1. Spirit Fanfics >
  2. I Have A Question - Larry Stylinson >
  3. Capítulo III

História I Have A Question - Larry Stylinson - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Espero que gostem ❤️

Capítulo 3 - Capítulo III


— Você está me ouvindo LouLou? — Daisy me perguntou, sua cabeça tombada para o lado enquanto seus olhinhos me encaravam.

— Desculpe, o que você estava dizendo? — Eu perguntei sentindo minhas bochechas corarem por ter sido pego no flagra sendo um péssimo irmão. Mas as panquecas de mais cedo claramente estavam me incomodando, não as panquecas em si é claro, mas o fato do Sr.Styles ter permanecido lá durante toda as 2 horas em que eu Zayn ficamos no estabelecimento — Mary sempre nos segurava por muito tempo, nos perguntando sobre nossas vidas e contando as histórias da sua, a gente não ligava, qproveitando nosso refil grátis de chá ou chocolate quente e quase sempre ganhávamos um bolinho — mas dessa vez me arrependi por não ter fugido. 

Eu sorri pra ele quando nossos olhos se encontraram, por pura educação e pelo fato dele ter percebido que eu tinha falado sobre ele para o meu amigo, mas o cacheado apenas ergueu sua xícara em minha direção no cumprimento mais ridículo que eu já tinha recebido em toda minha vida, mas o fato é que ele ter passado todo o tempo apenas em seu notebook sem sequer apreciar o ambiente em sua volta é que me incomodou.

O fato dele não ter prestado atenção em mim.

Eu tinha quase 99% de certeza que ele não era interessado em homens, se ele fosse teria pelo menos olhado furtivamente algumas vezes pra mim não é? 

Normalmente todo mundo olhava. 

Eu não era a pessoa com a autoestima mais elevada do mundo, mas  - tirando as crises onde eu me achava o ser mais feio da história - eu no meu íntimo sabia que era dono de uma beleza no mínimo gostosa de se apreciar. 

— Lou! Você fez de novo — a exclamação de Daisy me fez sair de meus devaneios e olhar culpado para a garota. 

— Pode falar, agora vou prestar atenção — Eu disse, fixando-me totalmente na minha irmã mais nova o que a fez revirar os olhos por causa de todo o meu exagero em olhá-la.

 — Esquece eu vou perguntar pra Lottie — Resmungou se levantando do tapete. 

— Não! — Segurei o braço da menina, que apenas o balançou até que se soltasse de mim e correu escada acima  – Fala comigo! Eu sou seu irmão favorito — Fiz drama me jogando no chão sentindo o tecido felpudo me atingir. 

Mark chegou na sala, provavelmente tinha ouvido meu drama e eu quis me bater por não ter ouvido a porta se abrindo para ter tempo de fugir. 

— Oi Louis — Mark saudou, sua voz cansada enquanto ele largava o paletó encima do sofá. Ele não fez o que eu achei que ele faria, ele não gritou comigo, não me deu sermão, não fez eu me sentar para tentar conversar sobre os meus sentimentos, ele apenas passou pelo cômodo e foi direto para o seu escritório.

Isso com certeza me deixou mal. 

— Tá tudo bem? — Eu perguntei quando o alcancei abrindo a porta sem bater a tempo de o ver se sentando em sua cadeira, Mark concordou com a cabeça se concentrando em ligar o computador — Certeza? — Perguntei de novo — Se é por causa de hoje cedo, eu sei que eu agi como um... 

— Não Louis — Mark interrompeu , sua mão erguendo num gesto para que eu parasse de falar — Eu não me importo mais, eu não acredito em nada do que você diz — Ele suspirou — Quando suas atitudes mudarem a gente volta a conversar. Então por favor vá fazer alguma coisa e me deixe trabalhar. — O jeito frio com que as palavras saíram da boca de Mark fez com que meu coração se afundasse em meu próprio peito.

Eu queria poder dizer alguma coisa, mas pelo jeito não havia o que podia ser dito para concertar a situação. Então eu sai do escritório fechando a porta atrás de mim e sentindo a culpa invadir cada milímetro do meu corpo.

•••

— Estou passando aí — A voz de Zayn soou do outro lado da linha e logo depois o som da chamando sendo encerrada. 

Suspirei enquanto guardava o celular no bolso da minha calça vermelha e abria a janela do quarto. 

Já eram quase onze horas e estava grato pelo dia estar finalmente chegando ao fim. 

As palavras de Mark ainda rodavam na minha cabeça. 

Eu tinha tentado! 

Depois de sair do escritório eu fui atrás dos meus irmãos gastando uma grande quantidade de tempo dando-lhes minha atenção, depois eu me rendi ao jantar em família sentando-me na mesa com todo mundo e até entrei em assuntos aleatórios, depois ainda me sentei na sala com Lottie de um lado e Daisy e Phoebe do outro assistindo algum filme feminino demais para o meu gosto.

Mas mesmo assim não foi o suficiente, porque Mark não falou comigo o resto da noite. 

No fundo eu sabia que não seria, eu teria que fazer isso por quanto tempo até que minhas atitudes dissessem alguma coisa? E do que tudo isso valia? 

Eu não me orgulhava de preencher meu vazio com coisas sem sentido, mas era melhor do que fingir que não estava doendo. 

Eu pulei pela  janela e andei pelo telhado até chegar na janela de Lottie - que ainda bem tinha o sono pesado - onde eu conseguia descer pela árvore que tinha no jardim. Quando finalmente consegui chegar ao chão andei até a esquina onde o carro de Zayn estava sendo estacionado. 

— Você tá lindo — Eu elogiei assim que entrei no panco do passageiro, fechei a porta e me inclinei para deixar um beijo na bochecha do moreno. 

— Você não está nada mal — Zayn respondeu o que me  fez soltar um risinho, eu coloquei o cinto e deixei que o moreno reclamasse quando coloquei a mão no som do carro conectando as músicas que eu gostava.

— Quem teve a brilhante ideia de fazer uma festa em plena segunda-feira? — Perguntei enquanto observava o caminho do lado de fora não tendo certeza onde ficava a casa do tal de Michael. 

— Quem teve a brilhante ideia de fazer uma festa no domingo? — Zayn retrucou.

— Você! — Eu ri da cara de idiota do meu melhor amigo, uma tentativa de zombar da minha cara se virou lindamente contra ele. 

O caminho até a festa foi tranquilo e mesmo que Zayn reclamasse das minhas músicas vez ou outra eu o pegava cantarolando baixinho a letra de algum sucesso! 

Eu tirei uma foto de Zayn e estava prestes a publicar no meu Instagram secreto, longe de qualquer família, quando lembrei que Camila e Lauren veriam a foto e não tinham sido convidadas! De novo! Mas não era culpa minha, dessa vez Zayn estava me levando de penetra numa festa só do pessoal da universidade dele!

Em 20 minutos Zayn estacionou o carro, deixando ele a duas quadras de distância da onde ele disse que era casa, protegendo assim seu bem mais precioso de qualquer universitário alcoolizado. 

Eu e o moreno dividíamos um baseado enquanto descíamos a rua, minhas bochechas já estavam vermelhas por causa do ar de Londres e eu me encolhi na minha jaqueta jeans.  

— A vizinhança deve estar adorando — Comentei quando chegamos na esquina e a música já podia ser ouvida, vários carros estavam estacionados e pude enxergar a casa  cheia de pessoas e luzes de longe. 

— Bom que a gente anima essa vizinhança deprimente — Zayn falou se referindo as casas com as luzes apagadas e pegou em minha mão quando a confusão chegou perto e eu apenas deixei que ele me guiasse por meio das pessoas. 

•••

Por algum motivo eu abri meus olhos e foquei no relógio que tinha na cozinha. 

— Porra! — Praguejei afastando meus lábios, o que fez a pessoa a minha frente me olhar sem entender nada — Voce viu o Zayn? — Perguntei afastando o corpo moreno que tinha os braços em volta de mim aproveitando para segurar minha mão com um copo em seu ombro para que o líquido não caísse. 

— Deve estar em algum lugar por aí — O rapaz falou, suas mãos indo para o meu quadril e me empurrando de volta para trás me encostando na bancada.

— Eu preciso ir embora — Declarei não deixando que ele me beijasse de novo e passando por deibaixo de seu braço fugindo para o meio da sala que tinha virado uma baderna comparada com o jeito que ela estava quando chegamos, eu bebi o resto  da minha bebida tentando focar meus olhos e achar Zayn, fiz careta por causa do líquido quente e larguei o copo vazio em qualquer lugar. 

— Zayn! — Exclamei quando encontrei o moreno do lado de fora, sentado numa roda de cadeiras — A gente precisa ir — Eu disse ignorando o olhar feio da ruiva em seu colo por ter atrapalhado a pegação deles. 

— Nãaaooo — Zayn reclamou sua voz arrastada, uma das suas mãos saiu da coxa da menina e foi em direção a minha mão a pegando e balançado no ar — Tá muito cedo ainda — Ele disse. 

— Claro que está, são 4 horas da manhã — Eu disse aproveitando para puxar a sua mão e o fazer se levantar o que fez a ruiva quase cair no chão, mas conseguiu se levantar rápido o suficiente para se equilibrar. 

— Não Lou, eu quero ficar — Zayn deixou que eu o guiasse para fora da casa e depois pela rua, seu corpo mole andando quase se arrastando atrás de mim. Eu estava zonzo mas mesmo assim me sentia bem o suficiente para nos levar para casa. 

— Droga! — Larguei a mão de Zayn chegando o mais rápido possível perto de uma lixeira, meu estômago embrulhando e o vômito chegando rápido de mais em minha boca me fazendo ter calafrios por todo o corpo. 

— Ei! Essa é a minha lixeira  — Um resmungo rouco atrás de mim invadiu minha audição enquanto eu deixava minhas tripas na lixeira alheia — Eu não acredito nisso! — E essa fala foi o suficiente para que eu reconhecesse a voz tão marcante — Que merda! Eu vou chamar a polícia — Grunhiu irritado.

— E vão me prender por passar mal? — Eu perguntei me levantando e limpando minha boca, querendo sumir por não estar em um dos meus melhores momentos — Desculpe pela lixeira Sr.Styles — Eu acrescentei sabendo que minhas bochechas tinham me denunciado já que eu as sentia ferver. 

— Sr: Tomlinson? — O professor perguntou  surpreso — Você não deveria estar dormindo? Você tem aula daqui a pouco —  Ele disse, uma mão indo até a sua orelha e tirando o fone de ouvido. 

— O senhor também não deveria estar dormindo? — Retruquei olhando o homem num conjunto de moletom cinza e tênis de corrida em plena madrugada.

— Meu dia começa cedo Tomlinson — Ele respondeu me surpreendendo já que eu não esperava uma resposta — Presumo que o seu de ontem ainda nem tenha terminado, o que agora explica porque você anda tão péssimo na escola — Ele acrescentou, um tom ríspido tomando sua fala.

Antes que eu pudesse responder um alarme de carro disparou o que me fez lembrar de Zayn e o encontrar tentando entrar num carro parecido com o seu.

— Zayn Malik! — Ralhei com meu amigo correndo até ele e o puxando para longe — Esse não é o seu carro seu imbecil! — Exasperei tendo que abandonar um Sr.Styles com uma carranca horrível em frente a lixeira completamente vomitada enquanto eu fazia Zayn correr para o próprio carro antes que alguém aparecesse e a gente se metesse em confusão.


Notas Finais


E então?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...