História I See You - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Kim Jong-in (Kai), Oh Se-hun (Sehun)
Tags Baekhyun, Chanyeol, Kaihun, Kyungsoo, Sekai, Yixing
Visualizações 30
Palavras 2.165
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Complicated.


Capítulo 3 — Complicated.

 

Sehun caminhava de volta pra casa, praguejando por ter sido interrompido mesmo que indiretamente. O que mais poderia dar errado? Jongin estava sempre tão perto, mas ao mesmo tempo tão longe e isso o irritava. Havia passado o dia inteiro longe e quando pensou que teriam um momento a sós, deu de cara com aquele baixinho roubando sua chance.

Estava imerso nos próprios dilemas e não notou o celular que vibrava sem cessar dentro de sua calça. Estava quase em casa quando enfiou a mão no bolso em busca das chaves e notou a ligação.

— Quem morreu, Park? — perguntou sem muito ânimo.

— Não sei, mas deve ter levado junto a sua vontade de viver. — Chanyeol dramatizou. — Vou passar aí daqui a uma hora e vou levar o Baekhyun junto. Como sei que você não gosta de visitas inesperadas, resolvi avisar antes. Até daqui a pouco, Oh.

Sehun encaixou a chave na porta do apartamento, encarando a chamada encerrada, um pouco desanimado por nem ter tido a chance de xingar Yeol.

 

x

 

Quando finalmente chegaram no restaurante, os olhos de Jongin brilharam como na vez em que Sehun o surpreendeu com um balde de frango frito assim de surpresa.

O estômago roncava de fome, Kyungsoo observando a cena e registrando numa foto engraçada o momento de contemplação do moreno.

— Você pode babar assim lá dentro enquanto escolhemos a comida. Tá parecendo cachorro olhando frango de padaria, Jongin.

O dançarino mal se importou com o comentário ácido do amigo e entrou no restaurante favorito, se acomodando juntamente a ele, um sorriso gigantesco iluminando seu rosto.

— Kyung, você se lembra do Baekhyun? Aquele que trabalha comigo?

— Lembro sim, não é aquele loirinho?

 

Foram interrompidos pelo garçom trazendo o menu e fizeram os pedidos de uma vez, Jongin havia pedido caneloni e um prato de tamanho médio de um farfalle com molho de queijo que queria provar. Kyungsoo pediu ravioli com molho à bolonhesa.

Os pedidos não demoraram a chegar por conta do horário, o ambiente estava relativamente vazio, deixando um Jongin animado a espera de seu jantar.

O bailarino encarava o prato com os olhos brilhando e Kyungsoo tirou uma foto novamente, dessa vez ele postou em seu instagram e marcou o moreno.

Na mesma hora, Sehun curtiu a foto e enviou uma mensagem ao celular de Jongin.

 

[sehunnie ♥ ] [20:45]: Belo prato, Kim Jongin.

 

[ jongginie ] [20:47]: Como assim, Sehun? Você também tá aqui no restaurante?

 

[ sehunnie ♥ ] [20:53] Não, acabei de ver a foto que seu amigo, postou. Gostei do restaurante.

 

[ jonginnie ] [20:55]: Você vai amar conhecer esse lugar, Hun.

 

Kyungsoo tirou o celular da mão do amigo que não protestou tanto assim por estar saboreando a comida que era deliciosa.

— Será que vocês podem se desgrudar um pouco, Jongin? Queria te trazer pra comer e conversar um pouco, mas você nem solta desse celular.

 

Jongin fez um bico enquanto mastigava, olhando as notificações que chegavam sem parar, mas resolveu não dizer nada pra não aborrecer Kyungsoo. No fundo, seu amigo tinha razão.

Enquanto comiam, Kyungsoo contou sobre como seu restaurante estava indo bem. Contou que gostava de visitar outros estabelecimentos pra estudar a atmosfera, provar novas comidas e trazer ideias de pratos ao cardápio do seu lugarzinho favorito.

Estavam satisfeitos e Kyungsoo aproveitou a deixa pra inserir o assunto que precisava, então decidiu pedir petit-gatêau como sobremesa pra que o assunto abordado não fosse tão chocante assim.

Já havia chamado o garçom que saiu a francesa, deixando Jongin encarando Kyungsoo com um semblante inquisidor.

— Eu posso estar ficando doido — coisa que eu duvido estar — mas tenho certeza de que quer me contar algo, Doh Kyungsoo. — Jongin concluiu, os olhos semicerrados enquanto observava o mais velho sem piscar.

— Ora ora, meu caro Watson. — Mas Kyungsoo fora interrompido pelo celular de Jongin, que vibrava incessantemente sobre a mesa. Kyungsoo deu uma olhada e antes que o moreno pudesse toma-lo, o mais velho atendeu sem a menor culpa.

— Oi, Sehun.

— Eu posso falar com o Jongin? — Sehun perguntou meio a contragosto.

— No momento ele tá com a boca ocupada, pode me passar o recado que eu transmito.

Sehun suspirou pesado e profundamente, uma sensação de irritação invadindo seu ser.

— Diga a ele pra trazer o chocolate da loja de conveniência da rua da cafeteria? E por favor traga-o em casa. Está um tanto tarde.

— Anotado. Tchau Sehun.

Jongin encarou o amigo um tanto incrédulo e por fim, acabaram rindo juntos.

— Você não existe. O que o Sehun queria, Kyung?

— Aparentemente saber se você pode comprar o chocolate que ele gosta na loja perto da cafeteria. E me mandou te levar em casa por causa da hora e blá-blá-blá whiskas sachê.

Jongin explodiu numa risada gostosa, os olhos apertados e quase fechados, fazendo Kyungsoo registrar o momento mais uma vez e postando novamente no instagram.

A sobremesa chegou e os dois atacaram o doce com toda a vontade que podiam, Kyungsoo imitando a fala de Sehun ao telefone e Jongin rindo.

— Me leva até a loja que ele pediu e pode me deixar em casa depois?

— Claro que levo, eu fui intimidado, Kim Jongin. Não tenho como não levar.

E os dois riram juntos.

x

 

Enquanto aguardava Chanyeol e Baekhyun, Sehun decidiu checar as redes sociais pra matar o tempo. Queria ficar sozinho e reclamar sob as paredes do próprio quarto, mas isso ficaria pra uma outra hora. Quando atualizou a página, se deparou com um moreno radiante encarando um prato de massa como se fosse a sétima obra de arte do mundo. Chegou a pinçar a tela e deu zoom na foto, mas logo se lembrou quem tirou e decidiu matar um pouco da própria curiosidade e deixar o ciúme que vinha sentindo desde a hora que viu Jongin entrando no carro de Kyungsoo, falar mais alto.

Estava trocando mensagens com o moreno, que parecia evasivo. Não tinha direito algum, mas com toda certeza, não estava gostando nada do que lia e via.

Suspirou profundamente enquanto aguardava resposta do bailarino e depois de longos e tortuosos dez minutos, decidiu que tinha de ligar.

Pra sua infelicidade, Kyungsoo atendeu e fez nascer a semente da paranoia naquela cabecinha. O Oh encarava a tela do celular um tanto irritado, talvez um pouco mais do que quando viu o melhor amigo agarrado naquele baixinho irritante.

— Eu espero que ele esteja só fazendo gracinha com a minha cara. Eu nunca gostei de violência, mas quero socar a cara dele.

— WHOA! Oh Sehun irritado e partindo pra agressão? Essa é nova pra mim.

Sehun se virou, o músculo no cantinho da boca tremulando, os dedos agarrando a borda do balcão da cozinha.

— O que eu tinha na minha cabeça quando cogitei que seria uma boa ideia te deixar com uma chave reserva da minha casa, Park Chanyeol? ‘Tu parece a porra de um fantasma. Aparece do nada e chega assim sem fazer barulho.

Baekhyun não disfarçou a risada e saiu de trás do maior, acenando timidamente.

— Olá, Oh Sehun.

Sehun encarou o baixinho e ali, teve seu momento de glória. Chanyeol notou o sorriso que iluminou o rosto do amigo, praguejando baixinho por perceber que não era um bom sinal.

— Então é você o carinha que Chanyeol fica secando na academia? — O Oh perguntou, deixando Chanyeol vermelho como um tomate, que deu uma desculpa de que precisava ir ao banheiro, deixando Sehun e Baekhyun conversando como Chanyeol não era nada discreto.

 

x

 

Quando saíram do restaurante, Jongin veio contando de como a vida tinha mudado depois da faculdade. Kyungsoo ouvia tudo, mas chegaria na pergunta que sabia que o amigo evitaria responder. Ajeitou os óculos, olhando o mais novo escolhendo os doces favoritos de Sehun e aquela barra 60% cacau que tinha gosto de tudo, menos de chocolate. Kyungsoo nunca entendeu como alguém gostava tanto daquilo, mas não podia julgar. Oh Sehun era enjoado pra gostar de comer e quando de fato gostava, se agarrava naquilo como se fosse a melhor coisa do mundo. Claramente esse doce com gosto de terra, não era a melhor guloseima do mundo.

Saíram da loja e Jongin sorria daquele jeito que Kyungsoo sabia não se tratar somente de um bom jantar. Nos quatro anos em que esteve na faculdade com Jongin, ele aprendeu a ler as reações do moreno, que convenhamos, não sabia disfarçar absolutamente nada.

— Porque tá me olhando assim, Kyung? — Jongin perguntou desconfiado.

— A tua cara nem queima, né? — Kyungsoo respondeu o mais novo com outra pergunta.

Já estavam parados na porta de casa e Jongin continuou olhando o amigo a espera da resposta pra pergunta que havia feito.

— Acha mesmo que eu não sei que você tem uma paixãozinha pelo Oh, né? Ele pediu um doce e olha a quantidade de coisa dentro dessa sacola, Jongin.

 

Jongin ficou boquiaberto, um pouco chocado pela falta de preparo do amigo pra dizer tais coisas.

— Você está louco, Kyungsoo. Eu apenas estou sendo gentil com o Sehun. É só isso.

Kyungsoo explodiu numa gargalhada, os olhos praticamente fechados de tanto que ele riu com a fala de Jongin, que o encarava com curiosidade.

— Kyung, é sério. Não tem paixãozinha nenhuma aqui.

Kyungsoo fitou o bailarino, dessa vez completamente sério e alheio a resposta do mais novo.

— Espero que você não seja burro o bastante e perceba isso tarde demais, Kim Jongin. Te vejo amanhã?

— Até amanhã, Doh Kyungsoo. Nos vemos amanhã.

— Eu também te amo, Nini! — Kyungsoo gritou pela janela, vendo o Kim sair com um bico, costumeiro de toda vez que se deparava com algo que ele não estava enxergando.

 

Quando chegou em casa, entrou sem fazer barulho. Ouviu risadas vindas da cozinha e sentiu o coração acelerar e uma sensação esquisita que fez seu estômago revirar.

Chegou até o cômodo e viu Sehun e Baekhyun, rindo um com o outro. Sehun brincava com as balas que assemelhavam a comprimidos enquanto Baekhyun  mostrava todos os doces que havia trazido, imitando a voz de Chanyeol, fazendo o Oh rir a vontade.

Jongin se sentiu esquisito, aquele aperto no estômago sendo mais incômodo do que antes e ele já se preparava pra se retirar sem ser visto. Quando estava quase saindo, Chanyeol apareceu em sua frente, abraçando o Kim pelos ombros.

— Que bom que você já chegou, Jongin! Assim podemos comemorar todos juntos.

— Comemorar?

Chanyeol arrastou Jongin até a cozinha e trouxe a novidade à tona.

— Eu e Sehun faremos uma sessão de fotos na próxima semana, Jongin. Começamos na segunda! Não é incrível?

Sehun encarou o melhor amigo, esperando qualquer reação dele. Acabou apresentando Baekhyun a ele, na tentativa de decifrar os pensamentos que nublavam a mente do bailarino a essa altura.

— Jongin, esse aqui é o Baekhyun. Baekhyun, esse é meu melhor amigo, Kim Jongin.

O moreno riu sem vontade e se desvencilhou dos braços de Chanyeol.

— Nós já nos conhecemos, Sehun. — Baekhyn e Jongin disseram ao mesmo tempo.

Sehun encarou os dois e Chanyeol engoliu em seco, com medo de ser dedurado mesmo sem querer.

Foi Baekhyun quem quebrou o silêncio constrangedor que se instalou, fazendo com que Chanyeol relaxasse os ombros e mirasse na bolsa que o Kim segurava.

— Eu e Jongin trabalhamos juntos, por isso já nos conhecemos. Ele é um ótimo bailarino e sempre me ajuda quando preciso de ideias para minhas danças. Não é Jongin? — Baekhyun direcionou a pergunta ao colega de profissão.

— Sim, é sim. Somos conhecidos já, Sehun.

Aliás, parabéns pela sessão de fotos. Sempre disse que você daria um ótimo modelo. — Jongin esboçou um sorriso sincero pro Oh, que ainda não tinha notado a estranheza do Kim.

— Aproveitem o restante da noite, rapazes. Se puderem me dar licença, eu já vou me deitar. Preciso de um banho, tive um dia cheio e só quero descansar. — O moreno riu, tentando amenizar o desconforto, abraçando Chanyeol e logo depois o Oh.

Sehun demorou um pouco mais do que deveria com o mais novo nos braços, desenhando “R U OK?” no braço de Jongin, como faziam quando não podiam usar as palavras pra se comunicar. Jongin murmurou um uhum em resposta, mas nem sabia se era mesmo verdade.

Saindo de perto do Oh, Jongin deu um tchau a Baekhyun e já ia saindo da cozinha, quando parou subitamente na soleira da porta e deixou a sacola nas mãos de Chanyeol.

— Pode ficar. Eu vi você encarando a sacola na minha mão, Yeol.

— Mas eu não -....

 

Chanyeol nem teve tempo de terminar a sentença, Jongin subiu correndo, sentindo uma mistura de sentimentos que ele preferia não entender. Era melhor dormir.

Baekhyun se despediu dez minutos após, dizendo que precisava acordar cedo no dia seguinte. Enquanto isso, Chanyeol deu uma olhada dentro da bolsa e tirou a barra de chocolate, franzindo o cenho e fazendo uma careta.

— Eca, chocolate amargo. Mas o Jongin nem gosta desse tipo de doce...

Como se fosse um estalo na própria cabeça, Chanyeol encarou Sehun, que já o olhava cheio de arrependimento.

— Eu sei, Chanyeol. Era pra mim.

 


 


Notas Finais


Espero que não me matem depois desse capítulo...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...