1. Spirit Fanfics >
  2. I missed you >
  3. Are you sure?

História I missed you - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oiii Babys
É a minha primeira fanfic, então se estiver ruim já sabem né?
Espero que gostem
Boa leitura ❤️

Capítulo 1 - Are you sure?



  Ele estava irritado.

Os primeiros pingos de chuva de um denso inverno o irritava. A correria das pessoas em meio de uma talvez tempestade o irritava. A lama em que ele pisava o irritava. A ida dele o irritava.

  Ele perdeu tudo.
 
  Tudo perdeu a cor e a luz quando ele foi embora. Os dias de sol não eram mais felizes, a ida ao parque não era mais a mesma, a série que assistiam juntos já não tinha mais graça.Ele não tinha mais o abraço quente nos dias frios, ele não tinha mais os beijos quando voltava para casa, ele não tinha mais com quem falar sobre seus sonhos e medos, ele não tinha mais quem amava.

  Não tinha mais graça.

O livro que comprou pensando em ler com ele já não tinha mais graça, as músicas que baixou para ouvir com ele já não tinha mais graça, a viagem que ele tanto desejou já não tinha mais graça.

  O queria de volta

  Queria os beijos e os carinhos, queria as risadas e as brigas, queria o abraço, queria se deitar com seu amado nos braços, queria sair com ele, queria vê-lo dançar, queria vê-lo novamente, queria tê-lo novamente, somente e unicamente pra si.

  Porque ele precisava.

Precisava dos beijos, abraços, carícias. Precisava das conversas até a madrugada, precisava da companhia, precisava se sentir vivo. Ele precisava viver, precisava deixar o orgulho de lado.

  Tomou coragem.

Pegou o celular em suas mãos trêmulas, o desbloqueou,– Na tela inicial havia uma foto. Uma foto dos dois juntos sorrindo, ele se lembrara que quando foi tirada. Apenas 2 dias antes da ida do seu amado – abriu o aplicativo de conversas, entrou no chat. Reuniu coragem, digitou, quatro palavras, respirou fundo e enviou.
                                               Você
                                         Sinto a sua falta.
                                       [Enviada às 19:47]

  Estava ansioso.

  Horas já haviam se passado, e não a resposta ainda não chegara.Se fazia mil perguntas.

  Ele o responderia?
  Ele iria o ignorar?
  Ele teria saído?
  Ele estaria ocupado?
  Será que fez certo em enviar a mensagem?
 
   Ficou com dor de cabeça, não aguentou a pressão e se deitou, fechou seus olhos por míseros segundos e seu celular apitou, sinalizando que alguém o mandara uma mensagem. Com uma rapidez absurda ele se levantou, pegou o seu celular e viu que Ele tinha o respondido.

      Baby

   Sente? Deixou seu orgulho de lado?, Querido.
[Enviada às 21:35]

                                                    Você

                                  Por favor, não finja que          não se importa.
                                       [ Enviada às 21:36]

     Baby

E quem disse que eu me importo?
    [Enviada às 21:36]

  Se importava.

Sim, ele se importava. Jackson conhecia  seu namorado muito bem, sabia quando Mark mentia.

                                          Você

                                    Não minta pra mim.
                                       [Enviada às 21:37]
    Baby

  Não estou.
    [Enviada às 21:37]
                                          Você

                                    Então você não está mentindo quando diz que não sente minha falta?
                                 [Enviada às 21:37]
   Baby

  Não, eu não sinto sua falta.
    [ Enviada às 21:38]
                                        Você

                                   Então você não irá se incomodar se eu for aí, não é mesmo?
                                      [ Enviada às 21:38]
  Digitando

  Longos minutos se passaram, Jackson exibia um sorriso ladinho, sabia que Mark estava mordendo os lábios nervoso. Jackson sabia que Mark sentia a falta de si.

      Baby

  Você não tem nada pra fazer aqui.
       [ Enviada às 21:57]

  Rindo um pouco, Jackson se levantou e saiu, pegou o elevador sorrindo. Poderia ter enviado a mensagem antes, poderia ter ligado antes, poderia ter feito mil coisas. A porta metálica se abriu e ele saiu. Pegou seu carro e foi em direção a casa de Mark, ou melhor, a casa deles, Jackson vivia mais na casa de seu namorado do que na sua própria.
   Parou o carro e saiu do mesmo, andou em passos lentos em direção a porta, apertou a campainha, será que Mark o atenderia?, Será que ele iria manda-lo embora?. Balançou a cabeça levemente afastando as interrogações que tanto o perseguia. A porta se abriu, revelando um Mark sonolento, mas lindo aos olhos de Jackson.

    – O que faz aqui? – Mark perguntou com a voz rouca, entregando que acordara agora.

     – Posso entrar? – Jackson perguntou, ele nada respondeu, somente abriu mais a porta e as afastou um pouco. O moreno entrou relutante, estava nervoso, era como estivesse ali pela primeira vez.

   – O que faz aqui? – Mark repetiu a pergunta, queria uma resposta, ao seu ver seu "ex" – Entre aspas pois nenhum dos dois pois um fim no relacionamento – não deveria estar em sua casa.

   – Vim conversar com vc.– Jackson sussurrou tão baixo, que Mark quase não escutou. – Senti sua falta, por favor não finja que não sentiu a minha.

   – Não irei fingir. – Mark disse desviando o olhar, umideçeu os lábios em ato involuntário. – Eu não senti.

  Aquelas três últimas palavras foram o estopim para o moreno. Com uma rapidez absurda ele prensou Mark na parede.

  – Não sentiu minha falta?– Jackson riu brevemente. – Tem certeza Mark? – Sussurrou perto do ouvido alheio. – Certeza que não sentiu falta dos meus beijos? – Jackson beijou o pescoço de Mark, que prendeu a respiração temendo o que viria a seguir – Certeza que não sentiu falta dos meus braços rodeando a sua cintura? – Agarrou firmemente a cintura de Mark. – Certeza que não sentiu falta da minha mão percorrendo o seu corpo? – Jackson adentrou a blusa de Mark e arranhou com a suas unhas curtas o abdômen do mesmo. Segurando um gemido Mark tentou afastar Jackson, gemeu em frustração quando não obteve sucesso. Jackson fez uma trilha de beijos do pescoço a clavícula do seu namorado, ora mordendo, ora chupando. Mark respirava pesadamente tentando manter o controle que ele já sabia que não tinha, mas ele de maneira alguma queria ceder. – Certeza que não sentiu falta disso?  – Jackson chupou lentamente o lóbulo da orelha de Mark, que gemeu em resposta, já havia perdido o controle que nunca teve, já havia perdido as esperanças de conseguir afastar Jackson. – Olhe nos meus olhos e responda.– O moreno disse firmemente, olhando para o loiro que mantinha a sua boca entreaberta, riu sarcasticamente. – Acho que nem precisa responder, seu corpo fala por si só. – Jackson falou esfregando a ereção já evidente de Mark. – Não vai admitir que sentiu minha falta? – Jackson encarou os olhos castanhos Mark, eles brilhavam em desejo. Mark fechou os olhos e tombou a cabeça para trás.

    – Não vou admitir algo que não aconteceu – Falou em um fio de voz, o loiro sabia que estava brincando com fogo, sabia que Jackson só iria parar quando conseguisse o que queria, mas iria testar seu namorado.

Jackson já tinha perdido a paciência, mas iria passar dos limites com Mark, queria vê-lo implorar por si. O moreno puxou Mark pelo pescoço e selou os lábios.  Um beijo desesperado se iniciou, eles se beijaram com urgência, sentiam falta um do outro. Mark rodeou o pescoço do namorado com os braços. Lentamente, o moreno deslizou as mãos até as pernas do loiro.Mark deu um impulso e rodeou as pernas em volta da cintura de Jackson, o moreno caminhou em passos lentos e desajeitados até o sofá, não tinha paciência para ir até o quarto, tinha pressa de mais.
     Mark deslizou as mãos até a blusa de Jackson, adentrou o tecido e arranhou o abdômen definido do moreno. Se separaram por falta de ar, Jackson desceu uma das mãos até a barra da camisa de Mark, a puxou para cima. Mark retomou o beijo repleto de luxúria, rebolou no colo de Jackson que somente gemeu em resposta, seu membro clamava por atenção, queria estar dentro de Mark, queria sentir Mark de novo, e de novo, queria torná-lo seu, somente seu.
   – Markie... – Jackson interrompeu o beijo para gemer, Mark aumentou a velocidade e a força de suas reboladas, queria tortura-lo. – Não me provoque Mark-ssi, sabe muito bem o que acontece quando me provoca. – Sabia, Mark sabia muito bem o que acontecia, da última vez Mark quase não conseguia andar, seu quadril doía muito, mas gostou de ter um Jackson cuidado de si.– Você sabe que eu não consigo me controlar.

– Eu sei o que acontece. – Mark se aproximou do ouvido alheio. – Não quero que se controle. Quero que me mostre do que é capaz – Jackson sorriu malicioso e pegou Mark no colo outra vez, o deitou no sofá o deixando por baixo, o moreno começou a beijar o pescoço do seu namorado, desceu os beijos até a clavícula do loiro onde deixou um chupão, com certeza levaria um belo tapa, mas não ligava pra isso, desceu os lábios até o mamilo esquerdo do loiro, o lambeu e mordeu sem força, Mark só conseguia gemer, Jackson passou para o outro e repetiu o processo. Cansou de tortura-lo e fez uma trilha de beijos pelo abdômen do loiro, chegou na barra da calça de Mark e a abaixou deixando quase nu, ele apenas trajava o fino tecido da sua cueca boxer vermelha manchada pelo pré-gozo abundante.
  Ainda por cima do tecido, Jackson apertou a ereção de Mark que gemeu alto e manhoso, o loiro o olhou como se implorasse para que Jackson acabasse logo com isso, era isso que o moreno queria, quero vê-lo implorar. Lentamente Jackson abaixou a cueca de Mark, seu falo duro saltou para fora, o moreno roçou a boca no membro do loiro, que gemeu choroso, Jackson atacou as coxas do loiro, ora mordendo, ora chupando, ora apertando, não se importava se iria ficar marcado no outro dia. Passou a fazer movimentos no pau do loiro, que gemia manhoso, Jackson não demorou muito para colocar o pênis de Mark na boca , o loiro gemeu alto e manhoso quando a boca fria entrou em contato com seu pênis quente.
  Os movimentos de Jackson começaram lentos, ora subindo e descendo, ora chupando somente a glande. O membro de Mark latejava em sua boca. Omoreno começou a chupar somente a glande e a masturbar o restante, sempre mantendo o contado visual com o loiro, gostava de ver a cara de prazer que Mark fazia, gostava de ver como o mesmo mordia os lábios para tentar conter os gemidos, gostava de ver que estava dando prazer ao seu namorado. Mark castigava seus lábios, os mordia com tanta força que sentiu o gosto de sangue, seus olhos se encontravam fechados, sua respiração estava desregulada, suas mãos apertavam o sofá com força, sua boca estava aberta, e ele só conseguia gemer e dizer coisas desconexadas , sua mente estava nublada, não conseguia pensar em nada, só conseguia sentir, sentir o prazer que Jackson dava para si, sentia que não iria aguentar mais, seu ápice estava próximo, o moreno também percebeu, e acelerou os movimentos, Mark gemia cada vez mais alto e mais manhoso. Arqueou as costas e gritou o nome de Jackson de uma forma manhosa, gozou gostosamente na boca de Jackson. O líquido esbranquiçado e grudento saía pelo canto da boca de Jackson, que o lambia de forma desesperada, amava o gosto do namorado.
    Mark voltou a se deitar, ainda tinha a respiração desregulada, fechou os olhos com força e tentou pensar em algo coerente, mas foi interrompido pelos braços de Jackson que rodearam a sua cintura e o colocou no seu colo novamente. O moreno sabia que Mark ainda estava sensível e começou a acariciar as coxas do mesmo. Mark começou a rebolar novamente, só que dessa vez mais lentamente.
  Jackson já não tinha mais paciência, seu pau latejava ainda dentro da calça, estava tão duro que chegava a doer, queria estar dentro de Mark logo. Com muita pressa voltou a beijar Mark, um beijo desesperado e repleto de desejo, Mark desceu suas mãos até a calça que Jackson trajava, apertou o membro do moreno ainda por cima do tecido, Jackson gemeu e tombou sua cabeça pra trás, estava necessitado, precisava se aliviar, e Mark sabia como, sabia o jeito que Jackson gostava. O loiro abriu os botões e abaixou o zíper da calça do namorado, adentrou o tecido de couro, e apertou o pênis do outro por cima da cueca, Jackson gemeu rouco em resposta, mordeu os lábios e fechou os olhos com força. Ainda por cima do fino tecido, Mark iniciou uma masturbação lenta.
    "Se vc quer jogar, nós vamos jogar" Mark pensava, iria fazer de tudo para ganhar esse "jogo", nenhum dos dois queria ceder, ambos queriam estar no controle, queriam fazer o outro implorar por si.

   – M-Markie...... Não me torture – Jackson disse com a respiração desregulada, seus lábios eram castigados e seus olhos se mantiam fechados. – Você sabe que será pior pra vc se me torturar, não sabe? – Perguntou tombando a cabeça para o lado e abrindo os olhos, Mark se perdeu na imensidão do olhar de Jackson, amava olhar em seus olhos, se perdia no olhar do namorado todas as vezes.
  
    – Falando assim, até parece que faz um estrago – O loiro falou e sorriu travesso, sabia do que Jackson era capaz, sabia que ele fazia um estrago, mas nunca iria perder a oportunidade de provocar o moreno.

   Jackson o olhou com raiva, mas fechou os olhos quando Mark apertou seu membro com força. O loiro  Mark se levantou do colo de Jackson.

– Você está com roupas de mais. – Mark falou tirando a camisa de Jackson, o moreno era o único que ainda estava vestido. Mark olhou o abdômen definido do seu namorado e mordeu os lábios, Jackson era gostoso de mais. Mark se ajoelhou, elevou as mãos até a barra da calça do namorado e a retirou, o deixando somente de cueca, a ereção de Jackson era evidente, sua cueca estava melecada de pré-gozo. Mark apertou o pênis do moreno com uma certa força, Jackson gemeu alto e rouco. Sorrindo travesso, Mark tirou a cueca de Jackson, que gemeu aliviado, seu pênis duro saltou, o loiro o segurou pela base e iniciou uma masturbação lenta, mantendo contato visual com Jackson, chupou somente a glande. O moreno levou as mãos até os fios loiros do namorado, e o fez engolir seu pênis quase que por inteiro, fazendo Mark engasgar. Jackson gemia alto e arrastado, o moreno estava com a cabeça tombada para trás e tinha a boca entreaberta, mantia os olhos fechados, uma das mãos estavam no cabelo de Mark o ajudando nos movimentos, enquanto a outra estava puxando os próprios fios, sua respiração estava desregulada, não conseguia falar e nem pensar nada coerente, somente conseguia gemer o nome de Mark. Jackson abriu os olhos e abaixou o olhar e viu Mark engolindo seu pau quase que por inteiro, masturbando o que não cabia na sua boca com a mão. O loiro deixou de chupar o membro do namorado para dar atenção as suas bolas, as chupou, Jackson gemeu alto e rouco, estava perto de gozar mas não queria chegar no seu ápice agora. Agarrou os fios de Mark com força, o afastando do seu pênis, Mark resmungou.
      Jackson sorriu malicioso e deu dois tapinhas em sua perna, Mark entendeu o recado e se sentou. O moreno levou três de seus dedos a boca de Mark, que a abriu e chupou os dedos do namorado com urgência, ansiava pelo momento em que teria Jackson dentro de si, quero sentir ele, mas não confessaria em voz alta, não com Jackson por perto, era orgulhoso de mais. Jackson começou a distribuir selares da bochecha até a clavícula do namorado. O moreno achou que os dedos estavam bem lubrificados, os retirou da boca de Mark, um filete de saliva escorreu mas nenhum dos dois se importavam, estavam ansiosos, queriam um ao outro logo. Jackson levou os dedos até a entrada do namorado, a rodeou sem penetrar, recebeu um gemido manhoso em resposta, o moreno penetrou dois dedos e Mark arqueou as costas e gemeu alto. O músculo se contraia e tentava a todo custo expulsar os dedos de Jackson. O moreno iniciou movimentos ora de vai e vem, ora de tesoura, tinha pressa, mas o conforto do namorado era mais importante. Mark gemia manhoso e rebolava em busca de mais contado, o moreno penetrou mais um dedo e Mark gemeu choroso, Jackson esperou pouco tempo até Mark se acostumar e tornou a fazer os movimentos. Quando achou que o loiro estava preparado, retirou os dedos, Mark gemeu em reprovação, sentiu falta de algo o preenchendo. Jackson inverteu as posições e ficou por cima, pegou seu membro pela base e o colocou na estrada do namorado, passou a glande na estrada do loiro somente para provoca-lo.

   – Jackie....... Por favor...... Termina logo isso. – Mark falava em um fio de voz, estava ofegante, estava ansioso.

  – Você sabe o que tem que fazer– Jackson disse perto do ouvido do namorado, como se fosse algum segredo. Mark sabia o que tinha que fazer, e também sabia se não o fizesse Jackson não iria fode-lo do jeito que ele queria, Mark era orgulhoso mas Jackson sabia como fazer ele implorar.

– Eu imploro, me foda – Disse com convicção, gemeu alto quando Jackson o penetrou sem aviso.

   Jackson era preciso nos movimentos, metia com força, ambos gemiam sem se importar com o barulho, sabia que os vizinhos iriam reclamar mas estavam mais ocupados em sentir um ao outro. Gemiam cada vez mais alto, Mark arranhava as costas de Jackson, que mordia seu pescoço. Nenhum dos dois conseguia pensar em nada, só conseguiam dizer coisas desconexadas, gemiam como se fosse a última vez que se amariam. Jackson puxou Mark para um beijo, um beijo repleto de luxúria, era o único sentimento que ambos tinham. O cheiro de sexo no ar era evidente, o único barulho que se escutava era dos gemidos e dos corpos de chocando, o tempo frio que reinava no lado de fora deu espaço para um lugar quente de mais. Jackson levantou uma das pernas de Mark para conseguir penetra-lo melhor.

  – J-Jackie......... Ali....... Ali de novo.......p-por favor – Mark gemeu quando seu ponto doce foi acertado, seus lábios eram castigados.
    Jackson acertou a próstata do namorado, uma, duas, três, várias vezes, percebeu quando Mark estava perto de gozar, e parou os movimentos bruscamente. Recebeu um olhar raivoso e um resmungo.

  – Continua pra mim, baby – Jackson disse sussurrado perto do ouvido alheio, se sentou novamente e Mark se sentou em seu colo. O loiro segurou o pênis pela base e lentamente o colocou em sua entrada, engoliu o membro por inteiro e gemeu manhoso, segurou nos ombros de Jackson e começou a subir e descer de forma lenta, uma deliciosa tortura para ambos. – M-Markie..... Mais rápido. – Obedeceu seu namorado, começou a se movimentar mais rápido, pra frente e pra traz, subia e descia de forma rápida.

  Jackson começou a masturbar o pênis esquecido de Mark, que gemia alto e manhoso, arqueou as costas quando sua próstata foi acertada pela centésima vez naquela noite. Mark não aguentaria muito tempo e Jackson sabia disso, acelerou os movimentos no pau do outro, o loiro gemia cada vez mais alto, e quando seu ponto doce foi acertado mais uma vez não aguentou mais, arqueou as costas e gemeu alto e manhoso, gozou gostosamente nas mãos de Jackson, sujou o abdômen de ambos, seu ânus se contraiu em volta do membro de Jackson, o moreno tombou a cabeça para o lado e gemeu alto e rouco, se desfez  logo depois dentro do namorado, retirou seu pênis do mesmo, e o deixou sentado em seu colo.
   Mark escondeu seu rosto na curvatura do pescoço de Jackson, o moreno acariciou seus fios loiros e beijou seu ombro nu. O loiro sorriu em lembrar em como seu namorado era carinhoso depois do sexo. Sorrindo e tentando normalizar a respiração Mark adormeceu nos braços de Jackson, que sorriu percebendo que tinha se esquecido de como seu namorado era preguiçoso.
   Jackson o pegou no colo e o levou para o quarto, o deitou delicadamente na cama e o cobriu, se deitou ao lado dele e o puxou para o seus braços.
   Não demorou muito para que o moreno se entregasse ao sono, dormiram profundamente naquela noite fria


Notas Finais


Bom eu espero que tenham gostado, se tiver algum erro de português eu peço desculpas.
Foi o primeiro hot que eu escrevi.
Muito obrigada por lerem
E muito obrigada Baby_chan pela ajuda ❤️❤️❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...