História I love you forever - StepQueen - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Emma Swan, Regina Mills (Rainha Malvada), Sr. Gold (Rumplestiltskin)
Tags Regina&drizella, Step Queen, Stepqueen
Visualizações 109
Palavras 4.696
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: LGBT, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oieee meus amores trago pra vcs essa one diferente StepQueen, espero que gostem, que comentem.muitooooo para virem mais coisas assim...

Capítulo 1 - Te amarei para sempre


Fanfic / Fanfiction I love you forever - StepQueen - Capítulo 1 - Te amarei para sempre

X


Regina

- Sim - a voz de Facilier ecoou na sala.

- Regina Mills você aceita Facilier como seu legítimo esposo? - O juiz perguntou e ele me olhou profundamente nos olhos.

- Eu aceito. - falei e continuei o olhando e eu só pensava em como eu estava feliz, eu iria me casar com o homem que eu amava, finalmente alguma coisa parecia certa, alguma coisa parecia boa, afinal eu não tinha sorte no amor, parecia que todos os anos que vivi como evil queen, me condenaram a nunca ter um final feliz, perdi Daniel e Robin e nem pude fazer nada quanto a isso, vi os homens que eu amava morrerem diante de mim sem poder fazer nada, e mais uma vez a magia não pode me ajudar, as coisas foram bem complexas mas finalmente tudo estava em seu devido lugar naquela cidade, Henry com sua família, e eu agora me lembrava de tudo, se bem que algumas coisas eu não ligaria de esquecer.

- Bom senhorita Mills, teremos mais um ensaio antes do casamento. - O juiz falou e Facilier veio me abraçar e beijou meu rosto, e eu sorri com aquele gesto.

- Não sei para que ensaiar isso, ela me ama, eu a amo demais, o casamento será fabuloso. - Ele falou e fez uma rosa negra aparecer, e me entregou. - Um bela rosa rara para uma bela mulher rara. - Ele falou e me beijou uma vez mais.

- Argh - Henry chegou e eu soltei Facilier e o abracei. - Jamais vou me acostumar, sempre que vejo alguem te beijar parece que tenho dez anos novamente.- Beijei Henry e apertei seu rosto, para mim ainda era meu menino.

- Uma hora você acostuma, acostumei a ver você e a Jacinda, você e Drizella, você e Violet, você e sininho, você e moana... - Falava e ele revirava os olhos e eu dei risada -  Quer que eu continue?

- Não é necessário mãe.

- Imaginei.

- Bom minha rainha, eu preciso ir tenho algumas coisas para resolver antes do casamento. - Ele veio me beijar e Henry o encarou e limpou a garganta e ele ficou tão sem graça que simplesmente apertou minha mão e saiu completamente sem graça, e eu empurrei Henry.

- Que foi?

- Que foi ? Henry Swan Mills Você não muda.

- Roni e ele não me incomodava muito, mas Regina e ele a isso me incomoda.

- Querido - falei segurando as mãos dele, e o olhei bem nos olhos- Você acha que estou querendo dar o passo errado ?

- Mãe eu te amo, e quero sua felicidade, você acima de qualquer um nesta cidade merece ser feliz, mas você sempre me falou para tomar cuidado com minhas decisões e  não me precipatar, Drizella é uma delas, que tentou se aproximar de mim apenas por sua causa e eu quase cai na lábia dela, foi por muito pouco. - Balancei a cabeça negativamente.

- Drizella só estava perdida precisando de orientação.

- Mãe ela tentou ser a nova "rainha má" - ele falou fazendo aspas com os dedos.

- Querido ela foi criada pela Victoria, assim como eu fui por sua avó, fomos criadas por pessoas que sempre só olharam o próprio umbigo acima de tudo.

- Mãe isso não justifica.

- Querido é o mesmo que apontador o dedo pra mim.

- Mãe nem todos mudam, Drizella não é confiável - Ele fala caminhando comigo até que ouvimos um barulho e quando viramos era Drizella ela havia acabado de tropeçar e se levantava, totalmente sem graça.

- Eu vim apenas trazer isso - Ela me deu uma pequena caixinha preta. - É um presente de casamento... Eu estou de partidada... Vou sair da cidade então não precisa se preocupar com o fato deu não ser confiável. - Segurei a caixinha em minha mão e quando ela foi se afastar segurei o braço dela.

- Porque vai embora, agora está tudo bem Drizella, pode recomeçar aqui.

-Aqui? - Ela deu risada e abaixou a cabeça e tornou a me olhar. - Todos entendem que teve uma maldição e todos agiram de forma estranha durante ela, ela foi quebrada, todos foram perdoados e vivem bem, porém eu sou a filha da madrasta da Cinderela, sou a irmã má segundo algum autor idiota. - Henry tentou falar e ela levantou a mão e o calou com magia. - Não quis ofender Henry, mas se você ouvir sempre só a versão da cinderala os outros serão sempre vilões, me admira você não saber disso, logo você Regina. - Eu tentei ir mais perto dela, mas ela moveu as mãos novamente, e eu não conseguia andar nem falar, ela havia aprendido bem. - Não pertenço a este lugar, as pessoas nunca vão acreditar em mim, se nem você que me conheceu tão bem confia de fato... - Ela suspirou e limpou uma lágrima que queria cair, e meu peito ardeu, me senti mal. - Espero que Facilier te faça feliz, que ele seja seu final feliz. - Ela simplesmente virou as costas e saiu andando, ela moveu a mão e nos liberou e sumiu em uma fumaça preta.

- DRIZELLA. - Gritei em vão, olhei para o Henry.

- Mãe eu não tive a intenção...

- Querido não tinha como saber que ela estava ali. - Coloquei a caixinha no bolso, e levei minhas mãos a cintura.

- O que você vai fazer ? - ele.me perguntou provavelmente já conhecendo minha expressão.

-Querido preciso que vá até o Grennys provar os bolos com Facilier, e ver a decoração com Emma e Alice, acredito que eu volto antes disso, mas Robin vai estar com Zelena esperando para ver meu vestido.

- Mãe seu casamento é depois de amanha.

- Querido Drizella está querendo ir embora da cidade, se ela sair não poderá voltar nunca mais, ela até pode nos procurar mais não vai encontrar, desta vez eu garanti que ficaríamos seguros.

- Mãe...

- Querido apenas faça o que te pedi ok? Eu volto logo com Drizella.

- Ta bem.- Ele falou, beijou meu rosto e saiu andando.

- Onde você foi Drizella. - lembrei da caixinha em meu bolso, e a peguei, abri a pequena caixinha e havia uma pulseira delicada dourada, com um pequeno lirio como pingente, me peguei sorrindo olhando aquilo e coloquei no meu braço, havia um pequeno bilhete que eu logo abri.

"Mills, acho que tenho talento em  não ter sorte, espero que seja feliz com a pessoa que escolheu, mas espero que guarde com você este pequeno presente, é um lírio, um lirio branco."

Terminei de ler aquele bilhete,e minha memoria foi longe...

.... Off

Drizella estava sobre uma pedra e controlava muito seus poderes, ela e a pedra flutuavam, e ela me sorriu orgulhosa, e formou uma escada com as pedras e veio descendo em minha direção.

- Você faz toda a diferença, queria que Victoria tivesse sido assim.

- Obrigada eu acho. - Falei sorrindo.

- Sabe acho seu sorriso tão lindo Regina. - ela moveu as mãos em um pequeno movimento de círculo, e uma flor surgiu, um lírio branco. - Você sempre teve certeza nas coisas que as fadas te falavam?

- Depende.

- Sobre verdadeiro amor - Quando ela falou isso eu dei até risada.

- Jamais passou pela sua cabeça, que talvez não fossem eles ? - Eu fiquei quieta por alguns minutos em alguns momentos eu tive pensamentos diferentes, pessoas diferentes mas sempre me faltou a coragem para enfrentar o desaf.... - talvez um desafio?

- Como sabia que eu pensava em desafio?

- Essa flor tem um significado diferente, entregar ela ha alguém é desafiar essa pessoa a te amar. - Engoli em seco quando ela ficou bem próxima a mim, em minha frente segurando aquela flor, ela sorria para mim, ela deu mais um passo e ficamos próximas ao ponto deu conseguir sentir a respiração dela em meu rosto,  seu olhos pareciam dois labirintos. - Mas acho que você ainda não tem coragem para um desafio assim - Ela falou me mostrando a flor e a fazendo sumir em um estalar de dedos, e veio mais perto acho que estávamos a poucos centímetros uma da outra e fiquei sem graça. - Estou enganada? - Ela falou e eu não conseguia responder, que merda era aquela, balanceia a cabeça e me afastei.

- Como estão seua feitiços de cura? - Perguntei tentando voltar ao normal.

- Maravilhosamente bem. - Ela falou sorrindo.

...

....On

Suspirei ao me lembrar daquela proximidade toda que me deixou estranha, eu procurei Drizella por toda a cidade e nada de encontrar ela, até que vi Emma vir na minha direção correndo.

- Mills

- Swan - os anos passavam e muitas coisas mudavam mas nos não, dei risada ao pensar nisso.

- Henry falou o que aconteceu, já encontrou ela?

- Não, e acho que ela não quer ser encontrada.

- Porque ...

- Regina eu já fugi assim.... Ja fugi assim de você. - Franzi a testa sem entender nada.

- De mim?

- Sim, talvez você não tenha notado, quando Daniel ressurgiu eu sumi, quando Robin voltou eu sumi, e voltei quando Mariam apareceu e quando vocês ficaram juntos novamente me distanciei.- Eu não estava entendendo muito bem, Emma colocou as mãos no bolso, e fomos andando. - Creio que escolhi os caminhos errados Mills, eu tentei te mostrar as coisas só jeito errado, me envolvi com Killian, quando Henry era só um garoto eu mal conseguia ficar perto de você sem te olhar com o maior desejo do mundo, sempre ficava uma tensão sexual, da minha parte pelo menos né - Ela riu olhando pro chão. - E eu idiota nunca consegui chegar em você e falar " Olha Regina essa vontade louca de te matar na verdade era vontade de agarrar você te beijar e dizer que eu era apaixonada por você.

- Oi? - parei naquele instante e nem me movia mais, meu coração nem se quer batia,ela respirou fundo.

- Ao invez de falar isso, me enfiei em um relacionamento tentando causar ciumes em você, não posso dizer que doi de todo ruim afinal me deu Alice, mas não sou feliz com Killian.

- Emma.... Eu.... emma.... Porque nunca me disse isso ?

- Faria diferença? - Ela me perguntou me encarando.

- Naquela época faria. - Emma suspirou e sorriu sem graça.

- Bom, agora minha unica intenção e te ajudar a ser feliz, e creio que não seja com o senhor Voodo, mas não sou eu que tenho que falar as coisas Regina.

- Muita informação. - Falei tentando manter a calma e organizar minha cabeça e meua pensamentos.

- Vamos atras da Drizella.

- Desculpa mas não dara certo - nos  viramos e Victoria estava em pé em nossa frente, e logo ela ganhou companhia Gold apareceu.

- O que vocês tem haver com isso ? - Emma perguntou.

- Drizella quis ir embora. - Victoria afirmou nervosa. - E vocês não vão atrás dela.

- Victoria me de um bom motivo para não mandar você e o Gold embora pra bem longe daqui - falei me alterando um pouco.

- Regina para que quer ir atrás da minha filha ?

- Eu só sei que preciso ir, não sei o porque. - Eu não sabia mesmo o que estava acontecendo, afinal o que eu estava fazendo ali, eu ia me casar amanhã porque eu estava ali no meio daquilo tudo, eu tinha que estar experimentando bolos, meu vestido, ficando nervosa com o casamento e não atrás dela.

- Victoria e Gold - Emma falou e suas mãos virarão duas bolas de fogo - Não me testem por favor.

- Regina tem que ir viver a vida dela.

- O que eu estou perdendo?

- Sabe como foi difícil fazee tudo isso ? Uma maldição ? Para ela ser normal? Sabe o quanto eu ralei para isso? E tudo isso para que ? Para você uma senhora chegar do nada, ensinar magia a ela, e aflorar novamente essas coisas erradas. - ela falava e cada  palavra ela ficava nervosa.

- Victoria - Tentei falar e ela jogou uma bola de fogo em mim e eu fui jogada longe.

- Você só veio para levar minha filha pelo lado errado novamente, quem você pensa que é? - me levantei com muito ódio e joguei bolas de fogo nela, e  ela se protegeu.

- Victoria você está louca.

- Ela havia parado de gostar se mulheres, eu até consegui fazer ela ir atras só Henry mas você precisava chegar com esse seu jeito e dobrar ela. - Aquilo tudo parecia muito absurdo, Emma me olhou e piscou.

- Use o que ela te deu para encontrar ela, eu vou segurar os dois. - Assim que ela me deu o sinal eu sumi em uma fumaça roxa e fui pra uma canto mais calmo da floresta, olhei em volta, peguei a pulseira e respirei fundo.

" De quem me veio este presente desejo saber a localização, sirva como uma busula para encontrar quem me presenteou"

Falei tais palavras e a pulseira apontou e eu fui seguindo ela e tentando entender tudo o que eu fiquei sabendo nos últimos minutos até agora, fui caminhando, até chegar em uma clareira, vi Drizella um pouco a frente, ela estava de costas sem blusa, eu fiquei sem ar, enquanto ela acabava de colocar a roupa.

- Aonde você vai ? - Falei e ela virou assustada.

- O que faz aqui ? Como me achou? - Mostrei a ela a pulseira  e a coloquei novamente no braço.

- Vim atrás de você.

- Para que ?

- Você não pode ir embora -falei de uma única vez, e nem eu sabia o que falar a seguir

- Porque ?

- Porque você... você é minha amiga. - Ela deu risada.

- Você não entende.

- Você é importante pra mim, gosto de você, depois que você apareceu as coisas ficaram diferentes.

- Eu não posso ser só sua amiga, isso é demais para mim. - Ela falou em olhando de longe, fui ir perto dela e ela se afastou. - Não consigo.

-Drizella me explica isso.

- Você quer que eu te fale o que Regina ? - Ela falou um pouco alterada.

- Eu não sei, só fala. - Pedi tentando aliviar tudo e eu não conseguia.

- Regina você quebrou a minha maldição, você me libertou, me tirou das amarras da minha mãe, tirou minhas vendas, me trouxe de volta. - Ela tampou o rosto com as mãos, e bufou. - Droga Regina jura que nao entendeu a história do lírio? Eu te desafiei a me amar, a deixar a gente a se amar, eu me apaixonei por você Regina. - Ela respirou fundo parecia ter tirado um peso das costas, ela veio caminhando até mim, e parou de frente para mim.

- Drizella...

- Eu me apaixonei ... Não sei quando, não sei como, mas me apaixonei, não sei se foi pelo brilho dos seus olhos, pelo seu jeito carinhoso de tratar a Lucy, o Henry ou se pela sua força e coragem - Ela ergueu a mão e tocou meu rosto e meu corpo inteiro se arrepiou e uma lágrima rolou no rosto dela, e meu peito ardeu novamente, juro que minha vontade era de nunca mais deixar uma lágrima cair. - E eu não posso ficar, não posso assistir você se casar com aquele homem amanhã, seria o mesmo que me matar, que arrancar meu coração com as mãos. - ela tirou a mão do meu rosto. - Eu desejo de verdade que você seja feliz, mas eu não posso ver isso.

- Se você for embora, nunca mais vai voltar, foi a nossa proteção quem sai não encontra mais caminho de volta Drizella.

- Eu não quero voltar - Ela falou segurando o choro. - Não vou aguentar ver você vivendo com ele o que eu desejei para nos. - eu suspirei, ela me deu as costas e aquilo me deu um desespero, ela estava se afastando e meu peito doia, eu queria gritar para ela não ir, para ela não me deixar, mas eu não conseguia falar,ela ficava  cada vez mais longe.

- Droga - falei baixo só para mim. - DRIZELLA - Gritei o nome dela e me levei até ali em uma fumaça roxa, puxei o braço dela e ela me olhou com os olhos marejados. - Eu não sei o que está acontecendo - minha voz afinou naquele momento e falhou, segurar meu choro estava difícil
- Não vai... Por favor - falei e Drizella sorriu e algumas lágrimas caíram, ela acariciou meu braço lentamente e me puxou mais para perto, nossos narizes se encostaram, e eu sorri bobamente, eu estava nervosa, meu peito saltava, o ar parecia pesado, e senti a mão delicada dela em minha nuca, me acariciando de leve, os lábios de Drizella tocaram os meus pela primeira vez de leve, rápido e eu abri meus olhos que já estavam fechado viajando no toque manso da mão dela.

- você quer mesmo isso ? - Ela me perguntou, e minha reação foi me aproximar da boca dela e beijar seu lábio inferior enquanto encarava os olhos dela, ela sorriu e me puxou, capturou meus lábios e o beijo era doce, macio, leve, suas mãos passeavam em minha cintura, em minhas costas e me deixavam arrepiada, o beijo dela era delicioso e eu só queria mais, ela apertava minha cintura e eu a trazia mais para perto abraçando seu pescoço,eu queria sentir mais, e passei minha língua em sua boca  e ela suspirou e sua lingua tocou a minha suavemente e voltou a me beijaR sua lingua agora passeava e esplorava cada centímetro brigando com a minha por Dominância,  ela mordeu meu lábio e mexeu com meu corpo inteiro, minha perna tremeu e ela me abraçou, enquanto foi beijando meu pescoço e eu já não conseguia pensar.

- Vamos ficar aqui mesmo ? - perguntei entee pequenos gemidos que eu não conseguia conter enquanto ela beijava e mordia meu pescoço, ouvi ela rir,.

- Vou com você para onde você quiser Regina. - Ela falou e eu a apartir mais a mim e nos tirei dali, e estávamos em meu quarto, ela olhou em volta e eu movi minha mão trancando a porta  e ela sorriu, foi andando me empurrando até que caímos na cama, Drizella rasgou minha blusa e  beijou o vale entre meus seios e minha reação foi segurar nos cabelos dela, ela continuou descendo beijos, ate chegar ao cos de minha calça, quando ela apoiou as mãos ali eu suspirei e senti meu sexo gelar, eu estava completamente molhada, jamais havia ficado assim, ela começou a descer meu ziper, e eu olhei pra minha mão e vi a aliança eu a tirei do dedo e joguei longe, minha calça estava aberta, e senti a boca quente de Drizella beijar minha pele ali, antes mesmo de baixar minha roupa e aquilo me deixou louca, ouvi duas batidas na porta e ela parou olhando para porta,a pessoa tentou abrir.

- Regina ??? - Facilier falou e Drizella saiu de cima de mim.

- Estou ocupada.

- Queria falar com você, encontrou Drizella?

- Sim, ela está aqui comigo.

- Ah ótimo, depois nos falamos então. - Falei isso e fui mais para beirada da cama e segurei a cintura dela.

- O que pretende Regina? - ela perguntou seria e se afastou e eu me levantei tirei minha blusa, minha calça,tirei  meu sutia.

- Quero terminar isso aqui e depois termino com ele - Falei e ela me olhava hipnotizada.

- Você é tão linda. - ela falou e veio para cima de mim de uma única vez, enquanto nos beijavamos ela tirava a própria roupa, o corpo dela encostou em mim, e eu senti mais tesão ainda, voltamos a cama, e ela estava por cima do meu corpo, ela me beijava com desejo e só me deixava mais louca,  ela foi descendo pelo meu corpo e alcançou meus seios, ela me mordia, me chupava, e eu me contorcia de tesão seu mordia meus labios para não gemer,ela voltou a me beijar e sua mão escorregou até meu sexo, senti sua mão quente em contato com meu sexo e eu não resisti e gemi e ela mordeu meus lábios, ela começou a circular meu clitóris e eu não.conseguia não gemer. - Regina fica comigo, para sempre. - Ela falou. me.olhando nos olhos.

- Eu fico - Eu estava tão bem, não sabia como explicar, quando terminei de falar,  senti os dedos de Drizella escorregarem para dentro de mim, foi involuntário contrair meu corpo inteiro, nunca senti tanto tesão, ela mordeu minha boca, e começou a mover seus dedos em um vai e bem ritmado, eu rebolava nos dedos dela, ela foi descendo sem tirar os dedos de mim, ficou entre minhas pernas, ela assoprou e me arrepiei inteira, ela enfiou mais seus dedos em mim, eu segurei o gemido e ela abocanhou meu sexo, sua boca tão quente, eu gemi alto e ela arranhou minhas  coxas, ela fazia um vai e vem forte e rapido, e me chupava cada vez mais, eu gemia sem me preocupar se alguém iria escutar,   ela tirou seus dedos delicadamente e pude sentir sua lingua dentro de mim, ela aumentava as investidas e eu já falava coisas desconexas, meu corpo todo tremeu. - Drizella - Falei e senti meu corpo todo enfraquecer, e ela ainda continuou me chupando, ela se levantou e deitou do meu lado, e me puxou para ela, beijou minha boca e pela primeira vez pude sentir meu gosto, ficamos deitadas abraçadas uma na outra  eu ficaria para sempre ali, tudo que sempre me faltou encontrei ali.

Depois de algumas horas colocamos nossas roupas, enquanto eu me vestia ela beijava minha nuca, saimos do quarto e descemos, ela segurava minha mão, terminamos de descer as escadas.


~X~

Drizella

Pisamos no andar de baixo e eu não conseguia me conter, eu estava leve, estava feliz, até o senhor Voodo vir para perto de nos e eu nem tive reação, ele beijou ela, e eu Apenas soltei sua mão e ela empurrou ele de forma jeitosa, e me olhou um pouco sem graça, ele ainda estava com os braços em volta dela.

- Bom eu já vou.

- Drizella, espera - Regina pediu e Facilier não soltava ela, ela o empurrou e veio para perto, tentou fazer um carinho em meu rosto e eu não deixei.

- Resolva isso, antes de me procurar.

- Sabe que não é simples assim - ela falou e eu não podia acreditar nisso, sai andando fechei a porta da casa dela com raiva, logo escutei ela se abrir ela me puxou pelo braço. - Ei não sai assim.

- Regina, eu não vou ser sua aventura lesbica.

- Não é isso, estavamos de casamento marcado...

- Regina olha nem continua, esquece, ei vi a pessoa errada em você, você quis provar, provou e matou a curiosidade, ótimo tomara que tenha sido ótimo para você, eu não encosto mais em você.

- Drizella, não é nada disso eu só queria fazer as coisas da forma mais certa ele não merece ser magoado.

- Ok, entendi.

- Mesmo ? - Ela pegou em minha mão e eu soltei.

- Sim, procure a aliança que jogou no chão enquanto gemia feito louca por minha causa.

- Dri.. - Ela foi falar e eu ignorei ela, e sai andando, Regina não ia fazer isso comigo, eu não ia deixar, sai andando e fui pro Grennys, eu não conseguia relaxa, pedi uma cerveja, enquanto eu bebia Emma encostou em mim.

- O que faz aqui?- Emma me perguntou.

- Tentando esquecer a senhora evil queen.- Falei levantando o copo de cerveja e ela deu risada.

- Drizella, eu podia ter tido aquela mulher sabe, eu podia mesmo, sinto que ela estava bem próxima, ao meu alcance e eu deixei escapar. - Ela pediu uma tequila virou e me olhou.- Não deixe ela escapar.

- Eu não vou deixar, até porque não ha quero mais Swan.

- Aham.

- fui para cama com ela, transei com ela, ela é linda, é quente, é gostosa, ela nem relou em mim .. - Dei risada.- O pior é que não foi sexo, não foi só uma transa, foi amor.

- uau - Emma virou mais uma tequila. - Sabe ainda amo Regina, mas sei que minha hora passou,  se tiveram uma coisa assim, porque quer esquecer ela?

- Ele beijou ela, e ela não quer largar ele, segundo ela é complicado, então que fique com a complicação.

- Drizella tenha paciência, não abra mão assim fácil, eu fiz isso por medo, hoje estou cansada com um homem que não amo e tem que torcer pela felicidade da mulher que eu amo com outras pessoas. - Ficamos conversando um bom tempo, até que ela já estava bem bebada, ajudei ela a ir até a casa dela. - Drizella.

- Oi Emma.

- Serio, não perca a Regina, me arrependo todos os dias, não faça a mesma merda que eu fiz.

Deixei ela lá e sai caminhando, fui para floresta e fiquei lá ate por volta do meio dia, Regina se casaria no fim do dia, fiquei pensando por muito tempo, até que me levantei e fui para cidade, eu estava nervosa, eu sabia onde ela estava, respirei fundo diversas vezes, e fui, entrei na biblioteca e os pais de Emma estavam lá, pedi licença e fui entrando Regina estava parada de frente para o espelho, ela estava absolutamente linda, com um vestido inteiro branco de renda, seus cabelos estavam solteiros, ela me olhou e eu me aproximei, passei a mão em seis cabelos, e os prendi, havia uma tiara ali coloquei no cabelo dela.

- Você precisa me entender.

- Regina, não vou questionar, vim apenas ver seu casamento. - Ela se levantou e ficou de frente para mim.

- Como assim?

- Algumas coisas tem que acontecer do jeito que tem que acontecer querida. - Falei e beijei as mãos dela e sai. - Seja feliz. - sai do local com vontade de chorar, mas segurei as lágrimas, fiquei parada lá esperando, as horas passaram rápido, eu estava escorada na parede, e Victoria vinha andando em minha direção nervosa, ela chegou e me deu um tapa na cara.

- Você transou com aquela mulher ? - Ela perguntou e eu estava com a mão no rosto.

- O que você tem haver com isso?

- Ela tem idade para ser sua mãe Drizella.

-Uma mãe bem gostosa, bem quente e olha uma delicia na cama. - ela tentou me dsr outro tapa na cara e eu segurei a mão dela. - Victoria não me teste, eu já esqueci que você é minha mãe a muito tempo. - Falei e os sinos da igreja tocaram meu coração congelou, deixei Victoria ali e fui para igreja, fiquei parada perto da porta, logo todos estavam lá dentro, Facilier estava lá na frente reluzente, e depois de alguns minutos a música nupcial  começou e Regina veio, ela me olhou e foi impossível eu não chorar, ela continuou caminhando, indo em direção ao Voodo, eu fiquei ali o tempo que aguentei, ele disse sim e agora era abez dela, eu achei que aguentaria mas não, eu sai batendo a porta da igreja corri o quando pude e comecei a chorar, eu não podia acreditar que ela me usou daquele jeito, daquela forma.

- Me disseram que depois que ei resolvesse minha vida eu podia ficar com a mulher que me conquistou. - Ouvi aquela voz aveludada atrás de mim, mas eu não sabia se era ilusão. - Eu vim buscar minha mulher. - Fiquei parada e senti as mãos dela em meus ombros, me virei e ela estava me olhando. - Desculpa fazer você pensar que só quis transar com você mas eu tinha que resolver. - Ela falou e uma lágrima escorreu, e ela me mostrou a pulseira.

- Você está usando?

- Drizella, eu nunca soube que te queria, mais no primeiro beijo que me deu, eu fiquei leve, fiquei diferente, naquele minuto eu tive a certeza de que você era o que eu sempre esperei, não veio no pacote esperando, mas veio o sentimento esperado, naquele beijo eu soube que era você quem eu tanto esperava.- Eu comecei a chorar, e ela limpou minhas lágrimas e eu beijei as mãos dela.

- Fala que não é sonho Regina. - Ela sorriu, e que sorriso maravilhoso daquela mulher, ela me puxou e me beijou, um beijo carregado de todas as certezas e respostas que eu buscava, ficamos separadas com nossas testas encostas e ela me acariciou o rosto.

- Te amarei para sempre - Ela me falou e foi impossível não sorrir.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...