1. Spirit Fanfics >
  2. I See Red >
  3. .one.

História I See Red - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


voltei outra vez K

essa história terá 2° parte e eu não sei quando ela virá, pq eu travei nesse pedaço aqui e não consegui escrever mais nada, porém foco, fé e força que um dia sai.

relevem os erros - que provavelmente são muitos -, pq eu não revisei nada antes de postar, correria neah pô...

enfim, espero que gostem, eh nois guys.

Capítulo 1 - .one.


Fanfic / Fanfiction I See Red - Capítulo 1 - .one.

do lado de fora era possível ouvir o barulho alto vindo daquela garagem, dentro dela, os garotos estavam focados em conferir os instrumentos e afiná-los da sua própria preferência, lembrando sempre de deixá-los o mais harmonizados possível. fariam um show em um bar famoso do centro da cidade em duas semanas, então não dispensariam ensaios e mais ensaios até que tudo estivesse certo. 


Jaehyun rodava as baquetas sobre os dedos preguiçosamente, observando Johnny afinando o baixo um pouco a frente, sentado no sofá fodido de velho encostado na parede pichada, ao lado do Suh, Hendery estava largado, carregando a guitarra vermelha no colo enquanto mordia o palito amassado do pirulito que já havia acabado a muito tempo. passava os dedos pelas cordas devagar, fazendo uma nota ou outra soar melodicamente pelo local, puxando um solo baixinho de alguma música do Blink 182 que não recordava o nome, mas a melodia era viva em sua mente, balançando a perna junto batendo o pé pra auxiliar no ritmo da música, fazendo assim com que sua palheta caísse no chão próximo… dele. Nakamoto Yuta.


se aproximou lentamente pra pegar, se ajoelhando em frente àquele homem, observando seu corpo completamente e de baixo. quando este percebeu, abriu um sorriso faceiro, jogando os cabelos loiros e longos pra trás, passando a língua pelos lábios, fazendo a bolinha prateada brilhar e seu corpo tremer, as pernas fraquejando sobre o chão sujo apenas com aquilo, arrombado gostoso do caralho, pensou. balançou a cabeça em negação e levantou rápido, se sentando onde anteriormente estava, apoiando a cabeça no encosto do sofá, tendo os cabelos escuros e longos se espalhando por ali. há semanas que vinha pensando demais no japonês, mas porra, o que poderia fazer? o Nakamoto era um fodendo gostoso, não era atoa que tinha milhares de pessoas correndo atrás dele quase que implorando por uma noite em sua cama e esse sempre negava, tentando ser o mais educado possível ao dar um fora nelas, mas ele era tão magníficamente perfeito, que muitos desses foras só faziam essas pessoas se apaixonarem ainda mais por ele, e sinceramente? Hendery já havia desistido de tentar entender o raciocínio lógico delas, estavam falando de Nakamoto Yuta, ninguém resiste a Nakamoto Yuta. 


ouviu o som da guitarra saindo alto pela caixa ao seu lado, levantando o rosto e encarando Yuta novamente. não sabia dizer o que naquele homem era mais sexy; os cabelos longos, as unhas pintadas de preto ou o cigarro de marca cara guardado atrás da orelha cheia de piercings, tinha também as tatuagens, e caralho… as tatuagens. Kunhang nunca imaginou que sentiria tanto tesão em alguém tatuado, mas talvez não fossem as tatuagens em si e sim aquela personificação de pecado em sua frente. 


- acho que ela não vem mesmo, então é melhor ensaiar o back vocal, o que acham? - perguntou o japonês ainda dedilhando a guitarra. a música escolhida por eles era "I See Red" da banda Everybody Loves An Outlaw, mas precisariam de um vocal feminino para cantar junto com Yuta, que serviria como back vocal naquela parte da apresentação, porém a prima do japonês deu pra trás em cima da hora, então estavam ali, sem saber se mudariam algo ou não. 


- por mim tudo bem, yu. - respondeu Jaehyun estralando o dedos para, enfim, começar a tocar. 


- por mim também… - Johnny disse. todos os olhares correram até Hendery que estava ocupado demais olhando Yuta, que novamente sorriu quando percebeu, assim trazendo Kunhang de volta a realidade, apenas dando os ombros e se levantando para posicionar-se no lugar que sempre ficava. 


aos poucos o japonês começou a tocar a melodia da música apenas na guitarra, acompanhando com a voz segundos depois, e caralho, a voz combinava tanto com a música e a letra, que Hendery estava vidrado, secando o loiro com vontade. os olhos traçavam por todo o corpo alheio, os cabelos caídos sobre os olhos, as correntes brilhando no pescoço tatuado, os músculos do braços contraídos devido às notas que fazia e os dedos… a forma como os dedos pressionavam e puxavam as cordas, a cabeça sendo jogada pra trás vez ou outra enquanto a língua sapeca brinca fora dos lábios rosados, céus… Hendery estava mesmo fodido. não conseguia não imaginar mil e uma cenas com aquele japonês gostoso. 


a forma como se imaginava sentando desesperadamente nele enquanto o mesmo fumava aquela porcaria de cigarro soltando a fumaça em sua cara soava, no mínimo, tentadora. queria descontar toda a raiva e tesão reprimido no corpo bonito do japonês, mas ao mesmo tempo toda a situação parecia tão errada e nojenta que preferia guardar tudo para si, poxa… era seu parceiro de banda, vivia próximo do garoto desde que chegaram na Coréia e se conhecerem, aquilo - com toda certeza, de acordo com as vozes da cabeça de Kunhang. - estragaria a amizade de ambos e, como consequência, o desenvolvimento da banda, não estava disposto a botar tudo a perder, então tentava ao máximo esconder tudo o que sentia. 



                                       赤



o resto do ensaio passou tranquilamente, depois de muitos erros e vários ajustes, decidiram que a música seria apresentada sem um vocal feminino, pois todos gostaram de como a melodia se encaixou perfeitamente na voz de Yuta e assim ficou, a partir dali só repassariam mais algumas músicas e adicionaram alguns efeitos especiais em outras, idéia essa que surgiu de Johnny após dizer que mexia vez ou outra com remixagem e talvez ajudaria, levando todos a concordarem com a idéia. 


o Suh e o Jung foram os primeiros a se despedirem e saírem do local, alegando que precisavam resolver umas coisas tanto relacionado ao show quanto a questões pessoais, os dois integrantes restantes sabendo que, na realidade, ambos não aguentavam mais de tesão e queriam urgentemente ir pra casa foder até que o sol nascesse quadrado, porém fingiam não notar toda a tensão sexual entre ambos, deixando o casal sair livre dali. 


Hendery preguiçosamente arrumava os fios de contato da guitarra, colocando todos os materiais em seus lugares de uma forma que não danificasse nada, avoado demais para perceber como era praticamente devorado pelos olhos escuros do japonês, que tragava lentamente o cigarro entre os dedos. ao seu ver, Kunhang parecia extremamente atraente observando a luz da lua pela janela pequena no topo da parede pixada, a respiração tão serena e os cabelos parecendo tão cheirosinhos que Yuta tremeu em vontade de puxá-lo e deixar um carinho gostoso ali, mas porra, maldita seja a lerdeza do mais novo, que parecia nunca perceber o interesse que tinha em si. já estava exausto de dar sinais para o mais novo, tendo todos ignorados com sucesso, sentindo vontade de se ajoelhar na frente deste e implorar para que pudesse ter ao menos um beijinho do mesmo, só não fez isso ainda porque imaginava que talvez Kunhang só o enxergasse como amigo mesmo, o que fazia seu peito doer e seu pau chorar de tristeza por não poder se enfiar naquela bunda redonda e bonitinha, mas isso já era assunto pra outra hora. 


jogou o cigarro no chão, pisando para apagá-lo e andou até o magrelo ainda distraído, encostando o peito sobre as costas do menor tendo este sobressaltando pelo susto, se afastando de si. levou as mãos com calma até a cintura fina e o puxou novamente pro lugar onde estava anteriormente, apoiando o queixo sobre o ombro ossudo, levando os olhos até o mesmo ponto onde Dery encarava. 


- a lua tá linda hoje, não acha? - disse baixo e com a voz calma, ignorando quando o corpo alheio tremeu em seus braços, o pomo de adão subindo e descendo conforme engolia em seco, concordando com a cabeça de forma hesitante. algo dentro de Yuta se revirava em felicidade por saber que conseguia causar aquele efeito no mais novo, sorrindo ladino ao que apertou ainda mais a cinturinha fininha, recebendo um gemidinho em troca que também fora ignorado. 


- tá ficando tarde, Yu, melhor eu ir logo pra casa. - a voz soou baixinha e dengosa. Hendery sempre soava como um gatinho manhoso quando se dirigia diretamente a Yuta, não conseguindo esconder como se sentia extasiado na presença do mais velho. e Yuta seria louco caso deixasse o mais novo ir embora, ele estava tão molinho em seus braços, quentinho e se encaixava tão bem naquele enlace que não queria soltá-lo nunca mais, queria mante-lo ali até conseguir o mais novo em cima de si… droga, estava pensando outra vez em foder Kunhang. mas o que poderia fazer? o menor cheirava tão gostosinho, tinha a pele tão macia e parecia ser tão sensível. 


apertou um pouco mais o corpo contra o seu, ouvindo seu nome sair gemido dos lábios rosinhas, raspou os lábios próximo ao ombro do mais novo que estava exposto devido a camisa folgada demais, deixando o ar quente sair próximo ao pescoço, vendo a pele arrepiar. o menor parecia tão delicadinho ali em seus braços, mesmo que na maior parte do tempo tentasse forçar uma cara feia e intimidadora, agora estava quase tombando o corpo completamente contra o seu, manhando e suspirando alto. delicadamente virou o corpo de frente para si, encostando os peitos e aproximando os rostos, os olhinhos de Hendery brilhavam tanto, a expressão era tão dengosinha e frágil, que o interior do japonês se revirava ansiando por algo que queria há muito tempo: foder aquele rostinho lindo.


- Yu… a hora, eu realmente preciso ir pra casa. - falou baixinho, quase num fio de voz, fazendo o japonês perceber como estava segurando a cinturinha com força desnecessária.


- eu te levo em casa, vamos!!! - e antes mesmo de ouvir a reposta do chinês, segurou a mão delicada com possessividade e o puxou para fora do local. 


o vento parecia tão gelido, que Kunhang se arrepiava involuntariamente vez ou outra, tentando se abraçar para expulsar essa sensação indesejada, o Nakamoto, percebendo isso, decidiu então pegar a blusa que estava guardada no baú pequenininho acoplado atrás da Harley Davidson - que era seu xodó -. entregou a jaqueta de couro legítimo e pesado para o mais novo, que apenas o olhou assustado, mas por fim aceitou já que estava realmente com muito frio. vestiu e teve que fechar os olhos, suspirando alto ao sentir o perfume amadeirado do japonês sobre o tecido, querendo morar dentro daquele tecido devido a sensação de estar sendo envolvido em um abraço apertado pelo Nakamoto. 


- vem amor, sobe aqui. - e Hendery subiu, ainda meio acanhado, envergonhado pela sensação e com medo de que seu coração estivesse batendo alto o suficiente para que Nakamoto ouvisse e, assim, percebesse o efeito que tem sobre si. - pode me tocar, Dery, está frio e também é perigoso você ficar afastado assim, vem… chega mais perto. - a voz soava tão calma e a ideia de se aproximar do japonês era tão boa, que Hendery só foi, se aproximou do corpo bonito e encostou o peito sobre as costas não muito largas. sentiu as mãos geladas alheias segurando as suas em um toque delicado, posicionando ambos os braços finos sobre a própria cintura, fazendo Hendery ficar abraçado no corpo do japonês, que sorria abertamente sem que Kunhang visse, dando partida na moto apenas quando sentiu o outro praticamente deitar sobre si. 


Hendery mal conseguia explicar o que estava sentindo, estava em um misto de sensações ao pensar que estava abraçado com Yuta em cima de sua moto e em alta velocidade. seu coração parecia querer sair da boca de tão forte que seus batimentos estavam, sabia muito bem que era por estar tão próximo assim do mais velho, porém caso fosse questionado, diria ser pela velocidade em que estavam e pelo vento batendo sobre seu rosto, balançando seus cabelos no ar. estava tão ocupado se sentindo em um filme adolescente, que mal percebeu quando pararam em frente a sua casa, abrindo os olhos e largando o corpo alheio apenas quando ouviu uma risadinha sapeca vindo do japonês.


- chegamos príncipe. - disse baixinho enquanto descia da moto e se posicionava em frente ao chinês, mais precisamente no meio das pernas branquinhas.


o vento ainda bagunçava os cabelos lisinhos e ele parecia menor ainda dentro da jaqueta escura, agora quem tinha os batimentos eufóricos era o japonês, apaixonado demais pela imagem do menor a sua frente, com aquela expressão inocente e se encolhendo como um bichinho indefeso sempre que o vento vinha ainda mais forte, o deixando com uma vontade desumana de beijar todo o corpinho alí mesmo, em cima daquela moto e no meio da rua deserta e escura. 


ouviu o barulhinho de espirro e se assustou, percebendo que estava realmente muito frio pra continuarem daquela forma. agora alguns pinguinhos bem fracos caiam sobre ambos e era perigoso, podiam pegar algum resfriado através daquilo, então se aproximou do corpinho magro e o pegou no colo, ouvindo o barulhinho surpreso enquanto ainda carregava o menor até estar em frente a porta da casa do mesmo, colocando este no chão. 


agora o chinês parecia ainda menor a visão de Yuta, que estava com uma das mãos apoiadas sobre a parede, visualizando Hendery entre seu corpo e a porta, tão pequeno e indefeso, os dedinhos agarrados no tecido de sua camisa e os olhos perdidos nos seus. 


seu perfume era bem notável no menor, mas o cheirinho dele ainda insistia em se fazer presente em suas narinas, então apenas se aproximou da curva do pescoço fininho, passando o nariz por ali inalando o máximo que podia do cheirinho doce, deixando um beijinho que soou estalado e molhado, tendo os dedos sobre sua blusa o puxando com ainda mais vontade. traçou um caminho leve de beijos até o maxilar marcado, subindo para o queixo e parando próximo demais dos lábios do chinês, tendo os olhos bonitos escurecendo enquanto olhavam atentamente para seu rosto, descendo para sua boca, lambendo a própria. 


Yuta se sentia cansado de toda aquela enrolação e de tanto desejar beijar o mais novo, então resolveu que aquele seria o momento, era a oportunidade certa, não poderia deixá-la passar. desceu o olhar até a boquinha desenhada e se aproximou quase que no automático, ouvindo e sentindo a respiração alheia perdendo o ritmo e ficando mais ofegante, quase como pequenos gemidos. os lábios se roçaram de levinho arrepiando a pele de ambos, os movimentos sincronizaram, as bocas ansiando por mais contato. 


Yuta entrou com as mãos por baixo do tecido da camisa de Kunhang, enquanto este enfiava os dedos nos cabelos longos do japonês, os corpos se colocando como se algo magnético estivesse entre ambos, intensificando ainda mais todo o tesão que sentiam. 


e Kunhang fora quem findou o espaço de vez, avançando contra a boca do japonês o puxando pela camisa, beijado com vontade. as línguas se tocavam e o geladinho do piercing fez Hendery amolecer nos braços do mais velho, suspirando contra os lábios deste, que intensificou ainda mais o contato. quando estava prestes a pegá-lo no colo para entrar casa a dentro e, enfim fazer o que tanto queriam, ouviram o celular do japonês tocando alto com alguma música do Green Day que Hendery nem tentou descobrir qual era, estava ocupado demais beijando e mordendo o pescoço do japonês enquanto quase se esfregava nele, ouvindo os arfares e suspiros que vinham dele. 


- que porra, Jaehyun, o que tu quer?! - disse impaciente, enfiando a mão por baixo da camisa do chinês outra vez, forçando as unhas sem dó ali, arranhando até a altura das costelas, ouvindo o gemido bonitinho que ele soltou, sorrindo largo. 


- "nossa, vai atender o amor da sua vida assim? que coisa mais feia, amor…" - revirou os olhos ao ouvir a voz do Jung, gemendo baixinho ao sentir o menor chupar seu pescoço na altura do seu pomo de adão. 


- não enrola, Jung, fala logo o que você quer… - disse rouco, mordendo os lábios com força quando sentiu o joelho do chinês indo para o meio de suas pernas, massageando seu pau por cima do tecido. 


- "iih, que voz de tesão é essa, tá transando com alguém, Nakamoto?" - maldito seja Jung Jaehyun e o conhecimento que tem pelo seu corpo devido a experiências passadas. - "olha, eu juro que se você estiver fazendo isso, eu vou ficar muito puto por causa do escândalo desnecessário que você fez naquele dia que eu chupei no John-" - grunhiu frustrado. 


- se você não tivesse me ligado, eu realmente poderia estar transando agora, então fala logo o que caralhos você quer antes que acabe com todo o clima, hm, filho da puta… - gemeu a última parte assim que sentiu Hendery mordendo forte na altura de seu peito, chupando em seguida mesmo que por cima do tecido. 


- "vou cortar de qualquer jeito, amor, não esquenta. John pediu pra avisar que já iniciou algumas das edições, mas precisa muito do sample que, infelizmente, só você tem já que está no seu pen-drive, e ele se recusa a esperar até amanhã, então você poderia, por obséquio, vir aqui em casa agora? juro que te pago uma cerveja pra compensar a foda, por favoor…" - suspirou derrotado. 


Hendery provavelmente havia escutado tudo, já que se afastou de si e deu espaço para que terminasse de falar, olhando para si com aqueles olhinhos pidões. puxou o rostinho bonito para beija-lo outra vez, sussurrando um pedido de desculpas baixinho - que logo fora aceito - e se afastou, voltando a atenção ao celular. 


- eu espero muito que vocês dois tomem no cu e vai ser uma rodada de cerveja e porções de carne, ah… e ele vai comer junto comigo. - disse olhando para o menor, que sorria bonito. 


- "não vejo problema nenhum em pagar essas coisas ao Hendery, sabes que eu gosto mais dele do que de você, seu chato..." - e o Nakamoto gargalhou alto ao ver a expressão no rosto do chinês mudando para algo mais envergonhado, enquanto as bochechas ganhavam um tom rosado. 


- você acabou de quebrar o menino, desgraçado. - riu sendo acompanhado por Jaehyun, vendo Hendery tampar o rostinho. 


- "ok, agora vem logo, filho da puta." - riu ainda mais ao ouvir a voz de Johnny no fundo da ligação. 


- te fode, muleque chato. - finalizou a ligação e puxou as mãos que tampavam o rostinho delicado, avançando novamente em direção aos lábios do mais novo, que o abraçou pelos ombros e retribuiu o beijo com vontade, sorrindo entre o ato. 


- eu preciso ir, anjo… mas nós ainda não terminamos isso aqui. ainda vou te foder pra compensar todo o tempo que você me fez esperar… - sussurrou grotesco contra a boca do menor, segurando este pelos cabelos da nuca, tendo um Hendery molinho, gemendo contra sua boca, fazendo com que tivesse vontade de desistir de tudo e mandar Johnny, Jaehyun e o Sample para puta que pariu. 


- e eu vou esperar, hyung… pode crer que eu vou. agora anda, porque eu quero cobrar deles as minhas cervejas. - Yuta gargalhou alto, enchendo o rosto do menor de beijinhos. 


viu esse tentando tirar a jaqueta e o parou, negando e colocando-a novamente sobre o corpinho pequeno, em um comando mudo para que continuasse com o negócio. virou o menor de costas e desceu um tapa forte e estalado na bunda redindinha, ouvindo um gemido bonitinho demais para sua sanidade, fazendo uma nota mental de que necessitava ouvir mais daquilo. 


andou em direção a moto, subindo e enviou um beijinho no ar para o mais novo antes de ligar a moto e sair dali rapidamente. Hendery entrou em casa e fechou a porta, se mantendo encostado sobre a madeira grossa, suspirando enquanto sentia os batimentos acelerados pela enésima vez naquele dia. estava vivendo dentro de um filme adolescente com temática indie.


e mal podia esperar para ter Yuta o fodendo como havia prometido anteriormente.


Notas Finais


foi isso, mores...

se cuidem, bebam água, comam direitinho e até a próxima vez!!! as tiazinhas aqui amam vocês demais 💞


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...