História I Remember You - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Chris Evans, Emily Rudd, Henry Cavill, Scarlett Johansson, Sebastian Stan
Personagens Chris Evans, Henry Cavill, Personagens Originais, Scarlet Johanson, Sebastian Stan
Tags Alfonso Herrera, Ashley Greene, Candice Accola, Catherine Zeta Jones, Chris Pine, Megan Fox, Michelle Rodriguez
Visualizações 38
Palavras 2.167
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Universo Alternativo

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oie sweeties, olha eu aqui de novo com mais uma! rsrs
Cheguei com outra fanfic, outra ideia que me surgiu na mente e eu decidi compartilhá-la com vocês
espero que gostem!
Fanfic será focada na maravilinda Scarlett, um universo alternativo que promete ser fofo, romântico, engraçado e ter fortes
emoções e reviravoltas u.u
Esse primeiro capitulo é mais um prólogo, pra dar inicio na história, mas o desenrolar começa nos proximos
Espero que gostem e desculpem qualquer eventual erro.
Boa leitura e nos vemos nas notas finais!

Capítulo 1 - Prologue


Fanfic / Fanfiction I Remember You - Capítulo 1 - Prologue

 

O despertador tocou às seis da manhã, fazendo Scarlett despertar lentamente. A loira levou a mão até o aparelho, desligando-o, e soltando um longo suspiro. Mas uma semana estava se iniciando e a medida em que ela situava os pensamentos, uma lembrança importante a fez se levantar subitamente. 

 

Ela saiu de seu quarto ainda meio sonolenta e caminhou para o quarto ao lado, adentrando.


 
           - Blue, acorda. – chamou, chacoalhando de leve a garota que ainda dormia profundamente.


           A menina se encolheu puxando mais o cobertor. Scarlett a chacoalhou com mais vontade.

 

- Blue Kristyn, acorda agora! 

 

A menina acabou acordando abruptamente. 

 

- Ai mãe...

 

- Você não quer chegar atrasada no seu primeiro dia de aula no ensino médio, quer? – disse, puxando o cobertor. – Se apronte e desça pro café.

 

Logo saiu do quarto da menina e voltou para o seu para se arrumar para o dia. Scarlett costumava ser uma mulher do tipo atarefada, mas fazia por opção. Ela vive com sua filha. Divorciada há cinco anos, ela não se envolveu com mais ninguém desde então. Seu foco era seu trabalho como professora de dança, mas principalmente sua filha. E nesse primeiro dia do ano letivo da filha, Scarlett parecia mais ansiosa que a própria. 

 

Ela se aprontou e como a mãe dedicada que sempre foi, tratou de logo preparar o café da manhã. Também alimentou o gato da família, Cash. Um gatinho de três anos que é o xodó das duas. 

 

Minutos depois sua filha finalmente apareceu. Scarlett a fez se sentar e comer algo redorçado. A menina apenas obedeceu a mãe e tomou seu café. Scarlett a observava com um misto de orgulho por ela estar entrando no ensino médio e ao mesmo tempo nostalgia. Blue percebeu o olhar da mãe e apertou de leve os olhos.

 

- Mãe, por que está me olhando assim? 

 

- Eu não me canso de admirar como você está linda, meu bem. – disse, sorrindo. – E crescida. Deus, minha menininha está se tornando uma mulher. – murmurou com certo pesar.


 
            - Ah mamãe, por favor. – Blue deu uma risadinha, negando com a cabeça. – Não vai começar a chorar agora. 

 

Scarlett sorriu e juntas elas tomaram o café da manhã. Durante o caminho para a escola, Scarlett dava uma serie de informações e orientações para a menina, que ouvia apenas por ouvir pois já sabia de cor tudo o que a mãe falava. 

 

Quando enfim chegaram, Scarlett estacionou o carro e as duas saíram juntas. Blue olhou na direção do prédio e sentiu um certo friozinho na barriga. Não era um lugar de crianças, era um lugar de adolescentes. E isso parecia assustador. 

 

- Vai dar tudo certo, meu bem. – Scarlett como sempre otimista. 

 

Blue a olhou sem se convencer muito daquilo. 

 

- Não sei não. Adolescentes são estranhos e doidos. 

 

Scarlett riu de leve a observando.

 

- Você fala como se não fosse uma adolescente também. 

 

- A diferença é que eu sou uma adolescente com cérebro. – murmurou. Scarlett achou graça e a abraçou rapidamente. 

 

Então ficou dali observando sua garotinha seguindo para o colégio até ela sumir de suas vistas. Estava uma manhã ensolarada, mas agradável. 

 

- Vai ser um ótimo dia. – ela murmurou consigo mesma antes de voltar para o carro e partir. 

 

Ela seguiu para a escola de dança clássica e contemporânea onde dava aulas para crianças há quase dez anos. Dança era sua segunda maior paixão na vida. Ela sempre amou dançar e sabia que queria fazer isso para sempre. E ensinar a arte de dançar com graciosidade e elegância para crianças era algo que ela especialmente amava. 

 

Quando chegou lá, cumprimentou seus colegas de trabalho simpática como sempre fazia. Todos ali gostavam muito dela e Scarlett é sempre prestativa com todos. Depois de se trocar, ela foi para a sala de sua turma de balé e ficou esperando seus queridos alunos começarem a chegar. As crianças foram chegando aos poucos, todos bem animados. 

 

E assim a aula se iniciou. Ela ensinava os passos, e ajudava cada criança em suas evoluções. Umas sempre eram mais desenvoltas que outras, e Scarlett sabia bem disso. Conhecia bem cada criança e por isso tinha paciência com todos. 

 

E eles seguiram assim até o horário dessa turma acabar. Alguns pais já estavam esperando para levar seus pequenos para casa. Scarlett avistou uma conhecida e sorriu, se aproximando dela. 

 

- Denise, oi. – a cumprimentou com um abraço rápido.

 

- Oi Scar, como está? 

 

- Está tudo bem, e você? 

 

- Tudo ótimo. Vim buscar a Valery hoje, Tom não pôde. – explicou. – Caramba, é impressionante como você fica maravilhosa até com esse collant de boneca. – observou. 

 

Scarlett riu da fala dela e negou com a cabeça. 

 

- Você fala como se também não ficasse maravilhosa até de jeans rasgado. – disse. Denise sorriu. 

 

- Podíamos sair qualquer dia desses, sinto falta de quando saíamos juntas pra badalar por ai. 

 

- Denise, faz mais de dez anos que não saímos pra badalar por ai, não estamos mais badalando nada.

 

- O que é uma pena. – ela deu de ombros. – Bom, mas mesmo assim, vamos combinar depois. Hoje eu vou fazer um jantar romântico. – sorriu de canto. – Tom e eu estamos fazendo cinco anos de casados hoje. 

 

Scarlett sorriu surpresa. 

 

- Ah, sério? Que maravilha, meus parabéns! – abraçou a amiga novamente de novo. – Fico tão feliz por você. 

 

- Parece que foi ontem que aquele par de olhos azuis me fisgou, já estamos juntos há cinco ano. Cada dia é uma vitória. – brincou.


 
            - Ainda bem que aquele par de olhos azuis colocou juízo nessa sua cabecinha. 

 

Denise sorriu e observou a amiga. 

 

- E quando é que você vai dar uma nova chance pro amor, hein? – Scar desfez o sorriso e suspirou. – O mesmo tempo que eu tenho de casada com o Tom, você tem de solidão. Ninguém merece, Scar. 

 

- Não fala assim Denise, eu não estou na solidão. Eu só não quero me envolver com ninguém até eu estar pronta pra isso. ­– respondeu com calma. 

 

- Amiga, cinco anos não são cinco dias. – jogou um olhar pra ela. – Não é bom ficar sozinha, você ainda é tão jovem e linda, é um desperdício total. 

 

Scarlett acabou dando um risinho e negou com a cabeça. 

 

- Denise por favor, pare de tentar arrumar alguém pra mim, ok? – pediu com jeito. – Eu estou ótima assim e quando eu sentir a necessidade de encontrar outro alguém, eu vou procurar. Se eu não encontrar também não tem problema. Minha paz é muito mais importante do que outro relacionamento. 

 

Denise abriu a boca pra argumentar, mas viu sua pequena se aproximando com as coisas para irem. 

 

- Tá bom então. – respondeu pouco convencida e recebeu sua filha com os braços abertos. 

 

A pequena se jogou nela, toda carinhosa. Scarlett sorriu com a cena fofa. Por um momento se lembrou de quando a sua também era pequena assim. Denise pegou sua filha no colo e tornou a olhar a amiga desde os tempos de escola. 

 

- Pensa no que eu disse, ok? 

 

- Denise, eu não vou pensar em arrumar outro alguém. – respondeu. Ela riu de leve. 

 

- Não, pensa sobre marcamos de sair qualquer dia. – corrigiu. –Tá vendo como você está precisada. 

 

- Denise! – a repreendeu, mas Denise jogou um sorriso maldoso. 

 

- Tchau tia Scar. – a pequena Valery se despediu com um tchau e foi no colo da mãe. 

 

Scarlett observou elas indo e negou com a cabeça, pensando que Denise ainda continuava impossível. Depois que todas as crianças foram, ela seguiu para o vestiário. Ainda estava pensando na conversa com Denise sobre aniversário de casamento. Pensar em casamento ainda era um assunto delicado para ela. 

 

Havia sido casada por dez anos e era apaixonada pelo marido. O fim foi difícil e só ela sabe o quanto sofreu. Cinco anos depois, ela se sentia melhor. Cicatrizada, por assim dizer. Mas ainda longe de se sentir pronta para ter qualquer outro relacionamento. No fundo ela tinha medo de sofrer outra vez. Então preferia ficar sozinha, aproveitando o tempo que tinha da melhor maneira que pudesse.

 

Os pensamentos de Scarlett foram interrompidos pelo toque do celular. A loira pegou e estranhou o número, mas atendeu. 

 

- Alô? 

 

"Srta. Johansson?" – uma voz feminina falou do outro lado. 

 

- Sim. Quem fala? 

 

"É do Liberty High School, eu sou da enfermaria. Me pediram para entrar em contato com a senhora, sua filha sobre um acidente, não foi nada muito grave, mas a senhora pode vir buscá-la?" 

 

Scarlett parou de escutar no momento em que ela disse "acidente". Já sentiu seu coração apertar violentamente. 

 

- Ela está bem? Como ela está ai? Meu Deus, como assim um acidente? – ela falava enquanto pegava sua bolsa. Já havia se trocado.

 

"Foi durante a aula de educação física, ela caiu. Atendemos ela aqui, mas seria bom levá-la ao hospital" 

 

- Ok, estou indo! 

 

Scarlett não esperou ela fala e desligou o celular, pegando seus pertences e saindo dali apressada. Ela avisou alguns colegas que precisava ir e saiu o mais rápido que pôde. Mil e uma coisas passavam na mente dela enquanto seguia para o colégio. Seu coração de mãe estava bem aflito. 

 

Quando ela chegou lá foi levada para a enfermaria onde Blue ainda estava. Ela entrou e viu a filha sentada numa maca com o pé machucado para também em cima da maca e envolvido em ataduras improvisadas. Se aproximou dela preocupada. 

 

- Mamãe, me leva pra casa. – Blue pediu num tom choroso. 

 

- Já vamos, minha filha. Vem, se apoia em mim. 

 

Scarlett e a ajudante da enfermaria levaram Blue. A menina sentia muita dor no local machucado e tudo o que mais queria era sair daquele colégio pra pararem de a olhar como se ela fosse uma atração. Blue pensou que a mãe não acertou dessa vez e deu tudo errado. Elas colocaram Blue no carro e Scarlett tratou de levá-la logo. A menina queria ir pra casa, mas Scarlett não deu ouvidos e a levou para o pronto-socorro mais próximo. 

 

Logo ela conseguiu ser atendida e depois de um raio-x foi constatado que ela havia tido uma luxação no tornozelo e precisaria imobilizar adequadamente. Scarlett teve que esperar no corredor enquanto Blue era atendida. Minutos mais tarde ela foi chamada pra ajudar a levar Blue, agora com o pé engessado até o meio da panturrilha. Ela também foi medicada, o que deu uma aliviada na dor. O médico deu todas as orientações de cuidados a elas e as liberou. 

 

Scarlett levou sua filha pra casa com o coração ainda apertado. Quando chegaram, ela a levou para o quarto, a ajudando a se ajeitar na cama. Blue estava visivelmente triste com aquilo.

 

- Não sei se eu quero voltar para aquela escola. – murmurou. – Três semanas com essa coisa no meu pé, que droga!

 

- Calma, Blue. Três semanas vão passar rápido, você vai tratar direitinho e vai sarar logo. Podeira ter sido pior. – suspirou. – Como foi que você caiu? 

 

Blue respirou fundo, ainda fitando o pé engessado. 

 

- Eu não cai, eu fui empurrada. – confessou. Scar franziu o cenho. – Uma garota da minha turma aparentemente não foi muito com a minha cara e ela deixou isso bem claro quando me empurrou. 

 

- E ninguém viu isso? O professor, o diretor, os seus colegas...? – questionou incrédula.


 
            Ela deu de ombros. 

 

- Que diferença vai fazer? Não vai sarar meu tornozelo até amanhã...

 

- Faz diferença sim. Não podemos deixar as pessoas fazerem isso com a gente, minha filha. Seja lá quem for essa menina, ela fez por maldade e ninguém falou nada. Não é justo nem certo, e eu não vou deixar isso barato. 

 

Blue levantou os olhos azuis para a mãe um pouco confusa. 

 

- Como assim? 

 

- Você vai ficar em casa, mas amanhã eu vou até lá e não saio até descobrir quem foi essa menina e ela vai ter o castigo que merece. 

 

- Mamãe, por favor... – pediu, quase implorando.


 
          - Querida, se tem uma coisa que eu aprendi nessa vida é não permitir que ninguém me menospreze ou me maltrate, e eu não vou permitir que façam o mesmo com você. – disse, séria. 

 

Blue a olhou meio sentida com a maneira dela falar. 

 

- Tá falando isso por causa do papai? 

 

Scarlett suspirou.

 

- Blue, se meu casamento com seu pai acabou foi justamente porque eu não aceitei mais ser humilhada. E eu jurei a mim mesma que nunca mais deixaria ninguém me machucar e nem machucar você, independente de quem seja. – murmurou. – Amanhã eu vou até lá falar com o seu diretor e vamos resolver isso da melhor maneira possível.

 

Ela se aproximou de Blue, lhe dando um beijo carinhoso no rosto. 

 

- Descansa um pouco. – esboçou um pequeno sorriso. 

 

Blue apenas assentiu para a mãe e se deitou. Scarlett saiu do quarto e ficou pensando em tudo aquilo. Lembranças do passado vinham em sua mente, mas ela decidiu que nunca mais se deixaria abater por aquilo. Iria continuar dando a volta por cima.

 


Notas Finais


Scarlett cheia de personalidade u.u
Se gostarem por favor me digam nos comentários <3
Até! :D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...