História I Hear your Voice - Capítulo 2


Escrita por: e haykore

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Super Junior
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, Choi Siwon, D.O, Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kai, Kim Heechul, Kim Taehyung (V), Lay, Lee Donghae, Lu Han, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais, Sehun, Suho, Xiumin
Tags Bts, Exo, Luhan, Sehun, Suju, Taekook
Visualizações 9
Palavras 2.715
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Bishounen, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Lemon, LGBT, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


E ai está o segundo capítulo, gente eu não sei escrever lemon me perdoem pelo capítulo meio bosta. Obs : Meu texto ainda não foi betado, eu ainda estou procurando alguém para corrigi-lo, já que a maioria dos betas que encontrei está ocupados.

Capítulo 2 - Primeiras impressões


 

— Professor Hae, seja bem-vindo! Como foi a viagem até aqui?! –Disse o vice-diretor Hee-chul no pé da escadaria que dava acesso ao prédio do internato.

— Hee... Ah foi ótimo, sentiu minha falta? – brinco por ver a cara de alegria que o mesmo me mostrava.

 

— Mas claro, quem não iria, uma carinha tão linda dessas é bom ver todos os dias. - O mesmo riu ao me ver sem graça naquele momento, assim logo trocou de assunto. — Venha, chega de conversa. Os alunos chegaram daqui 2 horas, temos que arrumar o salão para a oratória do Siwon. - Disse ao pegar as malas de minhas mãos adentrando o prédio, assim o seguir pelos corredores até chegar no andar dos professores, como era o primeiro a chegar pude enfim escolher o melhor quarto o qual tinha uma mini varanda, coloquei as malas em um canto do quarto e me joguei sobre a cama, fiquei um tempo encarando o teto, deixando minha mente vagar e várias coisas aleatórias. Minutos depois escutei o que me parecia um carro estacionando, me levantei em um pulo e caminhei até a varanda reparei no carro, que não era estranho, apoiei minhas mãos no batente da varanda e pude ver o jovem aluno de outrora sair do carro, parecia que sua mãe o xingava, o mesmo só a olhava sério sem mesmo levanta a voz, fiquei ali apenas o encarando até que seus olhos se encontraram com o meu e o mesmo me mostrou um sorrindo curto, acenei com a cabeça um pouco sem graça por estar reparando demais. Mas era um pouco difícil esse tal de sehun era lindo, tinha uma beleza única. Fiquei o observando mesmo ele de costas, meus olhos não desgrudavam.

 

—Professor Donghae! – Me virei em um pulo e era o vice-diretor, o mesmo me chamou com a mão e eu apenas o seguir. — Está tudo pronto, Oh sehun acabou de chegar, como ele é novo aqui e ainda não chegou outro aluno, o que acha de mostrar a escola para ele? Já que você é o professor conselheiro dele. - o mesmo juntou suas mãos mostrando aquele sorriso travesso de sempre. — Por favor, tenho algumas coisas para resolver com o diretor. - Disse me dando uma olhada maliciosa.

 

— Ah safado! Sei, coisas... - O mesmo olhou para mim, mordendo a pontinha da língua com a face rubra. — Vá logo, eu cuido do novato. - dou uma piscadela para ele e saio de seu campo de visão.

 

Caminho novamente para fora do prédio, descia as escadas uma de cada vez com as mãos no bolso. Meus olhos se mantinham firmes no mais novo, ele mantinha a mesma expressão fria, sinto um calafrio percorrer minha espinha e logo desvio o olhar.

 

— Bom dia, senhora... - Pergunto à senhora ao lado do tal Sehun que me dá uma olhada da cabeça aos pés, o que me faz fingir uma tosse. " Qual é o problema desse garoto, parece que está vendo até minha alma. "- Penso comigo e ele sorrir curto.

 

— Senhora Oh, encantada! E o senhor...? - Ela estende a mão e eu a beijo, levantando os olhos para Sehun que revirava os próprios.

 

— Sou o Professor Lee Donghae. - Volto meu olhar para a senhora minha frente, até então parecia bem-educada.

 

— Bom já vou criança, se divirta. – Sua fala saiu um pouco irônica, mas apenas olhei Sehun revirando os olhos outra vez e bufando. E com isso sua mãe o deixa ali e sair em alta velocidade rumo ao portão que entrou outrora.

 

— Vamos? Te ajudo com a mala. – Falei sorrindo, mas o mesmo parecia uma estátua sem expressão, ele não disse nada e caminhou em minha frente. “Mal-humorado.” – Pensei seguindo logo atrás do mesmo, carregava sua mala sem dificuldade até o dormitório 6 olhei para porta e só tinha o nome dele ali, geralmente era dois a três alunos no quarto, achei estranho. Porém não questionei e coloquei a mala ao lado, o olhando se sentar.

 

— Bom... Vamos. Como é novo aqui tenho que te mostrar a instituição. Vamos! – Falo e novamente recebo o silêncio do mesmo. Sehun se levantou vindo logo atrás de mim. “ Estranho...” – Penso outra vez e o mesmo balança a cabeça sorrindo de lado. Eu podia jurar que o mesmo era louco ou até mesmo mudo. Assim penso um pouco e caminho até sua frente e faço o sinal para ele parar, ele que olhava para os pés ergue a cabeça me encarando, assim começo a fazer a língua dos sinais. “Ola, sou o professor Donghae, muito prazer.” – Falo na língua de sinais e o vejo segura o riso.

 

— O que está fazendo? – Ele gargalha e finalmente escuto sua voz, naquele momento me sentir como um tremendo idiota.

 

— Ah você não é mudo... Por que não falou antes? Isso é uma falta de respeito com os mais velhos. – Dava um sermão no garoto que apenas me olhou e colocou os fones de ouvido que estava em seu pescoço e me ignorou friamente, apertei o punho e o puxou pelo ombro o fazendo se vira mim. “Aish, esse moleque só pode está de gozação com minha cara.” – Pensei parando em sua frente com as mãos na cintura e bufo levantando os cabelos em minha testa.

 

 

— Estou. – Ele responde e eu me assusto pois só tinha pensado.

— C-como? – Falei com meus olhos arregalados.

—Estou com cede. – Ele Falou e eu pude respira, cara estranho.

— O bebedouro é à esquerda depois daquela pilastra. Seja rápido vou te mostra o caminho para o ginásio, pois a cerimônia de abertura das aulas irá começar. – Digo recebendo outro vácuo do garoto aquilo realmente estava me estressando, mesmo assim tentei agir com o profissional que era e relevei. Então, resolvi me sentar em uma das cadeiras e esperar e foi o que fiz por quase 40 minutos, com toda certeza o malandro tinha me passado a perna. “Moleque abusado, quando encontrá-lo não vai resta nada.”- Apertei os punhos cerrados e caminhei para o ginásio em passos fundos.

 

Sehun.

 

O tal professor Donghae parecia até legal, porém sei que iria me chamar de aberração ou até mesmo de louco como todos os outros em minha vida. Eu tinha uma habilidade, digo uma maldição de conseguir me ler os pensamentos de outra pessoas, até mesmo conseguia plantar pensamentos nelas. Para muitos isso poderia parecer “legal” Mas ouvir várias pessoas pensando ao seu redor e ao mesmo tempo é assustador, ouvir seus pensamentos mais obscuros, coisas nojentas e até mesmo segredos. É horrível, até meus 10 anos de idade, eu era um garoto normal, vivendo com meus pais, minha família era maravilhosa, porém tudo mudou quando no meu aniversário de 11 anos minha mãe foi brutalmente assassinada e eu quase fui junto, o criminoso ele era o melhor amigo do meu pai e meu tio. Minha mãe e eu voltávamos da padaria quando uma van preta veio cantando pneus e parou em nossa frente, dois caras enormes nos jogaram dentro dela, eu chorava muito e ela me acalmava. “ Sehun meu pequeno, calma... Isso é só um engano, vamos ficar bem.” Ela dizia mal sabendo que caminhávamos para morte. Podia ver a preocupação dela ao me abraça e força um sorriso, assim depois de algumas horas a van para, eles descem com minha mãe, ela me olha e sorrir.

“ vai ficar tudo bem Sehun, a mamãe já volta.” Ela sorria, como podia naquela situação eu lembro de berrar por ela ao ver a porta se fecha e em seguida dois tiros serem disparados, eu tentava olha pelo vidro escuro socava a lataria da van chorando, a chamando e foi quando a porta se abriu outra vez e eu corri para o fundo da van, o homem mascarado me alcançou e levou para fora, eu estava de joelhos e ele atrás de mim, ouvir um click e logo tudo ficou branco.

 

E depois desse dia eu recebi esse dom que para mim é uma maldição.

 

— Ah, te encontrei! Hey, pirralho quem você pensar que é? Para me... – O mesmo coloca as mãos no joelhos parecia cansado.— Fazer de bobo, vamos a cerimônia vai começa. – o Olhava com vontade de rir, com os pensamentos que ele tinha. : “Será que fui muito duro? Ah, mas ele merecia. Tenho que ser firme.”

—Okay. – Disse do meu jeito de sempre e me levantei, estava atrás do ginásio, onde havia um banquinho distante dos prédios cinzas.

 

O seguir para dentro do espaço, me assustando com a quantidade de gente já ali, me perguntava por quando tempo tinha ficado ali. Assim me enfiei no mar de gente, já ouvindo os pensamentos alheios, fecho os olhos e respiro fundo, ouvindo alguns pensamentos direcionado a minha pessoa, até que tinha uma vantagem, eu poderia saber que estava afim ou de olho em mim, olhei para o lado vendo um garoto de cabelos negros e lábios rosados, ele me olhava com alguns pensamentos perversos, o olhei e vi ele envergonhado desviando o olhar e assim dei um riso baixo e me virei para frente. Assim vejo o diretor sobre o palanque, ao seu lado um ajusshi de cabelos claros e logo atrás Donghae, ele começava a fala, eu estava louco para sair daquele local.

 

— O diretor é mesmo um gostoso, Ah eu daria pra ele sem pensar. – Ouço um garoto fofoca para outro ao seu lado, obtendo uma resposta.

 

— Eu sou mais o professor de artes, o senhor Hae é um pedaço de mal caminho, eu daria. – Bufei revirando os olhos, pois, onde ele conseguia ver aquele cara como ativo? Assim volto a me concentrar apenas no diretor, ignorando os pensamentos ao redor.

 

— Então, sejam bem-vindos a Yonsei! - Disse as últimas palavras e se retirou do púlpito.

 

— Uham! O jantar o almoço está servido, hoje o dia é livre. Mas amanhã começamos! - Disse hae e assim sair do ginásio indo para trás dele novamente. Porém não estava sozinho, o garoto de antes me seguia, ele vinha em passos de pluma, claro que já tinha percebido. Mas apenas continue meu caminho para mais distante um pouco.

 

— Hey! Novato! - Escuto a voz do garoto e me viro sorrindo convidativo.

 

— Olá! - Respondi o olhando de cima a baixo, o vejo morde o canto dos lábios e assim pude escutar seus pensamentos. "Poderíamos pular essa parte e ir direto para foda, ah céus queria que alguém pensasse assim, ah ele é tão gostoso." - Me mantive quieto apenas olhando para ele, hora ou outra desviava os olhos para suas coxas fartas. Ele então sorrir e solta um suspiro e ergue sua cabeça.

 

— É... Sou Luhan, muito prazer. - Ele se curva e eu o olhava de cima mordendo os lábios, pois ora, quem recusaria uma foda logo no primeiro dia de aula e ainda com um passivo tão gostoso desse.

 

— O prazer é meu Luhan, Oh Sehun. - Disse pegando em uma de suas mãos a selando, ele sorriu com a bochechar rubras e em seguida mordeu os lábios, estava nítido seu desejo e seus pensamentos não deixavam mentir. — Poderia me mostrar a escola? - sugerir antes.

 

— Claro! - Disse jogando seu charme, o seguir sem evitar olhar para a bundinha redondinha que ele tinha. Caminhei sempre pressa junto a ele, o ouvindo falar e falar. — E essa é sala de recriação, quase ninguém vem aqui. – falou pausadamente e me lançou um olhar cheio de luxúria e pensamentos pecaminosos, sentir um frio na espinha com os pensamentos dele. Assim o puxei para dentro daquela sala e o prendo contra a parede.

 

— Queria te perguntar a um tempo, novos alunos não recebem tratamento especial? – Diz o vendo com os olhos arregalados por está fazendo aquilo do nada. Assim o ele mordeu os lábios e subiu uma das pernas ao lado de minha cintura e sorriu malicioso.

 

— Claro que recebem, mas não todos somente os gostosos como você. – Ele disse sem aquela “timidez de antes.

 

— Já estou adorando esse escola – Sorrir invadindo a boca alheia com desejo, o mesmo conseguiu me excitar apenas com aqueles pensamentos, logo vou descendo as mãos uma até a cintura fina do menor e aperto o puxando para mais perto e remexo minha pélvis contra o sexo dele, ouvindo o menor arfar. Desvio minhas mãos até sua bunda e aperto com força, fazendo seu corpo subi um pouco ao meu. Mordo seu lábio inferior, arrastando minha mão destra por dentro de sua blusa, a retirando, o puxo para mim andando pela sala até a mesa do professor o coloco sobre ela sentando e o mesmo laça minha cintura, rebolando. Contra meu membro o que me fazia arfa e morder com mais força seus lábios, o puxando pela cintura com precisão. Luhan retirava minha calça com urgência, meu membro em fim pode “respirar” está a tão apertado ali, ele abaixa minha calça até o joelho e eu faço o mesmo com a dele e o voto sobre a mesa.

 

—Desculpa baby, mas eu estou louco pra foder seu cuzinho, e não estamos com tempo. – baixei ouvindo sua risada sacana, o mesmo sabia que as preliminares não rolariam e como eu já tinha constatado ele queira ser fodido.

 

Assim segurei na base de meu pau, já melado e com a glande inchada, passo meus dedos sobre a entrada inchada e rosada  e deixo meu pré gozo ser o lubrificante para a entrada, viu enfiando devagarinho sentindo seu interior me apertar, rosnou pendendo a cabeça para trás e enfio até o talo.

 

—A-ah....s-sehun... – O mesmo gemeu manhoso já rebolando contra meu membro, sorrir ladino e estapeei suas bandas com força fazendo seu corpinho ir para frente, segurei com firmeza sua cintura e comecei a me movimentar com agilidade, bombeando com força, soltando gemidos roucos e baixos, enquanto Luhan gemia com uma putinha.

— O-oh porra, você tem um cuzinho tão delicioso, hmm... Tão apertadinho. -Disse abaixando o tronco e abraçando o tronco alheio com força, apertei mais seu corpo e estoquei como um animal no cio, pois fazia muito tempo que não transava, assim era embalado pelo sons dos nossos corpos se chocando, os gemidos de Luhan, a mesa balançando e rangendo e claro uma pessoa de plateia. Porém não me importei e continue o que fazia ouvido o passivo ir ao delírio se desfazendo antes mesmo que o tocasse, mordi seu ombro e ergui os olhos para a pequena janela de vidro na porta olhando fixo para ela, ainda estocando com força gemendo alto dessa vez rouco, e acabo por me desfazer dentro do menor.

 

 

Donghae

 

A cerimônia mal tinha acabado e o novato já tinha sumido, ele era minha responsabilidade e pelo visto teria problemas com seu gênio, irritante e calado, assim busquei informações sobre onde estaria ele e alguns alunos me informaram que ele estava com Luhan. Um péssimo começo, pelo que conheço dele era um rodado na escola e seu apelido era batiza novato, por sempre transar com pessoas novas, até mesmo eu não escapei dele, porém sou casado e muito bem casado, e também não sou gay.

 

 

 

 

Assim sair dos meus devaneios e passei a procurar o aluno novo, já tinha se passado alguns minutos e nada e assim fui para a ala das salas de aulas e fui olhando uma por uma, até que ouvir gemidos vindo da última sala do prédio e assim caminhei devagarinho na ponta dos pés e assim olho pelo vidro da porta e me assusto com o que vejo, levo minha mão até a boca e me encosto na parede com os olhos arregalados, assim escutava os gemidos dos dois e principalmente de Sehun, voltei a olhar de quina para a janela e via a pélvis do garoto ir contra a luhan, mordi os lábios nervoso e com vergonha do está espiando, mas eu como professor tinha que intervir, mas tudo. Que fiz foi olhar aquela cena inacreditável e assim voltou a olhar só que dessa vez os olhos negros de Sehun me encaravam e eu estava paralisado e ele sorrindo com malícia, engolir o seco e sentir um arrepio percorrer a minha espinha, logo um volume se fez presente em meio a minhas pernas, ao notar aquilo sair em disparada para minha sala e encostei a porta respirando fundo, tentando me acalmar e esquecer o que tinha visto e escutado.


Notas Finais


Hihihi Que vergonha.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...