História I love you since baby - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Fairy Tail
Tags Deuses, Nalu
Visualizações 362
Palavras 3.110
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Ficção Adolescente, Hentai, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Isso é apenas fruto dos tantos comentarios que teve, Ok? Bjs!

Capítulo 6 - Sexto capitulo


- LUCY! - Gritou a ruivinha corada, enquanto a loira dava altas gargalhadas. Jellal não disse nada, apenas continuou vermelho. Lucy então perguntou para Erza com os olhos brilhando:

- Cade o Happy? - Perguntou. Não muito tempo depois, um vulto azul pode ser visto, era Happy. O mesmo saiu de dentro da casa/cabana, e veio correndo em direção á loira gritando:

-  LUCEEE! - Gritou, se jogando nos braços da mesma que, logo em seguida o abraçou, apertando o coitado:

- EU VOU MORRER! SOCORRO! EU MAL ACABEI DE NASCER E JÁ QUEREM ME MATAR! - Gritou, fazendo todos notarem logo em seguida que a loira estava quase matando o gato sufocado:

- Lucy, desde de quando voce tem essa magia? - Perguntou Erza:

- Magia? Que magia? - Perguntou Lucy desentendida, deixando todos paralizados. Até mesmo chocados. Jellal ficou estático, pois tinha visto a loira, era ela que tinha o salvado. E ela estava igual a...:

- " Não, não pode ser! Aquela história é apenas uma lenda, apenas uma lenda!" - pensou o azulado:

- " Stella Ténebris... Estrela da Escuridão. Filha do.. Não, não pode ser! isso é apenas uma mera lenda! É melhor deixar pra lá! "

- Tudo bem ai Jellal? Por ali tem algumas moitas, porem vai ter que utilizar folhas para limpar. Por favor, aqui não, ok? - Disse Lucy, fazendo todos rirem logo em seguida, e Jellal ficar bem vermelho. O azulado estava fazendo uma certa força, que nem pareceia que era para pensar, e sim para outra coisa, que voces já sabem:

- Hey! Não é isso que estão pensado! - Se defendeu o azulado:

- Então era o que? - perguntou Erza:

- Eu estava apenas pensando...

- fazendo toda essa força ai? sei... - Disse a loira duvindando:

- Eu estava me esforçando para lembrar de algo! - Se defendeu:

- Do que? - Perguntou o pequeno gato alado, que até então apenas observava os outros dialogarem:

- Nada não apenas de uma lenda...

- A lenda da filha d-

- SIM! Essa mesma! - Interrompeu o azulado:

- Então, então né gente... quando é que a gente vai para esse lugar chamado Fairy tail? - Perguntou Lucy, com os olhos em formato de estrela:

- Por mim, quando voc-- Ia dizendo o azulado, até ser interrompido por Lucy:

- Então vamos fazer um barco pirata! - Exclamou Lucy animada:

- Eu disse quando 'Voce S' e não quando 'VocE' quiser. - Pronunciou o azulado;

- Voce tambem quer Natsu? - perguntou a loira para o rosado:

- Como se um bebe fosse respond- - Jellal ia dizendo, até calar a boca ao ver o pequeno balançar a cabeça em afirmação:

- E voce Happy? - Perguntou a loira:

- Air Sir! - gritou o gatinho:

- Se a Luce vai, eu tambem vou!

- E voce Erza?

- Vou sim, afinal, digamos agora que voce é tipo o meu 'Responsável' certo?

- Certo! - Exclamou  a loira sorrindo:

- Agora eu sou tipo a sua 'Mãe'!

- EBA! - exclamou a ruivinha, pulando de alegria:

- E voce tambem Jellal!

- Mais ai eu e a Erza não seriamos irmão? - perguntou o azulado, com certa tristeza estampada em sua face. Erza, que anteriormente estava animada, começou a não gostar tanto assim da idéia:

- Não. - Respondeu a loira, deixando Erza e Jellal bem curiosos:

- Não? - perguntaram os dois em coro:

- Ue, eu digo que são adotados, horas... - Disse Lucy, como se fosse algo óbvio, deixando os pequenos felizes da vida:

- YAHOO! Assim não cometemos incesto! - Exclamou Erza, sem notar o que tinha dito, fazendo Jella corar, ficando da cor de um tomate. Happy então, percebendo o que a ruivinha tinha dito, pronunciou logo em seguida, com um sorriso sapeca no rosto:

- Eles se goxxxxxxxxxxtam! - exclamou, fazendo Lucy e natsu cairem na gargalhada ao verem o rosto dos pequenos, que estavam igual a um pimentão:

- V-v-vamos construir o barco não é gente! - disse Erza, tentando mudar de assunto:

- Air sir! Luce, porque não construimos um barco comum? - Perguntou Happy:

- Porque construindo um barco de pirata, vai ser bem mais divertido!Imagina só...  Nós cinco em um enorme barco pirata, com uma bandeira e tudo mais, navegando pelos mares até onde fica essa tal guilda! - disse para o gato, fantasiando a mente do pobre coitado:

- Lucy, cuidado para não fantasiar tanto a realidade do pobre Happy, para ele não se decepcionar no futuro - Disse Erza que estava por perto, fazendo Jellal concordar com a cabeça logo em seguida. após isso, Lucy como sempre, ageitou Natsu em sua costas, depois de trocar a flauda do mesmo, e foi pegar a pedra que tinha usado para conseguir cortar a madeira para construir a casa/cabana e a cama:

- Esperem um pouco aqui, ok?

- Onde voce vai Lucy? - Perguntou Jellal:

- Pegar algo que voces teram que usar como modelo para encontrarem outro igual. - Disse a loira indo em direção a casa/cabana e voltando com a tal pedra nas mão logo em seguida:

- Ual... Como é que conseguiu encontrar uma pedra assim Lucy? É igual a uma serra! - Exclamou o azulado, apreciando o achado da loira:

- Olha, como eu consegui achar, eu não sei. Mais onde tem mais, eu sei muito bem. E tambem sei que voces teram que encontrar uma igual para cada um de voces.

- E onde é que tem mais dessas? - Perguntou Erza:

- Seguindo essa direção, reto, voces iram encontrar um tipo de montanha, e no topo dessa montanha tem várias dessas. E enquanto voces vão lá, eu, Natsu e Happy iremos procurar por mais mantimentos, Ok?

- Ok - Responderam os dois em coro, indo na direção que a loira tinha indicado. Dez minutos depois, param de andar:

- É esse o lugar? - Perguntou Erza assustada, ao ver o tamanho da montanha de pedra que estava logo á sua frente:

- Como Lucy conseguiu escalar esse lugar? - Perguntou Jellal assustado, ao ver o tamanho da montanha:

- E ainda mais com Natsu nas costas e segurando Happy ainda no ovo em um dos braços!

- O que? - Perguntou Jellal assustado:

- É, ué! Voce não sabia? Antes de Happy nascer, ele ficava dentro de um ovo super grande, que Lucy sempre carregava em um dos braços, com Natsu nas suas costas

- Até mesmo para subir essa montanha? Fazer coisas desse tipo?

- Até mesmo para subir montanhas, fazer coisa desse tipo. -  Respondeu ao azulado:

- Mais como ela conseguiu subir isso?

- Como ela conseguiu, eu não sei, mais sei que teremos que coseguir, se quisermos sair desse lugar e ir para a Fairy tail - Respondeu Erza, suspirando logo em seguida. Após duas horas depois, escalando e escorrengando na montanha, sem nenhum tipo de proteção, Erza e Jellal conseguiram chegar ao topo. Como não queriam ter que voltar lá de novo, deram um geito de pegar bastante pedras afiadas como laminas de facas, e, tomando muito cuidado, começaram a descer a montanha novamente. Infelizmente, para descerem a montanha, em vez de ser mais rápido, foi muito mais demorado, pois tinham que tomar  muito cuidado com as laminas das pedras, para não correrem o risco de os machucar, ou até mesmo os matar. Demoraram o dobro do tempo que usaram para subir. Quatro horas depois, já tinham acabado de descer a montanha, e estavam quase chegando na cabana/casa. Adentraram ao local, percebendo logo em seguida, uma loira sentada na cadeira, entediada:

- Voces foram recontruir o mundo ou o que? Porque para demorarem tanto tempo assim, tem que ter um bom motivo! - Exclamou a loira, meio que irritada pelo tédio que estava:

- Até já contrui o barco, com quartos, camas, velas, e todos os tipos de lugares para mantimentos, com várias outras coisas. É só entrarmos e partirmos! - Disse a loira, com um olhar meio de que com sacarsmo:

- Amanhã construiremos o barco, e assim que estiver tudo pronto partiremos na direção em que o sol nasce, agora estou com sono... - Disse a ruiva, colocando as pedras de lado e caindo em sua parte na ENORME cama que Lucy tinha construido:

- E com sono tambem...

- Digo o mesmo... - Disse o azulado, colocando as pedras que carregava do lado das de Erza e caindo na cama logo em seguida, sem perceber o olhar de irritada que lucy lançava na direção dos dois:

- Voces são surdos ou o que? - Perguntou a loira irritada:

- LEVANTEM SE! - Gritou brava, pegando Jellal e Erza pela gola da blusa que usavam e os colocando em pé logo em seguida:

- Voces por acaso não estão achando que eu vou carregar aquele tanto de frutas- Disse apontando para um canto da casa/cabana, onde continha uma enorme quantidade de frutas, deixando Erza e Jellal de boca aberta:

- Para o barco sozinha, ou estão? - Completou, deixando os dois pequenos se perguntando do que a loira estava falando. Tiveram que capitar, e recapitar a fala da mesma até a ficha cair:

- BARCO?! - Exclamaram os dois, espantados:

- Como assim Lucy? - Perguntou a ruivinha:

- Sem ofenças, mais por acaso voce tem algum problema de audição? Assim que chegarmos a alguma cidade ou vila, irei leva los para fazer o exame em algum médico! Pois não quero os meus benzinhos queridos com algum problema, seja na saude, ou qualquer outra coisa!

( #LucyBipopular )

- Não é isso Lucy! Escutamos muito bem, mais não entendemos direito! - Se defendeu Jellal:

- Certo Erza?

- Aham.. - Concordou:

- É bem simples!  Enquanto voces foram reconstruir algum universo, em sei lá aonde, deu tempo mais do que o suficiente para mim, sozinha, cortar a madeira das árvores, recolher frutas, construir camas e até mesmo mesa e banheiro, dentro do barco. Deu tempo o suficiente para eu conseguir construir o barco para podermos partir o quanto antes para esse lugar chamado Fairy tail - Disse Lucy, deixando Erza e Jellal mais desacreditados do que já estavam. Após isso, Lucy os obrigou a ajudara levar as frutas até o imenso barco que tinha conseguido construir, mesmo sendo de noite. Por sorte, Lucy tinha encontrado alguns tubos de neon para acampamento dentro de sua bolsa. Infelizmente, quando encontrou, já tinham acabado de guardar todos os alimentos, no escuro mesmo. Depois de terminar, foram todos dormir, pois teriam que se levantarem juntamente ao sol. 

No Horizonte, o sol já davas os primeiros sinais de que um lindo dia comessaria. Lucy, como sempre, acordou com Natsu mamando em sí. Levantou se, penteou seus cabelos loiros com um pente que tinha trago, deu um geito de escovar os seus dentes em um rio com água doce que tinha ali por perto, e, quando estava voltando, encontrou Erza e Jellal já arrumados. Lucy não quis lanchar, então imediatamente, a loira pegou suas coisas e foi caminhando com Jellal e Erza até o barco. Adentrou o mesmo, puchando logo em seguida um cipó, abaichando a vela do barco, que prontamente começou a navegar, pois alem de estar em uma parte do mar que já permitia o feito, o vento favorecia a navegação naquela direção:

- Parece até que ele quer que a gente vá para lá, que quer que a gente chegue o mais rápido o possivel - Comentou erza sorrindo:

- Verdade! - Disse a loira:

- Luce, voce não disse que  o barco seria de pirata? - Perguntou Happy:

- Não tinha tinta pra fazer a bandeira Happy - Respondeu a loira:

- ha... - Um, dois, tres, quatro, cinco... Uma semana já tinha se passado desde que Lucy e os demais estavam navegando , e os mantimentos já estavam quase se esgotando, e isso estava deichando Lucy bem preucupada:

- Quantos dias ainda faltam para chegar em Magnolia Erza? - Perguntou a loira, que estava apenas observando o mar entediada, como sempre, com Natsu nas costas:

- Chegaremos hoje ainda Lucy, creio eu...

- Ainda bem, porque os mantimentos acabaram

- Aquele tanto de fruta? - Perguntou Jellal, se aproximando de Erza:

- Arrumação do Natsu! Esse poço sem fundo! - Disse a loira indignada:

- Entrou lá dentro de noite e comeu mais do que a metade das frutas! O que daria para duas a tres semanas, só durou uma!  Reclamou Lucy, vendo Natsu fingir que nem ouviu:

- Olha lá! Terra firme! Deve ser Magnolia! - Exclamou Lucy, ao ver ao longe Terra firme, no caso, Magnolia. Prontamente, Erza veio conferir, e, ao ver que realmente estavam chegando, continuou com o percurso, mais animada ainda. Após algumas horas, tinham acabado de chegar á costa. Iriam abandonar o barco, pois por mais que o mesmo seja chamativo, rico em detalhes, não iriam o utilizar novamente, e tambem não teriam algum geito de guardadr o mesmo. porem, incrivelmente, Lucy conseguiu vender o mesmo por um bom preso. 200.000. Um valor incrivelmente alto, pois um velhinho podre de rico tinha se interesado no barco. Após isso, partiram em direção a guilda de pé, pois por mais que tenham dinheiro, não conseguiram achar nenhum cavalo com uma carroça á venda. Tres horas depois, chegaram em uma vila muito estranha. As pessoas estavam todas reunidas no meio da porta de uma igreja, gritando " Mata! mata! mata! ". Lucy, ao escutar os gritos, prontamente se transformou, novamente com seus longos cabelos cinzas, e seu vestido, que lebrava muito pétalas de rosas negras. Erza apenas observava a loira, pois tentava se acostumar com aquilo, e Jella, tentava ao máximo o possivel não ficar encarando Lucy, pois a mesma era muito bela. Sem contar que certo rosado poderia sem dificuldades nenhuma o carbonizar, com tamanha facilidade, que era coisa de outro mundo.  Com um único pulo, Lucy foi parar com Natsu em cima das pessoas que gritavam. Observando as coisas, Lucy sentiu seu sangue ferver, ao ver do que se tratava. Aquelas pessoas queriam matar uma menina, da mesma idade de Erza e Jella, que estava presa em uma cruz, exposta para todos verem. A menina tinha longos cabelos prateados meio ondulados, e chorava pedindo perdão, perdão por ter nascido. Isso foi a gota D'agua para Lucy, que imediatamente, em um abrir e fechar de olhos, desprendeu a menina da cruz de madeira, passando a olhar em volta de sí logo em seguida. Estava no centro de todo aquele mulvuto. A menina lhe encarava com medo, até um homem gritar com Lucy:

- O QUE ACHA QUE ESTA FAZENDO LIBERTANDO ESSE DEMONIO? - Perguntou gritando, chamando a atenção de lucy, que o respondeu logo em seguida:

- Libertando uma menina, que estava prestes a morrer, apenas por obter um dom tão admirável como esse. - Respondeu, vendo logo em seguida dois vultos com cabelos grisalhos, um menino e uma menina,  passarem correndo por ela e abraçarem a menina que estava prestes a ser morta logo em seguida:

- MIRA NEE! - Gritaram os dois juntos em coro, abraçando a menina chorando:

- O que quer comigo?! -Perguntou a albina mais velha, abraçando seus irmão logo em seguida, em um gesto protetor:

- Voces tem pai? - Perguntou Lucy firmimente:

- Não. - Respondeu sem hesitar:

- Voces tem mãe? - Perguntou novamente:

- Não. - Respondeu:

- Fizestes algo contra eles, para que tenham algum motivo para querer te matar?

- Não. - Respondeu novamente, na frente de seus irmão:

- MIRA NEE! - Gritaram os irmão da albina mais velha, ao verem a tal mulher com cabelos acinzentados avançar rapidamente contra a mesma. Mira, apenas fechou os olhos, apertando fortemente os mesmos esperando o impacto, até que algo a surpreende:

- Então não se preucupe - Disse Lucy, dando um singelo sorriso no rosto enquanto acariciava a cabeça da pequena:

- Vai dar tudo certo! - Disse, tirando a mão da cabeça da menina e vendo pelo canto dos olhos a mesma comessar a chorar e abraçar seus irmãos logo em seguida. Sem querer, Lucy acaba vendo o motivo pelo qual queriam matar a menina. Pelo simples fato que o braço dela não estava normal, tinham garras, e estavam com uma coloração vermelha. Tinham a confundido com um demonio. E, Lucy, ao ver que as pessoas daquela vila quase mataram uma menina inocente por isso, explodiu de raiva. Pegou o homem que tinha gritado com a mesma, e, quando estavas prestes a matar o mesmo, parou, dizendo:

- Não serei violenta. - Disse flutuando para o alto, chamando a atenção das pessoas que até então estavas assustadas:

- POREM IREI CASTIGA LOS! - Gritou:

- POR QUASE MATAREM UMA POBRE INOCENTE, TERÁS QUE TRABALHAREM DURO NAS COLHETAS, POREM, NOS PRIMEIROS MESSES, NADA COLHERÁS! PASSARÁS FOME, POR TANTA IGNORANCIA! - Gritou, enquanto uma forte Luz dourada saia de sí e caia nas plantações como se fossem chuva. Após isso, com um simples movimentar de mão, fez todos apagarem, menos as tres crianças. Desceu para o chão, e, abraçando eles logo em seguida, se teletransportou para onde Erza e jellal estavam:

- Eu não disse jellal? Que ela traria mais alguem, ou alguma coisa? - Disse Erza para o mesmo:

- Verdade... Sorte que tambem é ela que arruma as coisas para nós!

- Do que estão falando? - Perguntou Lucy, enquanto seu cabelo misteriosamente voltava a coloração normal e sua roupa voltava a ser a mesma de antes:

- Bom, não me importa. Gente essa daqui é a?

- Mira. Mirajane Strauss - Respondeu a garota, confusa com o que estava acontecendo, pois a minutos atras, estava prestes a morrer, até aquela mulher aparecer:

- E voce? - Se referiu á albina menor:

- Lissana! Lissana Strauss! - Respondeu a pequena, sorrindo:

- E voce?

- Elfman Strauss

- É o seguinte! Como voces não tem mãe e nem pai, e eu os encontrei-

- Obrigada por mim salvar!  - Disse Mira sorrindo:

- E salvei ela, voce agora serão os meus filhos adotivos! - Disse Lucy sorrindo:

- EBA! - Exclamou Lissana:

- Assim como aqueles dois ali! - Disse apontando para Erza e Jellal:

- OI! - Disseram os dois em coro, felizs:

- OI! - Responderam de volta:

- E iram comigo para a Fairy tail! 

Continua?

 

Na minha humilde opinião, esse cap não ficou tão legal... Mais vamos lá, né?

 

porfavor, comentem e favorite, pois quero as suas opiniões!

 

SECENTA FAVORITOS! YAHOOOOOOOOOOOOOOOO! Voces são de mais! Obg!

 

Lembrando que eu NÃO revisei.

 

Bjs de Choco By! <3

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...