1. Spirit Fanfics >
  2. I Hope You Don't Leave Me. >
  3. Night Changes.

História I Hope You Don't Leave Me. - Capítulo 26


Escrita por:


Notas do Autor


aqui começa uma nova etapa, espero que gostem, não esqueçam de comentar o que estão achando <3

Algumas pessoas estavam me perguntando no Twitter se os outros personagens fora do Now United, são reais.

Sim, são. Lisa e Roseanne são duas cantoras coreanas de uma das maiores girlgroups que é o Blackpink. E a
Momo Hirai, faz parte do Twice, uma banda também coreana.

Capítulo 26 - Night Changes.


Pov Heyoon.

5 de janeiro de 2019.

Paris, França. 

Suspirei pesadamente me encostando no elevador que subiria para nosso apartamento, nossa nova casa. Eu estava exausta, mas extremamente feliz. Uma nova fase da nossa vida se iniciava naquele momento, e eu não poderia querer nada melhor, até porque ela estava ao meu lado.

Dois dias antes eu tinha ido deixar Hina e Noah no aeroporto e eu quase me derreti de tantas lágrimas. Não muito diferente de Shivani e Josh. Nós estávamos nos separando, e mesmo que não fosse para sempre, era por um bom tempo. Pelo menos eu veria Lisa em Paris, que era um dos meus maiories esteios na vida.

Assim que saímos da caixa metálica, Sina caminhou na frente e enfiou as chaves na porta a abrindo, entrou e me esperou fazer o mesmo para fecha-la. Era grande e bonito. Chique demais, até para mim. Tinha que esperar aquilo mesmo, até porque quem tinha escolhido o local era a mãe de Sina, então eu tinha que esperar qualquer coisa rica e extremamente sofisticada. 

Deixei as duas malas grandes no canto, tirando minha jaqueta para observar melhor. A decoração se baseava tudo em preto, branco e bege, com poucos traços de cinza. Na sala, lustres espalhados assim como na cozinha, que por sinal, era bem bonita. 

O apartamento todo haviam oito compartimentos, exagerada ao máximo minha sogra. Isso tudo dividido em quatro quartos, dois banheiros, sala e cozinha. Sem falar na linda sacada que o quarto principal havia. Quando entrei no mesmo, uma grande das paredes era de vidro, que sem as cortinas, dava total acesso a linda vista de Paris por inteira. Mordi o lábio sorrindo em felicidade.

Quando voltei para a sala, Sina observava tudo com cautela e curiosidade. Nossos olhares se cruzaram e ela veio até mim, me abraçando com força. Havia pensando o mesmo que eu.

- Nossa vida começa agora, minha flor do deserto.

Ela disse baixo, acariciando meus cabelos com calma, seu cheiro gostoso me deixando calma e feliz. Fechei os olhos sorrindo.

- Eu te amo. 

Eu disse aquilo mais para mim do que para ela. Gostava de sempre me lembrar daquele sentimento bobo e gostoso de sentir. Aquele amor que queimava em nós duas.

Suas mãos com anéis gelados foram até meu rosto, o levantando até ficar alinhado com o seu.

- Eu também te amo, princesa. E eu agradeço, por estar aqui, com você ao meu lado.

Princesa. Sorri encostando nossas testas, lhe dando um pequeno selinho. Naquele momento, ali, com ela. Eu não precisava de mais nada. 


Depois de tomar um banho bem tomado, Sina e eu nos deitamos para descansar um pouco. A noite, tinha combinado de encontrar Lisa, pois ela e Rosé moravam nas proximidades do nosso apartamento. Já que no dia seguinte, nós teríamos de organizar nossas coisas para logo logo irmos para a faculdade.

Como o carro de Sina tinha vindo num avião dias antes junto a mãe dela, quando a mesma havia pisado em Paris para escolher nosso apartamento, o automóvel estava no estacionamento do local. Nós não éramos tão familiarizadas com ruas e a língua, então para não acabar tendo que no final da noite segurar Sina para não entrar numa briga no meio do trânsito parisiense, preferi ir de táxi com ela até o local combinado com as meninas. 

O local era nada mais nada menos do que a Torre Eiffel, suspirei deslumbrada com a beleza daquele lugar. Era bem mais bonito de perto, com toda a certeza. 

Eu estava besta com tudo aquilo, mas aquela voz bem conhecida me despertou de qualquer coisa.

- HEYOON!

 Mordi o lábio me virando de frente para de onde o som vinha e o sorriso rapidamente se fez em meus lábios. Lisa. Ela prontamente correu até mim e nossos corpos se choraram com força, me fazendo soltar a mão de Sina que abraçava logo em seguida Rosé.

Ficamos naquele abraço um bom tempo. O cheiro gostoso dela continuava o mesmo, cítrico e salgado. A apertei entre meus braços, enterrando minha cabeça em seu peito. Lisa me abraçou com vontade, sem pena nenhuma. Podem até pensar que era mimimi e que nem foi tanto tempo longe assim. Mas para quem eram vizinhas desde criança, ficar longe dela menos de 2 meses foi um tormento. 

Lisa era minha confidente, com quem eu contava e sempre contei para tudo. Nunca desmereci a amizade de nenhum dos meus  amigos, mas elas três eram diferentes. Shivani era sempre a mais centrada, era quem puxava minha orelha quando necessário e quem me dava colo se precisasse chorar. Lisa, era o puro furacão. Autoritária e cheia de si, mas com o coração que se derretia facilmente por qualquer coisa. Hina, por sua vez, era a calmaria em meio ao caos. Quando outras duas entravam em conflito constante, Hina estava ali para acalmar as coisas, sem perder sua postura de patricinha estudiosa. Eu sentia tanta a falta disso, mesmo que não fizesse uma semana que estávamos longe.

- Você está aqui.

Ela sussurrou para mim, beijando minha cabeça várias vezes rindo. Segurei em seus ombros gentilmente e a afastei alguns centímetros para lhe olhar. A franjinha acidentada caindo por seus olhinhos, sem perder aqueles lindos traços tailandeses dela.

- Estou, estamos juntas. Como sempre sonhamos.

- Sim, Jeong. 

Lisa sorriu toda boba, me apertando em seus braços outra vez. Como senti falta daquele calor que ela sempre me passava. 

- Será que pode dividir ela comigo um pouquinho, amor? Também senti falta dela.

A voz dengosa e resmungona de Rosé se fez presente, nos fazendo se separar rindo, a abracei também. Roseanne estava linda, como sempre. Seus fios loiros abertos até o meio da costa, lisos e sedosos. 

- É bom ver vocês de novo, ver que permaneceram juntas.

Eu disse as olhando com um pequeno sorriso no rosto. Era nítido o amor entre elas.

- Podemos dizer o mesmo de vocês duas. Ver que chegaram até aqui. - Rosé sorriu, assim como eu.

- Mas, como estão as coias por aqui? 

Sina perguntou assim que começamos a caminhar para um restaurante próximo dali.

- Nós estamos muito bem, eu diria. Consegui entrar para um dos principais grupos de dança da faculdade que estudo e Rosé, bom a carreira dela só sobe cada dia mais. Eu me surpreendo sempre com isso. Ela conseguiu um grande patrocínio da Vogue, esses dias fotografou com Kendall Jenner e Gigi Hadid.

- Jura? - Perguntei com entusiasmo. Rosé sorriu toda vergonhosa e assentiu.

- Sim, foi um sonho. A capa da revista logo será divulgada, ainda estou sonhando, para falar a verdade.

A conversa se estendeu por mais um tempo até entrarmos no restaurante e nos sentarmos. 

A noite foi incrível perfeita. Nos rendeu conversas de várias coisas possíveis. Ali, eu percebi que eu não era mais uma simples garota que havia acabado de completar 18 anos, eu estava prestes a me tornar alguém de verdade. Não precisava de muito, mas tudo aquilo já se encaixava no meu futuro que sempre preservei bastante. 

Mais uma vez, ao ter os pés naquele solo parisiense, eu pude ter a certeza de que de fato, minha vida começava ali e eu teria de lutar por ela.


Pov Sina.

Depois do jantar agradável com Lisa e Rosé, elas duas teriam de ir embora pois logo cedo na manhã seguinte, Roseanne tinha que estar no prédio da Vogue para posar em prol da divulgação de im desfile. 

Nos despedimos e nos combinamos de sair de novo, já que elas moravam alguns quarteirões longe de nós.

Abri a porta do apartamento deixando Heyoon entrar e fechei a mesma. Me encostando ainda observando o local. Tudo era bonito demais, parecia um sonho.

- O que tanto você olha? 

Ela me perguntou sorrindo, tirando os tênis que calçava.

- É tudo tão bonito... É estranho e novo.

- Demais.

- Vem aqui.

A chamei brevemente e segurei em sua mão, nos levando até nosso quarto. A puxando a parede de vidro, puxei as cortinas e deixei que aquela bela paisagem nos enuviasse naquele momento. Só nós duas. Aquilo era novo e insano, quente e forte, estranho e bom. Tudo misturado em uma única experiência.

Me posicionei atrás dela e passei os braços por sua cintura, largando o queixo em seu ombro. Heyoon se encolheu em meus braços. Ficamos em silêncio apenas observando tudo. A Torre Eiffel enfeitava ao fundo, os postes ligados e os carros lá em baixo. Tudo se encaixava na paisagem belíssima que era apreciado por nossos olhos, vivos e cheios de expectativas. Sonhos, sonhos jovens.

- É tão... Bonito.

Heyoon disse baixo, seu olhar demonstrava pura admiração.

- É sim. 

- Acha que o que estamos vivendo é destino? - Heyoon se virou de frente para mim lentamente, suas mãos se enfiando em minha nuca. O quarto estava escuro e o que nos iluminava era apenas as luzes lá de fora. - Nunca achei que isso de destino um dia acontecesse, mas sempre acreditei em amor verdadeiro. Não que fosse acontecer um dia comigo, mas admirava as pessoas que eram apaixonadas. E talvez tudo isso agora, com você. Posso ver que tudo o que aconteceu antes foi pra estarmos aqui, nesse lugar, juntas. 

Ela ia dizendo calma, seus polegares acariciando meu rosto. Com aquelas pequenas palavras e seus simples toques, meu coração acelerou. O castanho de seus olhos brilhando de uma forma linda

- Uma se encaixou na outra, Heyoon. Você se encaixa em todas as minhas falhas e imperfeições. Hoje, eu posso ver o quanto eu sou sortuda de ter você ao meu lado. De poder acordar ao seu lado todos os dias daqui pra frente. Quando eu digo que quero casar com você, eu falo sério. Eu vou vender o meu corpo pra comprar um anel lindo pra você, mas vai valer a pena.

Heyoon caiu numa gargalhada deliciosa jogando a cabeça para trás, naquelas que eu me derretia completamente de amor, de tão apaixonada que eu era por aquela mulher. Abracei sua cintura, a trazendo para mais perto de mim.

- Lembra daquele dia, em que nos beijamos a primeira vez e que você disse que não queria ser apenas minha amiga? - Ela perguntou sorrindo, assenti.- Naquele dia eu tive a certeza de que você estava apaixonada por mim, só não quis acreditar.

- Ah, quem está sendo convencida agora, em? - Ela riu de novo, selando nossos lábios demoradamente.

- Não estou sendo convencida, amor. Só estou falando, eu semore te observei e via como você iludia aquelas menininhas na escola. Uma pura safada, eu diria.

- Está me ofendendo assim, Jeong Heyoon. 

Adorava falar o nome dela completo, a forma como era pronunciado. Heyoon ficou em silêncio ainda sorrindo, sua respiração ficou calminha. Seu olhar preso no meu, foi quando eu senti seus olhos brilhando em suas conhecidas lágrimas.

- O que f...

- Não fala nada. - Ela sussurrou, encostando nossas testas.- Só fica caladinha, aqui comigo.

Ah, caramba. Como eu estava em paz comigo mesmo e com ela, o meu grande amor.





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...