1. Spirit Fanfics >
  2. I saw the love in your eyes - Destiel >
  3. Capítulo 5

História I saw the love in your eyes - Destiel - Capítulo 6


Escrita por: e LuanaPrince


Notas do Autor


Boa leitura amores!

Capítulo 6 - Capítulo 5


POV Dean

Acho que passei dos limites com Castiel, ele ficou bem irritado com minha aproximação nada sutil. Mas fazer o quê, aquele homem está me deixando louco.

Vou pedir desculpas a ele mais tarde, bom que aproveito e o vejo também. Ele é tão lindo e sedutor. Eu devo confessar que eu fiquei enciumado quando Benny deu em cima dele. Cheguei a pensar que eles tinham um caso, isso seria bom e ruim. Bom porque Castiel iria se relacionar com homens e ruim porque ele já teria um homem. Argh!

Ok, eu vou conquistá-lo, ele já mostrou interesse, é só eu insistir um pouco mais.

Eu nunca me imaginei querer alguém assim tão rapidamente eu não o conheço direito, mas ele me encantou de uma forma absurda que não consigo explicar, aqueles olhos azuis, aquele ar angelical me deixa louco por ele, pra conhecer ele e ter ele só pra mim.

Mais aí está o problema, ele não quer homens. Ou talvez queira mas não vai admitir. Pelo que Sam me disse ele sempre teve relacionamentos com mulheres. Ele engravidou a mãe de Jack muito jovem e desde então ele só esteve com mulheres.

Mas Castiel tem um jeito diferente, ele me olha diferente eu sinto o olhar dele queimando em mim. E sem contar que ele ficou excitado. Eu não caí na desculpa de que ele estava pensando em uma mulher. Nah, ele ficou excitado por mim!

Será que eu estou me iludindo? Será que eu fiquei louco? Eu não sou de ter pensamentos "possessivos" em relação a alguém. Eu já me relacionei com muitas pessoas, apenas sexo casual ou coisa do tipo, nunca em um relacionamento sério. E nunca fiquei querendo tanto assim ser notado por alguém ou ficar com aquela pessoa. Mas Castiel me faz ter a necessidade de ser notado, ter a necessidade de ter seus sentimentos pra mim.

Eu cheguei a ter um pequeno caso com Benny, isso mesmo meus amigos. Mas isso não atrapalhou nossa amizade. Nenhum de nós tinham sentimentos profundos um com outro, então quando tudo acabou continuamos a amizade normalmente.

Talvez eu só esteja me sentindo rejeitado e queira provar que não sou rejeitado. Até porque eu nunca fui.
Paro de pensar em tantas coisas e volto ao meu trabalho. Tem vários carros para arrumar e quero terminar rápido pra ir dá uma olhada em Castiel e pedi desculpas pelo meu comportamento ontem. Mas eu não vou desistir de conquistá-lo. Mesmo que seja difícil eu vou tentar. Se ele ao menos tivesse me ignorado ou não mostrado interesse eu aceitaria. Mas ele se mostrou interessado e isso me deu ânimo para prosseguir.

POV Castiel

Como eu previ foi muito difícil acordar hoje, a cama estava tão boa e o sono estava demais, só que o dever me chama e dormir não vai pagar minhas contas. Levanto tomo um banho, faço minha higiene e vou preparar o café. Decido por deixar Jack livre pra dormir até mais tarde, pois ele é um adolescente e precisa de ânimo para os estudos e eu nunca obrigaria ele a me ajudar cansado e esgotado como ele deve está. Apesar que ele está sempre esgotado ao levantar cedo.

Antes de sair deixo um bilhete dizendo pra ele ir almoçar na loja comigo, coloco um horário no despertador para que ele acorde sem riscos de se atrasar ou algo do tipo. Saio de casa e vou rumo ao trabalho de táxi novamente graças a Deus vão entregar meu carro hoje não aguento mais pagar táxi.

Chego na loja arrumo tudo e abro as portas para os clientes, me sento no balcão e espero o público que rapidamente chega, ainda bem já estava quase dormindo sentado aqui. Atendo todos educadamente, eu fico muito feliz pelo movimento que tem, o lucro é muito bom e também é bom saber que pessoas curtem ler um bom livro e ver um bom filme e séries, a maioria das pessoas hoje em dia só quer saber de redes sociais.

O tempo passa e nem percebo, o movimento está intenso tenho que contratar um ajudante, ficar aqui sozinho com esse tanto de pessoas é complicado.

O movimento diminui e dou graças a Deus, pois dá pra sentar um pouco e descansar e é nesse tempo de descanso que minha mente vai pra loucura que foi a noite passada com Dean me tocando e tudo mais.

Eu não sei como vou resistir a ele, eu estou tentando, mas é difícil ele me atraí de uma forma absurda e eu não sei como lutar contra isso, não quando ele se joga pra cima de mim como ele está fazendo. E olha que nos conhecemos nem uma semana tem.

Como faço pra resistir?

Se Chuck desconfiar ou ver uma coisa dessa, vai cair matando em cima de mim e já basta todos os anos em que sofri em suas mãos. E agora tem Jack também, não posso dar um exemplo ruim a ele.

Não que eu ache que gostar de pessoas do mesmo sexo seja ruim, acho toda forma de amor válida, mas nem todos pensam assim. Meu pai por exemplo odeia esses tipos de pessoas, e faz questão de me lembrar em toda oportunidade que ele tem, do que eu fiz no passado. Do que eu quis "experimentar."

Saio dos meus devaneios com mais pessoas entrando, atendo todas.

- Obrigado, tenha um bom dia. - Digo sorrindo a mais um cliente que se vai.

Ouço o sininho de entrada tocando e vejo Jack passando pela porta com sua mochila. Graças a Deus ele não esqueceu as coisas em casa.

- Oi filho. - Digo sorrindo quando ele se aproxima.

- Oi pai, como está por aqui? - Ele pergunta enquanto recebo de mais um cliente.

- Agitado. - Falo e ele apenas balança a cabeça e vai pro quarto deixar suas coisas lá. Olho no relógio e já está próximo do horário de almoço. Atendo os clientes que já estão aqui e fecho as portas para o horário de almoço.

- Dormiu bem? - Pergunto a Jack  enquanto esquento a comida.

- Muito, obrigado por me deixar dormir mais um pouco.

- Não precisa agradecer filho. - Falo dando um sorriso a ele.

Almoçamos e conversamos um pouco até que ele vai pra aula e eu volto a abrir ao público a Novak's Geek, com um movimento um pouco mais tranquilo eu consigo descansar um pouco e repor algumas camisas que estão em falta.

De costas pra entrada ouço o som do sininho indicando presença, coloco as últimas camisas na prateleira e quando me preparo pra virar ouço a voz grossa dele.

- Castiel - Ele diz e me arrepio por inteiro fico desconcertado e não sei direito como agir.

- Dean - Me viro o cumprimentando com semblante sério, não quero dar brecha para que ele me "ataque" de novo.

- Eu vim pedi desculpas por ontem, eu reconheço que passei dos limites e te deixei desconfortável. - Ele fala parecendo ser sincero. Por essa eu não esperava.

- Tudo bem, só não faça de novo. As pessoas tem que ter respeito. - Digo pra ele.

- Sim, sim eu sei. Mas e como você está? - Ele pergunta puxando assunto.

- Bem e você? - Pergunto e vejo alguns clientes chegarem.

- Ótimo. - Ele diz sorrindo sapeca. Fico desconcertado com esse sorriso lindo que ele tem.

- Que bom, já sabe quanto vai ficar o concerto do carro? - Pergunto me lembrando que o devo isso.

- Ah isso? Deixa pra lá. Peço também desculpas por meu ataque de fúria aquele dia.

- Eu faço questão de pagar Dean. - Insisto com ele.

- Não precisa . Mas se você quiser jantar comigo em forma de pagamento eu aceito. - Pronto tava demorando muito. Tava bom de mais pra ser verdade.

- Não vai rolar, pode ir embora estou trabalhando. - Falo com raiva pra ele, que idiota pensei que ia parar com isso já me basta o Benny.

- Não eu vou ficar aqui um tempo. - Ele fala dando de ombros e se encontrando em um canto enquanto sorrio e atendo os clientes de forma amigável e gentil. A loja fica vazia novamente e sinto um leve medo pelo que pode acontecer.

Eu sinto que vou ceder aos encantos de Dean a qualquer  momento, mesmo que eu negue pra ele e até pra mim, no fundo eu sei o que está acontecendo, sei que é a mesma vontade que tive de anos atrás. Vontade que fui obrigado a esquecer, vontade que deixei escondida a muito tempo e que continuará escondida.

Saio de trás do balcão e vou arrumar uns livros que estão desorganizados e sinto o olhar de Dean sobre mim.

Momentos depois ouço seus passos e sinto sua presença atrás de mim, bem próximo.

- Dean não força a barra, eu não quero me afastar de Sam pra poder ficar longe de você. - Falo o alertando por mais que eu queira não posso cair em "tentação."

- Castiel me desculpe, mais eu sei que você quer. - Ele fala num sussurro. Como ele pode saber, está tão na cara assim?

Me viro de frente o encarando, fixo meu olhar em sua boca rosada e apetitosa pronta pra ser beijada deliciosamente, subo meu olhar ao seu e ficamos assim nos encarando por um momento, ambos prontos pra se agarrar ali e foder até o outro dia. A tensão é palpável entre nós.

Dou um pulo pra traz quando ouço alguém pigarrear perto de nós, estava tão absorto no momento que nem percebi o som do sininho avisando a chegada, viro e vejo Gabriel nos olhando de forma maliciosa.

Era só o que me faltava Gabriel vendo essa cena, não vai me dar sossego mais.

Limpo a garganta encontrando minha voz novamente e Dean se recompõe um pouco assustado com a presença de Gabe, creio eu porque Gabriel tem um rolo ainda não assumido com Sam.

- Oi Gabe. - Digo sorrindo, indo o abraçar.

- Oi, atrapalho alguma coisa? - Ele pergunta sugestivo com as sombracelhas arqueadas.

- N-não, nada. - Digo rapidamente tropeçando um pouco nas palavras.
- Oi Gabriel. Já vou indo Castiel. - Dean diz acendendo e saindo logo em seguida me deixando a sós com Gabe.

- Para tudo Castiel, você resolveu sair do armário é isso? Até que fim. - Ele fala todo animado dando pulinhos de alegria. O açúcar que ele consome o deixa louco.

- O quê? Voce já enlouqueceu? - Pergunto me fazendo de bobo, Gabriel sabe de toda minha história e sempre me manda "sair do armário" ficar com que eu quiser.

- Ah para vocês estavam quase se pegando ali mesmo, dava pra sentir o tesão lá de fora. - Gabe fala revirando os olhos e eu acabo corando pelo seu comentário.

- Você está delirando. - Digo convicto.

- Você não me engana Cas, eu já te dei tantos conselhos. Mais vamos lá de novo. Segue seu coração se você se sente atraído pelo Dean vai em frente se for outro homem que seja, só vai. Você é adulto, tem 33 anos você não precisa de aprovação do seu pai. Você tem seu emprego, seu sustendo eu não sei porque você se prende tanto ao passado. Ele não pode te bater novamente e se ele tentar você revida. Porque ele merece, ele não é pai, é apenas o homem que te fez. Pai é você que cuida e zelar pelo seu filho, ele é só um amargurado na vida que não teve a decência de te aceitar sem preconceitos. - Gabriel vem com seu discurso de mandar Chuck pro espaço e ser feliz. Mas eu já sou feliz com meu filho.

- Gabriel eu tenho Jack, eu não vou jogar tudo pro ar sem pensar no meu filho, e se ele não gostar disso? Se ele me rejeitar? Se ele me odiar? Chuck sempre diz que ele terá nojo de mim e eu não iria suportar isso. - Digo abaixando minha cabeça sentindo a tristeza tomar conta do meu ser, só de lembrar dessas palavras meu peito dói.

- Castiel deixa de bobagem, seu filho te venera, ele não vai sentir nojo de você. Ele vai sentir orgulho de você. Orgulho por você enfrentar o nojento do Chuck, orgulho por você se aceitar e ser feliz como você é. Deixa de bobagem Jack te ama, mesmo eu não tendo contato direto com ele dá pra qualquer um perceber o quanto aquele garoto te ama e te admira. Por favor, não deixa as chances escaparem. Vá viver sua vida, se permita ser feliz pelo menos uma vez. Dean parece meio doido mais ele é legal. Se você quer ficar com ele, fique! - Ele termina seu discurso.

Mas será que vale a pena me arriscar apenas pela curiosidade e desejo? Será que Jack sentiria orgulho de mim? Será que meu pai está errado em relação a reação de Jack e tudo mais? E será que Dean vale a pena o risco?

Minha cabeça dói de tanto questionamento e eu não sei o que fazer. Eu realmente sinto atração muito forte por Dean, mas não acho que eu devo arriscar tudo por isso.

- Gabriel... - Digo sem saber o que dizer. - Vou pensar sobre isso ok, agora me deixe trabalhar. - Digo já querendo que ele se vá, ele desorganizou totalmente meus pensamentos.

- Olha só, Dean Winchester é algum feiticeiro? Te fazendo pensar na possibilidade de ir contra Chuck e o que ele fala. Tenho que dá os parabéns a ele. - Gabe fala rindo. Argh! Que raiva desse diabético.

- Cala essa boca Gabriel. - Falo irritado.

- Ok, ok... eu vim te convidar para uma festa no sábado e não aceito um não. Vamos com a nossa galera juntos, se divertir um pouco. E você vai, pois você nunca sai, já está na hora de sair um pouco. - Ele diz e o jeito é aceitar, vai ser bom eu acho, me distrair um pouco mesmo eu não gostando de festa.

- Certo eu vou, depois me manda o horário e o local.

- Glória, pensei que ia negar como sempre faz. - Ele diz fazendo graça e mostro a língua pra ele num ato infantil. Nos encaramos por um momento e caímos na gargalhada.

Depois de mais uns papos aleatórios, Gabriel se vai me deixando com alguns clientes para atender, a tarde passa rápido e Jack chega da escola vindo me ajudar até o horário de fechar.

Mais tarde vamos pra casa em silêncio a todo momento meus pensamentos está no que Gabriel disse, me deixando confuso e cheio de questionamentos. Chegamos em casa tomo um banho para relaxar, preparo uma janta saudável pra mim e pra Jack quando o jantar fica pronto ele desce e conversamos sobre a escola e sobre como foi o dia dele. Rimos juntos de coisas bobas que dissemos.

E eu não sei se devo arriscar esses momentos com meu filho pra viver uma aventura.



Notas Finais


E aí, gostam ? Eu espero que sim!
Vote e comente.
Beijos 


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...