História I Still Love You - Capítulo 13


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 70
Palavras 2.305
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


EU NÃO MORRI!!!!
Kkkkk
Gente, eu não morri, ok?
Me desculpem pela demora de quase um ano, kkk, não foi intencional, juro.
Eu tinha até metade do capitulo pronto, daí meu computador deu problema e eu tive que formatar.
Não me matem, estou de volta a ativa graças a Deus.
Talvez eu não aparece tão cedo de novo, mas dessa vez prometo que não vai ser tão demorado.
Estou participando da fanfarra da escola e a qualquer momento podemos ser chamados para nos apresentarmos em algum lugar, o que é imprevisível e consome o meu tempo treinando também, sem contar que logo começarei a trabalhar.
Espero que compreendam, não faço por mal.
Enfim, mais um capítulo lindo para vocês e espero que gostem.

Capítulo 13 - Um dia só nosso


TINA POV´S

 

 Depois de ter passado um tempo na casa de Gabriel, o mesmo me levou para casa bem tarde e me prometeu que logo pela manhã teríamos um dia só nosso como a muito tempo não temos. Fiquei bastante animada é claro e mal via a hora de poder ficar perto dele novamente.

   Eu: Bom dia!

   Biel❤: Bom dia, princesa!

   Eu: O que está fazendo agora?

   Biel❤: Tirando a roupa para tomar banho, por quê? Quer participar também? Ainda da, tempo.

   Eu: Não vou comentar a respeito desse seu disparate.

   Biel❤: Kkkkk! Tem amo, princesa! Te vejo depois. ´3´

   Eu: ´3´

 

 Joguei meu celular em cima da cama e fiquei por um tempo no tédio, isso até eu resolver tomar café da manhã e ver se meu irmão estava lá em baixo para que eu pudesse encher o saco dele.

   - Bom dia! – me joguei, com um pouco de dificuldades por causa do meu pé, em suas costas assim que o encontrei parado no meio do caminho.

   - Que susto, Valentina! – quase deixou seu copo de suco cair.

   - Hahaha! Que isso, onii-chan! – sorri e lhe dei um beijo na bochecha. – Estou no tédio.

   - Ah é? E eu com isso? – me olhou arqueando uma sobrancelha.

   - Que horror! Você já foi um ótimo irmão, agora está um imprestável, Logan! – cruzei os braços.

   - Também de amo, irmãzinha! – sorriu e deu um beijo na testa.

   - Chato!

 Caminho bem devagar em direção a mesa do café da manhã e minha boca chega a salivar de tanta fome e de ver tanta coisa gostosa. Meus Deus, como esse povo daqui de casa capricha. Peguei um pouco de cada coisa e me sentei no meu lugar habitual, já devorando o que eu tinha pegado.

   - Às vezes você não parece uma dama que na frente de todos se comporta tão bem. – meu irmão soltou uma risadinha também se servindo.

   - Eu tô na frente de alguém que não seja você e que sabe que eu não sou uma dama por acaso? – reviro os olhos. – Me deixa ser feliz!

   - Você anda muito mal-educada ultimamente, Tina!

   - Obrigada!

   - Desisto! – revirou os olhos e começou a comer.

 Para falar a verdade eu adoro irritar o meu irmão na maioria das vezes, me deixa feliz.

   - O nosso pai vai passar o dia fora e eu também, então vê se se comporta enquanto estivermos fora! – me olhou.

   - Você fala como se eu fosse trazer alguém aqui e transar com ele loucamente. – faço uma careta.

   - Eu sei que você não faria isso, até porque você ainda é virgem pelo que eu saiba! – comentou naturalmente.

 Me engasguei com o pedaço de bolo que comia e o vi me olhar com uma sobrancelha erguida, porém logo sua pressão se tornou divertida.

   - Como você sabe tanto da minha vida? Para com isso, ok? Não quero e nem preciso de um irmão que saiba que coisas como essas! Seu eu não comento nada com você é porque você não deve saber.

   - Relaxa maninha! – riu. – Só sou um irmão preocupado com a irmã mais nova, então é essencial eu saber dessas coisas.

   - Não é mesmo! – rebati. – E aí de você se eu souber que você sabe de mais coisa ou que anda me investigando mais.

 Logan começou a rir e voltou a tomar seu café da manhã agora sem mais nenhum comentário.

 

   *~*

 

 Já era quase duas da tarde e nada do Gabriel mandar notícias, sério, ele está me deixando preocupada com isso. Estou esperando a horas por uma mensagem ou até mesmo algum sinal qualquer de vida dele, porém nada, nem um sinal de fumacinha qualquer.

   - Daqui a pouco eu ligo para a policia e mando irem atrás dele. – resmungo.

 Estava praticamente do nosso dia/ tarde agora, juntos quando a porta do meu quarto é aberta por ele que estava todo sorridente.

   - Onde esteve? – cruzei os braços o encarando seriamente.

   - Desculpe, eu me esqueci que eu tinha um treino importante com os meninos hoje, por isso eu me atrasei. – tentou me dar um beijo, no entanto eu desviei. – O quê?

   - Por que nem ao menos me mandou uma mensagem dizendo que não iria poder me encontrar mais cedo? Estava quase colocando a polícia atrás de você, idiota!

 O ouvi rir e em seguida me dar um beijo demorado na bochecha.

   - Não tem graça.

   - Desculpe te preocupar, princesa, não foi a minha intenção, juro! – se sentou ao meu lado.

   - Você veio direto do treino? – observei seu cabelo e seu pescoço molhados.

   - Não, passei em casa primeiro. Não poderia vir sujo e fedendo para ver a minha princesa, não é? – sorriu e beijou meu pescoço.

 Sorrio e segurei seu rosto lhe dando um beijo cheio de paixão.

   - Nunca mais me preocupe assim, está em ouvindo? – declarei séria.

   - Sim, senhorita! – riu e me deu mais um beijo. – E como está esse tornozelo aí? – olhou para baixo.

   - Hum, bem melhor! – sorri. – O médico me disse que receber alguns beijos da pessoa que a gente gosta ajuda a sarar.

   - Ele disse é? – me olhou divertido.

 Confirmei mordendo o meu lábio inferior e logo me senti segundo empurrada para o colchão debaixo de mim. Ri entre o novo beijo que tínhamos iniciado e passei minhas mãos por suas costas.

   - Hum... – resmunguei me afastando deu seus lábios sedutores por um momento e disse:

   - Vamos assumir o que quer estamos tempo amanhã para os nossos amigos, ou até mesmo para quem mais for? Tipo, inclusive para aquela sua ex esquisita? – o olhei nos olhos.

 Ele soltou uma risada e deu um beijo molhado no meu pescoço que me arrepiou.

   - Podemos contar para quem você quiser, até mesmo para o mundo todo, princesa! – sorriu. – Mas só para deixar claro, eu já contei para os meninos o que está acontecendo entre nós.

   - E o que está acontecendo entre nós? – sorri entrelaçando meus braços em seu pescoço com ele ainda por cima de mim.

   - Algo muito bom.

   - É? Mas o que exatamente?

   - O que você acha que está acontecendo entre nós? – me olhou.

   - Não sei... um namoro que nem é, até porque não um pedido oficial até agora.

   - Que tal um reatamento, hã? – deu um leve chupão no meu pescoço que me derreteu. – Afinal, é basicamente isso que está acontecendo aqui, não é?

   - Ah não! – me emburrei. – Eu quero um novo pedido e um anel. – balancei minha mão na sua frente. – Não vamos reatar nada e não adianta insistir. Eu quero pelo menos um pedido decente e um anel para eu poder esfregar na cara de tomo mundo que você é meu. – sorri de lado.

   - Que possessiva é, a minha princesa. – me deu um selinho. – Ok, o que você quiser, satisfeita?

   - Muito! – sorri animada.

 Escutei a sua risada e em seguida ele me levantou da cama e me pegou no colo, me levando para o andar debaixo, onde uma das empregadas estava parada com a minha mochila nas mãos.

   - Aqui está senhorita! – me entregou minha mochila e eu a olhei confusa. – Tenham um bom dia.

   - Obrigado! – Gabriel agradeceu e me levou para fora de casa, onde me pôs no seu carro.

   - O que está acontecendo?

   - Eu não te disse que te daria um dia só nosso? – sorriu. – No caso uma tarde agora, mas não deixa de ser só nosso.

   - Tem razão, mas precisava até mesmo pedir a minha empregada arrumar uma mochila para mim? – arqueei uma sobrancelha.

   - Sim. Tenho certeza que ela colocou o essencial que precisaremos hoje. – comentou dando partida no carro.

   - Para?

   - Você logo vai saber, se aquiete aí.

 O olhei desconfiada, porém fiquei quieta e coloquei uma música para tocar no rádio do carro para que não ficasse num clima tedioso.

 

   *~*

 

 Depois de um tempo dirigindo, Gabriel para perto de um campo muito, muito bonito com algumas flores brancas e vermelhas espalhadas por toda a relva. Sorri encantada e não resistir e tive que beijá-lo como uma forma de agradecimento.

   - Você é maravilhoso!

   - Eu sei disso.

 Rimos e logo ele pegou do banco de trás uma cesta de piquenique que até eu não tinha notado. Ele me ajudou a caminhar até uma parte em que esticamos um pano e nos sentamos, arrumando as coisas para podermos fazer um piquenique perfeito. Peguei meu celular dentro do bolso da minha calça e tirei uma selfie nossa. Será a causa de um grande rebuliço nas minhas redes sociais.

 Aproveitei que eu estava sentada entre as suas pernas e continuei da mesma forma, apenas aproveitando o momento que eu sonhei desde que eu pisei nessa cidade novamente.

   - Hum... – terminei de mastigar. – Logo vai ter uma festa e eu já combinei com as meninas que vamos juntas. Se você quiser ir é claro que será mais que bem-vindo, mas é só para avisar para depois não termos um motivo para uma possível futura discussão. – soltei e ele riu.

   - Tudo bem, eu ouvi sua conversa com elas meio que sem querer! – riu e eu o olhei surpresa. – Não tem problema, Tina. Você pode ir com as suas amigas, vai ser bom você passar um tempo a mais com aquela do que comigo, vai que você uma hora enjoa de mim!

   - Nunca! – segurei em seu rosto e o beijei. – Acha mesmo que depois disso tudo vou abrir mão de você, Gabriel Lins? Porque se for saiba que está redondamente enganado, me ouviu?

 Biel riu e me abraçou bem apertado por trás.

   - Amo você sabia? – sorriu cheirando e beijando meu pescoço.

   - Também amo você! – me inclinei para trás e beijei seu rosto. – Muito, muito!

 Terminamos o nosso piquenique e fomos para o carro outra vez, desta vez com outro destino que Gabriel tinha em mente, mas que eu não fazia a mínima de ideia do que era.

   - Onde vamos agora? – brinquei com seu cabelo.

   - Você é mesmo muito curiosa. – riu. – Espera que você verá e pare de tentar estragar a surpresa.

   - Certo. – ri.

 O trajeto se estendeu por mais uns vinte minutos e logo estávamos parados em frente a um hotel.

   - Hã... o que viemos fazer aqui? – o olhou confusa.

   - Calma, princesa, não vou tirar a sua virgindade, não! Pelo menos ainda não! – riu e eu ruborizei ao extremo. – Vem, vamos apenas trocar de roupa, porque o lugar para onde vamos daqui a pouco não pede essas vestimentas que usamos. – estendeu a mãos para mim.

 Me olhei e não vi nada errado no meu short jeans e na minha blusa de alças preta, mas se ele dizia, quem sou eu para discordar. Peguei em sua mão e saímos do quarto logo indo para um quarto que já estava reservado para trocar de roupa. Nem mesmo tinha notado quando ele tinha tirado a minha mochila de dentro do carro.

   - Você alugou um quarto só para isso?

   - Não! – riu. – Vamos passar a noite aqui mais tarde.

   - Vamos?

   - Vamos! O lugar onde vou te levar fico um pouco longe e vamos estar muito cansados para poder voltar para casa, ainda mais eu quem vou estar dirigindo.

   - Se você diz, mas eu ainda não avisei o meu pai, nem o meu irmão.

   - Não se preocupe, eu já avisei a eles. – declarou e eu o olhei surpresa. – O quê? Acha que eu não pensei em tudo? – riu.

   - Uau, nunca pensei que você tivesse essa capacidade! – ri e ele me empurrou na cama.

   - Você vai se surpreender ainda mais, princesa. Aguarde.

   - Uuuiii! – sorri. – Senhor Mistério! – ele riu.

   - Anda, vai se aprontar. – me empurrou em direção ao banheiro.

   - Calma! – ri. – Para que toda essa pressa?

   - Estamos ficando sem tempo.

   - Ok, ok.

 Entrei no banheiro e retirei minhas roupas pronta para já tomar um banho maravilhoso e quentinho. Fiz o possível para demorar o menos que conseguia e ao sair enrolada em uma toalha do box, a porta do banheiro foi aberta, pois a inteligência aqui tinha se esquecido de trancar.

    - O QUE É ISSO? – berrei. – QUE INVASÃO DE PRIVACIDADE É ESSA?

   - Calma, amor! – riu. – Minha vez de usar o banheiro ué.

    - Custa esperar?

   - Custa. – me empurrou. – Se arrume aí quarto. – fechou a porta na minha cara.

   - Grosso! – disse bem alto.

   - Mas você ainda nem viu. – fez graça e eu fiquei super vermelha.

   - Idiota! – resmunguei abrindo a mochila.

 Assim que retirei as peças de roupa de dentro d mochila eu percebi que tinha um pijama, mudas de roupas novas para usar no dia seguinte, dois conjuntos de langerie e um vestido novo que tinha comprado a pouco tempo e nem mesmo tinha usado preto. Sorri e o vestido logo depois de ter vestido um dos conjuntos de langerie. No fundo da mochila tinha um salto preto para que eu pudesse usar agora a noite e com isso uma ideia de onde iriamos surgiu na minha cabeça.

   Depois de pronta, peguei minha maquiagem que eu sempre carregava em minha bolsa e penteei meu cabelo. Modéstia à parte eu estava mais diva do que eu sempre estou. Sorri para mim mesma no espelho e logo a porta do banheiro se abre, sendo seguida por um barulho de assovio.

   - Uau, essa é a minha garota? – ri um pouco envergonhada. – Que sorte grande a minha, não é mesmo? – me abraçou por trás.

   - Muita sorte. – concordei.

 Através do espelho eu pude ver o quão gato ele estava e sem dúvida alguma fazíamos um belo par.

   - Você está lindo, amor!

   - Obrigado! – beijou o topo da minha cabeça. – Pronta?

   - Sim.

   - Então vamos! – pegou sua carteira e as chaves do seu carro e saímos do quarto trancando a porta.


Notas Finais


Até a próxima


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...