais calmo. 

- Taehyung você sente repulsa do próprio corpo por conta do passado? 

Namjoon perguntou cauteloso, pois o problema maior seria se o Kim quarda questões psicológicas. 

- É surpreendente, mas não. - Taehyung respondeu com sinceridade no tom. - Não tenho nada ruim dentro de mim por causa disso...mas, eu temo quando as pessoas descobrirem. 

- Eu não acho que você deveria contar isso para o Yoongi. - O mais velho a seu lado disse em tom pensativo ganhando o olhar dos outros dois. - Quero dizer que não há necessidade de chegar dando satisfações do seu passado logo de cara. 

- Seokjin tem razão. - Namjoon concordou. - Tente se aproximar de Yoonie, o conquiste. Se você o amar e ele também no final não haverá julgamentos, apenas se aceitaram. Aliás, seu passado não existe mais. 

Taehyung assentiu brevemente adquirindo as palavras dos mais velhos. 

- Mas, seria importante você se abrir com sua mãe.  - Seokjin apontou apoiando a mão na coxa do outro. - Ela tem que saber de tudo, não pode esconder. 


[...] 


A Sra.Jeon apertou os punhos atrás do corpo quando avistou Jeonghyeon e seu filho entrarem pelo portão principal. Havia escutado o barulho do carro e então foi ver quem era, mas se arrependeu amargamente por não ter ficado dentro de seu quarto e fingido não estar presente. 

O que aquela mulher fazia em sua casa? 

Com passos calmos em cima de seus saltos pretos e com o corpo ereto trazendo o vestido longo e azul que arrastava elegantemente pelo chão, Joy se aproximou dos dois antes que entrassem em sua casa. 

- O que ela faz aqui? - Questionou com a sombracelha arqueada encarando a mais baixa que lhe sorriu em uma sutileza falsa; Como gostaria de descer de seu salto apenas para pegar um e atira-lo certeiramente contra Jeonghyeon.

- Oi, mamãe. - Jungkook se aproximou e beijou a testa de sua mãe. - Não comece...- Sussurrou sorrateiro perto do ouvido da mais velha.

- Se afaste. - Joy levantou a mão fazendo o Jeon dar um passo para trás em susto. - Eu já disse, não quero essa mulher na minha casa. Ouviu, Jungkook? - Ditou com o tom severo olhando duramente para os dois, sentindo suas mechas soltas de seu coque balançarem com o vento que passava pelos três.

- O que é isso, minha sogra? - Jeonghyeon deu um passo para frente. - Passaram tempos, vamos deixar a rivalidade que não deveria existir de lado. 

- Eu não quero que você se dirija a mim. - A Jeon disse e logo deixou seu olhar sobre o filho. - Se me provocar trazendo essa mulher novamente na minha casa, você também não será mais bem vindo aqui.

- Mãe! não seja ignorante! - Jungkook retorceu a expressão, pois achava um exagero as palavras ditas por sua progenitora. 

- Eu sou mãe dos seus netos, Joy. Tenha o mínimo de respeito por mim. - Jeonghyeon tentou manter o tem calmo, apertando as mãos ao lado do corpo; Seu olhar queimava sobre a mais velha. 

- Ser quer meu respeito, pois saiba que não terá. - Joy elevou o queixo e então se virou olhando os dois por cima do ombro. - Na minha casa, apenas quem eu quero é bem vindo e você, Jeonghyeon, não é e nunca será bem vinda, sua cachorra. 

A mais velha começou a andar em direção a enorme casa, cansada de seu filho que era teimoso e manipulável ao mesmo tempo. 

Jeonghyeon não suportou ver Joy lhe dar as costas, e então correu até ficar a centímetros da mais alta, fazendo Jungkook arregalar os olhos pelo movimento repentino. 

- Eu e Jungkook iremos embora daqui, com nossos filhos. - Jeonghyeon pegou o braço da outra. - Pensamos em levar a senhora, mas como me trata tão mal. Farei questão de afastar Jungkook de você. 

A Jeon não respondeu, apenas levou seu olhar vagamente até o próprio braço vendo as unhas coloridas e bregas da mais nova, afundarem em sua pele propositalmente. 

Jungkook arregalou os olhos ao ver sua mãe levantar a mão e acerta-la em cheio no rosto de Jeonghyeon que caiu bruscamente no chão.  

Joy respirou fundo passando a mão por cima de onde seu braço foi apertado; As poucas palavras de Jeonghyeon apenas foram um incentivo para descontar um mínimo de tudo que quardava da mulher que fez a cabeça de seu filho, o fazendo se tornar alguém asqueroso, estranhando os próprios ensinamentos de sua mãe. 

Antes de se virar e entrar em sua casa, Joy olhou para o filho que ajudava a mulher que se sentou no chão com a bochecha começando a avermelhar e inchar; Joy usava muitos anéis e tinha uma mão pesada. 

- Ninguém consegue afastar um filho de uma mãe. 


[...] 


- Obrigado pelo café, Yoongi. - Jimin sorriu mais uma vez; Apenas aquela manhã havia dado seus melhores sorrisos. 

- Por nada. - O Min sorriu pequeno se sentando na mesa, de frente para o Park. 

- Eu vim propor que você seja meu secretário. - Jimin contou assoprando o café. - Trabalhe para mim.

Não era atoa a proposta; O Park queria seu filho Hyunjin, mas Jeonghyeon era sua pedra no caminho.  E bom, a mulher não suportava Yoongi. 

Todo o jogo do Park estava em sua mesa.

Jimin era alguém de grande nome, colocar Yoongi para trabalhar perto de Jungkook não seria difícil, iria ser um problema grande para Jeonghyeon por conta do Bebê Min; Jungkook se aproximar novamente de Yoongi, no processo poderia se apegar ao próprio filho e querer assumi-lo.

Jeonghyeon ocupada com Yoongi perto de Jungkook publicamente no trabalho, não iria interromper sua aproximação de Hyunjin. 

Tudo iria estar perfeito para o Park. 

- Assim tão de repente? - Yoongi piscou tanto desnorteado. 

- Seu currículo e histórico de trabalho, chegaram em minhas mãos, fiquei interessado. - Deu de ombros bebericando o café, enquanto com os olhos estudava Yoongi; Não parecia ser alguém ruim, parecia ser alguém muito melhor que Jeonghyeon apenas por ser gentil e oferecer um café.

Aquela mulher era tão podre, que oferecer uma água seria um sacrifício.

- Você deve ser alguém ocupado, e veio aqui atrás de um mero secretário? - Yoongi juntou as  sombracelhas achando tal coisa estranha. 

- Meu tempo está mais livre que o normal, não julgue. - Soltou um riso apoiando a xícara na mesa. - Você pode conhecer minha empresa se quiser. Sei que tem filho, e bom pode leva-lo quando precisar, não me importo. Aliás, se aceitar, o salário será o gordo o suficiente para contratar uma babá.  - Contou rapidamente.

- Eu...- Yoongi suspirou surpreso. - Não sei o que dizer. 

- Olha, irei deixar meu cartão. Pode me ligar quando decidir o que fazer. - Jimin se levantou e pegou o cartão no bolso detrás da calça social e o deixou em cima da mesa. - Um patrão gentil, você não irá encontrar, então pense com carinho. 

 O Park piscou um dos olhos divertido para Yoongi e logo deu passos rápidos até a porta, saindo em seguida e a fechando.

O Min pegou o cartão e olhou confuso, por estar o número pessoal do Park e não algum contato profissional da tal empresa. 












Notas Finais


Erros? Me perdoem.


Beijinhos💋


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...