História I Luv u Daddy (Namjin . TEXTING) (INCESTO) - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Daddy, Incesto, Jikook, Namjin, Texting, Yoontaeseok
Visualizações 448
Palavras 1.020
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção Adolescente, Lemon, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Self Inserction, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 13 - Are you dating whit my hyung?


Fanfic / Fanfiction I Luv u Daddy (Namjin . TEXTING) (INCESTO) - Capítulo 13 - Are you dating whit my hyung?

 『♡♡✪кιм ѕєσкʝιи✪♡♡』

❝김석진❞

Estava na escola, com muito sono, praticamente dormindo em pé. Ainda mais lembrando de como minha caminha estava tão boa... meu papai me abraçando era tão bom... eu não queria ter saído de lá.

- Alô? Jin? O mundo te chama de volta.

Logo sou tirado de meus pensamentos por meu amigo Hoseok, que estalava os dedos na frente do meu rosto.

- Oh, desculpe Hobi.

Ele suspira frustrado e então um biquinho toma conta de seus lábios, enquanto ele encarava os próprios pés, claramente triste.

- Será possível alguém prestar atenção em mim? Só um pouquinho?

Me sentia culpado por sua reação, eu sabia que ele sempre teve uma família que o negligenciava, e sua criação fria por parte dos pais resultou em uma pessoa carente. E me sentia culpado sempre que não podia lhe dar devida atenção.

- Me desculpe, eu só estou com um pouco de sono... mas isso não importa, sobre oque você estava falando?

Ele cora um pouquinho e então sorri tímido olhando para os lados, chega mais perto e então diz baixo.

- Você... então... sabe aquele amigo do seu pai? Que geralmente vinha com ele pra te buscar?

- O Yoongi hyung? Oque tem ele?

E então Hoseok cora mais ainda, percebendo isso ele cobre o rosto com as duas mãos e dá uma risadinha de nervoso. 

- Ele... me levou pra uma sorveteria esse fim de semana... 

Arregalo meus olhos em descrença, como assim do nada Hoseok estava saindo com meu "tio"? Ou melhor, oque ele fez com meu bebê?

- Aigoo Jin, não ne olhe assim, nós só conversamos, tomamos sorvete, andamos de mãos dadas, ele me levou pra casa, e então... ele meu deu um beijo na bochecha.

Ele dizia a última frase quase explodindo de vergonha, ainda com as mãos sobre seu rosto. E eu suspirava aliviado. Teria que ter uma conversa séria com meu hyung ainda hoje, Hoseok era a típica criança carente e amorosa, sabe Deus quantos problemas psicológicos ele desenvolveu ao longo do tempo, se Yoongi não quer nada sério, acho melhor não fazer Hoseok se apegar.

- Como isso começou? 

- Nos jantares na sua casa, teve uma noite, a uns meses atrás  que em meio a toda aquela gente ele viu como eu estava infeliz... ele conversou comigo, fomos até a sua varanda, e ele me deu um abraço do qual eu nunca mais quis sair... eu gosto dele Jin, ele faz com que eu acredite que sou o único aos olhos dele... o menininho especial que nunca consegui ser pra ninguém...

Céus, ele realmente estava apaixonado, e eu teria que falar com Yoongi o mais cedo possível.

- Ah minha criança, vem cá.

Abria os braços e o mesmo vinha até mim, enquanto eu o abraçava de forma calorosa. Depois de toda confusão que essa cabecinha já teve, ele merece ser feliz, muito feliz.

- Omma.

- Sim?

Eu logo sentia algumas lágrimas molhando minhas roupas.

- Eu não sou o bastante, não é? Ele vai perceber uma hora ou outra que eu não sou o bastante, vai me abandonar e ir embora...

E mais uma vez, suas crises chegaram, ele não era acostumado a ter momentos felizes por muito tempo, e sempre estranhava e ficava paranóico quando algo dava certo.

- Hey, não diga uma coisa dessas, você é perfeito Hoseok, tanto pra ele quanto pra qualquer outro que saiba te tratar bem.

Sabia que minhas palavras não adiantariam de nada, pois em todos os seus 16 anos de vida, ensinaeam erroneamente para Hoseok que ele era inferior aos outros. E infelizmente, não se esquece aquilo que é realmente aprendido.

Ele apenas concordava, e tentava mudar de assunto rapidamente para qualquer coisa feliz, enquanto secava suas lágrimas.


Namjoon p.o.v, 13:19.

Tinha acabado de chegar do trabalho, completamente exausto, morrendo em meio ao meu próprio cansasso.

Ao abrir a porta, já sentia um cheiro maravilhoso vindo da cozinha, oque me fazia lembrar de como eu estava com fome. Mas ia apenas até a sala, largando minhas coisas no chão, tirando o paletó e afroxando a gravata, deixando meus sapatos na entrada.

Sentava no sofá, massageando minhas têmporas tentando desestressar, respirando fundo tentando achar algum ar, e relaxando tentando descansar.

Isso até eu sentir uma mão em meu ombro. Olho para o lado e vejo Seokjin, agachado entre minhas pernas me olhando com preocupação.

- Dia cansativo, papai?

Suspiro fundo e então o respondo.

- Sempre, não é, meu amor? Sempre.

- Voltou mais cedo hoje, algum problema? Está se sentindo bem?

Perguntava visivelmente preocupado, apertando os olhinhos como se estivesse tentando ver algo de incomum em mim.

- Não meu amor, hoje o papai teve que trabalhar mais para poder voltar pra casa mais cedo, e ficar com você.

O tirava do meio de minhas pernas e então o deixava em meu colo.

- Ah amor, não precisava, olha só como você tá cansado.

O olhava sorrindo, a forma com a qual cuidava de mim realmente fazia eu me questionar sobre eu realmente ser o pai.

- Uma vez ou outra não me mataria, não é?

- Está certo, mas então... vá tomar um banho, já estou pondo a mesa para almoçarmos.

Deixa um selar sobre minha pele um pouco suada, e então vai até a cozinha.

Fico alguns segundos não fazendo nada no sofá, até eu lembrar de algo... 

Saia do sofá às pressas e ia até o carro, de onde tirava do banco de passageiros uma pequena muda de lírio. Seokjin gostava muito de plantas, e espero que minha escolha o agrade.

Quando voltava, ia até a cozinha onde o menor terminava de deixar os pratos na mesa, e eu chegava por trás de si, o abraçando com o braço livre e com o outro lhe mostrando a pequena planta cor de rosa.

- Gostou, baby?

O menor pegava o vasinho de minhas mãos, e olhava com os olhinhos brilhando para o pequeno e inconsciente ser vivo.

- Papai, que lindo, obrigado.

Ele deixava a mudinha na mesa, e então envolvia meu pescoço em um abraço. Logo estávamos em um beijo apaixonado, enquanto minhas mãos paseavam pelo seu corpo.

- Agora vá tomar seu banho, eu vou fazer uma massagem em você depois, meu papai vai ficar beeem relaxado.

Assentia e então lhe selava rapidamente os lábios, e então indo até o banheiro para tomar um banho quente e relaxante.






Notas Finais


ADO ADO ADO
QUEM NÃO FALAR PAÇOCA PRA QUERER UM CAPÍTULO DE YOONSEOK É VIADO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...