História I Saw The Love In Your Eyes - Fillie - Capítulo 16


Escrita por:

Postado
Categorias It: A Coisa, Stranger Things
Personagens Beverly "Bev" Marsh, Dustin Henderson, Edward "Eddie" Kaspbrak, Eleven (Onze), Lucas Sinclair, Maxine "Max" Mayfield / "Madmax", Mike Wheeler, Stanley "Stan" Uris, Will Byers, William "Bill" Denbrough
Tags Caleb Mclaughlin, Drama, Fillie, Finn Wolfhard, Gaten Matarazzo, Jack Dylan Grazer, Jaeden Lieberher, Millie Bobby Brown, Noah Schnapp, Romance, Sadie Sink, Sophia Lillis, Wyatt Oleff
Visualizações 218
Palavras 1.221
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


oii
espero que gostem do capítulo ❤️

Capítulo 16 - Quase sempre.


[Millie]

Como havíamos planejado, Sadie e Sophia vieram almoçar aqui em casa. Elas conheceram minha mãe, que por sinal, adorou elas e ficou feliz por eu ter arrumado boas amizades em tão pouco tempo. 

Elas contaram a ela sobre eu entrar para o time de líderes de torcida, o que fez minha mãe pular de alegria. Digamos que ela sempre quis entrar a um quando tinha minha idade, mas por algum motivo, as garotas nunca aceitaram ela no time. 

Sadie e Sophia ficaram responsáveis pelo meu uniforme. E por isso, levaram alguns uniformes para ver qual caberia perfeitamente em mim. 

Sadie entregou o uniforme dobrado nas minhas mãos e logo me apressei pra me vestir e como Sophia havia previsto; a roupa caberia em mim graciosamente. 

Me olhei no espelho feliz com o resultado, porém insegura. Era um cropped azul marinho de mangas compridas, com  o nome  da escola  no lado  direito do  busto  e um  short saia, também azul marinho. Digno de filme americano - penso. 

Sai do banheiro vestida, atraindo os olhares das ruivas até mim. 

- Que princesa! - Sophia grita dando pulinhos. 

- Eu sabia que iria ficar lindo em você. Afinal o que você veste que não fica linda? - Sadie sorri. - Aliás, tem a calça, pra usar nos dias mais frios. 

- Obrigada Sads! - agredeço assim que ela me entrega a calça. 

- Amanhã você começará os treinos, então leve o uniforme pra escola e, de preferência, vá com um tênis branco. - Sophia explica. 

- Claro. não vou me esquecer. - digo sentindo a brisa gelada entrar no meu quarto.

Caminho até a janela para fecha-la e vejo ninguém mais ninguém menos que Finn nos observando da janela. 

- Pois não? - cruzo os braços o olhando. 

- Desculpa, é que eu ouvi os gritos da Sophia e vim ver se ela não estava morrendo. 

- Não, Wolfhard, eu não estou morrendo. - Sophia fala chegando do meu lado. - Você que está quase tendo um ataque cardíaco de tanto olhar a Millie. 

- Sophia! - a repreendo. 

- O quê? É só a verdade. 

- Bela vista a daqui mas eu tenho que ir antes do Grazer me matar se tanto fazer ele esperar. 

- Tchau. - digo fechando a janela.

Era só o que me faltava; Finn Wolfhard decidir me espionar pela janela. 

- Bela vista a daqui. - Sophia diz tentando imitar a voz de Finn, nos arrancando risadas. 

-Cala a boca! - a empurro. 

Nós três nos jogamos no chão, deitando no grande tapete do meu quarto.

- Você sabe que o Finn tem um crush em você né? - Sadie diz se deitando de barriga pra baixo e apoiando a cabeça nas mãos. 

- Não, ele não tem. - nego.

- Eu conheço o Finn e sim ele tem. - Sophia afirma. 

Solto um suspiro e olho para o teto, pensando em como minha vida tinha mudado completamente em menos de uma semana. Esbarrei num cara que coincidentemente era meu vizinho; pela irônia do destino, ele era da mesma escola que eu; ele me apresentou para os seus amigos, que por sinal, me dei muito bem com todos eles, principalmente com as ruivas; nos beijamos duas vezes e agora estou aqui com as minhas duas novas e adoráveis amigas. 

Se for parar pra pensar, Finn e eu nos conhecemos da forma mais clichê possível. Se esbarrando na rua. 

A duas semanas atrás eu estava chorando, por simplesmente ter que me mudar e me afastar de minhas melhores amigas. Hoje percebi que por um lado valeu a pena.

Na real eu sempre fui uma pessoa difícil de fazer amizade. Isso por contra da minha insegurança, problemas com auto aceitação... Mas já que era para se mudar e começar uma nova vida, que seja diferente. 

Digamos que foi graças a Finn que eu me associei rápido com as pessoas. 

Talvez eu tenha me entregado muito a ele, mas eu garanto que nunca mais vou deixar isso acontecer. 

- Ele já tem aquela amiga dele. Pra quê que ele iria me querer? 

- Ah, por favor não faça perguntas idiotas. - Sadie revira os olhos. - Você é melhor do que ela. Por isso a gente foi com a sua cara e não fomos com a dela. 

- Que seja... Nós nunca teremos nada. - dou de ombros. 

- Nunca diga nunca. - Sophia joga uma almofada em mim. 

...

Acordo na manhã de segunda-feira vinte e cinco minutos mais cedo do que de costume; decido tomar um banho e lavar meu cabelo. 

Sabe quando você teve um dia super legal e queria dar o replay nele, para reviver cada segundo e aproveitar ele como se fosse o último dia da sua vida? Então, foi assim que eu me senti quando acordei hoje. 

Sadie e Sophia foram embora no fim da tarde. Como era domingo, elas não queriam ir embora muito tarde para não atrapalharem em nada. Mas nos divertimos bastante; rimos, nos conhecemos, ouvimos músicas, dançamos, cantamos e comemos. 

Sem dúvidas ficaria muito feliz em passar mais tempo com elas. 

Quando finalmente saio do banho, me enrolo da toalha e vou até meu armário escolhendo uma calça jeans e uma blusa listrada de mangas compridas. Ao terminar de me vestir, sequei meu cabelo e desci para a cozinha, onde minha mãe estava a minha espera para eu tomar meu café da manhã. 

Ela saiu de casa às pressas, então, tive a primeira refeição do dia sozinha. Meus irmãos foram pra casa dos meus avós, já eu decidi ficar. Meu pai, bom... Ele deve de estar no trabalho ou ainda dormindo. Nossa família não é a mesma de antes.

Vesti meu tênis e encontrei Finn em frente minha casa como todas as manhãs. 

- Oi. - ele diz sorrindo. 

- Oi. - respondo cabisbaixa e começamos a caminhar.

Às vezes é como se eu estivesse sozinha ali naquela casa. Minha mãe tenta, mas nem sempre consegue ser totalmente presente nos meus dias.

Quando eu estou com meus amigos, é como se eu estivesse tudo. Como se toda a felicidade do mundo de rodasse. Mas quando eles vão embora, tudo volta a ver em preto e branco.

Solto um longo suspiro tentando esquecer isso e tentar me distrair com algo. Como a neve que se derretia com o sol, anunciando o início da primavera. 

- Quer um abraço? - Finn pergunta e para na minha frente de braços abertos. 

Sorrio timidamente e me afundo em seus braços. 

- Seja lá o que for, vai melhorar. As coisas vão melhorar. - ele disse apoiando o queixo na minha cabeça, por conta da nossa diferença de altura. 

- Como você sabia que eu precisava disso? - pergunto com a voz abafada. 

- Não sei. Você não falou nada. Então eu pensei... Talvez ela precise de um abraço. 

- Obrigada, Finn. - o olho e dou o meu sorriso mais sincero daquela manhã. 

- É isso que eu gosto de ver. Seu sorriso. Não gosto de ver meus amigos tristes. 

Ele me abraça pelo ombro e voltamos a caminhar. É claro que ele fez um monte de perguntas sobre ontem, o porquê das garotas estarem na minha casa e outras coisas... Mas não me incomodei nem um pouco de falar as coisas. Às vezes é bom compartilhar seus momentos felizes com alguém. Ou quase sempre.


Notas Finais


comentem o que vocês acharam pra eu poder continuar. A opinião de vocês é muito importante!
Muito obrigada por lerem. 💗 até mais!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...