História I Need U - Capítulo 69


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jung Hoseok (J-Hope), Min Yoongi (Suga)
Tags Novela
Visualizações 7
Palavras 1.257
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 69 - Suga...o observador!


Fanfic / Fanfiction I Need U - Capítulo 69 - Suga...o observador!

Suga flashback on 

Eu tentei viver minha vida como se nada tivesse acontecido,mas esquecer que eu a  havia visto seria algo completamente insuportável de se fazer agora.Eu sabia que a nossa história havia ficado pra trás,que talvez ela nem se lembrasse mais de mim ou da gente.Só que eu não conseguia tirar da minha cabeça  a ideia de que eu precisava falar com ela,vê-la de perto,me desculpar pelos meus erros do passado e tentar apagar toda a dor que havia lhe causado inconsequente. E isso me deixou pertubado:perdi várias noites de sono,perdi o apetite,a vontade de trabalhar e o censo de direção. Eu sabia que não tinha o direito de aparecer de novo em sua vida e estragá-la outra vez.Mas eu sentia o dever de reparar todo o mal que havia lhe causado e lhe pedir perdão.Eu tinha consciência de que isso não a me traria de volta(por mais que eu sonhasse com isso todos os dias)mas algo dentro de mim ansiava por isso.Revendo e pensando várias vezes seguidas durante madrugadas inteiras em claro,sendo sufocado pelo peso dos meus erros...eu resolvi que precisava mesmo fazer isso,eu tinha que falar com ela,mesmo correndo o risco de ser rejeitado.Só que eu  não fazia ideia de onde poderia encontrá-la e nem como poderia me aproximar sem que ela pudesse sentir medo de mim ou se assustar com minha presença. A última coisa que eu queria naquele  momento era assustá-la ou lhe causar qualquer tipo de constrangimento. Tanto que a melhor maneira de se fazer isso seria aos poucos,dando um passo de cada vez e quando eu dêsse por mim já teria me aproximado dela e consequentemente ela de mim. Então decidi lhe observar à distância sem que pudesse ser visto por ela.Fiquei exatamente no mesmo lugar da última vez que a vi,mas tentei não dar muita bandeira,tratei de me camuflar e chamar menos atenção possível ficando por ali(Quando ela surgiu de novo na mesma hora de sempre,toda atenciosa atravessando a rua e seguiu até a estação do metrô sozinha.Eu deixei minha moto estacionada na calçada e a segui.Ela estava tão distraída mexendo em seu celular e nem percebeu que eu estava logo atrás de si lhe observando em segredo. Ela se dirigiu até a bilheteria, comprou seu passe e depois seguiu para o ponto de embarque lentamente. Eu também fiz o mesmo e fui atrás dela.Eu tive que me segurar pra não me aproximar dela e me fazer presente ali.Em poucos minutos o metrô parou e todos entraram nele. Ela se assentou em um banco na minha frente e contiunou entretida mexendo em seu celular e em nem um momento se viriu ou pensou em olhar pra trás.Eu até que gostei disso,porque tive  medo de qual seria sua reação ao me ver ali. Tê-la tão perto  e tão longe ao mesmo tempo de mim,me deixava triste e feliz.Triste porque não pudia tocá-la,falar com ela,beijá-la ou simplesmente estar presente de fato ali.Feliz porque a tinha por perto outra vez e parecia estar bem longe de mim. 

Quando as portas se abriram,ela se levantou,mas acabou deixando sua agenda cair no chão. Antes que pudesse se abaixar para pegá-la,eu o fiz por ela.

-Obrigada!-ela me agradeceu,quando lhe entreguei a agenda,tocando sem querer em seus dedos,mas nem sequer teve o trabalho de me encarar,por estar focada no seu celular.

Eu apenas fiz um sinal com a cabeça e não emiti nem um som com a boca e fiquei tão surpreso por ela não ter me conhecido naquela hora(pensando bem,foi até melhor assim por hora...eu ainda não sabia o que iria dizer pra ela)

Ela saiu do metrô e eu a segui discretamente. Ela estava tão concentrada no seu maldito celular,que não foi capaz de me notar  na sua frente.

Ela andou duas quadras à pé e sozinha. Entrou em uma clínica bem chique em um bairro nobre de Suwon,passou pela recepção  cumprimentou a recepcionista e    desapareceu da minha vista em seguida. Eu fiquei bem curioso pra saber o que iria fazer ali.Eu sabia tão pouco de sua vida nesse últimos anos,ou melhor,quase nada.Que não fazia ideia do porquê havia entrado naquele lugar(Será que ela trabalhava ali?Será que estava doente?Teria ido visitar alguém?)Fiquei curioso quanto à isso.Mas não tinha o direito de vasculhar sua vida assim ou ficar invadindo sua privacidade daquele jeito. Então voltei pra casa,só que fui consumido por essa maldita curiosidade,e a pergunta que não queria se calar (Por que ela foi parar naquele lugar?Por que sempre estava sozinha?)Eu precisava saber mais sobre esse assunto e mais sobre ela.Eu necessitava obter essas informações urgentemente,sua vida agora era um mistério pra mim e eu precisava desvendê-lo logo.

Sendo assim por cerca de uma semana eu a segui sem ser notado. E ela nunca desconfiou que eu lhe vigiava à distância. E por dias seguidos lhe vi entrando naquela clínica e ser bem recebida por todos ali.Ela se sentia em casa ali e tão à vontade,era como se ali fosse seu segundo lar.Ela passava boa parte do dia por ali e só saí à noite. Sempre voltando pra casa sozinha e de metrô. A segui até o prédio onde morava,que ficava no centro de Suwon e só depois eu ia pra casa.Eu tinha vontade de tentar uma aproximação amigável,mas morria de medo de fazê-la fugir de mim se agisse precipitadamente. 

Certa vez,eu a vi entrando novamente naquela clínica,mas decidi matar minha curiosidade de uma vez por todas e fui checar isso de perto.

-Bom dia,Sr!-falou a recepcionista,assim que me aproximei da recepção,um pouco temeroso e olhando pra todos os lados,caso ela aparecesse por ali,eu teria mais chance de sair logo dali correndo-Em que posso te ajudar?-ela foi gentil comigo.

-Bom dia!-eu falei-Eu preciso de uma informação.

-Qual?

-Aquela moça que acabou de entrar  agora pouco...ela...trabalha aqui?

-A Drta Stelar?

-Drta?-exclamei,surpreso.

-Ela trabalha aqui-ela confirmou-É uma das donas da clínica...Gostaria de falar com ela?

-Não-eu falei,engolindo em seco.

-Então em que mais posso te ajudar,Sr?

-O que ela faz aqui?Quero dizer...ela atua em qual área da medicina?

-É psicóloga. 

-É-deduzi-Eu já havia me esquecido disso.

-O que disse,Sr?-ela tentou me entender.

-Nada não. 

-Gostaria de marcar uma consulta com ela?

-Uma consulta?-fiquei confuso(mas até que não seria uma má ideia...quem sabe essa seria a forma mais segura de me aproximar dela de novo...sem que pudesse ser rejeitado por ela em outra situação ou lhe causar qualquer desconforto)

-Sim-ela confirmou-Uma consulta.

-Pode ser-concordei.

-Qual é o seu nome?-ela me perguntou.

-Meu nome?-eu buguei(eu não poderia dizer meu próprio nome,ela logo perceberia de cara de quem se tratava e jamais iria querer me receber,muito menos me deixar entrar em seu consultório)-Sr Min-eu falei(esse era um sobrenome muito comum por aqui,e Sr Min,poderia ser qualquer pessoa,menos eu,na cabeça dela)

-Pronto,Sr Min!-ela falou-Sua consulta foi marcada para a próxima quarta-feira às 9 da manhã...com a Drta Stelar- ela me entregou um cartãozinho com a data e a hora da consulta anotados nele.

-Obrigado!-eu a agradeci,saindo logo dali,antes que corresse o risco de ser pego no flagra por ela.

Voltei pra casa e fiquei doido que quarta-feira pudesse chegar logo.

-Drta Stelar!-fiquei olhando pra aquele cartãozinho por horas,deitado na cama,sonhando acordado e relembrando quando ela me dizia que seu sonho era ajudar as pessoas.-Parece que você conseguiu o que tanto queria,não é?-ri sozinho.

A última coisa que ela havia me dito quando nos falamos:foi que eu deveria me tratar,procurar por um especialista,que eu tinha sérios problemas de saúde mental...acho que esse nosso reencontro será bem especial...ela não poderá me por pra correr dali...eu estarei fazendo apenas o que  ela me sugeriu...se ela agora era entendida do assunto em questão...nada mais justo...do que me curar do meu mal...com a ajuda dela.

-Me aguarde,Stelar!Eu estou voltando...e não poderá fugir de mim...

Continua...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...