História I Love You, Baby- Lil Xan - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Imagine, Lil Xan
Visualizações 86
Palavras 803
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Drogas, Heterossexualidade, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oi, tudo de bom.
Então, amanhã vai ser o meu último dia de aula, e hoje foram os 3 reais mais bem gastos da minha vidaaa, 3 coxinha irruuuu
enfim, tô melhorzinha e ovo posta agora porque eu quero, beijos.

Capítulo 8 - Foi uma ameaça.


Fanfic / Fanfiction I Love You, Baby- Lil Xan - Capítulo 8 - Foi uma ameaça.

(S/N) POV

Me separei dele na hora, com falta de ar, puta que pario, só falto ele sugar a minha alma na moral. Esperei minha respiração normalizar, suspirei e raciocinei um pouco.

Sate, sate ,sate (então, acho que é isso sei lá KKKKK) eu cumpri o desafio de beijar o Shawn, o Diego apareceu do nada e mandou eu ir na sala dos professores, ele estava emputecido, depois me colocou em cima da mesa e me deu um beijo e logo partir prum beijo de língua. Okay, tá legal...

-NÃO PORRA, NÃO TÁ LEGAL! O QUE DEU EM VOCÊ SEU INFELIZ? OLHA A MINHA IDADE PRA SUA, SEU COCO AMBU...- ele tampou a minha boca, olhando no fundo lá no fundoooo dos meus olhos, mais lá no fundo, tá parei vocês já entenderam.

-Cala a boca buceta, e se alguém ouve cê louca caralho, aquieta o cu porra.- ele disse, logo após tirou a sua mão da minha boca.

-Queisso, pra que tantas palavras de baixo calão se dirigindo á minha pessoa.- fiz cara de triste, fiz não, eu já tenho uma cara de triste.

-Ah toma no seu cu, fala como se fosse santa azideia.- suspirei e empurrei ele, saindo de cima da mesa e indo em direção á porta.- oxe vai aonde?

-Embora daqui.- falei saindo, e fechando a porta atrás de mim, corri até o banheiro feminino, entrando em um bagulho lá que eu não sei o nome, tipo têm o banheiro e dentro do banheiro tem outros banheirinhos, aaaa não sei.- merda, merda, MERDAAAAAAA!.- chutei a porta com todas as minhas forças possíveis que existiam dentro de mim, fazendo um barulho do caralho.- eita porra...

-Que barulho foi esse?!- eita fodeu, essa é a voz da pedagoga, se ela me pega tô ferrada! Corri até a porta do banheiro, más já era tarde demais.- ah, então foi a senhorita não é? Para o setor, agora!

-Sim senhora...

Segui ela em silêncio, o corredor estava vazio para a minha sorte, depois de alguns segundos entramos no setor, e adivinha, só adivinha, aquele merdinha tava lá.

-Sente-se.- andei até a cadeira, sentindo o olhar dele em mim, affe. Me sentei.- posso saber o por que que a senhorita fez aquele barulho horroroso.

-Eu estava com raiva, me desculpe. Não ira se repetir.

-Promete?

-Sim senhora.- falei cabisbaixa.

Eu sabia que o tempo todo ele estava me encarando, rindo de mim.

-Pode sair.- e então eu saí, e nossa, foi super rápido.

algum tempo depois.

Diego POV

Eu estava encostado no capo do meu carro, sim, eu fui buscar ele. Eu sabia que a (S/N) estava pistola comigo, mas tipo, eu tô apaixonado por aquela mina, eu sei que eu sou um pouco mais velho que ela, e ela insiste nisso! Porra, foi só um beijo, UM BEIJO, eu poderia ter trancado aquela merda de sala e sei lá, ter transado com ela. Okay, e se um professor quisesse entrar? Aí eu me fodia, porque é ilegal relacionamento de alunos com professores. Bem, foda-se, a gente tem que seguir os nossos sonhos, sá come, "tão deixando a gente sonhar" minha filosofia de vida. Peguei um cigarro no meu bolso, e o isqueiro, binga, tanto faz; apreciei o cigarro em minha mão, logo o colocando na boca e o acendendo. Enquanto fumava, admirei o céu; estava nublado, igual á minha vida, sad. Ouvi passos apressados, e já até sabia de quem era.

-Ei seu infeliz, por que me beijou? E por que ficou me encarando lá no setor em vez de ajudar, mas se bem que foi bem rápido. Más mesmo assim.- ela ficou na minha frente, e bem, kkk, nada a dizer.- apaga esse cigarro e me responda.- falou autoritária, olhei para baixo, sorrindo, apaguei o cigarro no meu braço, coisa que faço a um tempo e o joguei no chão.

-Primeiramente: porque eu quis.- ela fez cara de brava.- segundamente: eu não podia fazer nada, não sou seus amiguinhos pra resolver suas merdas.- ela fechou a cara, e logo em seguida bufou. Logo virando as costas para mim e saindo, coisa que não deixei, segurei em seu braço e a puxei para mim.- garota, você me fez apagar o meu cigarro pra virar de costas insatisfeita com ás respostas que eu te dei, e quer sair bufando?- puxei seu braço para cima, fazendo ela ficar nas pontas dos pés, me arqueei um pouco, e olhei nos seus olhos.

-E-está me machucando...- choramingou. Sorri.

-Isso não é nem o começo.- roubei um beijo seu, a fazendo corar. Larguei o seu braço, sorrindo.- se cuida.- disse.

-Ah, obrigada...

-Foi uma ameaça.- ela fechou a cara e saiu andando logo em seguida; estava tremendo.

Peguei outro cigarro em meu bolso, acendi e olhei para o céu novamente.

-Isso não é nem o começo garota...

 


Notas Finais


enfim, aleatório eu sei, mas não podia deixar sem postar, e foi mal, ficou meio curtinho.
beijoooos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...