1. Spirit Fanfics >
  2. I need you more than I want to - Thiam >
  3. O que está acontecendo?

História I need you more than I want to - Thiam - Capítulo 6


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura !

Capítulo 6 - O que está acontecendo?


Continuamos as compras e acabou por ser bem rápido porque Theo mal estava falando e não estava afim de olhar muitas coisas, na verdade ele disse que já tinha suas roupas não precisava de muitas. Já havia comprado o que julgava necessário, queria ir embora, mas lembrei que havia uma livraria aqui que era a coisa que mais gostava no shopping.

- Então... você não quer conhecer a livraria daqui? – Perguntei meio receoso porque o humor dele parecia se alterar do nada.

- Pode ser... fica em qual andar?

- No último

- Vamos de elevador então.

Seguimos em silêncio, estava um clima esquisito entre nós, beleza a gente brigava bastante, mas não sei, ta diferente. Ele apertou o botão esperamos o elevador que logo chegou, saiu algumas pessoas dentro então ficou vazio entramos apenas os dois. Me lembrei de outros momentos e acabei falando.

- Não sei se tenho as melhores lembranças de nós em um elevador. – Me referindo aos momentos que teríamos que ir lutar.

Ele sorriu fraco, parecendo lembrar.

- Não são ta ruins. Eu não vou morre por você. – Me encarou.

-Não vou morrer por você também.

- Parece que continuamos vivos. – Falou de forma sarcástica.

Eu ri, e a porta do elevador se abriu entrando um casal, eles acabaram apertando para descer, e o elevador em vez do deixar no nosso andar mais acima acabou descendo novamente, vi Theo revirar os olhos, as portas abriram novamente o casal desceu e novamente ficou nos dois.

- Então... quem é Hanna? – Falou num tom de voz que nunca escutei, ele parecia um pouco tenso? Desconfortável? Envergonhado?

- Porque você ta falando dessa forma?

- De que forma?

- Eu não sei só... ta diferente. – Dei de ombros.

- Ta normal, eu só te fiz uma pergunta.

- Bom, você ouviu a ligação, foi uma garota que transei em uma festa.

- Isso eu já tinha entendido. – Falou de formar irritada. Ok o que ta acontecendo aqui?

- Então pra que você perguntou?

Ele bufou.

- Esquece... porque esse elevador não ta se mexendo? Você apertou o botão?

- Eu tinha apertado.

- Mas não tem nenhum andar marcado, você não apertou. – Falou parecendo controlar a raiva.

- Então como a gente tinha subido?

- Provavelmente o casal tinha chamado, por isso o elevador desceu antes de continuar subindo.

- O que ta acontecendo com você ta ficando irritado do nada.

- Aperta a porra do botão logo. – Falou alto.

Apertei o botão com força.

- Pronto caralho, dá pra se acalmar parece que é você quem tem TEI, fica com raiva por nada.

- Você não sabe se é por nada.

- É eu não sei, porque você ta simplesmente mudando e humor sem mais nem menos, eu não to conseguindo acompanhar porquê dessa vez eu não fiz nada pra irritar.

- Está me irritando agora.

- Por falar a verdade.

- Cala a boca ou vou acabar socando a sua cara. – É o que? Ele ta ficando maluco, agora ele conseguiu me deixar com raiva

- E porque você não faz isso? - o empurrei.

 No mesmo momento ele largo as sacolas e veio pra cima de mim, me pressionando contra a parede com o braço próximo da minha garganta.

- Ta esperando o que? Bate. – Olhei diretamente nos olhos dele, eu não sei o que acontecia, porque eu não costumo nem consigo ficar muito tempo nos olhos de alguém, mas com o Theo todas as vezes que brigamos, discutimos ou conversamos próximos era sempre olho no olho.

Seu olhar de repente suavizou, seu braço afrouxou, estar com o Theo era uma montanha russa de emoções, por um momento está tudo bem daqui pouco, a estávamos brigando, quando me dava conta já havia mudado novamente. Me encarava de forma diferente, era impressão minha ou seu rosto estava mais perto? ele desceu um olhar um pouco para baixo, não parecia se dar conta do que estava fazendo, segui seu olhar e ele estava olhando para minha boca? Instintivamente olhei para sua também. Simplesmente esqueci onde estava, minha respiração ficou mais pesada e sua também a áurea que nos rodeava estava totalmente diferente de minutos atrás, nos olhamos novamente, tinha algo nos olhos dele que eu não sabia explicar, mas estava me prendendo eu não conseguia desviar até que...

Plim.

O Barulho do elevador nos acordou, olhei para o lado e vi que tínhamos chegado no andar, Theo se afastou rapidamente parecia meio desnorteado assim como eu, pegou as sacolas e saiu.

O que foi que acabou de acontecer la dentro?

 

Depois de irmos na livraria, fomos embora logo em seguida, não tinha mais o que fazer la dentro, na verdade até tinha mas eu não tava muito afim, muito menos o Theo, e novamente estava um clima estranho, era difícil de acompanha essa bipolaridade que nos rodeava, não trocamos muitas palavras até chega no carro nem no caminho para casa. Quando estacionou o carro eu tirei o cinto para descer quando ele me chamou.

- Liam, espera. - Pôs a mão no meu braço.

- O que foi?

-Foi mal... Eu sei que tecnicamente você não fez nada pra eu ficar irritado e...

- Tecnicamente? Eu realmente não fiz nada, você que fica me irritando mais desde de que chegou. – Disse com certa indignação.

- É divertido irritar você.

- É divertido irritar você também, mas quando eu sei o que ta te irritando.

- Foi só coisa minha, nem eu sei explicar direito o que aconteceu. – Ele pareceu não falar somente da sua súbita irritação, lembrei do momento no elevador foi estranho, mas logo tratei de tirar isso da cabeça.

- Tudo bem então, era só isso?

- Acho que sim.

Saímos do carro, ele com as sacolas na mão, entramos e meu pai já estava em casa, fiquei conversando um pouco com ele.

Já era mais tarde e fui tomar banho, logo após eu sair, Theo foi tomar também enquanto isso eu organizei minhas coisas para aula, alguns livros eu tinha deixado no armário do colégio; Amanhã o Theo iria comigo iriamos falar com a mãe da Lydia que era a diretora para ele voltar a estudar, acho quer seria tranquilo estranhamente se consegue entrar nessa escola com muita facilidade e acho que a mãe da Lydia vai ajudar também.

Recebi notificação no celular, era Mason.

Manda mensagem pra ela

De novo isso, eu não precisava mandar mensagem, precisava? Não estávamos saindo ou algo do tipo.

Respondi.

E deveria?

Theo entrou no quarto, estava de bermuda e sem camisa.

É ele é realmente forte, não que não tivesse notado isso antes.

- Você malhava muito? – Perguntei o observando.

- Você realmente ta reparando em mim hoje heim Dunbar. – Ergueu uma sobrancelha.

- Eu só perguntei, e achei que você não se importasse que te olhassem.

- Não me importo, eu gosto.

- Gosta?

- Eu gosto quando me olham com admiração.

- Você é um narcisista.

- Um pouco. – Sorriu fraco. -  Mais ou menos, quando não estava em algum plano, ou estudando, fazia exercícios.

Meu celular apitou novamente com uma mensagem.

SIM

- Eu não sei se eu quero. – Acabei falando em voz alta.

- Não quer o que? – Ele me olhou

- Mason mandou mensagem dizendo que eu deveria mandar mensagem para Hanna. – A expressão dele mudou levemente. – Ok, o que ta acontecendo que toda vez que falou sobre isso você fica assim?

- Assim como, eu to normal. – Se fez de desentendido.

- Parece que você fica bravo parece até que ta com... – Ciúmes. O que? Não ele não...

- Com que?

- Nada, só que você fica com raiva do nada.

- Eu não to com raiva, e o que tem? não quer mandar mensagem pra ela. – Seu jeito de falar não estava totalmente normal, porém melhorou.

- Eu não sei... na verdade não, a gente não ta saindo ou coisa parecida, não preciso mandar mensagem se não quero sair de novo certo? Na verdade, a gente não saiu só ficamos numa festa e pronto.

- Então não manda. – Deu um leve riso.

- Mas não seria meio babaca? Mas eu deixei claro que não queria nada e ela concordou.

- Se ela concordou então não faz nada.

- Você ta me dizendo o óbvio.

- Se é o óbvio porque você ta perguntando então? – revirou os olhos.

- Não sei porque to falando isso com você, nunca namorou não é?

- Não.

- Saiu com alguém mais de uma vez?

- Não.

- Já beijou alguém?

- É claro que sim né!

- Eu vou saber, aparentemente não tinha tempo para muita coisa. Faz quanto tempo que não fica com ninguém?

- Vai me fazer um interrogatório sobre meus relacionamentos? A gente estava falando sobre você.

- Sim eu vou. – Encarei esperando a sua resposta. Ele suspirou.

- Foi com a Tracy.

- Tracy?

- É Tracy foi a última pessoa que eu beijei.

- Pera, você ficou com ela? Quando? – Aquilo de alguma forma me incomodou. Me olhou de uma forma que parece que percebeu o meu incomodo, mas não disse nada a respeito.

- Quando roubei os poderes dela.

- Quando matou ela você quis dizer?

- É...

- Nossa que ótima última ficada heim!

- Aquele era o antigo Theo.

- Espero que sim.... então ja ãhn... – Será que eu deveria perguntar?

- Quer saber se eu já transei? O que você acha?

- Agora acho que sim, você esteticamente falando, não tem cara virgem.

Ele pensou e riu.

- Ta dizendo que eu sou bonito demais para ser virgem?

- Mais ou menos isso.

- É eu não sou.

- E não sente falta? – Não sei o porquê, mas estava curioso, apesar de nunca imaginar estar tendo uma conversa sobre sexo com Theo, também queria aproveitar que ele está respondendo as minhas perguntas, o que ele fez bastante hoje até.

- As vezes, mas não me incomoda tanto.

-  Nem falta de só ficar com alguém? Tipo sexo é algo bem mais íntimo, mas beijar alguém.

- Também não muito, é que eu simplesmente não tenho vontade de sair beijando todo mundo, só me da vontade quando a pessoa me atrai e me de vontade de beijar, do contrário pra mim é tranquilo.

- A pessoa?

- É a pessoa ou por acaso fica com outra espécie?

- Não, é que só achei estranho, geralmente falaria quando a garota me atrai.

- E porque tem que ser necessariamente uma garota? – Ergueu as sobrancelhas, e eu arregalei um pouco os olhos em compreensão.

- Pera ai, então... você já beijou um homem?

- Não.

- Mas você disse...

- Não beijei, mas já tive vontade. – Me encarou. – Nunca sentiu vontade?

- Eu... não sei.

- Não sabe? Você saberia se tivesse tido vontade. – Passou a língua nos lábios, e acabei encarando sua boca.

Eu to sentindo agora

Wow o que?

- Eu não sei...talvez. – Respondi meio nervoso.  -Então. você se lembra como se beija, porque já faz bastante tempo. – Brinquei, tentando levar a conversa pra outro lado. Mas não sei se foi uma boa ideia.

Eu estava sentado na cadeira do computador, ele estava de pé e veio andando na minha direção enquanto falou.

- Acho que sim. – Parou na minha frente. – Porquê? – Colocou uma mão de cada lado do assento da cadeira se abaixando um pouco, olhou minha boca e depois para os meus olhos. – Quer descobrir?

Meio que prendi a respiração, caralho ele tava muito perto e a forma como ele falou, eu só consegui dizer.

- Oque? – Obviamente eu entendi o que ele tinha dito.

Se afastou logo em seguida rindo.

- Eu só estou brincando.

- E-eu sei. – Respirei fundo. – Vou escovar os dentes. – Sai rápido do quarto e entrei no banheiro, me senti como se tivesse corrido uma maratona, meu coração está acelerado, e com certeza ele deve ter notado isso, respirava fundo me recuperando de uma brincadeira que não parecia tão brincadeira assim.

Logo depois de sair do banheiro, Theo já havia se deitado, fui para minha cama também.

- Amanhã tenho que ir junto com você né?

- Sim a gente que falar com a mãe da Lydia que é a diretora, para você voltar a estudar.

- Ok, boa noite.

- Boa noite.

Fechei os olhos e fiquei um tempo assim, mas não consegui dormir, tinha muita coisa passando pela minha cabeça, ele literalmente veio ontem para minha casa tem um dia que ele ta aqui, e parece que muita coisa aconteceu. Percebo que ele já dormiu.

Eu realmente tive vontade nem que seja por 1 segundo de beijar ele?

Meu deus o que ta acontecendo comigo?

Minha cabeça ta a mil, tentei lembrar se já tive essa vontade antes e logo me lembrei de hoje mesmo no elevador, eu não consegui me afastar na hora que ele se aproximou, mas ele parecia querer também, se o elevador não tivesse chegado no andar teria acontecido alguma coisa?

Não, não, não eu tenho que tirar isso da minha cabeça é isso.

Mas ele vive me provocando e se aproximando como fez agora pouco, tudo bem que é em forma de brincadeira, mas...

Liam esquece isso, não aconteceu nada certo? Certo! Eu preciso dormir.

Dormi, cochilei na verdade devo ter dormido um pouco mais de duas horas e acordei, me deu sede e fui buscar um copo de água, fui me deitar quando ouvi o Theo murmurando algo, a respiração dele estava vai mais pesada.

Fui na sua direção e ele estava começando a se mexer, os batimentos estavam aumentando. É claro. Pesadelo.

Novamente.

Me abaixei do lado do colchão e me aproximei um pouco e tentei chamar baixo.

- Theo, acorda. – Mas ele continuava dormindo, e começou a se mexer um pouco mais. – Theo. - Disse um pouco mais alto.

Acabei segurando sua mão e pus a mão outra mão no seu ombro para meio que sacudir ele e tentar acorda-lo mas sem assustar, porém ele começou a se acalmar. Fiquei confuso, porquê das outras vezes e só parava quando acordava. Senti um aperto de leve na minha mão e achei que ele teria acordado, mas dava para perceber que continuava dormindo, agora sua respiração estava tranquila e os batimentos voltaram ao normal.

Fiquei mais um tempo assim até ver que já havia relaxado totalmente, então tirei minha mão devagar e voltei para cama. Ele se acalmou quando encostei nele, será que precisa de algum contato físico pra sentir bem enquanto dorme?

Acabei adormecendo pensando nisso e acordei com o despertador, desliguei rapidamente e acho que o Theo não escutou, continuava dormindo, mas seu sono estava agitado novamente.

Para confirmar o meu pensamento fiz a mesma coisa, segurei sua mão e ele começou a se acalmar, na verdade não sabia direito o que acontecia mas que ele se acalmava com algum tipo de toque isso era, pelo menos era o parecia. Soltei sua mão e o chamei.

- O que foi. – Respondeu meio grogue.

- Já ta hora bela adormecida o despertador tocou e você não ouviu.

- Bela adormecida teu cu.

Fui no banheiro, enquanto terminava de escovar os dentes Theo entrou, eu já ia falar quando ele percebeu e disse antes.

- Já disse que tem que trancar a porta se não quiser que eu entre. – Revirei os olhos, enxaguei a boca e já ia saindo. – Nossa que milagre você não retrucar.

- É de manhã cedo, eu não tomei meu café, não vou brigar agora não. – E sai do banheiro.

Fui direto para cozinha, me trocaria depois, encontrei minha mãe la, meu pai deveria estar dormindo ainda. Estava meio sonolento, custei para dormir ontem, então nem falei muito com ela e tomei meu café em silêncio, quando terminei fui me arrumar e me pechei com Theo na escada, que estava indo tomar café.

- Já comeu?

- Sim, vou me ajeitar.

- Ta te espero aqui em baixo então para gente ir.

Apenas concordei com a cabeça.

......

 

Já estávamos a caminho da escola, Theo dirigia (como ele disse que iria começar a fazer), não queria aceitar muito isso, não levei nenhuma multa até agora, mas acho melhor não arriscar tanto já que ele pode dirigir. Fiquei pensando, será que ele percebeu que não acordou nenhuma vez essa noite?

- Ei

- Oque? – Perguntei.

- Eu não acordei gritando ou algo do tipo essa noite né? – Caramba, eu tava pensando sobre isso e ele pergunta.

- Não... – Tentei soar convincente, sim ele não acordou dessa vez mas porque “acalmei” antes disso, mas ele não precisa saber, não agora.

- Acho que ta passando.

- Talvez.

- É eu lembro de ainda ter sonhado, mas depois... passou. – O encarei meio surpreso, ele estava olhando pra frente, mas acho que percebeu, e meu silêncio, e me olhou rapidamente. - O que foi?

- Você, se eu não pergunto nunca fala sobre isso, porquê agora ta falando?

- Não sei eu só quis comentar, já que você volte e meia toca nesse assunto, acho que.. .sei lá.

Depois disso ele ficou em silêncio, e droga como eu sou burro, primeira vez que falamos sobre isso que ele mesmo começa o assunto e eu nem pra continuar direito, talvez até comentasse o que ele sonha, ele falou de forma bem natural.

Chegamos um pouco mais cedo que o habitual na escola, e fomos direto a sala da diretora.

Bati na porta, e ouvi mandarem abrir.

- Oi Sra. Martin.

- Liam? Oi entra, e esse é? – Perguntou se referindo ao Theo.

- Oi eu Theodore Raeken, mas pode falar Theo.

-Sentem -se, eu acho que conheço você. – Pareceu tentar se lembrar.

- É.. ele estudou aqui ano passado.

- E queria saber se tem como voltar a estudar aqui?

- Só um momento. – Ela começou a mexer no computador. – Você não terminou aquele ano letivo certo?

- Não... aconteceu algumas coisas, que bem me fizeram ficar de fora

- Coisas sobrenaturais- Respondi.

- Entendi, mais um... você é?

- Lobisomem. – Ele afirmou.

- Ok... Pelo que vejo aqui, já era pra ter se formado.

- É... então tem como eu voltar para essa escola.

- Sim, preciso da atualização dos dados, endereço... essas coisas.

- Ele ta morando na minha casa. – Respondi.

- Sim, tem como eu estudar na turma do último ano? Como a senhora viu, já era para eu ter me formado.

- Mas não terminou o ano letivo anterior.

- Não tem como dar um jeito. – Olhei para ela de forma pedinte.

- Eu tinha ótimas notas, com certeza teria passado...

- Ok.. entendi onde vocês querem chegar, acho que consigo...

- Muito obr...

- MAS só dessa vez apenas pelas coisas que aconteceram e sei que passaram entendido?

- Sim. – Respondemos juntos.

- Liam se quiser já pode ir agora tenho que resolver as coisas com Theo, e daqui a pouco as aulas vão começar.

- Claro.... e Sr.Martin?

- Sim?

- Poderia não falar com a Lydia sobre isso.

- Porquê? – Me olhou desconfiada

- É que ... tivemos uns problemas com Theo a um tempo atrás, e ainda não falei com eles sobre isso, mas ta tudo bem agora, só queria eu falar com eles sobre...

- Está com medo? – Ouvi Theo falar bem baixinho perceptível apenas para mim.

- Tudo bem, não vou falar com ela sobre isso por enquanto.

- Obrigada.

Saí, da sala e fui na direção do meu armário para pegar livro da primeira aula, mexi por um tempo organizando as coisas, fechei e vi Mason se aproximando.

- Ei Liam. – Me cumprimentou com um toque de mãos. – Então vai me dizer o que fez no fim de semana?

- Nossa, você é realmente curioso né? – Ri.

- Você não respondeu mais, mesmo depois de falar com comigo por telefone, ainda sim nem respondeu minhas mensagens.

- Você tava carente esse fim de semana? Corey não pode estar com você? – Brinquei com ele.

- Vai se ferrar... então?

- Ok, Ok, eu realmente estava ocupado com uma pessoa.

- Eu sabia! Porque disse que não tava com a Hanna então?

- Porque, eu não estava?

- Não entendi...

- Estava com outra pessoa não com Hanna.

- Como assim, não foi com ela que ficou na festa?

- Sim, mas como disse eu nem falei com ela depois disso.

- Se não era ela, era quem então?

- Então... bem eu não falei nada, porque queria falar pessoalmente.

- Liam, fala de uma vez.

- Bem é que...

- Aquele é o Theo? – Merda. Olhei para trás, ele me viu e começou a vir na nossa direção.

- É.

- Não era você que semana passada ficava pensando nele querendo encontrar, olha ai viu ele ta bem. – Ouvi Theo soltar um riso. Sério o Mason tinha que falar isso.

- Oi Mason.

- Oi.. Theo.

- Então quer dizer que você passou semana passada pensando em mim, não sabia que tinha se preocupado tanto Dunbar. – Disse com deboche apoiando o braço no meu ombro.

- Vai se...

- Não parece que acabaram de se ver agora. – Mason me encarou.

- Porque não foi. – Respondeu Theo.

- Então... lembra sobre o que gente estava falando? então... Eu tava com ele... com o Theo.

- O QUE? Você ta saindo com ele? – Perguntou incrédulo.

- Que? Espera, não! Não é dessa forma que você ta pensando. - Olhei para Theo que parecia está segurando riso.

- Eu to morando na casa dele. – ele respondeu.

- Como assim?

- Resumindo: Eu sai da sua casa fui pra floresta o encontrei, levei para minha casa e agora ele está morando lá, e ontem estávamos no shopping para comprar algumas roupas pra ele é isso. – Notei que ele olhou para meu ombro, onde Theo ainda estava com o braço apoiado, e franziu o cenho.

- Quero falar só com você rapidinho e me puxou nos afastando de Theo.

- Ele sabe que eu ainda consigo ouvir não é. – Ouvi ele falar.

- Tem certeza disso? Tipo é o Theo, na sua casa. – Falou baixo.

- Acha que ele vai fazer alguma coisa?

- Eu não sei, mas o histórico dele não é muito bom né?

- Ele nos ajudou.

- Ok mas...- Theo apareceu no meu campo de visão novamente, continuava distante mas agora havia se movido pro lado e estava ouvindo. – A gente não sabe se ele não vai fazer aquilo de novo ou coisa pior.

- Ele não é mais o vilão, ele só quer terminar o ensino médio e provavelmente ir embora. – Novamente aquela sensação estranha quando penso nele indo embora. – Ele não vai fazer nada.

- Tem certeza? confia nele? Ele já nos enganou uma vez – Ouvi Theo dar uma risada como se já imaginasse a minha resposta. Ele me olhou nos encaramos por alguns segundos. Até Mason chamar minha atenção – Liam, ouviu o que perguntei?

- Sim...

- E?

- Sim...- Olhei para Raeken novamente. - Eu acho que confio nele.  – Eu disse isso mesmo?

Theo arregalou levemente os olhos em surpresa.


Notas Finais


Esse capitulo me deixou com dúvida, eu gostei, ai depois não tinha gostado tanto e ai gostei de novo kkkkk então não sei me digam o que acharam, beijos <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...