1. Spirit Fanfics >
  2. I Nossa Versão I >
  3. I A boate I

História I Nossa Versão I - Capítulo 8


Escrita por:


Notas do Autor


Espero que gostem do capítulo.

Capítulo 8 - I A boate I


Coringa (POV)

Estava em minha lamborghini junto de Arlequina.

Ela iria comigo pois Arlequina fazia trabalhinhos extra em uma das minhas boates.

Coringa : Já sabe oque tem que fazer né? - perguntei e ela assentiu com um pouco de medo em sua face.

Acho que ppr eu ter ameaçado ela na escada da mansão

Coringa : NÃO QUERO NINGUÉM...EU DISSE NINGUÉM... TE TOCAR ALÉM DE MIM.

Arlequina : claro Coringa... mas porque eu deixaria outro me tocar ? Eu te amo e você sabe disso não sabe? - a mesma me questiona indo para o meu colo.

Arlequina : sabe né ? - a mesma me beija.

Coringa sei monstrinha... agora... saia de cima de mim vou acabar batendo o meu bebezinho (a lamborghini roxa) - digo e no mesmo momento ela sai mas fica com sua mão ao meu braço.

Eu não tiro a mão dela... não sei porque.

Mas eu não queria que ela saísse dali.

Arlequina (POV)

Eu e Coringa chegamos em frente a boate e assim que saimos o manobrista veio em nossa direção.

Coringa lança um olhar fuzilante para o mesmo que conserteza agora vai tomar mil vez cuidado com a lamborghini roxa.

Entramos na boate e eu fui junto com Coringa para a sua sala.

A sala estava com algumas pessoas especificando HOMENS , eles iria conversar de negócios...

Que tédio!!! Coringa da um tapinha na perta onde eu logo sento em seu colo.

Não posso para de notar que os marmanjos não paravam de olhar para o meu decote e para meu vestido que por sinal estava um pouco curto.

Levo minha boca até o ouvido do Coringa e digo 

Arlequina : Sr Coringa , posso ir para a pista de dança? - perfunto e o mesmo assente.

Levando do seu colo e saí rebolando.

Da sala dele ele podia me ver na jaula.

Sim... Eu aceitei dançar na jaula da boate.

Coringa não me força a nada... Por isso eu o amo.

Ele conserteza me forçaria se fosse a alguns meses atrás... A alguns meses atrás eu nem sequer queria ficar mais com ele..Mas... ELE MUDOU TANTO QUE EU ACEITEI ESPERAR ELE MUDAR AOS POUCOS.

Dançava polidence lindamente sempre com a visão da sala do PUDDINZINHO...

Mas ele não só me olhava... mas estava nervoso com um marmanjo sentado a sua frente.

Coringa (POV)

Estava olhando para ela... que dançava como ninguem , eu adoro ver ela segurando na barra e dançando para mim , mas...

Homem : Coringa... quanto que é uma noite com ela? - o homem pergunta sem amor a vida.

Coringa : Ela não esta a venda - falo calmo ainda , sem tirar os olhos dela.

Homem : ahh pode falar , qualquer preço - o mesmo insiste.

Coringa : Ela é só minha... - falo calmo mas com a expressão de raiva.

Homem : Vai Coringaaa!!! Não vai nos falar que esta apaixonado por essa vagabunda - o mesmo fala conserteza sem amor a vida.

Dou um sinal para os três capangas se livrarem do infeliz... estou fazendo um favor para ele o devolvendo para sua casa.

Homem : Coringa... Negócio fechado - o mesmo me diz me oferecendo um aperto das mãos mas eu não gosto nem um pouco de dar as mãos para os outros , então neguei e o mesmo saiu.

Assim que o mesmo saiu agora sem seu amigo , eu sai e fui até a jaula de Arlequina.

Ela estava tão linda que subiria na sua jaula só para receber um beijo seu.

Assim que acabou seu show a mesma foi em minha direção.

Arlequina : gostou? - a mesma me questiona.

Coringa : Se eu gostei? - olho para a mesma com cara de desaprovação. CLARO SÓ QUERIA ZOAR COM ELA.

Arlquina : nossa... desculpe - me então , prometo que da próxima vez farei melhor - a mesma diz com tristesa nos olhos e no lugar do seu lindo sorriso um bico de tristesa.

Coringa : HAHAHAHA - solto uma risada , não aguento ver essa sua cara.

Coringa : EU AMO SUA CARA DE TRISTESA HAHAHAHA - a mesma me olhava confusa.

Arlequina : mas... - ela tentou falar mas eu a interrompi.

Coringa : Você estava linda e perfeita como sempre... Estava apenas me divertindo com sua cara de tristesa - digo com o meu melhor sorriso e a mesma se contagia.

Arlequina : EU TE AMO TANTOOO - a mesma correu para os meus braços.

Ela me abraçou como nunca alguem havia abraçado.

Eu não faço esse contato dês do dia em que minha esposa faleceu.

Eu me assustei na hora e até não sabia como responder ao ato.

Então saiu do abraço e me deu longo beijo.

Peguei ela no colo e fui levando a mesmo até a lamborghini roxa que estava estacionada.

Enquanto a mesma estava no meu colo estava abraçada ao meu pescoço.

Coloquei a mesmo dentro do carro e segui para a mansão.

Chegamos lá e não pude esperar

Eu Arlequina entramos no quarto trancamos e a mesma se sentou na cômoda.

Eu a beijei com paixão , precisava do seu beijo.

Hoje seria a noite que iria esfregar na cara daquele energúmeno que chamou minha monstrinha de vagabunda e agora ele deve estar queimando no inferno...

_____________________________________

Estavamos dormindo eu e Arlequina... quando ela se levantou em um pulo rapido que até eu me assustei.

Arlequina : ahhh seus demônios calem a boca. - a mesma sussurrava para talvez não me acordar , mas já tinha me acordado só de pular daquele jeito da cama.

A mesma sentou no chão e tampando os ouvidos...

Era horrivel ver o que eu acabei fazendo quando um dia ela me desobedeceu.

Eu tinha colocado aqueles demônios na mente dela como forma de punição no dia em que ela fez algo errado.

Vendo aquilo meus demônios começaram a gritar em minha mente.

"VIU OQUE VOCÊ FEZ?!?!?"

"PARABÉNS"

"OQUE VAI FAZER AGORA?!?!? HAM?!??!?!"

Infelizmente eu não tinha paciência como ela...

Então  eu gritei...

Coringa : CALADOS!!!! - gritei e a mesma se assustou.

Arlequina : PUDDINZINHO?!?!? - a mesma levanta e se assusta com meu grito.

Arlequina : me perdoe por te acordar. - ela tentava se desculpar sendo que o errado ali era eu.

Eu levantei sem nem pensar e com um impulso que não veio de mim eu a puxei para perdo e a abracei.

Fazendo ainda carícias em sua cabeça eu disse.

Coringa : não fez mal... eu sou o culpado de tudo isso , me perdoe por isso... eu nunca deveria ter feito isso com você,  só eu mereço esses demônios me atormentando.

Coringa : venha vamos tentar dormir - eu a carreguei até a cama.

Ja deitados eu abraçei pela cabeça e ela deitou seu rosto em meu peito.

Por mais inacreditável que seja conseguimos dormir...

Foi como se os nossos demônios aprisionados em nossas almas e mentes se completassem quando nós nos encontravamos.

Nunca tinha dormido com ninguem assim antes... nem mesmo com a minha falecida esposa.

Dormimos no conforto um do outro.

 









Notas Finais


Espero que tenham gostado


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...