1. Spirit Fanfics >
  2. I Love You Idiot Diner- Draco Malfoy >
  3. Colloportus.

História I Love You Idiot Diner- Draco Malfoy - Capítulo 18


Escrita por:


Notas do Autor


Ok, eu retiro o que eu disse, eu não consigo postar capítulos todos os dias kkkk me perdoem, eu tento, mas eu sempre esqueço, e escrever sem criatividade é horrível kkkkk
Mas, já que estamos de "QUARENTENA", eu quero pedir que todos fiquem em casa, por favor, não fiquem doentes, vocês são muito preciosos, e lavem bem as mãos, todo cuidado não é demais💜
Dsclp qlqr erro e
Boa leitura💜
Amo vocês, girassóis💓🌻

Capítulo 18 - Colloportus.


O trem estava parando, eu abria os olhos lentamente, tentando enxergar, mas a luz do sol me incomodava, pisquei repentinas vezes, até minha visão se acostumar com a luz, olhei pela cabine mas não vi Luna, talvez ela tivesse ido ao banheiro, acabei me despreocupando, me levantei peguei minha bolsa, e me levantei. Saindo da cabine dei de cara com Draco.

- Vamos, nossos pais estão lá fora, vim buscar você.- Ele diz com um sorriso no rosto.

- Você viu a Luna?.- Perguntei confusa.

- Não, talvez ela tenha saído primeiro.- Ele diz simplista.

- É, pode ter sido, bem, vamos então.- Ele pegou em minha mão e fomos andando.

Passamos por vários vagões, até sairmos de vez do trem, quando então pude ver minha mãe, corri rapidamente até ela, e lhe dei um abraço bem forte.

- Mamãe, senti tanto sua falta.- Disse enquanto a apertava.

- Que bom que já chegou, eu tenho que lhe avisar, que não vou poder estar presente no Natal, tenho que ir até a França, sua avó não está em boas condições, então vim te buscar pra nos despedirmos.- Ela diz um pouco triste.

- Eu poderia ir com você.- Disse calmamente.

- Não, claro que não, eu não voltarei até o ano novo, então, pedi aos senhores Malfoy para você ficar com eles por enquanto, assim você aproveita o natal com eles.- Ela dá um sorriso triste.

- Tudo bem mamãe, mas quando você vai?.- Perguntei curiosa.

- Agora, meu trem está preste a sair, sua avó precisa de mim, por favor não se preocupe, e fique bem.- Ela diz ainda com o sorriso.

- Ok, pode ter certeza, vou ficar bem.- Sorri.

Abracei ela mais uma vez, e logo ela foi andando até o trem e entrou acenando de lá para nós, alguns minutos e trem partiu.

- Bom, então vamos, suas coisas já estão em casa, vamos passar em algum lugar para comermos.- Narcisa disse com um sorrisão no rosto.

- Eu tenho um compromisso agora, vai ser uma pena não os acompanhar.- Lucius diz com aquela voz que me deixava assustada.

- Ah, é mesmo, eu tinha esquecido, tudo bem então, vamos nós três.- Narcisa diz ainda animada.- O que você acha pequena norinha.- Ela dá um sorriso e um gritinho animada.

- Acho legal, e uma pena que o senhor não vai poder estar conosco.- Disse simplista.

- Não seja tão formal, é da família agora não é?.- Ele deu um sorriso.

Eu sorri um pouco desconfortável, Draco então segurou em minha mão, eu olhei para ele e o mesmo sorriu.

- Então vamos, até mais ver querido.- Narcisa deu um beijo em seu marido e seguimos nossos caminhos.

***

Estávamos em um lugar que nem eu mesma conhecia, era bem bonito, tinham várias pessoas bem vestidas, estava bem agitado, tudo era de alta qualidade, Narcisa ia andando alegremente na frente, enquanto eu e Draco íamos atrás.

- Que lugar é esse?.- Perguntei curiosa.

- Apenas um restaurante similar ao 3 vassouras, é um bom lugar, minha mãe ama vir aqui, ficaremos com ela por enquanto, daqui a algumas horas ela tem um chá com as amigas.- Ele diz sorrindo.

Dei de ombros e continuamos andando até uma mesa, nos sentamos e fizemos o pedido. Não demorou muito até ele chegar, comi feliz, e como era bom, assim que terminamos a refeição Narcisa nos levou até uma loja onde vendia alguns artefatos mágicos interessantes, mas eu acabei comprando apenas um livro sobre a história da magia, eu já tinha um, mas esse era da nova edição, então eu tive que comprar.
Ao terminar tudo, fomos para casa dos Malfoy's, e eu tinha esquecido de como aquele Castelo era enorme, entramos e eu fiquei tão impressionada, como aquele lugar não havia mudado nada, desde de a primeira vez que eu entrei lá, onde foi a primeira e última, tudo estava complemente igual, até mesmo as poltronas e sofás, tudo no mesmo lugar.

- Agatha, seu quarto fica á frente do de Draco no segundo andar, se precisar de alguma coisa, vá ao meu quarto que fica no terceiro, ou na biblioteca que é aquela porta ali.- Ela apontou para um grande portão, eu apenas assenti, ela então olhou para o relógio, e fez uma cara de espanto.- Santo Merlin, estou atrasada, tenho que ir crianças, se comportem, e não façam nada que vão se arrepender.- Ela sorriu pervertida.

Olhei chocada para ela, então ela pegou sua bolsa e saiu rindo, olhei para Draco que estava sentado no sofá lendo um jornal, dei de ombros e comecei a olhar em volta, admirando ainda mais a casa.

- Você realmente gostou daqui não foi?.- Ele riu.

- Estou impressionada, nada mudou, desde a última vez que estive aqui.- Disse simplista.

- Tem razão, sua última visita não foi uma das melhores.

- Ah, qual é, isso foi a 2 anos atrás, e você sabe que eu fui obrigada a vir, já que nossas mães são amigas.- revirei os olhos.

- Mas você bem que gostou.- Ele me olhou com um olhar convencido.

- Não.- Disse sem ânimo.- foi um dia ruim, você me tratou mal, e eu te azarei, se bem que ver você vomitando lesmas por toda a casa foi incrível.- Ri ao lembrar.

- Você se acha não é, acha que só porque faz uns truquezinhos é melhor que eu.- Ele disse calmo.

- Mas eu sou, bem melhor que você.- Sorri debochada.

Ele se levantou e veio andando lentamente até mim, o que me deixou um tanto assustada.

- Você acha mesmo?.- Ele perguntou com a voz um pouco baixa.

- Acho, tenho certeza.- Me mantive em pé, e com firmeza.- Até porque, eu sou filha de grandes bruxos não se lembra.- Sorri sarcástica.

Ele revirou os olhos e saiu de perto, e então pude respirar normal de novo, soltei minha respiração, que nem mesmo havia percebido que estava presa, de repente ouvi sua risada abafada, ele vira pra mim com a mão na testa e com um sorriso no rosto.

- Você continua a mesma bobinha de sempre.- Ele riu.

- Eiii, pode parar, eu não gosto desse tipo de brincadeira.- Disse brava.

- Ah, desculpa meu amorzinho.- Ele veio até mim e me abraçou prendendo meus braços.- Vem, vou te mostrar seu quarto.

Assenti com um bico de brava, ele me da um beijo, e vai andando na frente, eu fico parada no mesmo lugar com os braços cruzados.

- Que foi? Você não vem?.- Ele pergunta.

Revirei os olhos e continuei emburrada, mesmo nem eu sabendo por que eu estava assim, ele veio até mim e tentou me puxar, mas eu não saia do lugar.

- Qual é Agatha, vamos logo, você não vai conseguir ficar brava pra sempre.

Revirei os olhos e fui andando na frente, assim que cheguei nas escadas, senti meu corpo sair do chão, foi quando percebi que Draco estava me carregando.

- Hey, me põem no chão.- Disse calma.

- Não, você vai ficar emburrada de novo, assim eu consigo ter certeza de que você vai comigo.

- Vamos lá Draco, eu quero descer.- Disse sem ânimo algum.

- Não, levarei você até lá assim.- Ele diz decidido.

Cruzei os braços, e fechei a cara novamente, virei o rosto para o outro lado, logo sinto ele me por no chão e me abraçar.

- Não fique brava, eu te amo ok?.- Ele diz carinhosamente.

Me vi perdida naquele momento, não sabia o que falar, meu coração só acelerava cada vez mais, e a cada batida eu sentia que eu o amava cada vez mais.

- Tudo bem, deve ser só um mal estar, e você não ajuda nada, me deixando brava.

- Ok, vou ser um namorado bonzinho, mas só pq é por você.- Ele diz convencido e desfazendo o abraço, ele aponta pra frente.- Esse aqui é seu quarto.

Olhei para porta e abri, era bem bonito, mas eu lembro de alguma coisa, que eu havia visto neste quarto algum tempo atrás, me virei para a porta do quarto dele e fui até lá, abri e entrei.

- Eu realmente gosto mais daqui.- Disse com um sorrisinho no rosto.

- Ok, eu te amo, mas não vou te dar meu quarto.- Ele diz com um tom assustado.

- Mas eu não quero seu quarto, vou usar ele apenas quando eu quiser roubar algum livro seu.- Apontei para uma estante cheia de livros.

- Ah, mas eles são meus filhos.- Ele diz.

- Mas eu quero.- Disse que nem uma criança pidona, e fiz bico.

- Tá bom, mas cuide bem deles.- Ele diz derrotado.

Sorri alegremente e corri até ele lhe dando um abraço.

- Sabe, apesar de estarmos juntos a quase todo momento, parece que não ficamos sozinhos a muito tempo, é claro, temos muito o que fazer, somos realmente ocupados, mas é bom ficarmos apenas eu e você.- Disse com um sotaque um pouco triste.

- Você passa mais tempo com os grifinos que comigo, as vezes acho que você ama mais o potter do que a mim.- Ele diz com um pouco de desdém.

- Eu e Harry criamos um vínculo, ele é como um irmão, não passa disso, eu escolhi amar você, eu amo apenas você Draco Malfoy, desde quando eu decidi não me apaixonar por nenhum outro alguém, você invadiu meu coração de um jeito que nem eu mesma me reconheci, tudo em mim mudou, eu mataria pra te ter comigo.- Disse um pouco alterada.

- Eu gostaria mesmo te dizer que te amo a tanto tempo quando você me ama, sabe, antes quando eu te vi sensível a mim, eu realmente queria te machucar, eu achava que eu nunca iria me apaixonar, pra mim você era apenas mais uma, mas quando eu te beijei a primeira vez, eu senti algo bater em meu peito, senti como se um coração estivesse em mim, algo que eu nao sentia a tanto tempo, eu nunca imaginei me apaixonar, desde meu último relacionamento, eu sentia medo de gostar de outro alguém, e acabar à decepcionando, não só a ela, mas a mim, porém, você consegue despertar a melhor parte que á em mim.

Sorri boba e alegre, olhei pra ele com uma cara fofa, fechei os olhos e fiz biquinho, esperando meu beijo, mas ele me carregou, e quando eu percebi eu estava deitada em sua cama, ele me olha no fundo dos meus olhos, e me mata com aquele olhar, meu coração só acelerava, cada vez mais rápido, sentia que eu ia explodir, de repente ele cola nossas testas, e sorri.

- Você é uma bobinha.- Ele me faz rir quando ouso uma risada que eu nunca havia ouvido dele.

- Você é um idiota.- Sorri.

Abracei ele e o virei ficando em cima, olhei pra ele com um semblante amedrontador, sorri perversa, então partir, lhe fazendo uma série de cócegasinhas nele.

- Ei, bobona, pare com isso, você vai se ver comigo.- Ele diz entre gargalhadas.

Ele então segura meu braço e me vira, me deitando na cama, e então ele começa a distribuir beijos pelo meu rosto, o que me faz rir.

- Ok, ok, você ganhou.- Disse derrotada.

Ele sorri e então me beija, um beijo apaixonado, porém com um gosto diferente, algo que me deixou frenética, era intenso, ele me deixava arrepiada, aquilo era tão novo, tão bom, mas diferente, senti meu corpo esquentar, meu estômago borbulhar como da primeira vez que senti seu beijo, era como se um balde de água gelada fosse jogado em meu corpo, ele se separa de mim em busca de ar, mas só por alguns segundos, pois logo ele me beija na mesma frequência, éramos dois quase jovens apaixonados, sozinhos em uma casa, tudo de mais pervertido se passava em minha mente, mas eu ainda não estava preparada, não agora, tenho um objetivo a ser cumprido, se ele ficar comigo até o último segundo da minha missão, talvez possamos nos casar, e em fim construir nossa família.
Mas o beijo dele era tão viciante, tão chocante, e cada vez vinha diferente, seu toque fazia despertar o pior de mim, meu corpo estava complemente diferente, mas de repente ele para e deita ao meu lado, e respira fundo, e dá um sorriso.

- Não seja submissa a mim, eu te amo, mas é melhor nós sermos um casal que apenas pega na mão.- Ele riu.

Me sentei na cama um pouco confusa, eu realmente não tirava 10 em relação ao amor, nunca fui boa em me apaixonar.

- Você está confusa, eu sei, não posso te deixar fazer isso, é novo demais, talvez depois do casamento.- Ele deu uma risada icônica.

- Você é muito idiota sabia.- Disse com um tom arrogante.

- Eu sou idiota por estar protegendo minha namorada, eu não quero que você descubra esse tipo de coisa agora.- Ele riu mais uma vez.

- Falou alguém que já é experiente no quesito.- Revirei os os olhos.

- Não sei, talvez eu seja, algumas das garotas da escolas podem comprovar isso.- Ele diz convencido.

Olhei para ele chocada, fiz menção de sair de lá, porém ele me segurou, e me abraçou.

- Eiii, me deixa sair.- Disse me debatendo em Seus braços.

- Não, você vai fugir de mim.- Ele me abraça mais forte.

Fico parada sem falar nada, fecho meus olhos, então ele me solta bem de devagar.

- Eu vou para o meu quarto, te vejo na hora do jantar.- Disse me levantando.

Fui andando até a porta, e abri, mas pude ouvir a voz dele.

- Sabe que eu vou ficar te mandando recados enfeitiçados né?

Revirei os olhos e fechei a porta indo até meu quarto, me tranquei e pos a mão em meu peito, podia sentir meu coração gritar, como se quisesse fugir de mim, tentei controlar minha ansiedade e peguei alguns pergaminhos para fazer meus deveres de casa, e tentar me distrair.

***

Mansão Malfoy 15:20 PM

Eu estava desesperada em busca de minha bolsa, que eu não sabia onde eu havia enfiado, eu precisava dela pra conseguir meus livros, depois de muito procurar, acabei lembrando que eu havia deixando no quarto de Draco, que tonta, fui até lá e bati na porta, porém ele não respondeu, bati mais uma vez, e nada aconteceu, resolvi entrar, eu só ia pegar minha bolsa e sair mesmo, assim que fechei a porta e olhei pra frente eu vi a imagem feita por Merlin, eu não sou tão pervertida, mas eu me senti maluca naquele momento, meu querido namorado estava com sua linda abs de fora, aquilo era um completo pecado, balancei a cabeça pra voltar a mim mesma, e parti em busca de minha bolsa, que por azar encontrei ela em cima do criado mudo de Draco, fui andando lentamente até lá, para não acorda-lo, peguei ela mas acabei hipnotizada novamente, aquilo não tinha sido feito para o bem.

- Me sinto vigiado, talvez minha doce namorada queira parar de me olhar desse jeito.- Ele diz calmamente.

- Você estava acordado, que imbecil.- Disse abismada.

- Estava dormindo, mas acordei quando vi uma ladra de livros invadir meu quarto, e roubar minhas doces coleções.- Ele diz se levantando e ficando perto de mim.

- Ei não chegue tão perto, você me causa náuseas.- Disse me afastando.

- Não consegue resistir a mim sem camisa, tem certeza de que você é uma garota correta?.- Ele debocha.

- Sou sim, você que me deixa errada.- Debochei mais ainda.

- Que menina levada, só não te castigo por que sou um bom namorado.- Ele dá um sorriso perverso.

- E por que eu tenho que ir, pois tenho que terminar alguns pergaminhos que Snape pediu, e você poderia fazer o mesmo.- Disse mandante.

- Eu faria, mas eu não consigo entender nada, se eu tivesse ajuda da minha namorada, do amor da minha vida, da minha querida futura esposa, talvez fosse mais fácil.- Ele diz com uma voz fofa.

- AH, está bem, mas eu não irei fazer o seu trabalho, apenas o ajudarei, vou pegar minhas coisas no meu quarto e você por favor, vista uma camisa.- Disse saindo do quarto dele e indo até o meu.

Peguei algumas coisas, e voltei para o quarto, ele estava sentado em um Puff, andei até lá e me sentei.
Paguei meu livro e continuei meu trabalho.

- pensei que você iria me ajudar.- Ele diz um pouco arrogante.

- Ah, sim, onde você quer que eu ajude?.- Perguntei.

- Não sei, talvez pelo começo.- Ele diz irônico.

- Ok, grosso.- Disse com uma face aborrecida pra ele.- Inicie com uma introdução, não muito longa, e escreva algumas coisas Simples que estão escritas no livro...

- Você ajudava os Weasley desse jeito?.- Ele pergunta me interrompendo.

Olhei para ele confusa, e um pouco assustada, por que ele queria tocar naquele assunto logo agora.

- Não sei do que você está falando.- Respondi rapidamente.

- Não sabe, ou não quer me dizer?.- Ele persistiu naquele assunto.

- Por favor, pare de falar sobre isso.- Tentei fugir da situação.

- Qual é o problema? Não gosta de conversar sobre suas amizades?.- Ele indaga no mesmo assunto.

- Na verdade, esse não é o melhor momento pra conversamos sobre meus amigos.- Respondi simplista.

- Hmmm, mas me fala, quando vocês some do nada, você está indo tomar chá com o Hagrid, ou está fazendo algo escondida.- Ele começa um interrogatório complemente irritante.

- Por que você quer saber?.- Perguntei ainda calma.

- Não sei, talvez porque você é minha namorada, e acho que eu deveria saber mais sobre você, não é?.

- Ok Draco, você não está sendo legal, por favor pare.- Disse tentando me manter tranquila.

- Então me diga, qual sua rotina em Hogwarts, as vezes temos horários livres, e talvez, sei lá, possamos ficar juntos talvez?.- Ele ainda persistia.

- Ok, na maioria do meu tampo, eu fico com meus amigos, estudando alguns feitiços no lago, ou no campo.- Omiti, tentando ser o mais verdadeira possível.

- Ah claro, a Sala precisa deve ser bem grande pra caber um campo de Quadribol todo dentro.- Ele diz Simples e calmo.

Naquele momento meu corpo gelou, fiquei ainda mais assustada, como ele sabia, eu estava tão óbvia assim, não podia deixar ele descobrir, já que ele se juntou ao grupo da alta inquisitora, onde só tem fofoqueiros e malditos invejosos.

- Não sei, acho que cabe, eu não vou lá a muito tempo.- Menti, mas foi muito ruim.

- Está mentindo mais uma vez, nao tente disfarçar, eu sei quais são seus planos.- Ele diz sério e com uma voz um tanto assustadora.

- Já disse, não sei de nada.- Menti.

- Eu sei, a algum tempo eu venho pesquisando vocês, e quando eu vi você conversando com o Weasley e Granger noite passada em Hogwarts, pude ter certeza, e antes mesmo de vocês perceberem vamos acabar com seu grupinho.- Ele diz com completo desdém.

- A troco de que? Hein? Por que? O que eles fizeram a você?.- Disse já alterada me levantando.- Quer saber, esqueça, eu não quero saber, bem que Harry tentou me alertar, ele me disse que você não era uma boa pessoa, mas eu estava tão cega, tão apaixonada, tão ingênua, eu mal pude perceber que você só estava me usando, mas por que? O que eu fiz a você? Eu só amei você, o tempo todo, o que a de errado com você Malfoy?.- Naquele momento eu só queria gritar e chorar o mais alto possível.

Ele nem se quer olhou para mim, peguei minha bolsa e pos todas minhas coisas dentro, respirei fundo, me controlando para não derramar nenhuma lágrima.

- Ah, pode ter certeza, mesmo que você e seu grupo de escurpos, tente acabar com meus amigos, você não vai conseguir, nem mesmo aquela vaca rosa idiota, eu farei de tudo pra acabar com o reinado dela, eu sou bem pior que qualquer lorde das trevas, isso ainda não acabou.- Disse entre dentes e Me virei prestes a sair.

- Colloportus.- Ouvi ele lançar um feitiço, e trancou a porta.

- Me deixa sair daqui.- Disse brava.

- Onde você pensa que vai?.- Ele diz se levantando e vindo até mim.

- Não se aproxime de mim.- Saquei minha varinha, Apontei para ele, pronta pra ataca-lo.

- Você Não teria coragem de me atacar.- Ele me provoca.

- Sabe que eu teria, eu já fiz coisas piores com ódio.- Ameacei.

Ele então corre até mim e segura minha mão, começamos uma guerra intensa, apontei minha varinha para a porta e joguei um feitiço.

- Bombarda.- E gritei com raiva.

Tudo começou a explodir, ele me soltou e eu saí correndo entrei no meu quarto, tranquei a porta corri até meu malão e peguei um pacote de pó de flúor, puxei ela até uma chaminé que havia no quarto, abri o pó e antes que eu pudesse me teleportar, ouvi um Alohomora, e a porta se abriu.

- A toca!.- Não hesitei em falar com firmeza, e teleportei.

Uns segundos e eu sumi, aparecendo na casa dos Weasley, que foi o primeiro lugar que me veio em mente, cai na sua lareira, e estava apenas Gina na sala.

- Agatha, o que está fazendo aqui?.- Ela vem correndo até mim e me ajuda a levantar.

- Eu fugi, onde está o Harry?.- Perguntei com presa.

- Está na sede da ordem, estamos indo agora pra lá, Eu, Gui, Percy e fluer.- Ela disse assustada.

- Rony e Hermione estão come eles?.- Perguntei curiosa.

- Estão sim...

- Ótimo então vamos, não podemos perder tempo.- Disse frenética.

Puxei meu malão e andei até fora da casa, peguei minha vassoura e esperei eles saírem, para que os seguisse, agora mais do que nunca, eu só queria sumir do mundo, Malfoy realmente estava louco, aquele não era Draco, ele não estava bem, pelo menos eu acho, espero que meus sentidos estejam corretos, por enquanto eu só preciso conversar e entender melhor o que eu tenho que fazer.

...


Notas Finais


Agr q eu percebi que esse capítulo tem 3 mil palavras, quase 4 mil kkkkk isso não é falta de criativida kkkkk mds
Amei, estou orgulhosa de mim mesma, e me sinto bem com isso💜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...