História I saw the love in your eyes - Fillie - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias It: A Coisa, Stranger Things
Personagens Dustin Henderson, Eleven (Onze), Jonathan Byers, Lucas Sinclair, Maxine "Max" Mayfield / "Madmax", Mike Wheeler, Nancy Wheeler, Personagens Originais, Steve Harrington, Will Byers
Tags Fillie, Mileven, Millie, Stranger Things
Visualizações 118
Palavras 2.637
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá pessoas! Tudo bom?
Esse capítulo estava pronto desde segunda-feira, mas eu não tive tempo de postar, por isso tá saindo só hoje. O próximo eu devo escrever só na sexta-feira ou sábado, que é quando volto pra casa. Mas enfim, Boa leitura 🤗

Capítulo 5 - Asking for some time


Fanfic / Fanfiction I saw the love in your eyes - Fillie - Capítulo 5 - Asking for some time

Capítulo 5 – Asking for some time



Los Angeles - Quinta-feira 09:00 a.m


Ouvi uma porta bater em algum lugar da casa. Acho que foi isso o que tinha me acordado alguns minutos atrás. Olhei para o lado e Sadie ainda dormia. Chequei meu celular para olhar as horas e ainda estava cedo para quem não precisava fazer nada o dia todo. Qual a graça de não precisar ir mais para a escola e não poder dormir até tarde?

Nesse momento eu escutei batidas na porta do meu quarto.

- Quem é? - respondi com a voz rouca.

- Millie, seu namoradinho está lá embaixo, ele disse que veio se despedir de você - Charlie disse em voz alta.

- Ah - me levantei rápido - Tudo bem, fala pra ele que eu já desço.

Ouvi os passos do meu irmão se distanciando no corredor e fui para o banheiro. Eu havia me esquecido que Jake iria embora hoje. Graças à Sadie, que não me deixou pensar coisas ruins.

Depois de fazer todo meu processo de higiene e trocar de roupa, saí do banheiro com a mesma camiseta e short que estava na noite anterior e fui na direção da porta do meu quarto.

- Vai buscar fogo onde? - Sads perguntou enquanto se sentava na cama e via minha pressa.

- Jake está lá embaixo, veio se despedir de mim - respondi enquanto abria a porta.

- E vai ver ele com a mesma roupa que estava ontem a noite? - minha amiga perguntou como se fosse um crime.

- Sim, não vejo problema nenhum. Além do mais, é só o Jake, Sads.

Passei pela porta do meu quarto, encostando-a de novo e desci as escadas em direção à sala. Ao chegar lá, vi Jake sentado no sofá conversando com Ava. Ela parecia triste por saber que ele ia embora, ela gostava dele.

- Oi Jake - falei enquanto me aproximava dos dois - Bom dia, meu amor.

Peguei Ava no colo e a abracei. Ela envolveu meu pescoço com os braços e respondeu meu bom dia rindo enquanto eu a apertava em meus braços. Era bom saber que ela estava sorrindo.

Com toda essa confusão da morte da minha mãe, Ava era a que estava mais perdida. Ela entendia que mamãe não poderia estar mais ali, mas sentia muita falta dela e ficava falando que a queria de volta. Como eu queria trazê-la de volta.

- Oi Mills - Jacob respondeu se levantando do sofá e abraçando nós duas enquanto ainda estávamos agarradas uma a outra.

- Millie, Jake vai embora, você sabia? - Ava perguntou, ainda abraçada ao meu pescoço.

- Sim, meu amor, eu sei - respondi e coloquei minha irmã no chão - Ele tem que estudar, então ele vai para outra cidade. Mas você sabe que sempre que ele puder, ele vai vir te ver – falei olhando para Jacob, esperando que ele confirmasse.

- Claro que venho - Jake respondeu se abaixando para ficar do mesmo tamanho que Ava - E sempre que você sentir minha falta, pode me ligar, tudo bem?

Ava somente concordou com a cabeça e saiu em direção à cozinha, onde Paige e Charlie estavam. Pude perceber que minha irmã caçula estava emburrada, revirar os olhos rindo.

Jacob se levantou de novo e segurou minha mão, se sentando no sofá e me levando junto.

- Você está melhor? - ele perguntou.

- Estou sim - respondi sorrindo - Sadie veio para cá ontem, conversamos e eu estou me sentindo melhor. Eu sei que não vou estar 100% de novo por um bom tempo, ou talvez nunca, mas eu estou bem.

- Que bom isso, Mills.

- Então, que horas você vai? – perguntei sem rodeios.

- Meu pai vai me levar de carro, saio daqui em uma hora.

- Ah sim.

- E sobre o que eu te falei ontem? - ele disse me olhando nos olhos - Sobre o tempo. Você vai querer dar um tempo ou podemos continuar nosso namoro mesmo a distância?

Escorei minhas costas no encosto do sofá e comecei a pensar. Eu conhecia pessoas que tinham relacionamentos a distância que deram terrivelmente errado, mas também conhecia pessoas que seus relacionamentos deram super certo, mesmo estando longe.

- Podemos continuar nosso namoro mesmo estando longe - respondi sorrindo e pude ver que ele tinha ficado preocupado pela minha demora em responder - Eu confio em você.

- E eu também confio em você, amor - Jacob disse e se aproximou para me abraçar - Eu te amo, você sabe disso não é?

- Claro que eu sei e eu te amo também - respondi e o abracei de volta. Jake veio para me beijar, mas fomos interrompidos.

- Eca, a essa hora? Não sou obrigada! - Sadie gritou no meio da sala.

- Então por que não vai para a sua casa, ruiva? - Jacob respondeu virando os olhos e se afastando de mim. Dei uma cotovelada nas costelas dele e olhei feio para Sadie.

- Não adianta me olhar assim, Brown - Sadie disse e se sentou no sofá. Entre eu e Jake.

- Eu vou para casa ajudar meu pai a carregar o carro com minhas coisas - Jacob disse e se levantou - Antes que eu enforque uma certa ruiva e você fique sem sua melhor amiga, Mills.

- Era eu interrompendo ou era o Charlie, qual você prefere? – ela disse em voz baixa. Olhei na direção da cozinha e meu irmão olhava com uma cara fechada para Jacob. Eu mencionei que Charlie não gostava muito do meu namoro? Pois é, ele não gostava. Charlie dizia que não era ciúmes, que só não gostava do Jacob, disse que ele tinha cara de quem iria me fazer sofrer. Nunca consegui que ele tirasse isso da cabeça.

- Tudo bem, eu vou embora - Jacob falou - Então tchau, Sink. Cuida da Millie para mim.

- Pode ter certeza que eu vou cuidar - Sadie piscou para mim maliciosamente e sorriu para ele, que revirou os olhos com a brincadeira ridícula.

Jacob pegou minha mão e foi em direção à porta da sala, saindo para a calçada, onde estava estacionada sua moto.

Ao chegar do lado da moto, ele me abraçou.

- Eu queria ter ficado mais tempo com você nesses últimos dias. Sozinhos, de preferência.

- Eu também queria, mas você sabe que eu não estava bem - eu disse, sabendo a o que ele se referia - Eu não estava no clima nem para sair de casa, que dirá para sexo, Jake.

- Não estou me referindo somente a sexo, Mills - ele disse como se eu tivesse falado um absurdo - Queria só ter ficado junto com você.

- Mas poderia ter ficado - respondi, ficando um pouco nervosa - Eu não saí de casa, ficava todo o tempo no meu quarto. E depois de sexta, você só veio aparecer aqui em casa ontem - deixei toda a mágoa vazar pelas minhas palavras - Você nem no enterro da minha mãe foi, Jacob.

- Me desculpa, Mills, eu te disse que meu pai precisava de mim - ele respondeu me soltando - E eu também te disse que não me sinto bem nessas situações.

- Eu sou sua namorada, Jacob! - falei um pouco mais alto - Você não poderia tentar, pela sua namorada que acabou de perder a mãe?

- Eu achei que estava tudo bem aquele dia que eu te falei que não poderia ir - Jacob falou um pouco mais alto também - E agora você quer vir brigar por isso, sendo que a gente já tinha se acertado?

- Você tinha acertado comigo, mas eu não falei nada. Naquele dia eu estava de luto, Jake. Eu tinha acabado de perder minha mãe, não ia brigar com você porque você não queria ir no velório dela - falei e pude perceber que lágrimas escorriam dos meus olhos - Eu tinha um pai e uma irmã mais nova para me preocupar, eles estavam sofrendo. Não podia me preocupar com você e perder tempo brigando com uma pessoa egoísta. E nem tinha que falar pra você ir no velório dela prestar as últimas homenagens pra uma pessoa que viu sua filha namorar por dois anos por uma pessoa e sempre gostou dele e os apoiaram.

Pude ver que com essa frase final eu o magoei. Seus olhos estavam cheios de lágrimas que ele não derramava. Era muito raro ver Jacob chorando e nos nossos dois anos de namoro, isso só tinha acontecido duas vezes.

- Quer saber? - Jacob disse, se aproximando de mim - A história do tempo? Se você não quer, eu quero.

Fiquei calada. Eu sabia que ele estava nervoso, mas eu também estava. Acho que no meio disso tudo, talvez isso fosse o melhor para nós.

- Tudo bem, Jacob. Vamos dar um tempo então - falei em voz baixa, me afastando dele. Acho que ele não esperava que eu concordasse.

- Você concorda?

- Sim, eu concordo com você. Talvez agora seja um bom momento para darmos esse tempo - falei e me virei em direção à porta da minha casa.

- Millie, espera - Jacob falou e me puxou pelo braço - Tem certeza de que é uma boa ideia?

- Claro. E além do mais, foi você quem acabou de falar que se eu não quisesse um tempo, você queria - falei lembrando a ele.

- Eu sei, mas eu só falei aquilo achando que você não ia concordar - ele dava a impressão de estar entrando em desespero.

- Então você não me conhece bem, Jacob Sartorius - respondi olhando em seus olhos.

Peguei em seu rosto e fixei meu olhar no dele.

- Eu te amo, mas eu acho que a gente vai ter que experimentar primeiro todo esse negócio de namoro a distância - falei - A gente ainda nem está longe um do outro e já está brigando por coisas que aconteceram aqui. Imagina o que vai acontecer quando você estiver em uma cidade e eu em outra e só o que tivermos como segurança vai ser nossa palavra?

- Então... você está dizendo... que a gente está terminando? - ele perguntou e as lágrimas que ele estava segurando, escorreram.

- Não, Jake - limpei suas lágrimas - Estou dizendo que vamos dar um tempo, que vamos tentar ver se o nosso namoro, mesmo a distância, vai funcionar.

- E se não funcionar, Mills? Eu não quero ficar sem você.

- A gente sempre vai poder ser amigo - falei soltando seu rosto e pegando sua mão - Como sempre fomos, mesmo antes de namorar.

- Tudo bem então - soltei sua mão e dei um beijo na sua bochecha, deixando-o parado ao lado de sua moto.

- Tchau Jake.

Fui em direção à porta da minha casa, mas não consegui chegar lá. Jacob segurou meu braço e me puxou para seus braços. Antes que eu pudesse reclamar, ele colou sua boca na minha.

Jacob me beijava como se fosse o último beijo de nossas vidas e eu retribuía da mesma forma. Talvez mesmo naquele momento, eu sabia que seria nosso último beijo em muito tempo.

- Me desculpa, mas eu tive que fazer isso - ele começou a se desculpar quando me soltou.

- Não precisa pedir desculpas por beijar sua namorada, Jake - eu disse rindo - Agora vai, antes que seu pai te deixe para trás e você não faça sua amada faculdade de direito.

- Você sabe que eu só vou fazer direito por causa do meu pai - ele disse se afastando - O que eu quero mesmo é ser músico e você vai ser a primeira a ouvir meu cd. Fechado?

- Fechado. Quando começar a fazer shows, quero lugares Vips - brinquei - A namorada do famoso Jacob Sartorius tem que estar em um ótimo lugar.

- Com certeza - olhei para seu sorriso que me derretia, assim como sua voz - Eu te amo, Mills.

- Eu também te amo, Jake.

Acenei para ele até que sua moto tivesse saído do meu campo de visão e pude ouvir Sadie chegar perto de mim.

- Muita emoção nesse namoro - ela começou, com voz debochada - Estão de boa, brigam, resolvem dar um tempo, dão um beijo digno de prêmio e depois têm uma despedida amigável - Sadie colocou a mão em seu peito como se estivesse representando alguma peça – Ah, o amor!

- Para com isso, ruiva - falei revirando os olhos - E nem privacidade a gente tem mais nessa casa?

- Quer privacidade? Procurem um quarto - ela disse rindo.

- E acho que nem assim - falei indo em direção a porta, e dessa vez, conseguindo entrar - Você provavelmente acharia um modo de entrar.

- Não, eca! - minha amiga fez cara de nojo - Você e Jacob em um quarto sozinhos, eu não iria querer entrar, pode ter certeza. Já tive minha cota disso.

Nesse momento eu com certeza estava da cor do cabelo de Sadie.

A história era a seguinte: eu e Jake éramos amigos na escola e começamos a ficar e depois a namorar, nenhuma novidade nisso. O problema foi o dia que a Sadie resolveu me visitar sem avisar.

Meus pais tinham viajado pelo fim de semana, Paige e Charlie estavam em Nova York e Ava estava com meus avós. Nessa época eu tinha 16 anos, eu e Jacob namorávamos há 6 meses.

No outro dia seria meu aniversário e meus pais chegariam na parte da manhã para podermos comemorar o dia todo.

Eu, como a maioria das adolescentes, aproveitei que estava sozinha em casa e chamei meu namorado para dormir comigo.

Jake e eu estávamos no meu quarto, deitados na minha cama, somente conversando. Eu e ele nunca tínhamos feito nada mais do que alguns amassos mais fortes quando estávamos sozinhos, mas eu já estava planejando mudar isso.

Uma hora quando o assunto acabou, eu simplesmente virei para ele e comecei a beijá-lo. Eu tinha muitos problemas com timidez para certos assuntos e esse não era um deles.

Ficamos nos beijando por um bom tempo até que Jake resolveu que era a hora de parar. Ele também era virgem, mas dizia que seria no meu tempo.

- Mas eu não quero parar - lembro de dizer a ele e voltar a beijá-lo.

Senti que suas mão foram para a barra da minha camiseta e ele a tirou, mas quando ele colocou a mão o fecho do meu sutiã eu escutei um grito de nojo.

Pulei rapidamente do colo de Jake, onde eu estava há alguns segundos atrás e coloquei minha camiseta, que estava do avesso.

Olhei para a porta e vi Sadie parada lá com as mãos tampando o rosto e ainda gritando. Fui na direção dela e tampei sua boca.

- Cala a boca, escandalosa - falei para ela - Ou então agora mesmo até meus avós ouvem seu grito.

- Você e ele... você... - ela não conseguia falar direito - Ai meu Deus!

- Para de ser escandalosa, Sads - pedi - Não aconteceu nada de mais.

O olhar no rosto dela me dizia o que eu também estava pensando: "Não aconteceu porque foram atrapalhados"

Só sei que depois desse dia, minha melhor amiga ficava me zoando todo o tempo, dizendo que tinha atrapalhado nossa "foda" e nada que eu dissesse a ela, a faria parar. Eu já tinha até desistido, mas isso não me impedia de morrer de vergonha.

- Vamos para de falar abobrinha e vamos entrar, temos que procurar apartamentos para alugar - falei indo em direção ao meu quarto.

- Tudo bem, senhora De-puritana-não-tenho-nada - Sadie falou rindo, mas me seguiu - Você quem manda.


Notas Finais


Espero que tenham gostado.
Se ficou alguma dúvida, quiser me contar o que achou, fazer uma critica construtiva ou sei lá, só me mandar um comentário. Vou ficar bem feliz em responder.
Até o próximo 🤗😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...