1. Spirit Fanfics >
  2. I love you sister! >
  3. Capítulo 4

História I love you sister! - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Oi
Amanhã fica pronto a capa nova!!!
Boa leitura !!

Capítulo 4 - Capítulo 4


P.O.V Any

No momento que terminei de falar essa frase, me arrependi. Droga, eu tinha falado para o ser humano mais perfeito do universo que eu era apaixonada por ele.  

Josh me olhava incrédulo. Ele parou de andar pelo quarto e se sentou na minha frente. Ele ia rir, mas percebeu eu chorava, então não estava zoando com a cara dele e sim falando a verdade.  

- Não, isso não está acontecendo... Não eu prometi a mim mesmo que nunca ia... Meu deus. - ele falava sozinha e olhando para o chão enquanto esfregava a cabeça.  

Me levantei já envergonhada demais e fui em direção a saída do quarto, mas Josh me segurou.  

- Você não pode falar um coisa dessas e sair assim.  

- Não vê que estou constrangida demais? Eu acabei de falar que sempre gostei de você na sua frente especificamente para você. Isso é vergonhoso demais e nem por que eu falei essa merda.  

Eu tentei me soltar mas ele continuava me segurando. Com a mão livre Josh passou a mão na cabeça confuso.  

- Então você nuca quis ser assim? - perguntou e eu neguei com a cabeça - Mas você tem noção que você abalou muitas vidas né?  

Olhei para o chão e as lágrimas desciam pelo meu rosto. Eu não queria escutar aquilo, já sabia de tudo!  

- Eu sei, Josh, mas o fato é que a única pessoa que sempre gostei, nunca me quis já que eu era obrigada a fazer bullying com ela.  

Ele afrouxou um pouco o braço, mas eu não saí. Queria escutá-lo.  

- Nunca disse que nunca teria algo com você. Só é difícil pensar em me relacionar com quem destruiu minha vida escolar. Mas é difícil acreditar no que você tá dizendo. Já criei uma imagem a seu respeito.  

- Eu sei. Todo mundo tem essa imagem de que eu sou idiota e metida, mas na verdade eu só quero você. - me espantei com o que eu disse. Queria enfiar a cara em um buraco de tanta vergonha - Quer dizer, não eu só quero ser uma estudante normal...  

Ele me olhou bem nos olhos. Eu estava boiando em seu oceano. Como que ele conseguia ser tão bonito?  

- Você gosta realmente de mim? - ele perguntou agora sem me segurar e ansioso pela resposta.  

Eu estava tão envergonhada que devia estar parecendo um tomate. Balancei a cabeça devagar.  

- Por que quer tano saber? Já não basta a vergonha que eu tô passando? Agora, eu preciso ir. Não aguento mais isso. - falei abrindo a porta, mas Josh a prendeu.  

- Eu também gostava de você. Mas você se mostrou um se mostrou um ser humano desprezível. Sério, Any eu era louco por você, até o dia em que você me obrigou a te odiar. - ele chegou mais perto me pressionando contra a porta.  

Nossos corpos se juntaram e eu estava passando mal. Nunca imaginei um contato maior que um abraço com Josh.  

Ele colocou uma mão em minha cintura me fazendo arrepiar imediatamente. E a outra colocou em meu rosto.  

- Não sei se consigo desfazer a imagem que criei de você. De verdade, não sei nem se um dia vou olhar para você sem pensar no que fez comigo.  

Seus lábios estavam perto demais. Eu queria devorá-los. Mordi meu lábio inferior involuntariamente olhando fixamente para sua boca. Sua respiração batia contra meus lábios.  

- Você realmente gosta de mim? Eu não consigo acreditar que... - ele falou mas eu não aguentei e coloquei minhas mãos ao redor de sua nuca.  

- Me beija, eu tô pirando com você tão perto de mim. Você me deixa louca de desejo, Beauchamp. Louca. Por favor me beija logo. - não sei de onde essa palavras saíam, foram surpreendente até para mim.  

Eu só conseguia olhar os seu lábios. Meu deus eu queria aquele beijo naquele exato momento. Ele negou com a cabeça e deu sorriso simples, que fez minhas pernas tremerem. Como que ele tinha tanto poder sobre mim?  

Josh desceu sua mão quente, que se encontravam em meu ombro até minha cintura, seu toque me fazia arrepiar de imediato. Ele se aproximou mais e deu um beijo em meu pescoço e outro na bochecha. Meu coração derreteu todinho e meu quase caí.  

Meu deus que homem perfeito.  

- Cacete, é tão difícil me beijar? - falei já desesperada para sentir sua boca.  

- Cacete, acho que é. Ainda não consigo pensar em beijar você. Pode sair, Any. - falou abrindo a porta e se retirando.  

Fechei a porte e caí sentada com as mãos no joelho. Meu deus o que eu ia fazer com ele dentro da minha casa?  

Se ele não me beijasse eu ia surtar.


Notas Finais


Obrigada pelos comentários
Boa noite


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...