1. Spirit Fanfics >
  2. I need you - Kaisoo >
  3. Capítulo 6 - Organizando um pouco as coisas

História I need you - Kaisoo - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Não estou muuito confiante sobre esse capítulo,mas espero que gostem dele.
Boa leitura.

Capítulo 6 - Capítulo 6 - Organizando um pouco as coisas


As férias deveriam estar sendo ótimas, mas Kyungsoo só permanecia deitado na cama, com os pensamentos embaralhados e se lamentando por tudo que havia acontecido. Tinha combinado com si mesmo de só dormir, só para poder parar de pensar. Mas ao mesmo tempo dormir era complicado, já que Jongin fazia questão de aparecer em seus sonhos.

Para relaxar, levantou-se para ir tomar um pouco de água e encontrou a mãe sentada no sofá assistindo algum programa que passava na televisão. Resolveu chegar perto dela e se aconchegar em seus braços. De certa forma toda aquela confusão havia aproximado os dois, e agora ele sentia que podia contar tudo para a mãe e vice-versa.

– Por que dói tanto? – Perguntou o garoto depois de um tempo. Olhava diretamente para a televisão e afundou-se mais nos braços da mãe. Sabia da resposta, mas precisava escutar alguém falando.

A mulher respirou fundo e passou a fazer um leve carinho na cabeça do filho.

– Porque você o ama. – Ela disse e depositou um beijo em sua cabeça. – Quando a gente ama alguém, podemos nos machucar as vezes. A dor parece que não vai acabar nunca. – Ela respirou novamente. – Mas é ela que faz nós termos certeza de nossos sentimentos e é com ela que aprendemos mais sobre o que é amar.

– Eu nem falei que o amava. – Riu fraco e sentiu os olhos encherem de água. – Tive tantas oportunidades, ficamos meses juntos, mas por medo eu não falei. – Respirou um pouco, por conta de suas próximas palavra. – Agora nem sei se vou ter mais uma chance. – Assim que terminou a frase, sentiu as mãos da mãe levantar o seu rosto para poder olhar em seus olhos.

– É claro que vai ter chance! Filho, vocês vão se resolver, esse momento agora serve para os dois refletirem sobre seus sentimentos e tenho certeza que ele sente o mesmo que você sente. Se não, não teria ficado tão magoado como pareceu ficar.

– Acha mesmo isso? – Sem ao menos poder controlar, deixou uma lágrima escorregar pelo seu rosto e um sorriso bobo escapar. Tudo que Kyungsoo mais queria era poder dizer a Jongin que o amava e dar mais uma chance para eles dois, mas tudo parecia tão difícil de concertar.

– É claro. – A mulher sorriu gentilmente e enxugou a lágrima que ousou cair no rosto do garoto. – Vocês vão ficar bem. É só questão de tempo, tenha paciência.

Kyungsoo sorriu para ela e deu um beijo em sua bochecha. Ela estava certa, era só questão de tempo. Precisava esperar mais um pouco, afinal, não estava pronto para encontra-lo novamente mesmo que quisesse agora.

– Agora... – Ela continuou – ...acho que deveria ir falar com o Chanyeol. Eu sei que nunca o tratei muito bem, mas é o seu melhor amigo e sei o quanto vocês se davam bem, mesmo aquele moleque sendo bem exibido e isso o irritando. – Os dois sorriram. – Vai a casa dele, tanto você como ele precisam de uma conversa.

Kyungsoo apenas assentiu e deu um abraço na mesma, levantou e foi beber água e então voltou para o quarto. Depois de mais alguns minutos pegou no sono e com certeza faria o que foi sugerido pela mãe no dia seguinte.

(...)

Estava a caminho da casa de Chanyeol e sentia-se nervoso. O lugar não era longe, mas andava devagar só para aumentar o tempo que chegaria lá, pois não havia preparado nada para falar quando o visse.

Ao chegar, hesitou por alguns instantes em bater na porta, e por fim o fez. Não demorou muito para que fosse atendido e perdeu o ar quando viu Chanyeol ali. O mesmo tentou fechar a porta, mas Kyungsoo conseguir impedir.

– Nós precisamos conversar. – A voz saiu falha e trêmula, mas o olhar mostrou um pouco mais de confiança.

Chanyeol abriu a porta e fez um sinal para que o amigo entrasse. Antes mesmo que pudesse fechar a porta, Kyungsoo o abraçou.

– Que merda você tá fazendo? – Chanyeol levou um susto e se sentiu desconfortável. Os dois jamais haviam feito isso.

– Não sei, mas precisava fazer. – Já estava com os olhos marejados. Não conseguia controlar mais seu choro e isso fazia com que se sentisse fraco.

– Tá, me solta. – Chanyeol agarrou seus braços e o soltou. Observou o melhor amigo enxugar as lágrimas e acabou sentindo pena. Foi a primeira vez o que o vira assim tão vulnerável.

– Não me olha assim. Não sou desse jeito e você sabe. – Se sentiu idiota por estar na frente de Chanyeol dessa forma.

– Eu sei, desculpa. – Olhou para o chão sentindo-se ainda mais desconfortável. – Não quero conversar sobre aquilo. – Limpou um pouco a garganta. – Estou totalmente envergonhado.

– Não precisa se sentir assim. – Kyungsoo tentou tocar seu braço, mas o garoto se afastou.

– Como não preciso? Agora você sabe de tudo! – Olhou para Kyungsoo, mas se arrependeu quando deparou com aqueles olhos grandes o observando.

– Nós não mandamos nos sentimentos. Sinto muito por ter deixado você constrangido, eu realmente não queria que você visse toda aquela cena. – Olhou para o chão e seu coração doeu lembrando do ocorrido. – Eu só quero continuar com nossa amizade, mas se você não se sentir confortável eu vou entender.

– Eu não vou te deixar na mão em um momento como esse. – Chanyeol fez um carinho em seu braço. – Vamos continuar amigos. Afinal, quem vai te encher a paciência? – Os dois sorriram. – Só não vamos tocar nesse assunto de eu gostar de você, mas saiba que você está perdendo muito coisa. – Falou isso passando a mão pelo corpo, fazendo Kyungsoo rir ainda mais.

– Tá bom, Chanyeol.

– E mais uma coisa. – Kyungsoo o olhou com curiosidade. – Não me abraça mais dessa forma, porque foi esquisito. – Fez um pequena careta.

– Eu sei que fiz seu coração acelerar. – Kyungsoo disse rindo para provocar e percebeu Chanyeol corando.

– Sai da minha casa! – Chanyeol falou brincando, fingindo-se irritado.

(...)

Os melhores amigos passaram a se divertir nas férias. Kyungsoo tentava ao máximo fazer isso, já que ainda pensava bastante em Jongin. Já Park, tentava também ao máximo animar o melhor amigo e até que conseguia por algum tempo, mas o garoto sempre se fechava e voltava a expressão triste.

Os dois agora caminhavam em direção a uma lanchonete, pois Kyungsoo se recusara a cozinhar, afirmando estar cansado de fazer os gostos de Park.

Quando entraram no local, o pequeno sorriso que tinha no rosto do mais velho se desfez ao ver Jongin atrás do balcão. Não imaginara encontra-lo ali, muito menos estava preparado para isso.

– Sejam bem vin... – Kim parou de falar no exato momento em que viu Kyungsoo. Estava sentindo tanta falta dele e em instantes seu coração começou a bater rápido afirmando isso.

Os dois se olharam bem no fundo dos olhos. Kyungsoo deixou isso acontecer só por mais alguns segundos e saiu do local, pois não sabia o que fazer e também não havia realmente perdoado Jongin. Já Chanyeol continuou andando em direção ao mesmo para fazer o pedido, já que ele parecia trabalhar ali.

– Quero fazer o pedido. – Falou, mas percebeu que Kim nem deu atenção, então bateu de leve no balcão, fazendo o olhar. – Quero fazer o pedido.

Kim assentiu, ainda tentando controlar as batidas de seu coração e esperou o garoto falar. Anotou o pedido e foi até a cozinha. Passou 10 minutos e voltou com a comida.

– Espera. – Kim falou antes que o mais alto saísse. – Como ele está? – Olhava para Chanyeol como se dependesse da resposta. O mesmo o olhou e respirou fundo.

– Já esteve melhor. – Viu Kim baixar a cabeça e sabia que ele estava arrependido. – Mas, ele está bem. – Chanyeol falou isso para tentar confortar um pouco o garoto e também para tirar um peso de seu coração, já que se sentia um pouco culpado por toda a confusão.

– Desculpa. – Chanyeol o olhou pedindo explicação. – Eu não tinha o direito de falar para o Kyungsoo sobre o que você sente. – Ele estava realmente sendo sincero. Nas últimas semanas se sentia um lixo por ter feito isso e precisava concertar, ou pelo menos amenizar o estrago que havia provocado. – Eu deixei que o ciúmes vencesse e machuquei vocês dois. – Era difícil pedir desculpa para Chanyeol, mas era o necessário e o certo a se fazer.

– Ainda bem que reconhece. – Olhou mais uma vez para o garoto e também queria pedir desculpa por tudo, mas apenas virou-se para a saída. O orgulho sempre o vencia.

– Não fala para o Kyungsoo sobre essa conversa, por favor. – Foi a última coisa que Kim falou antes de Chanyeol deixar o local. Não queria incomodar o ex-namorado. Sentiu no olhar dele que ele estava magoado demais e talvez se ele soubesse dessa conversa poderia ficar pior. Deixou um leve sorriso escapar por ter visto o Kyungsoo, mesmo sendo só por alguns instantes, o garoto não deixou de mexer consigo.

Fora da lanchonete, Kyungsoo esperava ansioso que Chanyeol falasse alguma coisa sobre Kim. Já que ele não falou, resolveu perguntar:

– Ele falou alguma coisa? – Olhava para Park atenciosamente. – Perguntou algo? – O coração acelerava na espera da resposta que demorava chegar, mesmo sem ter dado tempo para que o garoto ao seu lado respondesse.

– Não. – Park falou sentindo-se péssimo por estar mentindo, pois sabia que não era essa a resposta que o melhor amigo esperava, mas como um pedido desculpa, fez o que Jongin havia pedido.

O mais baixo encolheu os ombros e viu um pouco de sua esperança morrer. Olhou para a lanchonete e sentiu o coração apertar. O garoto que estava lá dentro sentiu o mesmo.

(...)

Já em sua casa, Kyungsoo pôde pensar no quanto estava decepcionado. Poxa, havia esperado que Jongin perguntasse sobre si, ou até mesmo fosse atrás para poderem conversar. Na verdade, deveria ter feito isso, mas sentiu-se incapaz.

No meio de toda essa frustração deu um sorriso ao lembrar de como sentiu aquele frio na barriga, que tanto conhecia, o atingir em cheio ao ver aquela bela imagem atrás do balcão. “Pelo menos havia visto Jongin”, foi o que pensou.

A curta troca de olhares que os dois tiveram naquela noite foi bastante significativa. Talvez os dois precisavam disso para poder relaxar um pouco e ter um pingo de esperança que tudo voltaria a ficar bem um dia. Até porque, as aulas já estavam prestes a começar.


Notas Finais


Eu tô com muita pena de um dia ter que por um fim nessa fanfic, pois me apeguei muito a ela e também coloquei sentimentos meus nela.Espero mesmo que possam acompanhar essa história até o fim.
Beijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...