1. Spirit Fanfics >
  2. I Saw The Love In Your Eyes >
  3. Acidente

História I Saw The Love In Your Eyes - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - Acidente


Danilo tentou me interrogar mais algumas vezes mas parou quando a Bruna ameaçou cortar a língua dele fora se ele não parasse.

Uns cinco minutos antes do churasco ficar pronto uma garota morena chegou na festa, o pessoal pareceu meio incomodado com a presença dela, menos o Bruno que faltava comer a menina com os olhos, mas cada pouco me olhava como se quisesse conferir que eu estava vendo aquilo. Palhaçada com a minha cara mesmo. Abstrai e fingi demência enquanto ia falar com as meninas.

- e essa cara de cu? Acha que a gente não percebeu a cara que tu faz olhando pros dois? - Adry pergunta enquanto enche meu copo de cerveja.

- eu to de boa, se ele quiser comer ela, que coma. Tinha pensando em ir me desculpa com ele por ter sido cuzona com ele mais cedo, mas depois disso, prefiro morrer engasgada com meu orgulho.

As duas caem na gargalhada por perceber que aquela cena estava realmente me afetando. A garota ficava me olhando com cara de ódio, e nós três apenas dávamos risada e debochavamos.

- Kuasne tá te comendo com os olhos - Adry fala olhando pro menino que se aproxima de nos.

- ele come com os olhos, mas quem logo vai comer de verdade vai ser o Bruno - ri alto

- Meu irmão cara, se toca - Adry revira os olhos

- Ei gatinhas, não tem medo de apanharem da Letícia com esse deboche todo? - Kuasne pergunta

- Apanhar daquela mal amada ali? Você só pode estar louco meu amor, eu me garanto - falei alto me garantindo de que ela e Bruno escutaram.

- Se garante é? - sorri malicioso pra mim.

A gente deu risada e em seguida fomos lá perto da churrasqueira pois estávamos com fome. Matheus puxou assunto mas nem sei muita bola, me afastei e fui perto do Danilo.

- ce é muito gata sabia? - Kuasne insiste

- eu sei agora da licença - falo irritada.

O mesmo agarrou meu braço forte e tentou ler agarrar, mas logo consegui me soltar.

- ce ficou doido porra? - joguei meu copo de bebida no mesmo e o empurrei com muita força, que ele quase caiu na piscina. Olhei para trás e vi que Bruno entrou em casa com a cara nada boa.

- deixa que a gente resolve o b.o aqui, vai atrás do Bruno que saiu puto daqui, qualquer coisa da um grito que eu subo correndo, ok? - renato fala.

Agradeci ao Renato e entrei procurando o mesmo, encontrei o mesmo subindo as escadas, tentei chama-lo mas ele fingiu que não escutou e entrou em seu quarto, entrei também e encontrei o mesmo  jogado na sua cama, quando fui tentar me aproximas dele, ele começou a gritar comigo me mandando sair dali, falando que ele não queria mais olhar na minha cara nunca mais.

- sai daqui, vai la com o Matheus - berra

- Foi apenas um beijo porra - berrei tambem

- Só um beijo? Só um beijo Fernanda? Quer saber? Eu não ligo se você vai me trocar por ele, se você estiver feliz é o que importa, mas se ele não te fizer feliz eu juro que eu arrebento a cara dele! Eu te amo porra, tu acha que é facíl ter você tão perto e não poder te beijar sempre que eu quero, porque você não é minha? minha namorada? minha mulher? Tu acha que não doeu ver ele te beijando? Ver ele fazer o que eu queria estar fazendo.

- primeiro tu abaixa a voz, acha que tá falando com quem? Com as mina que tu é acostumado a pegar por ai? Tu tá muito enganado Bruno. E agora você vai me ouvir, porque tu tá sempre pirando por causa dessas coisas, falando isso mas não toma vergonha na cara e toma uma atitude, quem não dá preferência abre concorrência. Eu era sua Bruno, totalmente sua, você tinha meu coração ali pra você, mas adivinha? Você foi embora e me destruiu, me deixou em Sao Paulo sem entender o que eu tinha feito de errado, mas só agora eu pude entender, que eu nunca fiz nada de errado, nunca. Você apenas não me merecia, você sabia disso, e hoje ainda sabe.

Falei isso quase chorando mas fui forte, sai dali pisando fundo e voltei lá pra baixo, Matheus tentou se aproximar para pedir desculpas mas eu estava muito puta, dei um soco na boca dele, o que fez ele ficar muito puto. O mesmo me pegou forte pelo braço e começou a gritar comigo.

- ficou louco? Solta ela agora porra 

As meninas me puxaram pra dentro de casa e la fora deu o maior b.o com o Matheus, nao sei bem certo o que aconteceu e nem queria saber. Peguei minha bolsa e pedi pro Danilo me levar pra casa, dei tchau pras meninas e fomos, Danilo insistiu que iria buscar a Bruna e voltariam para casa ficar comigo, pedi ao mesmo para me deixarem sozinha um pouco, pelo menos apenas por meia hora e ele concordou.

Fui pro meu quarto tomar um banho pra relaxar porque eu estava precisando e Adry me mandou mensagem dizendo que iria falar com o Bruno, apenas visualizei e não disse nada, não queria saber de nada relacionado ao Bruno.

Tomei um banho quente bem demorado, senti cada gota de água percorrer pelo meu corpo e levar embora toda aquela tristeza que eu estava sentindo, me senti mais leve. Quando sai do box, me sequei e coloquei um conjunto de lingerie branca, mas quando sai do quarto levei o maior susto, o Bruno estava ali sentado na minha cama com a cara nada boa.

- o que você quer, Bruno?

- porra eu vim pedir desculpas, sei que você não teve culpa por esse beijo, e mesmo se tivesse eu não tenho direto de falar nada como voce disse.

-  que bom que você sabe.

- Para de ser grossa comigo mano - suspira.

- Ah desculpa, você quer que eu seja como com você depois desse teu surto sem motivo algum? Depois de todo esse tempo no qual eu me senti um lixo, pensei que eu era insuficiente pra fazer alguém ficar na minha vida, simplesmente porque você foi COVARDE, FRACO e foi embora me deixando sem entender o que eu tinha feito de errado. Acha que um simples "desculpa" vai mudar o que aconteceu?

O mesmo não fala mais nada apenas me puxa e me beija, um beijo calmo mas com muito desejo. Gente, esqueci ate que tava com raiva. Esse efeito dele sobre mim, não é normal não. Eu sabia que precisava parar aquele beijo, mas eu não queria, eu estava com saudade da boca dele na minha. Mas quando me dei conta do que estava acontecendo e de como isso era errado, Empurrei o mesmo.

- você precisa sair daqui - minha voz falhou

- por que? Nós dois queremos muito isso.

- Bruno, só sai daqui por favor!

O mesmo saiu batendo com força a porta do meu quarto. Isso mesmo, quebra essa merda, não é você que paga. Pensei em ir atrás dele, mas desisti ao lembrar de tudo o que rolou entre a gente. Escutei o ronco da sua, e em seguida ele saiu.

Bruno narrando:

Eu fui até lá tentar me desculpar, eu não posso mudar o passado mas queria poder ter um futuro melhor, ao lado dessa menina, essa menina que me tira do sério, mas ao mesmo tempo me dar o mundo. Mas adivinhem? Fui em vão, a mesma não quis saber de nada, me empurrou e me mandou sair de lá. 

Sai sem entender, eu tentei fazer o certo dessa vez, mas acho que não sirvo para o amor. Estava perdido nos meus pensamentos, em que uma hora lembravam dela me mandando ir embora e em outra hora lembrava do meu amigo tentando beija-la mesmo sabendo que eu amo essa garota.

Minha garganta secou, o peito começou bater mais forte, e minha visão ficou embaçada por conta das lágrimas que insistiram em cair, do nada tudo ficou em camera lenta, vi uma luz vindo em minha direção, eu queria puxar minha moto pro lado, mas meu corpo não correspondia ao meu cérebro. E do nada um clarão, um barulho muito alto e enfim eu senti uma forte dor, meu corpo sendo jogado para frente e não vi mais nada, tudo ficou escuro. Eu escutava vozes ao fundo, mas minha cabeça latejava parecia girar, senti alguém me chacoalhar, tentei abrir os olhos, falar, mas não conseguia, logo em seguida eu ouvi uma sirene e depois disso mais nada.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...