História I Know Places - Capítulo 1


Escrita por: e exovelvett

Postado
Categorias EXO, Red Velvet
Personagens Chanyeol, Seulgi
Tags Chanyeol, Distopia, Exo, Exovelvet, Red Velvet
Visualizações 11
Palavras 780
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Crossover, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Universo Alternativo

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero de coração que alguém goste <3

Capítulo 1 - Capítulo Único


— Corre, Chanyeol!

A risada alta de Seulgi fez os pelos dos braços de Chanyeol se erguerem. Um arrepio surgiu na coluna e num pulo o rapaz de madeixas avermelhadas se botou de pé.

E correu. Correu como se sua vida dependesse daquilo, o que, engraçado ou não, dependia. Se não tivesse se levantado poderia ter inventado alguma desculpa, mas ele correu. O que significa que é tão culpado quanto ela.

Seulgi ainda ria, sem medo algum, enquanto corria na sua frente. O vestido branco se levantava um pouco por causa do vento e os cabelos escuros balançavam em suas costas. Ela era rápida e, talvez, mais do que Chanyeol.

— Seulgi, espera!

— Corre, Chanyeol, corre!

Ela era louca. E ele, ingênuo ou tão louco quanto ela. Não queria ser pego, mas escutava os passos pesados dos guardas atrás deles. Escutou o apito quando Seulgi se pôs a correr e ainda escutava os gritos os chamando.

Estavam perdidos.

Sinceramente, o rapaz nunca pensou que acabaria assim. Afinal, ele não era um rebelde. Longe disso. Se houvesse alguém mais careta do que Chanyeol, ele certamente desconhecia.

Então, como se meteu nessa enrascada?

Essa é uma boa pergunta.

— Caralho, Seulgi, a gente vai ser pego!

Entraram numa viela. Ela ainda corria mais rápido do que ele. Seulgi de pés velozes, esse deveria ser o seu nome.

A garota olhou para trás por um momento, para certificar de que ele ainda continuava ali. Correndo. Quando se deparou com os olhos assustados de Chanyeol, abriu um sorriso tão grande e sincero que quase fez o rapaz tropeçar. Quase.

— É claro que não, seu bobo! Os caçadores nunca irão nos pegar!

Como se meteu nessa enrascada? Tinha certeza de que a resposta era um pouco assim: por causa dela.

— Seulgi, eu não quero morrer.

— E quem disse em morrer? — os guardas não estavam muito longe. Mais alguns minutos e os alcançariam. — Chanyeol, você confia em mim?

Está aí uma boa pergunta. Ele confia?

Eles se viam todos os dias. Nunca trocaram uma palavra até esse, inimaginável, dia. Hoje, e para ser mais exato, há duas horas atrás.

E tudo por causa de um maldito olhar.

— Eu não te conheço — foi a resposta do rapaz.

— Eu também não te conheço — a garota riu, alegre, viva. Seus olhos, tão felinos quanto na aula se fixaram nos olhos amendoados de Chanyeol. — No final, não é essa a graça? Você tem que se decidir.

— Você é louca.

Talvez, — pondera ela, virando a cabeça levemente de lado como se pensasse em algo. Mas Chanyeol sabia o que ela fazia. Fitava atrás dele para ver se os guardas estavam chegando. — mas se eu sou louca, você é tão louco quanto eu.

— Eu sei — respondeu, a voz vacilando.

Em seu íntimo, esse era um medo que guardava a sete chaves num baú enterrado na terra lamacenta da sua mente. E agora, a garota além de lhe arrastar para uma enrascada, ela desenterrou o baú, conseguiu as setes chaves e o abriu, despejando o medo de Chanyeol em seu ser e em todos que estariam ali para ver.

Fala sério, não deveria ter se deixado levar apenas por um olhar. Um simples e singelo olhar durante a aula.

Não eram treinados para isso. A separação é certa e absoluta. Um Mou não se mistura com um Gros. Era errado. Mas no instante em que ela cruzou o olhar com o dele tudo fez sentido.

Pela primeira vez se sentiu vivo. E nunca se sentiu feliz por estar errado.

— Tudo bem, eu aceito morrer agora.

— Chanyeol, bobinho, — Seulgi riu mais uma vez e fez o coração do rapaz bater mais rápido. — e quem disse que nós vamos morrer?

Seulgi agarrou a sua mão. E ao tentar processar esse fato, se deixou ser puxado pela garota para uma parede falsa. Entraram num túnel e andaram, andaram e andaram por muito tempo até chegarem em outra porta. Se tivesse que repetir esse processo, Chanyeol com certeza ficaria perdido. Parecia que tinham acabado de passar por algum labirinto.

Ela se virou de frente para ele e segurou seu ombros.

— Lembre-se: nós somos as raposas e eles os caçadores.

— Do que você tá falan…

— E nunca se esqueça de correr — suas palavras saíram tão sérias que por um momento pensou que ela o abandonaria ali. — Não largue a minha mão, está bem?

Chanyeol assentiu, completamente perdido.

Segurou a mão de Seulgi forte e de maneira firme enquanto a garota abria a porta.

Felizmente ele segurava a mão da garota, caso contrário teria desmaiado de espanto.

— Bem Vindo à Maison de la Vie — ele ainda fitava embasbacado o lugar a sua frente. — Eu te disse que conhecia alguns lugares, não disse?

 


Notas Finais


Mou: pessoas calmas, domesticadas, responsáveis por cuidarem das coisas fáceis e sem perigo algum.
Gros: pessoas impulsivas, líderes, corajosos e duros.

Outras fanfics minhas:
Distopia: https://www.spiritfanfiction.com/historia/born-to-die-5874446

Ficção Cientifica: https://www.spiritfanfiction.com/historia/fille-20-13488589

Misticismo: https://www.spiritfanfiction.com/historia/sparks-fly-13353044

Qualquer comentário é bem vindo <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...