História I See (Vkook - Taekook) - Capítulo 25


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Bambam, Bts, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Namjin, Namjoon, Taehyung, Taekook, Vkook, Yoongi, Yoonmin, Yoonseok, Yugbam
Visualizações 302
Palavras 4.029
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Lemon, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu resolvi deixar o capítulo mais grandinho e acabei exagerado desculpa a demora mais o próximo eu (acho) vou postar sábado. Queria agradecer a todos os favoritos e dizer que a fanfic está na reta final, então fiquem atentos se vocês gostam da minhas histórias pq já estou com um novo projeto ♡quando @TallyHyung acabar a capinha eu dou um spoiler pra vcs♡
Boa leitura e obrigada por apoiar a fanfic 😍😍😘

Capítulo 25 - He is my family pt.2


   

                 A língua só Taehyung brincava com a minha de um jeito carinhoso e apaixonado, estava chocado demais para fechar os olhas e aproveitar aquilo, tem duas pessoas me olhando de olhas arregalados. Ai meus Santo Yoongi, não sei onde vou me esconder agora. O Kim mais novo separa os nossos lábios e gruda as testas, lentamente abrindo os olhos que eu tanto amo olhar.

 - Me desculpe por te envergonhar Kookie – passou a mão pela minha bochecha – mas não podia aceitar te ouvir dizendo que somos só colegas – eu sorri com a sua fala e lhe dei um beijo no nariz, ainda um pouco envergonhado pelos adultos presentes – me desculpa pai! Mas não posso me casar com qualquer uma – ele pegou nossas mãos e as ergueu – eu amo Jeon Jungkook! Assim como você ama a mamãe, não pretendo me casar com algumas da mulheres que minha mãe oferece e não me importo que não me aprovem. Não vou mais abaixar a cabeça! – Taehyung disse tudo rápido e determinado, o Kim mais velho suspirou e juntou as mãos e suspirou novamente. 

 - Você sabe o que está fazendo, né? Não será como aquela vez que brigou com sua mãe e falou que ia morar com Hoseok mas não o fez. Você sabe que sua mãe é difícil e não vai desistir de te propor para uma mulher rica, que a torne mais rica do que já é. Jungkook não tem nada que agrada sua mãe, aposto que não tem dinheiro, status bons, boa família ou que não tenha podres também – o senhor me olhou, analisando dos pés a cabeça – mas eu posso falar que ele tem uma grande beleza e pelo olhar que te ama muito meu filho – ele se aproximou de mim e Taehyung e colocou as enormes mãos nos nossos ombros – e isso é importante para mim! Que a pessoa que meu Taehyung ama, ame ele também – o Sr. Kim sorriu para mim, pude perceber que era igual o sorriso de Mi-Yang e Taehyung, era de família então – mas confesso que estou triste por não ter netinhos para cuidar – limpou uma falsa lágrima. 

 - E-então… você aprova? – Tae pergunta mais perdido que eu. 

 - Bem-vindo a família, Jungkook! – ele me abraçou e a empregada chegou perto – Summi prepare a mesa do jeito mais elegante possível, temos que surpreender minha esposa! Não cole coisas que quebram perto do assento dela. Pode ser que ela não reaja bem – ele sorriu um pouco preocupado, retribui o olhar com medo mas mesmo assim sorrindo – não precisa temer com a minha querida esposa. Ela é um pouco….. difícil mas aos poucos sinto que irão se aproximar – ele se sentou depois que a Summi preparou a mesa e Taehyung me fez sentar ao seu lado, bem coladinhos. 

 - Taehyung se comporte – bati fraco nas mãos que passaram pela minha cintura – estamos na frente do seu pai – sussurro para o safado ao meu lado – senão vai ficar sem Kookie por um bom tempo. – ao fala aquilo, o Tae engoliu seco e sentou certamente, deixando o senhor Kim surpreso.

 - Nossa! Alguém conseguiu controlar meu filho – ele deu uma gargalhada e a empregada começou servir os pratos – pelo visto, é mesmo o escolhido para o Taehyung. Ele nem obedece a própria mãe, só a sua avó – o olhar de todos entristeceu – minha mãe sempre fazia as vontades dele e era contra os pensamentos de minha mulher de casar Taehyung tão novo para fins financeiros – com um Kimchi em seu pratos, bem vermelho e suculento, ele pegou o hashi e começou a comer – está uma delícia como sempre Summi – sorriu para ela, que retribui e me serviu. 

 - Você gosta? – me perguntou e eu concordei animado – o senhor Taehyung me pediu para faze-lo, deve ser sua comida preferida, afinal o amo Taehyung nunca me pediu um pato específico – ele tampou o rosto com as grandes mãos – espero que goste – ele se curvou e eu também.

 - Fico feliz por fazer minha comida favorita – olho para o meu Kim e acaricio sua coxa – obrigado! Vou comer com muito carinho senhora Summi – ela sorri e se envergonha. Coloco a comida em minha boca e o maravilhoso sabor se expandiu em minha língua, parecia que minha mãe tinha feito – está muito muito muito gostoso! Está melhor do que minha mãe fez e olha que ela é especialista – brinquei com a mais velha e voltei a comer. 

 - Então Jungkook – o mais velho me chamou - co_

 - Taeyeon! Summi!! – ouvi uma terceira voz vindo da porta principal – Taehyung já chegou? Sua moto está na garag – sua fala morreu ao entrar na cozinha e olhar a mesa preparada e a mim e – quem é você?

 - Je-Jeoon J-Jungkook, muito pr-prazer – me levanto rapidamente e me curvo, estava totalmente envergonhado com a meu cumprimento. 

 - Jeon? Não conheço esse nome – finalmente pude analisar a mulher. Ela era muito magra e atrativa, seu cabelo é jogado para lado longo com as pontas onduladas, seus olhos são como os de Taehyung e lábios finos, com uma altura digna de modelo – é de fora de Seul? Ou da Coreia? 

 - Sou de Busan, me mudei para cá por causa do trabalho de minha mãe – ela se senta ao lado do marido e continua a me analisar. 

 - E sua mãe trabalha na onde? – a Summi serviu o Kimchi para senhora Kim – mas o que é isso? Comida de classe baixa? Mas o que você acha que sou Summi, não posso comer coisas assim! Acha que minha dieta é comum? – ela começa a discutir com a pobre Summi, aperto minha mão já que não podia falar nada – vou aceitar só dessa vez. Então Jeon, me responda – ela pega o hashi e a mesma coloca pouco daquela maravilha em seu prato – seus pais são os que?

 - Minha mãe trabalha na empresa de vocês – ela pareceu surpresa e sorriu.

 - Estranho, não conheço nenhuma Jeon na diretoria do meu marido – seu sorriso era perverso, parecia que iria levar minha alma – é alguém novo, Taeyeon? – o homem negou enquanto comia silenciosamente – Então?

 - É minha secretária, muito eficaz por acaso – ele sorriu para mim e retribui – ela é diferente da antiga, meu amor – o homem tentou falar mas a mulher recitou os olhos.

 - É seu pai? O que faz? É garçom? – a voz de desprezo atravessa minha mente, tentando ao máximo me rebaixar mas tenho um espírito igual de minha mãe, então continuei a encarando.

 - CHEGA! – Taehyung bateu na mesa e chamou nossa atenção – queria mostrar minha família para o Jungkook, mas vejo que é um erro! Estava tudo bem até você chegar mãe! – apontou o dedo para linda mulher – Não ouse rebaixar Jungkook na minha frente, como se ele não fosse nada meu! 

 - E ele é? – ela me olhou com mais desprezo – é só mais um amiguinho seu que quer sua fama e dinheiro, irá te abandonar quando você mais precisar, igual ao Joohyu! – ela levantou e apontou na minha direção.

 - NÃO OUSE FALAR DO MEU IRMÃO ASSIM! – Tae voltou a gritar e segurei seu antebraço. 

 - ELE NÃO É SEU IRMÃO! ELE NÃO SAIU DO MEU VENTRE E NEM DO ESPERMA DO SEU PAI! ELE NÃO É DA FAMÍLIA! – foi a vez dela bater na mesa e com os olhos cheios de fúria para mim – AGORA PARE DE IDIOTICES TAEHYUNG E SUMA COM ESSE GAROTO DAQUI! 

 - NÃO! – desafiou a mulher e me levantou, delicado, assim me abraçando de lado – já me decidi Hyunna, vou me casar como você disse – por um momento vi os olhos da modelo brilhar – mas vai ser com Jungkook, que é meu namorado você querendo ou não! Boa noite – me puxou até seu quarto e fechou a porta. 

       Taehyung estava furioso e respirava freneticamente, passando as mãos no cabelo loiro e andando pra lá e pra cá. 

     Me sentei em sua cama e respirei fundo, estava assustado e triste. Não queria que isso tivesse acontecido, por isso Tae não falava sobre sua família. Uma vontade de chorar começa a surgir e cubro meus olhos.

 - Jungkook? – olho meu amado e ele está com a cabeça para baixo – você me ama ou o meu dinheiro? – ele também estava preste a chorar mas com sua fala eu desabei – Jungkook? Meu Deus – ele corre para mim e se ajoelha na minha frente – me desculpa por isso e que eu…

 - Eu te amo mais que tudo Taehyung! Se não eu não entregaria meu corpo e coração para você! Nunca seria capaz de querer seu dinheiro, nem preciso dele – por mais que Taehyung tentasse limpar as lágrimas mais caíam – só preciso de você! Me desculpa estragar sua noite, nem sabia quem era seus pais. Eu sou um péssimo namorado! 

 - Claro que não – ele começou a beijar minha testa – você é o melhor! Nunca falaria aquelas coisas para minha mãe se não fosse alguém especial como você. Ela também quis expulsar Namjoon daqui, mas despois se acostumou – abracei ele forte e voltei a chorar – ela não tinha o direito de fazer você se sentir assim! Devia ter preparado algo antes – ele também começou a chorar e acariciava minha costa.

 - Ta-TaeTae não chora! – beijo seu pescoço e paro de chorar – quer dormir comigo hoje? Mas não sei se vai dar para ir em casa – sussurro triste. 

 - Vamos dormir aqui, de manhã a gente vai para escola – termina por me deitar na cama e do meu lado. Assim dormimos juntinhos e tranquilos com a presença um do outro. 



 - Jungkook? Meu amor? – algo me chamava bem baixo e calmo – Jungkookie? Kookie? Coelhinho? – abro os olhos aos poucos e tenho a visão dos céus, um anjo quase encima de mim, com o cabelo bagunçado e me acariciando na bochecha – bom dia meu anjo. 

 - Acho que está falando de si mesmo, né? Porque só posso estar no céu para ver tanta perfeição na minha frente – ele ri e da um beijo de esquimó – amo quando faz isso – cruzo meus braços em seu pescoço e sua perna acaricia a minha.

 - É? Que bom saber – ele faz de novo – você é muito valioso para mim, Jungkookie – ele foi me beijar mas tampo sua boca – que?

 - Escove os dentes, não vou te beijar com Kimchi na boca – saio de seu aconchego e vou em direção do banheiro – Não entendo o por que dá enorme pia – sinto braços por de traz e ele sorri.

 - É pra quando a gente fizer novamente, ter espaço na pia para te colocar – mordeu minha orelha – você é tão gostoso. - Pode ir parando Kim Taehyung – dei um selar em seus lábios e arrumei seu cabelo – Suga mãe já não gosta de mim, imagina se me ouvir fazendo isso – ele revirou os olhos e fez um biquinho. 

 - Não deixe ela te fazer sentir inferior – pegou a escova e uma reserva – quero que me prometa uma coisa – peguei a pasta e passei nas escovas. Comecei a minha higiene bocal, com Taehyung me envolvendo pela cintura com uma mão, enquanto escovava os dentes – quero que me prometa que não vai me esconder nada. Se minha mãe fizer algo que deixe você triste, quero que me conte imediatamente! Não vou permitir que ela te machuque. 

 - Tae…. – ele me olhava terno, como se eu fosse a coisa mais delicada do seu mundo – eu sei me proteger, não preciso de um guarda costas – cuspo a pasta e encho minha boca de água, agitando para cuspir – mas eu prometo que vou te falar tudo – beijo sua bochecha. 

        Saio do banheiro e sento na cama, o Kim encosta na batente do banheiro e fica me observando, até que vai ao guarda-roupa e tira algumas roupas de lá, me entregando algumas e começa a tirar a roupa. 

 - Acho que serve em você, vamos comer alguma coisa e ir para escola – me beijou e começou a trocar, fiz o mesmo que ele e senti seu olhar sobre meu corpo – ainda me mata com esse corpo, Jungkook – um tapa foi desferido no meu bumbum e fiquei vermelho. 

 - Pare de fogo – coloco a calça me dada e envolvo meus braços pelo seu pescoço – Tae… te amo – ele beija minha orelha e vai subindo para minha boca.

 - Te amo mais – sussurra durante nosso selar. 

      Sem perceber Taehyung me deitou na cama e ficou encima me beijando, sua mão boba sua e descia na minha barriga. Por impulso eu envolvo as pernas em sua cintura e mexia na sua nuca, aprofundando mais o selar. Até que Tae começou a soltar uns gemidos durante o beijo e impulsionar a cintura para frente, provocando gemidos agora em mim.

 - Com licença Senhor Ta – Summi abriu a porta, fazendo eu e Taehyung separarmos rápido, comigo juntando ele no chão e me sentando rápido – oh, meu Deus. Me perdoem, devia ter batido na porta, mil desculpas Senhor Taehyung e Senhor Jeon – ela se curvou milhares de vezes, me levantei e fui até ela. 

 - Não se preocupe senhora Summi – peguei suas delicadas mãos e sorri – obrigado por chegar, era para eu e Taehyung já termos descido comer, mas invés disso o Taehyung quis me atrasar com brincadeiras – olhei furioso para o Kim mais novo, que abaixou a cabeça envergonhado – muito obrigado! Agora vamos descer – coloquei a mão na costas da mais velha e a guiei para fora do quarto. 

 - Realmente me desculpa Jungkook – seu olhar era preocupado e choroso – ai, vou ser demitida – colocou as mãos no rosto e eu acariciei seu cabelo. 

 - Não vai, não vou permitir por uma bobagem dessa – tentei acalma-la – Taehyung e eu não tínhamos que fazer isso aqui, mas ele não me ouve – suspiro e chego na cozinha, logo o Kim Taehyung também chega. 

 - Desculpa Kookie – me pediu todo manhoso e se sentou ao meu lado. Na nossa frente seu pai e mãe estavam já comendo – Não resisti…

 - Resistiu a o que? – Taeyeon pergunta sorrindo, enquanto lia seu jornal. - Na-nada pai! – Taehyung pega uma torrada e leite, me servindo e depois eu sirvo ele – quer achocolatado? Sei que gosta – concordo e ele coloca no meu copo.

 - Quer só café, né TaeTae? – pego a cafeteria e sua xícara – não toma leite lá em casa – meu Kim sorri e concorda, assim trocamos de copos e começamos a comer.

 - Nossa! Até parecem casados, mais que eu e Hyunna – ele brincou com a mulher que me encarava com nojo – sabem quase tudo sobre o outro, não vou me surpreender se Jungkook saber mais do meu filho que eu.

 - Mas é claro que não – a mulher se pronunciou batendo na mesa – um interesseiro não se daria o trabalho disso, mas vejo que Jungkook é um profissional e é só observador. Todos que observarem Taehyung sabe que ele prefere café – ela limpou a boca e as levantou – vou trabalhar 

 - Mas inda é cedo, querida!

 - Não vou aguentar ver meu filho sendo enganado por esse ser aí – apontou para mim e finalmente saiu.

 - Me desculpa – peço triste e me levanto, lavando meu copo e saindo da cozinha – acho que tenho que ir Taehyung. 

 - Jungkook! Não fique assim – passou as mãos pelo meu rosto e beijou minha testa – me espere aqui! Vou pegar minha bolsa.

        Assim eu fiz, ele voltou e fomos em casa pegar minha coisas. Caminhamos em silêncio até a escola, aquela mulher me desanimou muito e me preocupa em relação ao Tae. 

      Chegamos na escola e fui recebido pelos meninos, Jimin estava perto de Yoongi, a alma estava quase desaparecendo mas ainda assim sorria. Jin e Namjoon estavam juntos e felizes, me perguntaram como foi o jantar mas Taehyung respondeu que não foi como imaginava, só sua mãe que reagiu melhor que ele esperava, ou pior. Yoongi me puxou para canto e longe dos meninos.

 - Hope me convidou para sair – mordia os dedos nervosos – eu aceitei achando que era de boa, até que ele me beija no meio do “encontro” e com a surpresa eu não fiz nada – o Hyung estava ofegante – ele pediu desculpa e sabia que nunca ia ser igual ao Jimin. Meu coração doeu tanto quando ele falou aquilo, quero saber o que Jimin acha disso – me pediu choroso e com as mãos juntas. Olho para alma e ele sorri.

 Me sinto fraco Jungkook. É o Hoseok a quem meu Suga deve ser entregue, não aguento mais essa dor em meus músculos, fale que eu o amo e amo Jung Hoseok também. E peça desculpa por não poder ficar muito.

 - Jimin – minha voz chorosa falha e olho para o Min – ele disse que é o Hoseok a pessoa certa, ele gosta do Hoseok e você também, seria a relação a três perfeita – dou uma risada fraca junto com ele – e ele pediu desculpa por não poder ficar mais – eu e Yoongi choramos abraçados e Jimin ainda nos olhava, ele se aproximou e senti algo quente como seu abraço. 

 - Eu te amo Jimin! Vou ser feliz por nós! – Taehyung e Hoseok acham a gente e vem preocupados. Apenas sorrimos e abraçamos os dois – obrigado J-Hope. 

 - O que eu fiz? – ele se envergonhou todo.

 - Me fez de novo – beijou o Jung e sorriu com a gengiva – muito obrigado!

        Assim se passou o dia, cada um na sua classe e conversando de comemorar a nossa amizade, como Jin disse. 

     A aulas acabaram e todos foram embora se trocar, chegando em minha casa, um carro preto parado mais ou menos próximos buzinou, Hyunna saiu dele e me chamou. 

 - Tome – perdeu uma porção de dinheiro – agora deixe meu filho em paz! 

 - O que? Ainda acha que quero o dinheiro do seu filho? – bati na sua mão, recusando aquilo – eu amo Kim Taehyung! E não é dinheiro que vai me para de fazer ele feliz! 

 - Feliz? Meu filho está sendo enganado por você! – tirou o óculos escuro – o que quer para terminar com meu filho? 

 - não vou! Vai ter que me matar para conseguir o que quer – confronto a mais velha que recua um passo. 

 - Pois bem! Você vai ter o que merece Jeon Jungkook! – ela entrou no carro e foi embora. Coloco a mão no meu coração disparado e corro para casa. Como ela soube da minha casa? O que mais ela vai fazer? E se ela me matar mesmo? Ou ameaçar o Taehyung? 

 - Ai não – todo trêmulo pego meu celular e ligo para Taehyung – Tae? 

 - Kookie? Aconteceu alguma coisa? Esta com a voz falha – ele me conhece tão bem, não pode ser farsa. 

 - Lembra da promessa? – ele solta um sim – Sua mãe esteve aqui e me ofereceu dinheiro para terminarmos, mas eu recusei e ela falou que iria voltar – meu corpo inteiro tremia – estou com medo…. 


        As semanas se passaram e Hyunna continuava a me provocar, já pagou uma menina para dar em cima de Taehyung e de mim, para causar ciúmes e terminamos mas sempre confiei nele e ele sempre confia em mim. Já ofereceu mais dinheiro e bens, ater uma faculdade fora da Coreia, mas meu amor por Taehyung negava tudo. 

          Mas hoje foi diferente, ela superou todas as minha expectativas. Ela ameaçou o emprego de minha mãe, que não se importou em procurar outro, mas aquele era bom demais e ainda temos dívidas de anos passados. Hyunna também me ameaçou quando descobriu meu “dom” e falou que era para terminar eu ser acusado de esquizofrenia. 

          Dessa vez na pude comentar nada à Taehyung e não já era. Fiz a coisa mais covarde do mundo, peguei meu celular e mandei uma grande mensagem para Taehyung falando que não aguentava a pressão da mãe dele e não aguentava mais ele, que ela me ofereceu mais uma boa quantidade de dinheiro e eu aceitei, então era para ele me esquecer e finalmente bloqueie seu contado.

         Chorei por dias e não fui a escola para não ter que encontrá-lo, Jin e Yoongi falaram que o Tae vivia perguntando de mim e porque quebrei a nossa promessa, os meninos me perguntavam a mesma coisa e eu não respondia. Acabaram ficando bravos e brigaram comigo também, me entristecendo mais e mais. 

 - Filho? Tem que comer alguma coisa – eu nego com a cabeça – Jungkook eu chamei uma pessoa para vir aqui, gostaria que vocês conversassem – me levanto e sigo ela até a sala, nunca neguei um pedido da minha mãe para conhecer suas amigas velha, já que me tem quase sempre cheiro bom de velinha e me anima um pouco – Taehyung, ele está aqui. 

 - Taehyung? – me surpreendo ao ver a pessoa que tanto evitei na minha frente, tento correr mas ele pula em cima de mim, prendendo meu corpo ao seu – MÃE! 

 - Não posso fazer nada – ela deu de ombros e saiu da sala – agora se entendam.

 - MÃE! – me debato nos braços do loiro – me solte Kim! Droga! – meu choro preso quase se escapou – nós não temos mais nada.

 - Eu sei que não é verdade! – apertou meus braços e deixou nossos rostos pertos – se não você tinha falado cara a cara e não mandado uma mensagem para eu não ver você chorando ou reparar na sua voz – Não aguentei e minhas lágrimas caem – porque você sabe que eu repararia que tem algo de errado, pois eu te conheço e te amo! 

 - Para…. Por favor – a dor é tão grande, não quero magoar meu amor – já acabou tudo… por favor me deixa em paz.. – cruzo o braço em cima dos meus olhos molhados, como se estivesse implorando para me deixar ir – Taehyung-ah….

 - Não me chame desse jeito – sua boca roça na minha orelha, me arrepiado todo – estou super furioso com você, Jungkook – a voz rouca ecoou na minha cabeça, me deixando louco – prometeu que iria contar tudo para mim, mas por que mentiu? Eu disse que ia te proteger dela, não disse? – o aperto nos meus braços foi ficando mais fraco e por instinto envolvi meus braços em seu pescoço – eu sempre vou confiar em você Jungkook, assim como você pode confiar em mim. E aquele papo que seu amor por mim não pode ser comprado? Sei que não se venderia tão fácil – pegou meu queixo e me fez olha-lo – agora me diga o que ela te fez. 

 - Tae… por favor – seu hálito batia na minha cara e me deixava nervoso, pois a aproximação era muito perigosa, eu tinha que resistir a ele – vá embora, por favor – peço fraco e tiro o braço do seu pescoço, assim deixando jogado. 

 - Fale olham nos meus olhos que você não me querer aqui e tudo isso não é uma falsa para você proteger sei lá o que – ele ameaça e aperta meu rosto, forçando a olha-lo – diga e eu vou embora!

 - E-eu… tudo isso… no-nós fomos – sempre gagueja e não consigo terminar minha frase – não me deixe por favor – solto o choro e ele me abraça – ela ameaçou despedir a minha mãe e sem o dinheiro não teríamos como pagar nossas dívidas e não quero ser um peso morto para ninguém, então eu aceitei a proposta e te feri por isso. Sou um péssimo namorado! Se é que posso ser chamado assim – tampo a minha cara e o soluço aumenta – doeu tanto ficar sem você, até as almas pararam de me atormentar, sem você meu mundo para e não faz sentido! EU TE AMO KIM TAEHYUNG!! EU TE AMO. 

 - Eu também Jungkook – beijou minha testa – nunca aceitei que você tinha “rompido”, então ainda somos namorados – beijou minha bochecha – mas dessa vez irá me contar tudo, ela não pode te ferir. Eu sou o futuro gerente da empresa do meu pai, minha mãe não pode despedi-la sem argumentos e sei que meu pai não permitiria – por fim me beijou na boca e sorri – te amo coelho meu. 

 - Te amo leão meu – juntei nossas mãos e as beijei – muito obrigado! Por ser minha família Taehyung! Por ser meu…

 - Sempre meu amor – beijou as mãos igual a mim – obrigado você por me amar do jeito que sou.



       Fico feliz por ele estar aqui..



       Mas sinto algo….



    Algo ruim por vir com essa família minha.  


Notas Finais


Como foi? Foi bom? Ruim? Péssimo?

A partir de agora o circo só vai pegar fogo e Taekook vai sofre um pouquinho ;-;
Jiminie está fraquinho, estou sofrendo por ele 😭😭 e pq a fanfic está acabando naaaaao

Peço que acompanhe essas duas pessoinhas @TallyHyung e @winterlilies (Wattpat) são seriamente importantes para mim e super criativas ♡^-^
Obrigada por ler e por apoiar a fanfic ♡☆♡😍😚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...