História I like her; - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bungou Stray Dogs
Personagens Chuuya Nakahara, Kenki Miyazawa, Kouyou Ozaki, Kyouka Izumi, Nakahara Chuuya
Tags Chuuya Ama A Irmã, Kenji, Kyouka, Kyouka X Kenji
Visualizações 20
Palavras 1.292
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Famí­lia, Fluffy, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá bebês, irra

Como vocês estão depois do último capítulo??? Porquê eu tô com o coração despedaçado aqui...

Enfim, o capítulo está bem fofinho aqui, porquê eu não consigo imaginar a cena menos do que um amor e é isso.

E eu meti o Chuuya na história porquê não consigo fazer nada sem ele??? Sim, exatamente isso. Mas juro que tem coerência, afinal ele e a Kouyou são família da Kyouka, change my mind se puder.

Volto dia 11, beijos.

Boa leitura!

Capítulo 1 - É porquê vocês são família.


Fanfic / Fanfiction I like her; - Capítulo 1 - É porquê vocês são família.

- Por que aquele menino nos chamou aqui mesmo? - Kouyou perguntou, enquanto olhava distraidamente para a decoração da casa de bolos.

Chuuya deu de ombros, a bem da verdade ele não sabia o que o amigo queria com os dois.

Se fosse só Chuuya, seria compreensível, afinal ambos saiam juntos às vezes. Mas por quê pedir para ane-san estar alí?

- Eu não faço ideia. - Chuuya apoiou o queixo em uma das mãos e sorriu ao ver os cabelos amarelos tão conhecidos seus, entrarem no ambiente.

- Chuuya! - Kenji disse feliz ao ver o amigo, Chuuya lhe devolveu um sorriso caloroso em cumprimento. - Kouyou-san, é um prazer enfim conhecê-la. - Kenji se curvou levemente para frente, em um gesto de respeito.

- Sente-se, garoto. - Kouyou disse depois de alguns poucos segundos, onde ela o analisava.

Chuuya assistiu com interesse a forma afobada de Kenji voltar a ficar reto e se sentar, quase como se ele estivesse nervoso.

- Tudo bem, Kenji? - Chuuya perguntou preocupado, se acalmando um pouco quando viu o sorriso caloroso que Kenji lhe direcionou.

- Sim, obrigada Chuuya! - Chuuya amava como Kenji parecia brilhar, como o garoto tinha uma presença leve e quente.

E Chuuya gostava muito da facilidade do menino em o chamar apenas pelo nome, diferente de Atsushi que ainda insiste em usar o sufixo ao se dirigir a ele.

- Então, garoto? - Chuuya voltou a prestar atenção a situação atual ao ouvir a voz de ane-san. Ela não parecia brava com o encontro, apenas curiosa. E isso era bom, ninguém quer estar perto de ane-san quando ela está brava.

E então, a postura leve de Kenji foi por água abaixo. Chuuya suspirou.

- Quer um pouco de chá, Kenji? - Chuuya ofereceu amigavelmente, o que foi respondido apenas por um balançar de cabeça.

Chuuya chamou a garçonete que estava ali e pediu um chá de camomila, a moça lhe informou com um sorriso gentil que sairia o mais rápido possível.

- Então, como anda aquelas vacas que você me contou? - Chuuya tentou ir para um assunto que deixasse Kenji confortável por enquanto, ignorando completamente a arqueada de sombrancelha que ane-san lhe dirigiu.

Kenji sorriu grande para Chuuya.

- Oh, muito bem, sim. - Kenji estava feliz em falar sobre isso. - Estão quase na época de reprodução, então o leite sai uma delícia. Irei te mandar um pouco, Chuuya!

Chuuya concordou sorrindo e Kenji continuou a falar sobre a saúde das vacas a Kouyou, que prestava atenção a tudo que o menino despejava nela com interesse genuíno em suas feições.

Chuuya ficou feliz em ver que o garoto loiro voltou a parecer um pedaço de sol na terra.

Então, a mesma garota gentil de minutos atrás colocou uma xícara de chá na mesa, se desculpando pela demora. 

- Não houve demora, obrigada pelo chá. - Chuuya lhe devolveu um sorriso gentil e percebeu as bochechas da menina ganharem um tom rosado, antes dela se curvar e se afastar rapidamente. 

Chuuya deu de ombros com isso, Kouyou soltou uma leve risada.

Já Kenji bebia o chá com um sorriso feliz nos lábios, Chuuya observou ane-san momentaneamente pelo canto do olho e percebeu o pequeno sorriso afetuoso que ela tinha no rosto ao olhar a cena.

- Eu... - Kenji colocou a xícara na mesa e olhou para os dois mafiosos a sua frente, estava sério apesar de tremer um pouco. - Eu os chamei aqui para pedir uma coisa.

- Então, peça. - Kouyou disse resoluta, agora nenhum traço do que ela pensava estava visível em seu rosto. Chuuya voltou a olhar para Kenji e acenou com a cabeça em um incentivo.

- Eu sei que vocês cuidaram de Kyouka quando ela estava na máfia. - Kenji começou e Kouyou endureceu levemente, Chuuya arqueou a sombrancelha.

"Oh, então é isso." Chuuya gostaria de sorrir, mas não era o momento certo.

- Kyouka é como minha irmã. - Chuuya disse no lugar.

- E eu sei que para ela você também é um irmão. - Kenji disse feliz. - Assim como você é como uma mãe para ela, Kouyou-san.

Kouyou permaneceu inalterável, somente o batimento cardíaco acelerado mostrava como as palavras do garoto loiro a sua frente abalaram ela.

- E o que você quer pedir? - Kouyou disse, um tom de carinho presente em sua voz.

- Eu e Kyouka estamos namorando. - Kenji falou rapidamente, Chuuya assistiu com um sorriso nos lábios o vermelho tomar forma no rostinho fofo do garoto.

"Definitivamente um pedaço de sol." Chuuya ponderou.

- E você quer a nossa permissão? - Chuuya saiu em favor do amigo, antes que o silêncio durasse tempo demais.

- Não, acho que não. - Kenji parecia distraido. - Vocês são família e eu quero que vocês saibam, mas a permissão é diferente porquê eu não pretendo terminar com ela caso vocês não aceitem. Eu gosto de Kyouka, de verdade.

Chuuya compraria carne para esse menino depois que ambos saíssem dali. Oh, Chuuya pagaria toda a carne que Kenji quisesse comer, com toda a certeza. 

E cuidaria da segurança dele após a refeição, claro. Chuuya sabia toda a condição de sua habilidade.

Chuuya faria porquê, precisava de muita coragem para ser tão franco assim com dois executivos perigosos da máfia, e enquanto Chuuya nunca faria nada para machuca-lo, Kouyou era diferente.

- Kyouka é nova demais. - Kouyou disse depois de pensar nas palavras decididas do garoto.

- Temos a mesma idade. - Kenji disparou uma resposta.

- Eu aceito. - Chuuya se inclinou para trás na cadeira, ambos os olhos focados nele. - Você cuidará bem da minha irmãzinha, não é? - Chuuya piscou um olho com cumplicidade para Kenji que sorriu grande.

- Sim! É claro. - Kenji respondeu feliz. - Sempre que ela tá triste, eu seguro sua mão e a levou para comer crepes. E quando ela tá feliz, eu a abraço e lhe dou plantas bonitas ou pequenos coelhos de pelúcia que eu costurei.

Felizmente, Kouyou sorriu com isso.

- Você parece realmente gostar de Kyouka. - Kouyou disse com uma expressão mais gentil. - Eu também aceito.

Se alguém tivesse dito a Chuuya que Kenji iria simplesmente pular da cadeira e abraçar Kouyou apertado, Chuuya teria acreditado, mas gargalhando da ideia.

E agora, era isso que ele via diante de seus olhos. 

Kouyou não sabia o que fazer, tal gesto a pegou momentaneamente desprevenida. Chuuya sorriu ao ver sua ane-san levar a mão ao cabelo loiro de Kenji e o acariciar.

- Agora, eu tenho que ir. - Kenji disse de repente. - Prometi levar Kyouka ao parque.

- Se divirtam. - Chuuya disse com carinho, vendo o amigo se curvar em respeito a Kouyou e correr até a saída. Acenando em despedida do lado de fora do estabelecimento, Chuuya devolveu o aceno antes de ver o garoto sair correndo. - Estou surpreso que você aceitou tão rápido. - Chuuya murmurou enquanto levava sua própria xícara aos lábios.

Kouyou deu de ombros.

- Ele parecia sincero. - Kouyou também levou sua xícara aos lábios. - E ele parece um bom garoto.

- Ele é. - Chuuya prontamente entrou em defesa de Kenji, mesmo que aparentemente não fosse necessário.

- E corajoso. Precisa de muita coragem para ser tão sincero com executivos da máfia. - Kouyou sorriu gentilmente ao ruivo.

- Está certa, ele é corajoso. - Chuuya devolveu o sorriso, feliz que tudo tivesse dado certo.

- E sinceramente, Kyouka fez uma escolha melhor do que você, aos 16 anos. - Kouyou fez uma careta ao lembrar da época.

- Ane-san! - Chuuya gemeu constrangido. - Não vamos falar sobre aquele bastardo, sim?

Kouyou apenas sorriu e voltou a tomar seu chá.


Notas Finais


Bem, é isso.


Gente, quero deixar bem claro que eu não tenho certeza se esse lance do leite das vacas está certo, eu ouvia muito quando criança e soquei os 4 anos de faculdade de biologia no cu ao escrever essa parte mas kkkkk quem liga??


Espero que vocês tenham gostado, o próximo capítulo é focado totalmente no encontro dos dois, a coisa mais fofa do mundo esses piticos no parque.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...