História I love you. Hunhan - Capítulo 23


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Abandono, Drama, Hunhan, Preconceito, Romance, Taoris, Xiuchen
Visualizações 214
Palavras 1.598
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Lemon, Luta, Mistério, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi meu povo!!!
Como vocês estão? Eu vou bem. :)
Bom, tô passando aqui "depois de uma vida. kkkkkkk" Só para avisar que euzinha vou voltar. Ehhhhhhhhhh
Uma lembrancinha de mim para vocês, e em janeiro eu tô de voltando com tudo.

Capítulo 23 - Uma oportunidade em um 1 milhão.


Fanfic / Fanfiction I love you. Hunhan - Capítulo 23 - Uma oportunidade em um 1 milhão.

Narradora on.
             1 mês depois


                 Havia se passado um mês após o fim do relacionamento entre Luhan e Sehun, e para piorar a situação, Sehun parecia está com Chanyeol. Os dois praticamente não se desgrudavam um do outro enquanto estavam na faculdade, ou fora dela, fazendo assim Luhan se sentir pior ainda. Por mais que ele quisesse ter raiva do, agora platinado, o menor não conseguia, e seu melhor amigo Jongdae estava sempre lá para lhe confortar.

               Era sexta-feira e Luhan não tinha ido para faculdade por ter uma consulta com a Dr. Suzy, e para sua surpresa e a do cuinhado, a médica e amigas dos dois tinha lhes tinha formado sobre algo que poderia mudar a vida do loiro.

            — Isso é sério? – Zitao perguntou a colega de trabalho meio chocado.

          — Sim. O Dr. Damien é especialista em casos como o do Luhan, e ele já chegou a fazer algumas cirurgias de risco que foram um sucesso. – Suzy dizia empolgada.

           — Mas como ele soube do meu caso? – Luhan perguntou. Era estranho um médico nos Estados Unidos saber do seu problema na Coréia.

             — Ora Luhan, médicos conversão muito entre si, talvez tenha sido assim que ele houve de você.

            Suzy dizia sem dar muita importância. Se um médico famoso e de nome renomado como o Dr. Gilbert Damien, se interessa por uma caso como o do Luhan, e quer dar uma olhada para ver se pode ajudar de algum modo, Suzy não pensaria duas vezes em entregá-lo de bandeja para o americano.

             — Mas ele não deve cobrar barato. – Zitao sabia que médicos assim eram caros, e mesmo que ele e Kris juntassem tudo o que tinham o dinheiro não seria suficiente nem para a metade.

              - Ai que está Zitao, ele disse que cuidaria do caso sem cobrar nada. – Os dois chineses arregalaram os olhos e Suzy riu, ela tinha feito a mesma coisa quando seu chefe lhe disse aquilo. – É uma oportunidade em um milhão Luhan, pense bem e me dê a resposta semana que vem, Dr. Damien está esperando. Se tudo der certo, em pouco mais de um mês você vai para os Estado Unidos!


                        .... .…

         - Não! – Yifan dizia alto e em bom som.

            - A escolha não é sua e sim dele, Kris. — Tao lhe lembrou e o loiro o fuzilou com os olhos.

        Os dois chineses estavam em casa e Luhan tinha ido à casa de Jongdae lhe contar tudo o que estava acontecendo. Ele sabia que o melhor amigo ficaria chateado consigo por ter omitido tantas coisas dele, mas Jongdae nunca ficaria realmente bravo com o loiro, gostava demais do melhor amigo para não lhe perdoa-lo por aquilo. o que sobrou para Zitao contar a Yifan sobre o que Suzy havia lhe informado, e o maior não aceitava a ideia de maneira alguma, mesmo que soubesse que era para o bem do irmão.

          — São só 30% de chance dele sobreviver se o tratamento e a cirurgia derem certo!

           — É mais do 3% porcento do que ele tem aqui! Tem ideia de como isso é muito no caso dele?! — O moreno bateu o pé. Não iria deixar o cunhado perder aquela oportunidade pelo meno de do irmão. - Kris, pense bem, estamos em junho, quanto tempo mais você pensa que o Luhan tem? O corpo dele está enfraquecendo pouco a pouco, e mesmo que ele não sinta tanto agora, ele vai sentir. Quer mesmo ver o seu irmão morrer aos poucos sem você poder fazer nada?!

            Zitao não queria fazer aquilo, mas se não mostrasse a verdade a Yifan, o loiro não iria aceitar e ver a realidade. Luhan estava bem até aquele momento, mas isso podia mudar a qualquer momento. O moreno já tinha visto isso acontecer várias vezes, e não queria que seu cunhado passasse por aquilo. Mandar Luhan para um país também não lhe agradava, mas se um médico como o Dr. Damien podia curar Luhan, ele não mediria esforços, nem que para isso tivesse que ficar quem contra quem amava.
Zitao se aproximou do maior e segurou seu rosto. Aquela ideia era assustadora para às três pessoas daquela casa, mas pelo menos eles deveriam tentar. Não entrega a batalha sem lutar, não é mesmo.

           — Vamos tentar pelo menos, é melhor que ver ele se perder pouco a pouco.

          — Eu tenho medo. — O maior foi sincero. — E se eu perder o meu irmão...

          — Pelo menos ele vai ter lutado até o fim Kris. – Zitao selou seus lábios do loiro que sorriu sem gosto. — Eu estou com você.

              — Obrigado. - Yifan abraçou o moreno que sorriu. — Eu te amo Zitao. — Os olhos do moreno se arregalaram e ele teve vontade de chorar. Com aquela pequena frase o menor sabia que tinha o ex de volta. Sorriu de lado e o apertou nos braços.

             - Eu também te amo Yifan. — Olhou para o maior e selou seus lábios com vontade.

           Narradora off.

              ..... .…

           Luhan on.


             Eu tinha pedido para o Tao me deixar na casa do Chen enquanto ele conversava com Yifan. Já era tarde e eu sabia que meu melhor amigo estava em casa aquele horário, e mesmo sabendo que a senhora Kim não gostava de mim, era hora do Jongdae saber como estava o meu estado de saúde, pois, se eu aceitasse ir para os Estados Unidos fazer o tratamento, e desse errado, pelo menos o Chen não levaria um choque ao sabe que eu me fui assim do nada.

             Bati na porta dele e logo a senhora Kim abriu a porta e me olhou com desdém. Às vezes eu me pergunto o que aconteceu com aquela mulher que antes de saber que eu gostava de garotos estava, já que um tempo atrás ela me tratava como se eu fosse seu filho, e até Chen brincava dizendo que a mãe dele qualquer dia o trocaria por mim, e isso sempre arrancava risadas da mesma.

                — O que quer na minha porta garoto? Não gosto de gente como você aqui, seus germes podem contaminar alguém. — Respirei fundo e sorri para ela.

                  — O Jongdae está? – Não ousaria chama-lo de ChenChen na sua frente, a última vez ainda estava fresca em meu rosto.

               — Meu filho não vai falar com uma aberração como você! Vá embora!

                — Por favor, senhora Kim, eu não viria a sua casa se não fosse importante. – Pedi.

                — Eu já disse que meu filho…

                  - Omma! – Vi Chen descer as escadas com cara de poucos amigos para ela. – O que a senhor pensa que está fazendo? – Ele se aproximou dela abrindo mais a porta para que eu pudesse entrar. — Se o Appa ver a senhora tratar o Lu assim…

             - Lu? – Ela riu irritada. — Não dê atenção e essa coisa assim, já pensou se ele começar a pensa que você gosta dele?

              — Ele estaria pensando a verdade, senhora Kim Hyerin.

           A senhora Kim arregalou os olhos, pronta para dar um piti como da última vez que eu fui a sua casa e ela estava aqui, mas Chen não lhe deu chance, pois, ele segurou a minha mão e saiu me puxando escada acima, enquanto ouvimos a sua mãe surtar no andar de baixou que era um absurdo eu pessoa como eu entrar na sua casa, e ainda fazer a cabeça do seu único filho contra ela.

            - Acho que você pegou pesado, ChenChen, a sua mãe…

             - É uma preconceituosa, coração. Não deveria passar a mão na sua cabeça assim. – Ele trancou a porta sabendo que ela entraria em seu quarto se visse a porta aberta. – mas diga, sei que deve estar querendo falar comigo já que veio até a minha casa mesmo sabendo como é a Omma.

          — Sim, mas é melhor você sentar.

           Luhan off.

              …. …..

          Jongdae on.


             Eu estava sentado na escada de frente para porta esperando meu Appa chegar do trabalho. Luhan já tinha ido para casa a meia hora atrás, e eu tentava ao máximo absorver tudo o que ele tinha me dito. Era difícil para mim, acreditar que meu melhor amigo estava se perdendo, sendo que Luhan era uma das pessoas mais doces e gentis que eu já conheci.

             A porta se abriu e eu limpei o rosto ao ver meu Appa passar pela porta, ele sorriu para mim mais logo seu sorriso desapareceu ao vê que eu chorava, pois, eu nunca chorava.

            — Filho, o que aconteceu? Brigou com a sua Omma de novo? – Ele se agachou na minha frente colocando sua mala de trabalho no chão ao lado da escada.

           — Sim, ela foi para a casa de uma amiga, mas não é por isso que eu estou chorando.

            — Então o que foi?

            - Luhan, Appa… Ele…

            - Eu sei Filho, Kris me disse.

             Meu choro aumentou e meu Appa me abraçou, ele sabia o como eu estava abalado ao saber que podia perder o meu melhor amigo caso o tratamento dele não desse certo. Luhan era importante para mim, não só porque eu já fui apaixonado por ele, mas, porque ele foi meu primeiro amigo de verdade.

           — Tudo bem, Chen, tudo Bem, vai dar certo.

          — E se não der Appa? Eu nem sei como ele vai ficar no tempo que estiver fora, e se ele precisar de um amigo? Ele tem o irmão e o cunhado, mas não é a mesma coisa.

         — Vá com ele então. — Arregalei os olhos encarando o meu Appa que sorriu. – Você quer ir com o Luhan para os Estados Unidos Jongdae?

        — O senhor está falando sério. – Eu não conseguia acreditar naquilo.

         - Sim. Se você quiser, eu falo com Kris para você ir com o Luhan, você quer?


Notas Finais


Me desculpem os erros e até Janeiro.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...