História I Saw The Love In Your Eyes - Capítulo 11


Postado
Categorias Cameron Dallas, Shawn Mendes
Tags Cameron Dallas, Ídolo, Magcon, Romance, Shawn Mendes
Visualizações 49
Palavras 1.259
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 11 - Capítulo onze


Crystal’s POV

— Eu nem sei porque chamei o J, mas ele ficaria com raiva se eu tivesse chamado só o G... – Cameron estava me dizendo quando ouvimos o barulho de algo se quebrando. Vejo Shawn olhando espantado e triste para Laura, então percebo o que aconteceu. J estava no lugar dele, mas eu não sabia o que havia acontecido.
Cameron vê o estado de Shawn ao sair dali e se levanta irritado.
— Aaah mas eu vou matar o J agora mesmo. – Ele arranca o Jack da poltrona e dá um soco nele, enquanto a Laura sai correndo atrás do Shawn. – Eu chamei você pra se divertir e não pra acabar com o lance da Laura e do Mendes. VOCÊ NAO VÊ QUE ELA TA FELIZ COM ELE? – Ele grita. – Por que você não esquece ela e segue a sua vida, Jack? DEIXA ELA SER FELIZ COM O CARA QUE ELA AMA. – Ele estava gritando tão alto que todos naquele jatinho agora olhavam a cena.
— Cam... Você sabe que é ela que eu amo, eu não consigo ficar longe dela. – Ele responde.
— Mas vai ficar, nem que eu tenha que te matar, seu filho da puta. – Vou correndo até ele e tento segurá-lo, mas ele é mais forte que eu então o máximo que consigo é ficar vendo os dois discutirem e tentar não ser atingida por um soco.
Ele se vira pra mim com fúria nos olhos.
— Você pode se sentar, Crys? Eu tô tentando não matar o J e se eu matar não quero que você veja.
— Desculpa, Cam, mas eu tô tão irritada quanto você, então se for fazer alguma coisa com ele eu te ajudo. – Minha vontade era dar uns socos nele também. – Olha J, eu sei que nem conheço você, mas eu conheço a Laura há anos e sei exatamente o que ela sente pelo Shawn. E você só está atrapalhando os dois. Você não vê o que acabou de fazer?
— Eu não posso fazer nada se ele ficou irritadinho por causa de um beijo. – Jack revira os olhos. – Mas eu não vou mais me meter nisso... Pelo menos não agora.
Cameron se senta passando a mão no rosto.
— Eu vou matar ele, cara, vou jogar ele desse avião... Em Nova Iorque ele vai me pagar.


Laura’s POV

Corro até o banheiro e me abaixo na porta.
— Shawn, por favor... Vamos conversar, você não pode acreditar nele, você tem que acreditar em mim. – Choro baixinho. – Por favor, abre a porta, vamos conversar. – Bato levemente. – É em mim que você tem que acreditar, eu tô apaixonada por você, eu nunca senti isso por ninguém, o que eu sinto por você é algo totalmente puro, diferente do que eu senti por ele. – Confesso. – Por favor, me escuta e acredita em mim.
— Eu não quero falar com você agora, Laura. – Não há dureza na sua voz, mas é possível notar a tristeza.
— Tudo bem... M-me desculpa, Shawn... Eu... Eu não mereço você, se quiser acabar com tudo eu vou entender. – Suspiro e levanto, indo pra minha poltrona, passo por J que estava com o nariz sangrando e olho pra ele com ódio.
— Obrigada por sempre estragar a minha vida, Jack. – Começo a chorar e sento na minha poltrona abraçando os joelhos. – Por favor não venham até aqui, eu quero ficar sozinha.

 

Shawn’s POV

Meu coração se quebra ainda mais quando escuto a Laura falar comigo pela porta. Eu quero muito acreditar nela, mas não consigo. Aquelas cena fica se repetindo na minha cabeça, me deixando louco. Eu puxo meus cabelos e tento reprimir a vontade de chorar.
— Shawn? Cara, sai daí vamos conversar, ou abre a porta pra eu entrar vai, irmão.
Escuto a voz do Cam e abro a porta, ainda sentado no chão tremendo de raiva, mas não olho pra ele. Ele entra e senta à minha frente.
— Shawn, você não pode ficar assim por causa do J, você sabe que ele é um idiota. Como você preferiu acreditar nele em vez da Laura? Cara, ela tá apaixonada por você, Mendes, aquilo que aconteceu foi um momento de fraqueza dela. Eu te disse que ela ainda era afetada por ele, e ele faz chantagem emocional com ela. Você sabe que se tiver um relacionamento com ela, vai ter mais pessoas mil vezes mais poderosas querendo acabar com isso, mas você tem que aprender a confiar nela, Mendes. Ela confia em você, ela já me disse isso. — Ele aperta o meu braço. – Você não pode entregar sua garota de bandeja pra ele, é isso que ele quer. – Ele suspira. – Vai atrás dela e não deixa ninguém atrapalhar o lance de vocês.
Balanço a cabeça.
— Ela gosta dele, Cam, eu vi. Eu percebi isso no momento em que a gente entrou nesse avião e eu ignorei isso, porque eu sou um idiota, cara. Vocês me escondem as coisas e eu não insisto no assunto porque eu sou a porra de um trouxa. Eu posso lidar com um cara em cima da minha garota, não é isso que me incomoda, Dallas, mas eu não posso ficar com uma garota que ama outro cara, Cam, é demais pra mim. Você acha que eu gosto de ficar aqui sentado como um bebê chorão? Mas eu sei e você também sabe que se eu for lá fora desse jeito eu vou fazer algo que eu vou me arrepender depois. — Olho triste para ele. – Eu acho que a melhor coisa que eu posso fazer é chegar em Nova Iorque e procurar um voo para Toronto.
— Meu Deus, você é um idiota, Mendes! – Ele segura Shawn pelo colarinho do casaco. – Você vai deixar sua felicidade passar por causa dele? Ela NÃO gosta dele, seu babaca! Eu te disse que eles tiveram algo intenso e que acabou do nada, mas em nenhum momento eu disse que ela ainda amava ele. Pelo contrário, ela sente um pouco de repudia dele por certas coisas que ele fez com ela. – Ele me encara sério. – Sinceramente, eu nunca pensei que você fosse fazer algo assim, desistir de algo que você realmente gosta... Talvez até ama. Você está me decepcionando, Mendes. Mas eu não posso impedir nada do que você for fazer, se quiser ir para Toronto, eu não vou impedir, mas eu só quero que se você fizer isso, você nunca mais a procure, eu não quero ver minha amiga do jeito que eu vi a quatro anos atrás não.
— Eu não sei o que pensar ou o que fazer, Cameron. Eu nunca tive o meu coração partido por alguém antes.
Sinto algo sufocar dentro de mim e o meu corpo todo tremer. Eu me afasto do Cameron e cubro o rosto com as mãos novamente. E choro pela primeira vez por causa de uma garota. Choro de tristeza, de raiva, de frustração e de vergonha, e outras dezenas de sentimentos que eu não consigo entender.
Ele passa os braços pelos meus ombros e me abraça rapidamente.
 — Espero que você faça a coisa certa, meu amigo. Eu sei o que você realmente quer, mas só você mesmo pode decidir. – Ele suspira e destrava a porta. – Eu vou voltar pra minha garota, espero que você volte pra sua. 
Assim que Cameron sai. Eu choro tudo o que eu tenho pra chorar, até não sobrar mais nada. Até a raiva ir se dissolvendo. Levanto e lavo o meu rosto na pia, abro a porta e sento na última poltrona perto do banheiro onde não tem ninguém, encosto o rosto no vidro da janela e tento não pensar em nada até adormecer.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...